Jovem se inspira em momentos do cotidiano (Foto: Carlos Dias/G1)

Jovem se inspira em momentos do cotidiano (Foto: Carlos Dias/G1)

 

Exemplar foi publicado em fevereiro deste ano, após convite de editora.
‘Escrever é minha paixão’, diz adolescente de Sorocaba (SP).

Publicado no G1

“Uma jovem garotinha, começando a crescer. Uma bela menininha, aprendendo a viver”. Esse é um trecho das diversas poesias da escritora mirim Ana Cristina Rodrigues, de Sorocaba (SP). Aos 11 anos, a jovem comemora mil exemplares vendidos do livro “Sementes de Ana Cristina”, após ser convidada a publicar a obra em fevereiro deste ano.

Em entrevista ao G1, a poetisa conta que a relação dela com a literatura começou aos 6 anos, antes mesmo de aprender a escrever. De forma despretensiosa, juntando folhas de caderno e formando pequenos livros, na época já se formava a paixão pelas palavras. “Sempre fui curiosa, acredito que isso tenha ajudado na época em que estava aprendendo a escrever. Além disso, minha mãe lia livros para mim antes de dormir, o que me fez aprender a ler e até a escrever um pouco, antes de entrar na escola”, lembra Ana.

Conforme ia crescendo, a criatividade e a vontade de aprender a acompanhavam. Motivada pela família, ela usava histórias em quadrinhos, músicas e livros adquiridos pelos pais. “Apesar de ser uma novidade tudo isso para mim, eu sempre apresentei histórias para ela, porém, eu não imaginava que ela aquilo estava a ajudando a se tornar uma poetisa”, diz a mãe, Andréia Rodrigues.

Sementes plantadas
A vida de Ana se transformou fazendo o que mais gosta: declamando versos. De acordo com ela, para não guardar para si mesma e apresentar para outros amantes da poesia os seus versos, ela aperfeiçoou a técnica com visitas frequentes a um sarau na cidade. “Tenho um vizinho que também é poeta e ele sempre via os meus textos. Foi então que ele me levou em um sarau, tudo com apoio dos meus pais, que nunca me forçaram a nada”, comenta a mini escritora.

Em meio a pesquisas e percepção do dia a dia, surgiu a inspiração para a poesia “Amigos de verdade”. Nos versos estão momentos com amigos da época, retratados em rimas que garantiram o convite inesperado do representante de uma editora para que um livro dela, com 20 poesias, fosse publicado. “Ficamos feliz com o convite, mas não tínhamos nenhuma condição de pagar a publicação. Dias depois da proposta, ele retornou e disse que os 100 primeiros seriam de presente para ela. Com o passar do tempo, compramos de acordo com a quantidade de venda, que nos surpreendeu já no primeiro dia de lançamento, com 52 exemplares vendidos”, comemora a mãe.

'Amigos de Verdade' foi a poesia que 'abriu portas' (Foto: Carlos Dias/G1)

‘Amigos de Verdade’ foi a poesia que ‘abriu portas’ (Foto: Carlos Dias/G1)

 

A obra repercutiu e passou a marca dos mil exemplares vendidos, cada um por R$ 10. A poetisa agora tem a preocupação com agenda de palestras. Com um banner, caixas de livros e o microfone em mãos, ela busca despertar a leitura dentro de escolas e motivar adultos nas empresas. “Em escolas eu tento ajudar os outros da minha idade ou até mais velhos a terem o gosto pela leitura e a importância de entender e saber cada vez mais as palavras. Já para os adultos em empresas, a minha missão é mostrar a minha história e mostrar que nunca deve desanimar da vida e temos que acordar cedo e batalhar por aquilo que queremos”, diz.

Apesar da correria entre palestras, poesias e estudos, ela garante que consegue se organizar para que o rendimento rendimento escolar não seja prejudicado. “Faço todas as lições e até ajudo as amigas que pedem dicas”, brinca.

Poesia e romance
Empolgada com a nova experiência, dois livros estão prontos para serem publicados: um de poesias, com vocabulário mais diversificado e um romance. “Leio muito. Só em 2015 quase 200 livros já passaram por mim. Isso aperfeiçoou meu conhecimento. O novo livro de poesia é inspirado em tudo que vejo. Já o romance apresenta a história de um casal que se conheceu na infância aos 8 anos e, após encontros e desencontros, só se casam aos 85 anos, depois de momentos bons e ruins”, finaliza a jovem.

Se lançar um livro é um sonho já realizado, a pequena escritora mira o futuro, apesar do receio em uma carreira focada apenas nos livros. “Escrever é minha paixão. Mas sei que não dá para viver só com a venda de exemplares. Por isso, penso em fazer uma faculdade de Direito ou até Publicidade e Propaganda, mas sempre escrevendo”, revela a poetisa.

Livros são vendidos em um shopping em Sorocaba (Foto: Carlos Dias/G1)

Livros são vendidos em um shopping em Sorocaba (Foto: Carlos Dias/G1)