Contando e Cantando (Volume 2)

Posts tagged Ana Lucia

Escritores da literatura de Sick-lit

1

Ana Lucia Santana, na InfoEscola

O mercado literário vive de temas que por algum tempo mobilizam a atenção do leitor. No início de 2013 notou-se uma prevalência de narrativas tristes, melancólicas, algumas até bem depressivas. Os primeiros lugares dos mais vendidos em veículos como “The New York Times” foram cedidos para livros como ‘A culpa é das estrelas’, de John Green, e As vantagens de ser invisível, de autoria de Stephen Chbosky. Críticos e classificadores de plantão já colaram uma etiqueta não muito lisonjeira nestas obras – sick-lit, que no idioma português pode ser traduzido como ‘literatura enferma’ ou ‘doentia’. Cabem neste segmento enredos protagonizados por criaturas mergulhadas em enfermidades sérias, jovens depressivos, anoréxicos, pelos que já cederam à tentação do suicídio, ou por qualquer outro distúrbio que atinja crianças e adolescentes. Nesta etapa existencial conhecida como adolescência, garotos e garotas passam por sofrimentos muitas vezes difíceis de suportar. Com histórias como estas, eles podem ter uma ideia de como outros jovens agem quando atravessam contextos semelhantes ou até mesmo testemunhar dores mais atrozes que as suas.

Autores e Obras

John Green: A Culpa é das Estrelas; Quem é você, Alasca?; O Teorema Katherine; Cidades de Papel.
Stephen Chbosky: As Vantagens de Ser Invisível.
Jenny Downham: Antes de Morrer; You Against Me.
Joanna Kenrick: Red Tears; Screwed; Baby Father; Out; Mine; Mind Set.
R. J. Palacio: Extraordinário.
Natalie Standiford: Como Dizer Adeus em Robô.
Lou Aronica: A Garota que Semeava.
Sophie van der Stap: A Garota das Nove Perucas.
Boris Vian: A Espuma dos Dias.

dica da Judith Almeida

Antologia de poemas inspirados por protestos no Brasil é colocada na web

1

Publicado por Folha de S.Paulo

Circula pela internet uma antologia de poemas inspirados pelos protestos por todo o Brasil contra o aumento das tarifas de ônibus –em especial, a manifestação da última quinta-feira (17) em São Paulo.

“Vinagre – Uma Antologia de Poetas Neobarracos” lembra em seu título do fato de a Polícia Militar de São Paulo ter procurado vinagre nas bolsas de manifestantes no protesto ocorrido na última semana –o líquido foi levado por alguns deles porque ajuda a amenizar os efeitos do gás lacrimogêneo.

Os organizadores da coletânea se denominam como Os Vândalos.

No prefácio, dizem que é uma obra “feita por todos”, um “trabalho coletivo”, e dizem que ela nasceu como “gesto público de solidariedade a todos os movimentos que acontecem simultaneamente no Brasil (e também no mundo)”.

A antologia reúne mais de 75 poemas assinados por diversos autores, todos eles em referência ao momento de revolta no país.

O arquivo em PDF de “Vinagre – Uma Antologia de Poetas Neobarracos” pode ser lida neste link.

Veja alguns dos poemas abaixo:

“VINTE centavos
uma gota
transborda e
a borracha
o gás
a porrada
não vão cessar
essa progressão
infinita
não vão
calar o que
acordou
não mais
seremos sonhos
de línguas tesas”

(de Ana Lucia Silva)

*

COROLINDO

“(em paz)
o povo
acordou,
(no caos)
o povo
a cor deu”

(de Baga Defente)

dica do Edson Munck Jr

Go to Top