Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged Ano Novo

Como os livros podem ajudar com suas resoluções de Ano Novo

0

Como os livros podem ajudar com suas resoluções de Ano Novo

Fábio Mourão, no Dito pelo Maldito
Em se tratando de resoluções de Ano Novo, os livros são ideais para essa conjuntura. Lembra no ano passado, quando você prometeu malhar todos os dias, mas sua namorada te seduziu para assistir todas as temporadas de Game of Thrones novamente? E quando você planejou uma dieta de alimentos saudáveis, mas não resistia em raspar o tacho dos doces que sua mãe fazia? Teve também quando você prometeu ser menos estressado, mas a sua namorada insistia em ligar de duas a três vezes por dia só pra perguntar por onde você andava?

Já os livros, por um outro lado, nunca irão te trair. Após citarmos aqui os “5 Livros que podem te ajudar a ‘virar a página’ nesse ano novo”, descobrimos que, quando utilizados de forma criativa, os livros podem ajudá-lo em praticamente todos os seus propósitos de Ano Novo. É quase como um ‘canivete suíço’ com mil e uma utilidades para te auxiliar a alcançar os seus objetivos. Duvida?! Então confira abaixo algumas formas engenhosas de como os livros podem te ajudar em suas resoluções de ano novo.

✔ Entrar em forma
Esqueça as dietas extremas e os dias de academia. Em vez disso, escolha um livro com mais de 700 páginas para ler no ônibus e levá-lo para todos os lugares. Arrastar alguns quilos de literatura envolto em uma capa dura vai te dar o bíceps e tríceps que todo consumidor de esteroides sempre almejou.

✔ Melhorar o seu vocabulário
Se você está tentando ser menos boca suja nesse ano que acaba de começar, os livros podem te ajudar com isso também. Em vez de repetir os mesmos clichês suburbanos de sempre (como ‘recalcada’ por exemplo), escolha alguns ultrajes certeiros dos seus livros favoritos. Em caso de dúvida, consulte a nossa lista com insultos literários adequados as mais diversas ocasiões.

✔ Controlar o seu temperamento
Contar até 10 não está mais funcionando como um calmante para o seu temperamento forte? Está tentando reduzir os seus acessos de fúria neste novo ano? Para aliviar a sua cabeça quente, nada melhor do que ter um livro em mãos. Diga a si mesmo que lerá 10 páginas antes de reagir a qualquer provocação. Tenho certeza que você ficará tão absorto no livro, que vai acabar esquecendo o motivo da briga.

✔ Gastar menos dinheiro
Se você está preocupado com os seus gastos no próximo ano, os livros também podem fazer maravilhas nesta questão. Pegue algumas notas de 20 ou 50 do dinheiro que ganhou dos seus tios neste Natal, e as esconda entre as páginas de algum livro. É provável que em algumas semanas você esqueça de onde as colocou, e pronto! Você acabou de se poupar de gastar um bom dinheirinho em alguma coisa que não precisava. Mas procure sempre conferir o interior dos livros antes de emprestá-lo depois disso

✔ Desacelerar o seu ritmo de vida
Com o ritmo frenético da vida como ela é, muitas pessoas sentem a necessidade de desacelerar e viver a vida de forma mais deliberada. Sabe o que realmente te ajuda a não correr demais? Equilibrar um livro sobre a sua cabeça. É claro que isso vai te atrasar um pouco em algumas tarefas diárias, mas em contrapartida, vai te deixar com uma excelente postura para o ano seguinte.

✔ Conhecer pessoas novas
Se você faz o tipo introvertido, não há forma melhor de conhecer pessoas interessantes do que através dos livros. Não gosta muito de baladas? Frequente então um clube literário e com certeza fará amigos que podem te oferecer um pouco mais do que um convite para encher a cara. Está se sentindo sem assunto em alguma reunião social? Basta pigarrear um pouco e dizer: “O Livro é melhor que o filme”, e ver todo mundo concordar com a sua observação e admirar o seu bom gosto. Em último caso, confira as nossas dicas com ‘5 livros que podem te levar a uma conversa com estranhos na rua’.

✔ Aprender um novo idioma
Releia algum livro clássico em uma língua que você não fala. Torne-se fluente no idioma através de osmose. Embora sejam raras, as edições bilíngues podem te ajudar nessa questão. Depois você ainda pode acrescentar com orgulho em sua biografia que você leu Cem Anos de Solidão, de Gabriel Garcia Marquez, na língua nativa do autor, por exemplo.

✔ Despluguesse
Essa é fácil. Quer passar menos tempo online? LEIA UM LIVRO.

E quanto a você amigo leitor? Quais as suas resoluções de Ano Novo? E como você acha que os livros podem te ajudar a alcançar esses objetivos? Conte-nos em nossos comentários.

Sete resoluções de Ano Novo para quem gosta de ler

2

tumblr_mgky9vPfew1rv0yrxo1_1280

Danilo Venticinque na revista Época

31 de dezembro é dia de fazer promessas para o ano que vem – e de lembrar, com alguma vergonha, das promessas que não  conseguimos cumprir. Sedentários correm maratonas imaginárias. Comilões planejam dietas para a primeira segunda-feira do ano. Estressados prometem relaxar mais, embora as praias e estradas lotadas não ajudem. Todos se unem no exercício esperançoso de acreditar, ao menos por alguns dias, que 2014 será melhor.

Os apaixonados por livros não escapam dessa regra. Em 2014 leremos mais e melhor. Desbravaremos clássicos que nunca ousamos abrir e ainda teremos tempo para não perder os principais lançamentos. Ao menos é nisso que acreditamos hoje. Eu, ao menos, acredito. Divido com os leitores da coluna minha lista de promessas para o próximo ano. Para os que quiserem segui-las comigo e também para os que quiserem usá-la contra mim no fim de 2014, quando eu terei inevitavelmente fracassado. Aproveito para convidá-los para compartilhar  suas promessas literárias na caixa de comentários. Que ao menos algumas delas sejam cumpridas. E que em 2014 a leitura continue a nos dar prazer.

1. Ler todos os dias, sem falta

Num ano em que a Copa do Mundo se soma à nossa já grande lista de distrações, essa é uma promessa corajosa. A recompensa é proporcional ao esforço. Há quem simplesmente prometa ler mais. Há quem estabeleça uma quantidade mínima de livros para terminar no ano. São boas promessas, mas costumam falhar. Tornar a leitura um hábito diário é uma maneira de cumprir todas essas metas. Se você for seguir apenas uma resolução literária para 2014, que seja essa.

2. Espalhar mais livros

Não deixe sua estante lotar em 2014. Ajude a literatura a circular. Doe os livros que não pretende ler mais. Empreste livros para seus amigos, e não se incomode se eles não forem devolvidos logo. São raros os livros que temos tempo para reler. Se ao terminar de ler um livro você perceber que ele já cumpriu  sua missão, passe-o adiante. Ajude a leitura a se espalhar.

3. Conter o consumismo

Comprar livros é um vício quase tão prazeroso quanto ler. A maioria dos leitores que conheço costuma comprar mais livros do que é capaz de ler. O resultado são estantes abarrotadas, carteiras vazias e um vago sentimento de culpa. Resistir a todas as tentações é impossível. Continuaremos comprando livros em 2014. Mas não custa nada tentar conter os impulsos consumistas e lembrar que os livros precisam ser lidos. Não há diferença objetiva entre um livro parado na livraria e um livro parado na estante de casa.

4. Formar novos leitores

Podemos reclamar do governo, dos currículos escolares, da formação dos professores, dos preços dos livros e da falta de bibliotecas. Não faltam motivos para que a leitura não seja um hábito tão difundido no Brasil. Muito ainda precisa ser feito, mas os leitores podem ajudar. Em 2014, apresente os livros para alguém que ainda não tem o hábito de ler. Se cada leitor converter apenas um não-leitor por ano, em pouco tempo seremos um país de leitores.

5. Redescobrir o Brasil

O drible, de Sérgio Rodrigues, e Fim, de Fernanda Torres, foram paixões tardias para mim em 2013. Ao lado de outros lançamentos recentes, esses livros provam que a ficção brasileira contemporânea é boa e acessível o bastante para sair das panelinhas e conquistar um público maior. A literatura fantástica continua num excelente momento: autores como Eduardo Spohr, Raphael Draccon e Carolina Munhóz conquistaram um público fiel e devem continuar fazendo sucesso por muitos anos. Os livros infantojuvenis de autoras como Thalita Rebouças e Paula Pimenta continuam a vender centenas de milhares de cópias e cativar novos leitores. 2013 foi um ano excelente para a literatura brasileira. Que em 2014 os escritores brasileiros percam definitivamente a vergonha de vender, e que os leitores não tenham vergonha de comprar seus livros.

6. Conversar mais sobre livros

A leitura é um hábito solitário e silencioso, mas o silêncio e a solidão precisam ser interrompidos de vez em quando. Para quem está acostumado a guardar para si as alegrias da literatura e as divagações que os livros provocam, o próximo ano é uma chance de dividir essa paixão. Há outros leitores espalhados por aí. Descubra-os. Fale com eles. Cada conversa ajuda a reforçar o hábito da leitura, descobrir novos autores e compartilhar os livros que amamos.

7. Cumprir as promessas do ano passado

As melhores resoluções de Ano Novo são renováveis. Talvez você não tenha cumprido algum item da sua lista para 2013. Talvez tenha falhado em todos eles. Não importa. 2014 acolherá todas essas promessas – e mais outras, se estiver disposto a fazê-las. Nesse quesito, os leitores têm uma enorme vantagem sobre os comilões ou sedentários. O tempo é implacável: a cada ano que passa é mais difícil entrar em forma. Conosco, o efeito é o contrário. Os anos de leitura nos transformam em leitores melhores. Se você não conseguiu vencer aquele clássico da literatura este ano, estará mais preparado no ano que vem. Se não cumpriu suas metas de leitura, pode tentar novamente agora, com mais experiência. Quanto mais listas de resoluções de Ano Novo fazemos, maior é a chance de conseguirmos realizá-las. Jamais conseguiremos ler todos os livros que queremos, mas é um consolo saber que a cada ano estamos um pouco mais perto dessa meta inatingível. Não devemos deixar de acreditar em nossas promessas para 2014. O tempo está a nosso favor.

As 20 editoras mais populares do Twitter (20)

3

1

Parece que foi ontem que desejamos “feliz Ano Novo” e o primeiro trimestre  de 2013 já acabou.”Tempus fugit”, como disse Clarice Lispector o poeta romano Virgílio.

O novo ranking de editoras traz apenas uma modificação: a Autêntica ganhou uma posição e agora ocupa o 14º lugar, apenas três posições atrás da coirmã Gutenberg.

Que este quarto mês do ano seja repleto de bons resultados para todos. 🙂

Ranking Março

x
#1: 49.479 Intrínseca @intrinseca

#2: 46.648 Companhia das Letras @cialetras

#3: 45.246 Mundo Cristão @mundocristao

#4: 42.341 Editora Sextante @sextante

#5: 35.629 Galera Record @galerarecord

#6: 35.060 Editora Rocco @editorarocco

#7: 32.397 Editora CPAD @EditoraCPAD

#8: 29.275 Editora Novo Conceito @Novo_Conceito

#9: 28.548 Cosac Naify @cosacnaify

#10: 27.415 Editora Saraiva @editorasaraiva

#11: 25.139 Editora Gutenberg @Gutenberg_Ed

#12: 23.776 L&PM Editores @LePM_Editores

#13: 21.956 Editorial Record @editora_record

#14: 21.337 Editora Autêntica @Autentica_Ed

#15: 21.303 Editora RT @editoraRT

#16: 19.891 Casa Publicadora @casapublicadora

#17: 18.762 Editora Leya @EditoraLeya

#18: 17.160 Ultimato @ultimato

#19 15.735 Suma de Letras @Suma_BR

#20: 14.405 Editora Agir @agireditora

Ranking atualizado em 3/4.

Dono de zoológico lê livro para cobras de estimação nas Filipinas

1
O proprietário de um zoológico nas Filipinas, Emmanuel Tangco, lê livro para cobras de estimação em Manila neste domingo (3). O Ano Novo Lunar começa no dia 10 de fevereiro em 2013 e marca o Ano da Cobra (Foto: Erik De Castro/Reuters)

O proprietário de um zoológico nas Filipinas, Emmanuel Tangco, lê livro para cobras de estimação em Manila neste domingo (3). O Ano Novo Lunar começa no dia 10 de fevereiro em 2013 e marca o Ano da Cobra (Foto: Erik De Castro/Reuters)

Publicado no G1

Emmanuel Tangco também faz apresentações com cobras em piscina. Ano Novo Lunar começa no dia 10 de fevereiro e marca o Ano da Cobra.

Plano bom é plano não-realizado

0

Trilha para os últimos dias do mundo que não acabou

Xico Sá, na Folha de S.Paulo

Nas espumas flutuantes de mares e cervejas crepusculares, reflito:

Plano bom é plano não-realizado.

Cronicamente inviável e repetitivo vos digo, como a cada fim de ano: nossos planos são muito bons, como na canção dos Doces Bárbaros, nossos planos são recicláveis, como os de mil novecentos e antigamente…

Nossos planos são os mesmos que se arrastam desde século seculorum, nossos planos são tão conhecidos, tão íntimos, eles nos acompanham há tanto tempo que viraram nossos amantes, nossos melhores amigos.

Nossos planos renascem a cada fim de ano como os nossos melhores cúmplices.

Nossos planos sabem que se os realizássemos à risca a vida perderia a graça, seríamos perfeitos demais, estávamos todos magérrimos, malhados, gozando a saúde dos deuses ou dos imortais da ABL, seríamos todos um bando de Davids Beckhans e Giseles.

Nossos planos são muito bons, mas sinto muito por eles, coitados, mais uma vez não serão cumpridos na íntegra no ano da graça de 2013.

Cumpriremos, no máximo, os 10% da humaníssima cota do possível, os 10% do garçom, justa medida.

Nossos planos são muito bons e nunca foram atrapalhados por crise alguma. O que nossos planos enfrentam para valer é uma invencível guerra interna nos fracos juízos repletos de defeitos de fábrica.

Nossos planos são muito bons, mas, como sempre, ainda temos o benefício da dúvida, ainda temos a complacência e, se, por acaso, faltar alguma conversa fiada no estoque, botamos a culpa nos outros –nosso inferno mais próximo.

Nossos planos mal devoraram a ceia do Natal, nossos planos famintos, nossos planos eivados pela fome histórica de todos os semi-áridos e Jequitinhonhas, e lá estão nossos planos a dormir a mais preguiçosa das siestas espanholas.

Nossos planos estão dengosos, como nunca, para o ano novo, nossos planos querem colo, nossos planos odeiam uma academia de ginástica, um cooper às cinco da matina, uma dieta saudável…

Nossos planos não têm medo do colesterol e muito menos da gordura trans, nossos planos adoram uma costelinha de porco, como aquela que Maria fez ainda no Paraíso, costelinha com cerveja preta.

Ah, nossos planos lamberam os beiços, mesmo não sabendo o que seríamos de nós dali a duas voltas do sol no eixo da existência.

Nossos planos não se desgastam à toa, não vivem de estresse, não andam de automóvel na cidade de SP, nossos planos são eternos pedestres e adoram uma rede depois do almoço.

Nossos planos são do interior do mato e ruminam um capinzinho entre os dentes manchados pelo cigarro brabo do tempo.

Nossos planos se espreguiçam, estralando todas as juntas e costelas, quando ouvem falar outra vez de novos planos.

Go to Top