Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged aroma

De onde vem aquele cheirinho de livro velho?

0
Reprodução

Reprodução

Ione Aguiar, no Brasil Post

Quem é apaixonado por livro sabe: a graça não está só na profundidade das histórias. Pegar um exemplar da estante, tocá-lo, virar página por página e sentir aquele cheirinho gostoso de livro pode ser uma das melhores terapias do mundo.

Mas por que os livros têm aquele cheiro? Um estudo publicado na revista Analytical Chemistry revela que o aroma resulta de compostos orgânicos voláteis (COVs) que evaporam quando viramos as páginas.

Pois é: os livros soltam gases (hihi) que, ao longo dos anos, vão se desprendendo da tinta, do papel e da cola utilizados para fazê-los. O interessante é que cada tipo de composto químico causa um tipo de cheiro, o que faz com que cada livro tenha uma assinatura aromática, que pode ir do “floral com notas de amêndoa” até o “adocicado com um fundo de baunilha” (veja o infográfico abaixo).

E daí, ser “sommelier de livro” tem alguma utilidade? Conforme o site Compound Interest, o cheiro ajuda a determinar a idade, a composição e até mesmo o estado de conservação de um livro, o que pode salvar bibliotecas inteiras e ajudar a preservar documentos a postos.

Se você tem um e-book e ficou com saudade daquele cheirinho ao ler esse post: algum doido já inventou o perfume na versão aerossol para “aromatizar” o seu Kindle.

1

24 presentes insanamente inteligentes para amantes de livros

5

Alanna Okun no BuzzFeed

1. Marcador de páginas prático

Marcador de páginas prático

Para os tipos meticulosos que querem marcar exatamente em que linha pararam de ler.

2. Clip de luz para leitura

Clip de luz para leitura

Para as corujas-noturnas-de-quatro-olhos.

3. Prateleira de livros flutuante

Prateleira de livros flutuante

Para os fãs de BRUXARIA.

4. Caixa de lenços de papel em forma de livro.

Caixa de lenços de papel em forma de livro.

Para aqueles momentos mais comoventes.

5. Peso de livro transparente

Peso de livro transparente

Para páginas que demandam ser mantidas planas (especialmente par os momentos de consumo de alimentos e/ou bebida).

6. Marcadores de livro que “falam”

Marcadores de livro que "falam"

Ótimo livro! / A ser continuado… / Pausa / Volto logo… / Você está aqui

Para aqueles que precisam de ajuda para distinguir seus livros na oscilante pilha que se forma sobre sua mesa de cabeceira.

7. Capa para Macbook

Capa para Macbook

Para proteger contra quedas.

8. Abajur em formato de livro

Abajur em formato de livro

Para iluminar as ideias.

9. Apoiadores de livro em forma de aquário

Apoiadores de livro em forma de aquário

Para as nobres criaturas do mar.

10. Caixas de fósforo inspiradas nos clássicos da Penguin

Caixas de fósforo inspiradas nos clássicos da Penguin

Para os um pouco pretensiosos, mas ainda assim queridos tipos imaturos.

11. Segurador de página em formato de anel

Segurador de página em formato de anel

Para os que deixam os livros caírem e para os manetas.

12. Perfume com aroma de livro

Perfume com aroma de livro

Para aqueles que querem seduzir os narizes do mundo.

13. Vela com aroma de livro

Vela com aroma de livro

Livros velhos

Para aqueles que querem que sua casa seduza por eles.

14. Marcadores de página em formato de perna

Marcadores de página em formato de perna

Para aqueles leitores com um senso de humor diferente.

15. Marcador de página sangrento

Marcador de página sangrento

Não, espera aí, esse…

16. Óculos para leitura na cama em prisma

Óculos para leitura na cama em prisma

Para os muito, mas muito preguiçosos. (mais…)

Agonias ilustradas

0

Jeferson Bandeira, no Portal Cronópios

Cavalo de Troia

Da dor fez palavras. Congelada chaga em fingidas páginas. O infeliz, ao abrir o livro, sedento por antídoto, não mais escapa ao inexorável abismo.

Felicidade clandestina

Primeiro encontro, inesquecível. Opondo-se às amigas, passa escondida e afobada às estantes. Acuada, cola-o ao peito. De sôfrega a corada, exala o aroma da eterna descoberta.

Hipocondríaco

Só havia um remédio: suicidou-se.

Fé no amor

Num passe, baixou-lhe um espírito sinistro: o amante da mulher. Fez revelações assombrosas e únicas. Cético, largou a mediunidade.

Dia da caça

– Parado, ou eu atiro.
Pobre Cupido, não imaginava ser Hermes aquele homem transvestido.

Passagem

Dois olhos se apagam na terra. Brilha nova estrela no céu.

Grande cartada

Amapola descobriu os dentes de ouro da avó. Numa jogada de mestre, cobriu sua dívida de pó. Mês que vem estuda abrir o túmulo do avô.

ABC

Desejo de infância. No órfão vagar pelas agruras do destino, tropeça num surrado dicionário, obsoleto e desprovido do V. Atroz sina, nunca conceber o sentido da palavra vida.

Quase quixotesco

À noite, picava lençóis. Vencia, a bengaladas, o ventilador. Franzino, guardado pela sobrinha, Alonso amava novelas de cavalaria. Só não amaria uma Dulcineia. Odiava analogias.

Luar sem pouso

Nas temerosas noites de inverno, se envolvia em papelões e desprezados jornais. Tão branca, deitada naquela atmosfera negra e fria da calçada, fazia de ninho o colo do menino.

Multifuncional

Na identidade, masculino. No jeito de ser, feminino. No trabalho, o que o cliente pedisse.

*Micronarrativas do livro Agonias ilustradas

*Micronarrativas do livro Agonias ilustradas

Homem inventa sabonetes inspirados na literatura alemã

0

Os sabonetes e as obras que inspiraram Lederhaas

Publicado por Pop Trash

O austríaco Wolfgang Lederhaas, de 36 anos, abandonou a carreira como professor de filosofia para entrar em uma nova área, a da criação. Uma prova disso que é ele acaba de desenvolver sabonetes inspirados em clássicos da literatura alemã.

“A indústria cosmética muitas vezes é superficial. Eu queria me aprofundar e entregar mais aos consumidores.” O produto pode ser comprado por cerca de US$ 100 em farmácias e livrarias da região. Cada caixa contém seis sabonetes diferentes, cada um deles apresenta um aroma e cor inspirados em algum autor alemão.

“Literatura não é só sobre leitura, é sobre estética. Eu queria fazer algo tangível dela, para as pessoas conseguirem respirá-la”, contou Lederhaas.

Essa foi a primeira criação do ex-professor

dica do Jarbas Aragão

Go to Top