Contando e Cantando (Volume 2)

Posts tagged Ayrton Senna

Sucesso entre leitores adultos, biografias de personalidades históricas invadem as prateleiras infantis

0
Piloto brasileiro Ayrton Senna ganhou biografia juvenil. Crédito: Editora Memo/Divulgação

Piloto brasileiro Ayrton Senna ganhou biografia juvenil. Crédito: Editora Memo/Divulgação

As figuras retratadas vão de líderes políticos como Martin Luther King e Nelson Mandela até pintores como Frida Kahlo e Van Gogh

Fellipe Torres, no Diário de Pernambuco

Mais de 35 milhões de pessoas no país consomem obras de memórias e biografias, o equivalente a 40% do universo de leitores (88,2 milhões). A constatação faz parte da pesquisa Retratos da leitura no Brasil, feita a cada quatro anos pelo Ibope Inteligência para o Instituto Pró-Livro. Somado a isso, recentemente o gênero literário passou a ganhar força também junto à parcela do público com idade entre 5 a 17 anos, principalmente pela aposta do mercado editorial em livros biográficos com linguagem acessível e programação visual adaptada para crianças e jovens.

As personalidades retratadas são as mais diversas, desde líderes políticos como Martin Luther King e Nelson Mandela até pintores como Frida Kahlo e Van Gogh, que cometeu suicídio aos 37 anos. Entre os brasileiros, há obras sobre o piloto Ayrton Senna, a cantora Carmen Miranda, o ativista Chico Mendes, o inventor Santos Dumont, os cangaceiros Lampião e Maria Bonita. O grande trunfo das histórias é encontrar um meio-termo entre livro didático e o entretenimento. Assim, transmitem fatos históricos e ao mesmo tempo são interessantes para o público jovem.

Enquanto outros países têm tradição em publicações dessa espécie, só recentemente as obras passaram a chegar às prateleiras brasileiras, tanto por causa da tradução de títulos estrangeiros quanto da edição de autores nacionais. Uma grande aposta no nicho é a coleção Filosofinhos, da Tomo Editorial, cujos títulos explicam de maneira lúdica as ideias de vários filósofos e pensadores. Coordenados pela filósofa Maria de Nazareth Agra Hassen, os oito volumes publicados retratam as personalidades como se fossem crianças. Já foram retratados René Descartes, Sigmund Freud, Sócrates, Sartre e Simone de Beauvoir, Platão, Karl Marx, Immanuel Kant e Jean-Jacques Rousseau.

A mais recente biografia infantil publicada dá conta da trajetória de duas crianças paquistanesas: Malala, vencedora do Nobel da Paz 2014, e Iqbal, um menino conhecido por sua luta em protesto contra o trabalho forçado. Ele foi escravizado em uma fábrica de tapetes quando tinha apenas 4 anos, ao ponto de tecer as peças acorrentado. Já Malala se tornou popular em todo o mundo por combater os talibãs e a decisão de proibir meninas paquistanesas de frequentar escolas.

Ayrton Senna em quadrinhos

0

Rafael Lopes, no Globo Esporte

120 anos após o acidente na curva Tamburello, Ayrton Senna continua sendo muito lembrado pelos fãs de automobilismo e pelo público brasileiro. Como parte da campanha “Ayrton Senna Sempre”, vários produtos com a marca do tricampeão estão sendo lançados em 2014. E confesso que esse aqui foi um dos que mais me chamou a atenção. A Editora Nemo lança neste mês o livro “Ayrton Senna: a Trajetória de um Mito”, que conta a história do piloto brasileiro por meio de histórias em quadrinhos.

A ideia nasceu do trio de autores europeus Lionel Froissart (francês), Christian Papazoglakis (belga) e Robert Paquet (também belga). Froissart, inclusive, foi amigo de Senna e está em seu terceiro livro sobre o piloto brasileiro. O álbum começa com a primeira corrida na chuva de Senna, ainda no kart. Depois do flashback, o leitor é levado para o GP de Mônaco de 1984, ano de sua estreia na Fórmula 1. Debaixo de chuva e com a Toleman, ele dá show. Ultrapassa vários adversários, assume a segunda posição. Quando faltava apenas o líder Alain Prost, da McLaren, a corrida foi paralisada.

Todos os episódios marcantes da carreira de Senna estão lá: a vitória dramática do piloto no autódromo de Interlagos em 1991; as polêmicas com Prost nos GPs do Japão e a conquista do tricampeonato mundial naquele país onde, até hoje, ele é idolatrado. Uma boa ideia para aproximar a história de Ayrton Senna das novas gerações, principalmente daqueles que não conseguiram vê-lo correr na Fórmula 1.

1

Concurso Cultural Literário (65)

26

capa senna

LEIA UM TRECHO

Considerado hoje um dos maiores pilotos de todos os tempos, Ayrton Senna era ainda um ilustre desconhecido até a largada do Grand Prix de Mônaco de 1984. Enquanto o principado está sob um dilúvio e a maior parte dos pilotos perde o controle do carro, o jovem brasileiro causa sensação no volante de um Fórmula 1 de segunda classe, e tem uma performance impressionante, que o leva à dianteira da corrida e a ameaçar o campeão Alain Prost. Esse dia marca o início da lenda que se escreveu nos dez anos seguintes, durante os quais Ayrton Senna trouxe emoção para o campeonato mundial de Fórmula 1, até sua morte trágica no Grand Prix de Ímola no dia 1º de maio de 1994.

Vamos sortear 3 exemplares de “Ayrton Senna – A trajetória de um mito“, superlançamento da Editora Nemo.

Para participar, responda na área de comentários qual a lição de Senna deve ser conhecida por aqueles que nasceram após a sua morte?

O resultado será divulgado dia 14/5 às 17h30 neste post.

Se usar o Facebook, por gentileza deixe seu email de contato.

Boa sorte! 🙂

***

Parabéns aos ganhadores: Bruno Boroto NevesEgberto MartinsVagner Borges. =)

Por gentileza enviar seus dados completos para [email protected] em até 48 horas. 

Escola de Curitiba transforma área abandonada em ‘Bosque da Leitura’

0

Professores revitalizam terreno de 76 metros quadrados pendurando livros em árvores para beneficiar de 550 alunos

Espaço foi montado com ajuda de verba reunida em festa junina Arquivo Pessoal

Espaço foi montado com ajuda de verba reunida em festa junina Arquivo Pessoal

Eduardo Vanini em O Globo

RIO – Uma pessegueira e um pé de café estão gerando livros numa escola municipal de Curitiba. O inusitado fato começou a acontecer depois que a direção da Escola Municipal Ayrton Senna da Silva transformou uma área inutilizada de 76 metros quadrados no Bosque da Leitura. Agora, os alunos chegam ao local e “colhem” obras da literatura infanto-juvenil que são penduradas nas árvores pelos professores.

O espaço foi inaugurado na semana passada e conta com mesas e bancos de madeiras. Os livros ficam presos aos galhos por fios de náilon e os estudantes ficam à vontade para manuseá-los.

– Os alunos já estavam acostumados a ir até a biblioteca e sentar à mesa para ler um livro. Mas agora é diferente. Quando chegam ao local, eles se encantam com a ideia de colher um livro e ficam ainda mais curiosos para ler as obras. Assim que acabam, colocam de volta e pegam outro exemplar – conta a vice-diretora da escola, Greyce Serena.

A ideia é que o bosque seja usado também para atividades como rodas de leitura, leituras dramatizadas e até piquenique. A cada 15 dias, todas as turmas terão meia-hora dedicadas ao Bosque da Leitura e, às quartas-feiras, o local fica aberto a toda a escola, que atende a 550 alunos do ensino fundamental e conta com um acervo de sete mil livros.

– O espaço que ocupamos já havia sido usado como horta. Mas fazia tempo que os professores não realizavam atividades ali. Então, começamos a discutir como poderia ser aproveitado. Como fica perto do estacionamento, alguns professores chegaram a sugerir que a área fosse usada para expandir o espaço destinado aos carros, mas queríamos que fosse algo para aos alunos – relata Greyce.

E assim foi feito. Uma paisagista chegou a ser chamada para desenvolver o projeto que, no final das contas, ficou orçado em R$ 7 mil. Mas, com negociações e adaptações, a escola conseguiu chegar ao custo de R$ 5 mil, bancados, na maior parte, com a verba arrecada na última festa junina da escola, que tem 550 alunos do ensino fundamental.

ONG quer fazer perfil de alunos e melhorar notas

0

Instituto-Ayrton-Senna-Doação-50 anos

Sabine Righetti, na Folha de S.Paulo

O sucesso de uma pessoa é, em parte, determinado por características individuais como autoestima e persistência, que podem ser trabalhadas desde a infância. O desafio é saber como desenvolver essas habilidades na escola.

Um grupo do IAS (Instituto Ayrton Senna), ONG que trabalha com 2 milhões de alunos em 1.300 municípios do Brasil, está mapeando características de personalidade em crianças do país para ajudar a desenvolvê-las.

A ideia é que o trabalho ajude a formulação de políticas públicas para o desenvolvimento das chamadas habilidades “não cognitivas” na rede pública.

Em outras palavras, o ensino da tabuada e da gramática –habilidades cognitivas– andaria de mãos dadas com atividades que promovam o trabalho em grupo, a concentração e a resiliência.

“Isso é importante na escola pública para diminuir a desigualdade social”, explica a coordenadora de avaliação e desenvolvimento do IAS, Tatiana Filgueiras.

Ao todo, 55 mil estudantes de escolas públicas do Rio de Janeiro serão avaliados. A identificação é feita por meio de questionários com perguntas simples. Por exemplo, como a criança reage a um obstáculo ou de que forma lida com frustrações.

A fase final da pesquisa deve acontecer em agosto. Os resultados estão previstos para o final deste ano.

FAZENDO AS CONTAS

O desenvolvimento da inteligência emocional é também fundamental para que o aluno desenvolva as atividades cognitivas, como a própria matemática.

“A criança é constituída de muitas habilidades que estão interconectadas com a esfera afetiva, comportamental e relacional”, diz o psicólogo Fábio Villela, do Departamento de Educação da Unesp de Presidente Prudente.

Um problema em matemática, por exemplo, pode estar mais ligado a questões como ansiedade ou instabilidade emocional do que ao ensino dos números em si.

Entender essa relação e saber como melhorar é especialmente importante no cenário brasileiro.

O país está em 56º lugar em desempenho de matemática em uma lista de 65 países avaliados no Pisa (Programa de Avaliação Internacional dos Estudantes da OCDE).

Go to Top