Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged Belga

Detetive criado por Agatha Christie volta em novo livro de autora britânica

1

Publicado no UOL

Escritora Sophie Hannah dá vida à personagem Hercule Poirot, critado por Agatha Christie

Escritora Sophie Hannah dá vida à personagem Hercule Poirot, critado por Agatha Christie

Hercule Poirot, o famoso detetive criado por Agatha Christie em 1920, voltará à vida em um romance escrito pela britânica Sophie Hannah, indicou nesta quarta-feira a Acorn Productions, que detém os direitos da escritora morta em 1976.

Este novo romance, que ainda não tem título, será publicado em setembro de 2014 no Reino Unido pela editora HarperCollins.

“Escrito com o total aval da família”, ele será o primeiro a prolongar as aventuras inventadas por Agatha Christie, 38 anos após “O Último Enigma” (Sleeping Murder), o último opus da “Rainha do Crime” publicado em 1976.

O famoso detetive belga apareceu pela primeira vez em 1920 no romance intitulado “O Misterioso Caso de Styles.

Evocando a escolha de Sophie Hannah, Mathew Prichard, neto de Agatha Christie, expressou todo o seu entusiasmo: “Sua história é tão atraente e sua paixão tão forte pelo trabalho da minha avó, que sentimos que era hora de um novo (romance de Agatha) Christie ser escrito” postumamente.

“Espero criar um quebra-cabeça que vai confundir e frustrar o incomparável Hercule Poirot por pelo menos alguns capítulos”, declarou Sophie Hannah, autora de oito thrillers psicológicos publicados em mais de 20 países e adaptados para a televisão.

A escritora, que também é poetiza, disse que “Agatha Christie é a autora que provocou o seu amor por romances de suspense aos 13 anos de idade”.

Agatha Christie escreveu 80 romances policiais e de notícias, que já venderam um bilhão de cópias em inglês e outro bilhão em outras línguas.

Cervejaria lança edição especial de Game of Thrones

0

Em parceria com a HBO, cervejaria belga produz linha de bebidas inspiradas no aclamado seriado

Dois modelos foram lançados até agora nos Estados Unidos: a “Take the Black Stout” (à esq.) e a “Iron Throne” (à dir.) (Divulgação)

Dois modelos foram lançados até agora nos Estados Unidos: a “Take the Black Stout” (à esq.) e a “Iron Throne” (à dir.) (Divulgação)

Publicado por Veja

A cervejaria belga Ommegang firmou uma parceria com a rede HBO para produzir uma série de bebidas inspiradas na série ‘Game of Thrones’, seriado americano aclamado pela crítica e pelo público.

Dois tipos de cerveja foram lançados até agora nos Estados Unidos: a “Iron Throne”, cuja embalagem é ilustrada com o famoso Trono de Ferro, e a “Take the Black Stout”, uma cerveja preta que traz no rótulo a escuridão da árvore considerada, na história, sagrada pelos povos do Norte. O design é da própria Brewery Ommegang, de Copperstown, Nova York.

Os fãs da série devem ficar curiosos não apenas para ver os próximos episódios da trama, mas também para saber quais serão os possíveis nomes das novas bebidas a serem lançadas. Para os brasileiros, o mistério é sobre quando a linha de cerveja será lançada no país.

“Me fascina o passado parecer mais intenso que o presente”, diz John Banville

0

Raquel Cozer, na A Biblioteca de Raquel

O irlandês John Banville, autor do lindíssimo “O Mar” (Nova Fronteira), vencedor do Man Booker Prize 2005, vem neste ano para Flip, o que levou a Globo a programar seu romance mais recente, “Luz Antiga”, para junho. Minha entrevista com ele para o texto da Ilustrada foi motivada por outro lançamento, de “O Cisne de Prata” (Rocco), dentro da série de policiais que assina com o pseudônimo Benjamin Black. Falo um pouco do livro no link acima.

Desde 2006, quando começou a lançar policiais como Benjamin Black, inspirado pelos romances do belga Georges Simenon (1903-1989), Banville quase não escreve como Banville. Além de “Luz Antiga”, lançou só “Os Infinitos” (Nova Fronteira), que nem faz jus ao escritor que ele é. No mesmo período, foram sete livros como Black, com mais um previsto para este ano.

Em resumo, ele sofre mais para escrever como Banville, obcecado pela frase perfeita, e não vende tanto assim. Como Black, escreve com facilidade, sem nenhuma ambição de ser artista, e lidera listas de mais vendidos. É assim que funciona e, ele diz, é absolutamente natural.

Ele fala também sobre as especificidades de seus romances policiais, a “conversão” a Benjamin Black e a Wikipedia, entre outros temas, na entrevista abaixo, concedida por e-mail.

Foto de Beowulf Sheehan

Foto de Beowulf Sheehan

Em vez de centrar a história no ponto de vista de Quirke, o protagonista, “O Cisne de Prata” alterna capítulos na voz dele com as de outras personagens, incluindo a vítima. O resultado é que os leitores acabam sabendo muito mais do que o personagem que investiga a história. Por que optou por esse formato?
Acho romances policiais fascinantes do ponto de vista técnico. Nesse livro, foi interessante alargar a perspectiva e trazer, embora obliquamente, as vozes, ou ao menos as sensibilidades, de outros personagens. E com isso fazer Quirke desconhecer detalhes que outros personagens, e os leitores, sabem. Mas, enfim, Quirke geralmente progride por meio da ignorância dos fatos. O que admiro nele como protagonista é que ele não é um superdetetive. Se você quer o oposto de Sherlock Holmes ou Hercule Poirot, esse é Quirke. Ele é um pouco estúpido, como o resto de nós –humanos, em outras palavras. (mais…)

Go to Top