A biblioteca de São Miguel Arcanjo (SP) possui 74 mil livros, dos quais 70% são mangás (Foto: Reprodução/G1)

A biblioteca de São Miguel Arcanjo (SP) possui 74 mil livros, dos quais 70% são mangás (Foto: Reprodução/G1)

Publicado na Mundo Nipo

Localizada em uma colônia em São Miguel Arcanjo (SP), a maior biblioteca de livros em japonês no Brasil possui um gigantesco acervo de mangás (quadrinhos japoneses). A biblioteca tem uma coleção de 74 mil livros, dos quais 70% são mangás. O número representa o maior acervo do gênero no Brasil.

São 51,8 mil mangás dos mais variados gêneros, que vão desde ‘kodomo’ (gênero voltado para o público infantil) aos polêmicos ‘hentais’ (erótico/pornográfico).

“Eles [mangás] são os mais procurados pela população da colônia e também por outros moradores da região que estudam a língua japonesa e alugam”, afirmou o administrador da biblioteca, Katsuharo Ochi, ao portal de notícias G1.

Na matéria do G1, publicada na semana passada, Ochi explicou que os mangás são procurados tanto por crianças como por adultos, mas “a preferência é pelas histórias de luta, enquanto os poucos mangás eróticos ‘nunca’ são alugados”.

Para nível de comparação quanto à enorme quantidade de mangás, o acervo da biblioteca de São Miguel Arcanjo é três vezes maior, por exemplo, que o da Fundação Japão em São Paulo (SP), cidade onde vivem 326 mil japoneses e descendentes, segundo o Centro de Estudos Nipo-Brasileiro. A biblioteca da entidade conta com 21 mil exemplares, de acordo com a administração do local.

Obras diversas
Além da grande quantidade de mangás, a biblioteca de São Miguel Arcanjo conta com obras de diversos temas: artes, arquitetura, culinária, religião, biografias, além dos romances policiais e clássicos, como “Pinóquio” e “Bambi”. A quantia de livros é tanta que alguns exemplares ficam estocados em caixas ao lado de prateleiras. “São muitos livros, grande parte antigos. A quantia é tão grande que não conhecemos a maioria”, diz Ochi.

O administrador contou que boa parte do acervo veio diretamente do Japão. “Na época em que montaram a biblioteca, a colônia recebeu um contêiner carregado de livros que veio do Japão por meio de um navio. Desde então foram comprados poucos exemplares para a biblioteca”, relembra o administrador.

Funcionamento
O espaço de 650 metros quadrados fica na colônia japonesa do Bairro Pinhal, zona rural de São Miguel Arcanjo, e foi construído em 1985. Ele funciona apenas aos sábados e é aberto à população.