Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged Bill Gates

Fundação Bill Gates equipa bibliotecas no Brasil

0

3c20

Bibliotecas de 46 municípios de 16 estados vão receber novos equipamentos de informática custeados pela The Bill & Melinda Gates Foundation, de Bill Gates. O objetivo é incentivar a criação de projetos que utilizem as plataformas digitais.

Publicado no Blog do Galeno

Bibliotecas de quatro municípios da Bahia vão receber novos equipamentos de informática custeados pela The Bill & Melinda Gates Foundation, instituição filantrópica do empresário norte-americano fundador da Microsoft, Bill Gates.

Os espaços de leitura e pesquisa foram selecionadas pelo Comitê para a Democratização da Informática, no Programa CDI Bibliotecas 2015, e vão receber, pelo período de dois anos, 10 computadores cada um.

Foram contempladas cinco bibliotecas estaduais em Salvador – Anísio Teixeira (Centro), Thales de Azevedo (Costa Azul), Monteiro Lobato (Nazaré) e a do Estado da Bahia (Barris) – e três municipais no interior – Maria Feijó (Alagoinhas), Álvaro Pina Trindade (Mata de São João) e Professor Magalhães Neto (Candeias).

Além das unidades baianas, outras 42 bibliotecas espalhadas em 16 estados brasileiros também receberão os equipamentos. Ao todo, a iniciativa garante cerca de R$ 10 milhões em recursos para a compra de computadores e financiamento para capacitação de pessoal.

Segundo o coordenador de projetos do Comitê para a Democratização da Informática (CDI), Edson Alves Feitosa, a iniciativa tem o objetivo de incentivar a criação de projetos que utilizem as plataformas digitais como forma de integrar novas tecnologias à rotina dos usuários das bibliotecas.

“Mais importante que o computador é oferecer a oportunidade de ver a tecnologia como principal aliada da educação, do conhecimento e da cultura”, diz.

Para a coordenadora do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas da Bahia, Maria Cristina dos Santos, os equipamentos vão possibilitar a requalificação desses espaços de leitura.

“Costumamos dizer que a tecnologia não tirou os usuários da biblioteca. Ao contrário: é ferramenta que agrega e possibilita que sejam realizadas pesquisas mais abrangentes”, diz.

O edital para a participação do Programa CDI Bibliotecas 2015 foi lançado em fevereiro deste ano e abriu vagas para a inscrição de bibliotecas municipais e estaduais. Além de informatizar as unidades, o programa visa ajudar líderes e profissionais a integrar ideias e serviços inovadores nesses espaços.

Para tanto, os funcionários terão capacitação por meio de cursos durante dois anos para que se transformem em multiplicadores para a comunidade local. O primeiro encontro dos profissionais do Nordeste foi realizado na manhã desta terça-feira, 29, na Biblioteca do Thales de Azevedo, no Costa Azul.

Transformação

Responsável pela Biblioteca Pública Municipal Maria Feijó, em Alagoinhas, o bibliotecário Marco Túlio comemorou a seleção da unidade no programa.

“O acesso à tecnologia, em muitos lugares, ainda é precário. Por isso, em Alagoinhas, utilizaremos os novos computadores como ferramenta de transformação social. A ideia é oferecer cursos de informática básica, dentro do espaço da biblioteca, para a população carente”, assinalou.

Luan Santos – A Tarde

Bill Gates: Os 6 livros que você deve ler em 2015

0
Bill Gates, fundador da Microsoft (Foto: Getty Images)

Bill Gates, fundador da Microsoft (Foto: Getty Images)

Obras abordam negócios, política internacional, mídia e uso de dados

Publicado na Época Negócios

É comum o empresário Bill Gates, bilionário fundador da Microsoft, recomendar os livros de que gosta. Em seu canal no YouTube, já publicou até uma animação para dar as dicas. Desta vez, a lista de sugestões foi feita a pedido dos organizadores do TED. Entre as obras, estão títulos que Gates nunca dispensa de suas recomendações, como “Business Adventures”, de John Brooks, apresentado a ele por Warren Buffet. As obras não têm versão em português. Confira e prepare-se para abastecer a estante:

1. “Business Adventures”, de John Brooks
“Warren Buffett recomendou esse livro para mim em 1991, e ainda é o melhor livro de negócios que já li. Mesmo que Brooks tenha escrito há mais de quatro décadas, oferece insights contundentes sobre fundamentos atemporais do mundo dos negócios, como o desafio de construir uma grande organização, a contratação de pessoas com as habilidades certas e ouvir feedback dos clientes”, escreveu o empresário.

2. “The Bully Pulpit”, de Doris Kearns Goodwin
No livro, a historiadora analisa as presidências de Theodore Roosevelt e William Taft. Se você está se perguntando por que um empreendedor que não esteja particularmente interessado em presidentes dos EUA do século 20 se interessaria pela leitura, a resposta está na capacidade de liderança deles. “Estou especialmente interessado na questão central que Goodwin levanta: como a mudança social acontece? Pode ser conduzida apenas por um líder inspirador ou outros fatores têm de estabelecer as bases primeiro?”

3. “On Immunity”, de Eula Biss
Com o recente surto de sarampo nas manchetes americanas, a sugestão de Gates é oportuna. “A ensaísta eloquente Eula Biss usa ferramentas de análise literária, filosofia e ciência para examinar os rumores rápidos e imprecisos sobre vacinas infantis que se proliferaram entre os pais americanos”. O livro é recomendado especialmente para pais mais jovens.

4. “Making the Modern World”, de Vaclav Smil
Segundo o empresário, Smil é “provavelmente seu autor vivo favorito” — para Gates, todos os trabalhos do historiador são uma leitura obrigatória, graças à clareza na visão do escritor. Neste livro, “Smil examina os materiais que usamos para atender às exigências da vida moderna, como cimento, ferro, alumínio, plástico e papel. O livro é cheio de estatísticas assustadoras”.

5. “How Asia Works”, de Joe Studwell
“O jornalista de negócios Joe Studwell dá respostas convincentes para duas das maiores questões do desenvolvimento econômico: como países como Japão, Taiwan, Coreia do Sul e China conseguem manter crescimento elevado e por que tão poucas nações conseguem seguir o mesmo caminho”, diz Gates.

6. “How to Lie With Statistics”, de Darrell Huff
O livro de 1954 coloca em debate o uso de dados, ensinando a adotá-los de forma perspicaz. Segundo Gates, o tema é “mais relevante do que nunca. Um capítulo mostra como recursos visuais podem ser usados ​​para exagerar tendências e dar comparações distorcidas. É um lembrete oportuno, dada a frequência com que infográficos aparecem no seu Facebook e Twitter atualmente”.

5 leituras recomendadas por Bill Gates para alcançar o sucesso

0
 Fonte: Shutterstock     Bill Gates: "meus filhos terão computadores, sim, mas antes terão livros"

Fonte: Shutterstock
Bill Gates: “meus filhos terão computadores, sim, mas antes terão livros”

Saiba quais são os livros recomendados pelo famoso fundador da Microsoft

Publicado no Universia Brasil

O empresário norte-americano Bill Gates se tornou uma das personalidades mais citadas mundialmente ao fundar, ao lado de Paul Allen, a Microsoft, conhecida como a maior empresa de software já criada.

No ano de 2013, a fortuna acumulada de Gates foi estimada em cerca de 77 bilhões de dólares, concedendo a ele o primeiro lugar na lista de pessoas mais ricas do mundo. Graças ao seu pensamento persistente e inovador, o empreendedor conseguiu alcançar o sucesso, tornando-se um dos pioneiros na revolução da computação.

Um dos hábitos bastante praticados por Bill Gates é, certamente, a leitura. Através de seu blog pessoal, ele escreve sobre os livros que lê expondo o seu ponto de vista a todos que o acompanham e buscam seguir o seu estilo de vida.

Confira a seguir a top lista de leituras recomendadas pelo empresário e inspire-se nelas:

1 – “Aventuras dos Negócios”, por John Brooks
O livro busca fazer com que o leitor tenha um entendimento profundo sobre o funcionamento das empresas, analisando por que alguns negócios falham e outros atingem o sucesso.

2 – “Tap Dancing to Work”, por Carol Loomis
O livro fornece ao leitor um desdobramento sobre o sucesso, compilando os artigos escritos por um dos melhores amigos de Bill Gates, o famoso investidor Warren Buffett. Os textos são entrelaçados pelo próprio autor Carol Loomis.

3 – “A vida é o que você faz dela”, por Peter Buffett
Escrito pelo músico e filantropo Peter Buffet, filho mais novo de Warren Buffett, o livro conta a história de uma criança rica e trabalhadora, cujos incentivos do pai contribuíram para torná-lo um músico de sucesso.

4 – “Awakening Joy”, por James Baraz
O livro mostra ao profissional como ele pode manter a sua alegria ao mesmo tempo em que se torna bem-sucedido. O livro oferece estratégias para mudar o comportamento, além de treinar a mente para aprender novas maneiras de pensar.

5 – “De onde vêm as boas ideias”, por Steven Johnson
O livro define o que torna uma empresa “fértil” para o sucesso para a inovação. O autor identifica sete padrões-chave por trás da inovação genuína, traçando-os através do tempo e das disciplinas.

Se você deseja seguir o mesmo caminho de Bill Gates para o sucesso, a leitura é fundamental. Como afirmou uma vez o empresário “meus filhos terão computadores, sim, mas antes terão livros”.

Reflexões para o ano novo: a difícil tarefa de se criar gênios

0
a difícil tarefa de se criar gênios

Steve Jobs

 

Tom Jones, no Administradores

Quem leu a biografia de alguns dos grandes “gênios criativos” de nosso tempo (Steve Jobs*, Bill Gates** ) talvez em algum momento tenha se questionado como pai (ou mãe) a difícil tarefa que os pais desses “gênios” tiveram que enfrentar ,pois conviviam com crianças, adolescentes e adultos que não se encaixavam no chamado mundo convencional.

Nossa sociedade, nossas escolas de educação formal e todo o ambiente em que vivemos são nocivos a criatividade e ao espírito questionador.

Estar a frente de seu tempo, inventar produtos ou serviços que ainda ninguém se deu conta de que precisa, compor musicas, escrever livros… tudo isso esta associado a criatividade e ao espírito inovador ,que muitos julgam ser para poucos escolhidos e por isso os entraves são complexos e começam ainda muito cedo, quando ainda somos crianças e temos uma mente ágil e estamos prontos para ir em busca de conhecimento, testar novas vivências e experimentar coisas novas.

Porém é quase que um dever “cívico” que a família tente “domesticar” essa criança muito ágil e questionadora, grande parte das famílias preferem a criança comportada, menos viva, porque a criança criativa dá muito “trabalho”, e daí inicia-se um processo de inibição do espírito exploratório/criador do ser humano. E que não para por ai, algum tempo depois, no inicio de sua educação dita “formal” a criança ainda esta a mercê desse processo de inibição continuo.

Quantas são as escolas publicas que você conhece que incitam a criatividade? No geral elas incentivam a reprodução. Nossas escolas não incentivam a reflexão, o espírito exploratório. Ao contrário aprendemos que para cada desafio só há uma resposta certa.
Exemplos mais drásticos desse processo de inibição tem sido noticiados por médicos, a respeito do uso inclusive de medicamentos como a Ritalina***…

“A pediatra Maria Aparecida Affonso Moysés, professora titular do Departamento de Pediatria da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp,fez uma declaração bombástica: “A gente corre o risco de fazer um genocídio do futuro”, disse ela em entrevista ao Portal Unicamp. “Quem está sendo medicado são as crianças questionadoras, que não se submetem facilmente às regras, e aquelas que sonham, têm fantasias, utopias e que ‘viajam’. Com isso, o que está se abortando? São os questionamentos e as utopias. Só vivemos hoje num mundo diferente de mil anos atrás porque muita gente questionou, sonhou e lutou por um mundo diferente e pelas utopias. Estamos dificultando, senão impedindo, a construção de futuros diferentes e mundos diferentes. E isso é terrível”.

Então imagine-se no lugar do pai ( ou da mãe ) de um Steve Jobs, ou Bill Gates, vendo seu filho largar a faculdade para dedicar-se a um projeto que você claramente não vê futuro. Pois tudo na nossa sociedade segue regras rígidas para o “sucesso”, todo Pai e Mãe quer ver seu filho formado, quer um médico na família, quer um advogado ou engenheiro brilhante não é mesmo?

E não há crime nenhum nisso, pois não temos como saber quais são as exceções as regras. Afinal de contas quantos Bill Gates podem existir ? A espaço no mundo para todos eles ? Mas é justamente ai que mora o perigo, a inovação e a criatividade são inerentes ao ser humano, não são uma questão de dom, de inspiração. Todos os seres humanos são criativos!

Mas ai surge uma outra pergunta pertinente, se é assim por que então não vemos mais gênios criativos soltos por ai ?

A resposta esta em nossa sociedade, a criatividade dita cotidiana, não é visível ou passa pelo crivo de outras pessoas. Pois o ato de criar esta contido tanto em um sonho que demora anos para ser concretizado, como também no simples ato de mudar o ingrediente em uma receita ou a mudança do trajeto de volta para casa. Porém quando a criação, envolve outras esferas, principalmente a profissional, e dessa forma ela tem de passar por julgamentos, analises e criticas, pois envolve custos e mais pessoas para ser implementada, então todos os alertas de perigo vão soar e fazer com que as idéias sumam e os bloqueios apareçam

E esses bloqueios vem da sociedade que trabalha para que o individuo, tenha sempre uma única resposta certa ( pois afinal de contas todos aprendemos isso na escola) e se não for assim, vai tratar de reprimi-lo e desencorajá-lo da manifestação do comportamento diferente, divergente. Pois a resposta diferente quebra paradigmas, gera duvidas, insegurança. Abre a possibilidade do que pode ou não dar certo. E então isso gera medo e as pessoas preferem reproduzir algo que já existe a produzir coisas novas.
Você teria a coragem de chegar para seu chefe e dizer a ele : “ vamos tirar todos os botões dos smartphones, vamos fazer um smartphone que não tenha botões … eles só atrapalham a usabilidade das pessoas” ?

Antes de Steve Jobs ter a coragem de fazer isso, todos acreditavam que quanto mais botões um telefone tivesse, mais “smart” ele seria . Sair do esquema exige muita coragem, criatividade é um ato de coragem, é preciso ser corajoso para ser criativo. O covarde não cria, porque não se arrisca, não tem coragem de encarar as criticas e a desaprovação da sociedade.

É preciso coragem também como pais para apoiar, orientar e compreender o espírito exploratório de nossas crianças. Lidar com “robôs” que seguem ordens, sem questionar é muito bom agora, mas pode ser fatal para o futuro de nossa sociedade.

Cabe lembrar aqui, que criticas são sempre bem vindas e não podem ser banidas. Mas elas tem lugar e hora para acontecer, na fase de escolha das melhores idéias a capacidade de critica e autocritica é fundamental. Mas durante a criação de idéias ela não é bem vinda, pois ela tem o mesmo efeito que a sociedade tem sobre nós; é um bloqueador de boas idéias.

Na contra mão disso tudo, esta a certeza de que a criatividade e a inovação são fundamentais para o mundo hoje e sempre. Empresas, cidades e países precisam de inovação e criatividade, precisam de pessoas que saibam buscar soluções adequadas ,pois a atitude criativa é o combustível que movimenta toda e qualquer tipo de solução nos tempos de crise. Inclusive didaticamente falando o processo criativo começa com o diagnostico das necessidades, de onde a seguir vem a geração de idéias (sem criticas), que leva a analise das melhores alternativas e só por fim a implementação da melhor.

Na próxima década as empresas e a pessoas devem adotar os pilares gêmeos da criatividade e da inavação. Pois a inovação é necessária para rejuvenecer países estagnados com empresas desesperadas por soluções . Onde constataremos que essa nova geração freqüentemente chamada de insolente e impaciente, serão os responsáveis por essas soluções.

Daí podemos ver que a criatividade é algo que sempre tem que trazer resultados, pois ela precisa ser o instrumento de um progresso . Então seja qual for a idéia criativa ela deve sempre ter origem na descoberta de uma necessidade. Complementar a isso tudo existe o ponto fundamental que é a visão clara de qual é o problema. Muito mais do que buscar soluções é fundamental diagnosticar as causas, pois as idéias não serão eficientes se não sabemos quais são as causas dos problemas.

Então por fim, nossos olhos voltam-se para as Universidades, e a necessidade de resgatar a sua missão acadêmica que deveria ser a de preparar as pessoas para realizar com competência um papel profissional dentro da comunidade/estado, e através disso influencia-la para o desenvolvimento responsável.

Porem o que vemos é a alienação de muitos centros acadêmicos as necessidades do mercado de trabalho e da própria sociedade. Instituições alienadas das demandas educacionais de sua comunidade são irresponsáveis pois criam lacunas que podem fazer ruir toda a cadeia de valor que depende delas como entidades geradoras de uma força profissional preparada para o futuro; quando na verdade não estão fazendo isso.

Para alcançar este propósito a Universidade deve rever seu sistema de ensino, precisa “estudar” as empresas que foram criadas por esses “gênios criativos”. O sistema educacional precisa de uma injeção de inovação. Devem transformar o ensino em aprendizagem, onde o foco não seja o mero repasse de conhecimentos, mas sim o desenvolvimento integral dos alunos.

A começar pela quebra do paradigma de que nossa sociedade não admite erros, como na letra do Legião Urbana : “Este é o nosso mundo, o que é demais nunca é o bastante ,e a primeira vez é sempre a ultima chance…” “
No entanto, mesmo as pessoas mais trabalhadoras e inteligentes ainda cometem vários erros. Na verdade as únicas pessoas que não cometem erros são aquelas que não se ariscam. Já parou para pensar que o 14 biss é uma sucessão de 13 “supostos erros” que culminaram no sucesso do décimo quarto protótipo?.

Muitos fundadores de sucesso são capazes de aprender rapidamente com seus erros. E é ai que reside a chave do sucesso, não deixar que essas falhas o derrotem .E preciso que nossos filhos, nossos alunos aprendam que sua missão dentro da sociedade e a mesma que cada um de nós, ou seja, fazer desse mundo um lugar melhor do que o que encontramos. E para isso é preciso ousadia , coragem e muita rebeldia.
Nas palavras de Miguel Castaño

“Vamos saudar os Loucos, os Rebeldes , os Sonhadores …
Porque nos levam adiante … São eles que Mudam as coisas porque acreditam que podem Melhorar o Mundo “

Citações :
*O casal Jobs adota um menino recém nascido, a quem batizam de Steve Paul Jobs. No verão de 1972, aos 17 anos, Steve sai de casa, contra a vontade dos pais, para morar em uma cabana com sua primeira namorada. Nesse mesmo período começa a beber, fumar, freqüentar espaços budistas de meditação e a tomar ácido. No final do mesmo ano ingressa na universidade Reed College em Portland, Oregon que cursaria formalmente apenas por seis meses. “Desistir foi a melhor coisa que fiz. Pude me dedicar às coisas que eu realmente queria fazer.” disse anos mais tarde. Jobs passa 18 meses freqüentando o campus da Reed College21 , onde ganhou permissão para acompanhar as aulas como observador. Entre os cursos assistidos por Jobs estava um curso de caligrafia que anos mais tarde influenciaria na tipografia do Macintosh21 .

**Gates nasceu em uma família de classe média de Seattle. Seu pai, William H. Gates, era advogado de grandes empresas, e sua mãe, Mary Maxwell Gates, foi professora da Universidade de Washington e diretora de bancos. Bill Gates e as suas duas irmãs, Kristanne e Libby, frequentaram as melhores escolas particulares de sua cidade natal, e Bill também participou do Movimento Escoteiro ainda quando jovem. Bill Gates,6 foi admitido na prestigiosa Universidade Harvard, (conseguindo 1590 SATs dos 1600 possíveis7 ) mas abandonou os cursos de Matemática e Direito no terceiro ano 8 , para dedicar-se à Microsoft.

Em vídeo ao estilo LEGO, Bill Gates revela os cinco melhores livros que leu em 2014

0

1

Publicado por TudoCelular

Ler é uma das melhores formas de diversão, a maioria das pessoas adora pegar um bom livro e aproveitar horas, seja no mundo da fantasia, dos estudos, ou até mesmo da história. Você já imaginou o que os famosos leem? Melhor ainda, já imaginou o que Bill Gates guarda na sua estante de livros?

Gates revelou nesta última segunda-feira (8/12) uma lista com cinco livros, compartilhando e indicando as melhores obras do ano. Até o momento mais de 107 mil pessoas visualizaram o vídeo e guardaram as dicas de Bill.

O fundador da Microsoft revelou quais livros estão na sua lista de melhores leituras de 2014, no vídeo ele mostra suas preferências do ano que está acabando, e da forma mais estilosa do mundo, em uma animação em lego.

Uma das grandes obras indicadas é “Business Adventures”, de John Brooks, livro publicado em 1969 e segundo Gates, é um dos melhores livros sobre negócios que ele já leu em toda sua vida. Ou seja, se o dono de uma das maiores empresas do mundo está indicando, é porque deve ser minimamente bom.

Na lista também há “O Capital do Século XXI”, de Thomas Piketty, “How Asia Works”, de Joe Studwell, “Making the Modern World: Materials and Dematerialization”, de Vaclav Smil, e “The Rosie Effect”, de Graeme Simsion.

No caso da obra “The Rosie Effect”, de Graeme Simsion, Bill Gates recebeu uma cópia antes mesmo do livro ser publicado, revelou que a leitura é divertida e que os leitores conhecerão um pouco mais sobre genética. Em seu blog ele faz comentários sobre cada um dos títulos indicados.

Go to Top