Contando e Cantando (Volume 2)

Posts tagged Cabana

J.K. Rowling quer construir cabana do personagem Hagrid, de Harry Potter, no quintal de sua casa

0
 J. K. Rowling quer construir cabana de Hagrid em sua casa REUTERS/Suzanne Plunkett

J. K. Rowling quer construir cabana de Hagrid em sua casa REUTERS/Suzanne Plunkett

Autora da saga pretende instalar a casinha em sua propriedade na Escócia

Publicado no R7

A escritora J.K. Rowling planeja recriar cabana do personagem Hagrid no quintal de sua casa, na Escócia.

Segundo o site The Telegraph, o grandalhão de sua célebre série de livros Harry Potter é um de seus favoritos. No cenário do filme, a casa do personagem fica próxima a uma floresta e a autora afirmou que quer manter essa característica quando instalada em seu quintal.

De acordo com o site, a propriedade de Rowling possui 162 acres e foi comprada por £1.9 milhões em 2001.

Candidatas a Miss Brasil 2013 trocam ‘O Pequeno Príncipe’ pela Bíblia

0

Publicado no Terra

Capa do livro O Pequeno Príncipe, do francês Antoine de Saint-Exupéry Foto: DivulgaçãoPode parecer preconceito (e é!), mas para muita gente o famoso livro O Pequeno Príncipe, do francês Antoine de Saint-Exupéry, ficou estigmatizado como um “livro de miss”. E de onde surgiu esse apelido? Bom, de acordo com o Guia dos Curiosos, do autor Marcelo Duarte, foi nos anos 70, quando parte da imprensa brasileira reparou que as candidatas frequentemente citavam a obra como seu livro de cabeceira. Além disso, as misses costumavam citar as frases do personagem em seus discursos, como “só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos”.

As candidatas ao título de mulher mais bonita do Brasil deste ano, mostraram que essa história de O Pequeno Príncipe é uma tremenda bobagem. Entre as 27 candidatas, apenas uma citou o livro (sim, ele ainda está presente no universo dos concursos de beleza). A miss em questão foi a representante do Piauí, que justificou sua escolha com a seguinte frase: “porque fala sobre valores sentimentos e relacionamento de amor e amizade”. Assuntos que fazem parte e muito do universo deste tipo de competição.

E se vocês querem saber, o livro mais citado é muito mais antigo do que o amigo de 70 anos. Cerca de 14,9% das misses de 2013 preferem a Bíblia. As justificativas lembram muito as da escolha de O Pequeno Príncipe. Algumas dizem que “inspira”, outras porque traz paz, ou então porque é cheia de “ensinamentos”.

Os livros com inspiração religiosa ou de autoajuda também se destacam. Ao menos 11,1% das candidatas apontaram A Cabana, de William P. Young, como livro favorito. Com a mesma porcentagem, outras preferiram O Segredo, de Rhonda Byrne. A obra O Futuro da Humanidade, do psiquiatra Augusto Cury, também foi citado e ficou em terceiro lugar entre os mais lidos pelas candidatas.

Porém, nem só de autoajuda e religião vive o Miss Brasil. Algumas beldades inovaram na escolha e citaram O Alienista, de Machado de Assis, 1808, de Laurentino Gomes, e até A Força Normativa da Constituição, de Konrad Hesse. Este último, foi uma escolha de Cristiana Alves da Silva, do Rio Grande do Norte. “Explica a força normativa da Constituição na concretização dos direitos fundamentais e da dignidade da pessoa humana”, afirmou. Então, tá!

O Miss Brasil acontece no dia 28 de setembro, em Belo Horizonte, e conta com a transmissão ao vivo da Band. Os apresentadores deste ano são Renata Fan e Sérgio Marone.

Candidatas ao título de Miss Brasil 2013 Foto: Carol Gherardi/Band / Divulgação
Candidatas ao título de Miss Brasil 2013
Foto: Carol Gherardi/Band / Divulgação

Veja a lista dos 10 livros mais lidos pelos brasileiros

2

Publicado no Blue Bus

Cena do filme “Harry Potter e a câmara secreta”

Título original: Top 10 – Livros + lidos pelos brasileiros – veja a lista do “Orelha de Livro”

Você sabe quais foram os livros mais lidos pelos brasileiros no 1o semestre de 2013? A rede social Orelha de Livro disponibilizou o ranking dos + lidos nestes primeiros 6 meses do ano a partir da informaçao sobre os livros mais adicionados às bibliotecas pelos seus usuários.

Além dos mais lidos, o ranking prova ainda a diversidade dos gêneros ocupando posiçoes próximas, deixando entrever que há público para todos os gostos.  Inclui ainda livros do ano ou os top de vendas – livros antigos como O Pequeno Príncipe, publicado no ano de 1943, permanecem nas estantes dos jovens. Confira a lista completa abaixo

1o – A Menina que Roubava Livros (Markus Zusak): lançado em 2006
2o – A Cabana (William P. Young): lançado em 2007
3o – A culpa é das estrelas (John Green): lançado em 2012
4o – O Pequeno Príncipe (Antoine de Saint-Exupéry) de 1943
5o – Querido John (Nicholas Sparks): lançado em 2007
6o – Harry Potter e a Pedra Filosofal (J. K. Rowling): lançado em 1997
7o – Amanhecer (Stephenie Meyer): lançado em 2006
8o – A Última Música (Nicholas Sparks): lançado em 2009
9o – O Caçador de Pipas (Khaled Hossini): lançado em 2003
10o – Harry Potter e a Câmara Secreta (J. K. Rowling): lançado em 1998

 

Sobre o Orelha de Livro

Criado em junho de 2012, pelo shopping virtual MuccaShop, o Orelha de Livro é uma rede social que reúne pessoas apaixonadas por literatura. Lá, é possível montar uma biblioteca virtual, fazer resenhas de livros e conectar-se a outros leitores.

Autor de “A cabana” lança novo livro e mira na espiritualidade do leitor brasileiro

0
Filho de missionários, William Young foi criado em uma tribo indígena

Filho de missionários, William Young foi criado em uma tribo indígena

Mariana Peixoto, no Uai

Não é Paulo Coelho, tampouco J. K. Rowling. É sim William P. Young (“Quem?” é a pergunta que muitos podem se fazer) o autor do segundo livro mais vendido no país nos últimos 10 anos. Seu A cabana vendeu, desde 2008, 3,5 milhões de exemplares (são 18 milhões em todo o mundo). Young perde somente para Ágape, do Padre Marcelo Rossi (8 milhões). História de superação com lances surreais (depois de perder a filha caçula, brutalmente assassinada, homem se encontra com Deus, uma robusta mulher negra, exímia cozinheira), A cabana dá lugar para A travessia.

Com grandes pretensões comerciais (a tiragem inicial encomendada pela Editora Arqueiro foi de 300 mil exemplares), A travessia segue a trilha do livro anterior. Milionário egocêntrico entra em coma depois de sofrer derrame. Ao despertar, se vê ao lado de uma mulher idosa (chamada Vovó, ela é na verdade o Espírito Santo) e de um homem de vestimentas rústicas (Jesus). Os dois lhe dão uma segunda chance: ele poderá voltar à existência terrena para reexaminar a própria vida e tentar buscar a redenção.

Casado, pai de seis filhos, Young, filho de missionários criado em tribo indígena, admite similaridades entre os dois livros. “Quem tiver lido A cabana e for ler A travessia vai sorrir em algumas partes ao descobrir que brinco com coisas do livro anterior. Mas são histórias totalmente diferentes, do mesmo gênero, mesmo que ninguém saiba bem definir o que é”, afirma.

Três perguntas para…

William P. Young
escritor

Como encarou a missão de escrever um novo livro depois de 18 milhões de exemplares vendidos do primeiro?
Escrevi a minha vida inteira, só que achei que ninguém iria se importar. Escrever sempre foi um ato para minha família e amigos. Essa questão nunca mudou, a não ser que agora sou um autor publicado. Para mim, escrever está muito próximo de uma gravidez. Você planta uma semente que começa a crescer, passa a incomodá-lo… Você pode tentar ignorar, já que ela o faz sentir mal toda manhã. ComA travessia isso levou quatro meses. Entregar foi mais difícil, já que com esse tempo um bebê também não está pronto para vir ao mundo. O processo de entregar o livro, passar pelos editores, foi maior. Agora, depois dos números que A cabana fez, seria bobo criar expectativas para A travessia. Aprendi a viver sem expectativas. Tudo o que vier será um presente.

você não acha incrível que A cabana seja o segundo livro mais vendido no Brasil nos últimos 10 anos?

Claro. Acredito que os brasileiros sejam muito sensíveis às questões espirituais e que estejam abertos para as mudanças. Sabia que o livro iria bem no país, mas me surpreendeu o impacto que ele teve. Depois da edição em inglês, que é falado em muitos países, a edição mais vendida de A cabana é justamente em português, aquela que saiu no Brasil. E ser o número dois num país em que o número um é um livro sobre o amor de Deus é uma grande honra.

Você liga para as críticas negativas?
De maneira alguma, elas não me incomodam. Sei muito bem quem sou, e às vezes, outros, que não me conhecem, acabam inventando coisas. E a partir de opiniões negativas, essas pessoas acabam se revelando. Acho que A travessia é um livro mais bem escrito do que A cabana. Mas não há como comparar dois filhos, não é?

dica do Thiago Ferreira de Morais

Go to Top