Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged casa

Mulher devolve livro com 36 anos de atraso em biblioteca na Escócia

0
Leitora devolve livro com 36 anos de atraso a biblioteca pública na Escócia (Foto: Shetland Library/Facebook)

Leitora devolve livro com 36 anos de atraso a biblioteca pública na Escócia (Foto: Shetland Library/Facebook)

Ela simplesmente se esqueceu de devolver o livro e acabou o encontrando anos depois.

Cesar Nascimento, no Blasting News

Na época da escola, todos tinham o costume de pegar #Livros na biblioteca para levarem para casa. Geralmente, esses livros tinham um prazo para serem devolvidos e, caso isso não acontecesse, vários problemas poderiam surgir.

O ser humano nem sempre está com a mente livre. Isso significa que, durante o dia, diversos pensamentos, sendo que a grande maioria deles são preocupações e questionamentos, acabam colocando seu cérebro para trabalhar, provocando um verdadeiro curto de informações.

O resultado são pequenos esquecimentos que, a longo prazo, podem se transformar em grandes problemas. Quem nunca se esqueceu de algo importante? Isso acontece mais do que muitos imaginam e, muitas vezes, a melhor coisa a se fazer é parar e pensar se você não está deixando para trás algo importante.

Uma história no mínimo curiosa aconteceu em uma biblioteca na Escócia. A biblioteca Shetland postou uma imagem em que mostra o que seria a capa de um livro devolvido depois de 36 anos de atraso. Isso mesmo! Após todo esse tempo a pessoa ainda teve a capacidade e honestidade de devolvê-lo a seu lugar de origem.

O livro foi emprestado no ano de 1981 e nunca mais apareceu na biblioteca. Como essas coisas são comuns, os funcionários não puderam fazer praticamente nada, já que se tratava de um exemplar e a pessoa que pegou emprestado simplesmente desapareceu sem deixar vestígios. Por mais intrigante que isso pareça ser, a moça se esqueceu de devolve-lo simplesmente porque não se lembrava que tinha pegado o exemplar para ler.

Ao contrário do que muitos poderiam imaginar, ela não tentou vendê-lo para conseguir algum lucro.

Simplesmente leu algumas páginas e o deixou de lado em alguma gaveta cheia de poeira. Mais tarde, sem querer, fazendo algo que faz todos os dias, ela acabou se deparando com o exemplar que estava no mesmo lugar em que foi colocado anos atrás.

A #Mulher disse que estava fazendo uma faxina em sua casa quando se deparou com o exemplar. Ela havia se esquecido de devolver e, envergonhada após muitos anos, levou o exemplar de volta para a biblioteca.

O caso acabou chamando a atenção já que, mesmo se esquecendo, ela teve a honestidade de corrigir seu erro, devolvendo o livro para seu lugar de origem. Ainda não se sabe se foi cobrada alguma multa, ou se ela levou uma bronca por ter se esquecido de uma coisa tão importante como essa.

O livro era um exemplar de “Highland Folk Ways”, de I.F. Grant. #Bizarro

Com livros doados, geladeira vira biblioteca comunitária em Cuiabá

0
Geladeira oferece livros gratuitamente (Foto: Reprodução/ TVCA)

Geladeira oferece livros gratuitamente (Foto: Reprodução/ TVCA)

Mais de 80 livros estão disponíveis dentro da geladeira para a leitura e podem ser levados para casa.

Publicado no G1

Uma geladeira se transformou em uma biblioteca comunitária por meio de um projeto social, que busca incentivar a leitura de crianças, jovens e adultos, em Cuiabá. A biblioteca encontra-se na Praça Sabino Alves de Campos no Bairro Coophamil, em Cuiabá. Dentro do eletrodoméstico, tem vários livros, que podem ser levados para casa gratuitamente.

A biblioteca comunitária foi idealizada no mês de julho, pela Associação de Moradores do bairro. Qualquer morador do local pode pegar um livro gratuitamente e levá-lo para casa.

Segundo o presidente da Associação de Moradores, Edevaldo Profeta, o objetivo do projeto é incentivar a leitura dos cidadãos e melhorar também a escrita. “Quem não lê, não sabe escrever. E esse projeto tem grande demanda aqui no bairro”, afirmou.

A estudante Luana Beatriz Oliveira, de 10 anos, afirma que a leitura e o projeto ajuda no desenvolvimento intelectual das crianças, incentivando a leitura. “Esse projeto é bom, as crianças podem vir aqui e pegar livros para ler”, contou.

Edevaldo informou que dentro da geladeira existem entre 80 a 100 livros que estão disponíveis para leitura. Todos foram obtidos por meio de doações. “As pessoas doam os livros para a gente e em seguida nós os colocamos dentro da geladeira”, disse.

Quem decidir pegar um livro para levar para casa, pode escolher entre devolver novamente para a geladeira ou ficar com ele.

O presidente da Associação também contou que para este ano já existe um projeto para implantar uma nova geladeira com livros no bairro. “Já estamos planejando criar uma outra geladeira de livros, porque a demanda está sendo grande”, afirmou.

Confira 10 ótimos hábitos de estudo que vão melhorar bastante as suas notas

0

direito-oab-concursos-estudante-estudando

Publicado no Amo Direito

Nós sabemos. Metade do ano já passou voando! Mas… Não custa nada aproveitar, e aquelas famosas promessas, para melhorar as notas, certo?

E quer melhor maneira de fazer isso do que melhorando seus hábitos de estudo? Nunca é tarde para desenvolver bons hábitos.

Melhore seu desempenho em sala de aula, assim como suas notas.

Veja essa lista com os 10 hábitos que vão melhorar as suas notas:

1 – Anote qualquer coisa
Faça listas com as tarefas que você precisa realizar, anote o que os professores estão dizendo em aula, as datas das provas e trabalhos, tudo. Não importa em que lugar você vai fazer isso, no seu caderno, celular, agenda… O importante é não perder nenhum detalhe.

2 – Lembre-se da lição de casa
Você já está cansado de ouvir, mas muitas vezes esquece o trabalho em cima da cama. Ou usa essa desculpa simplesmente porque não terminou suas tarefas. Reserve um lugar especial na sua casa para fazer e guardar os trabalhos e crie o hábito de colocar sempre suas tarefas lá.

3 – Se comunique com os professores
Todo relacionamento de sucesso é construído com base em comunicação. Isso não seria diferente na relação professor-aluno. E a falta de comunicação é uma das maiores causas de notas ruins. Por isso é importante se certificar de que todas as suas dúvidas estão resolvidas. Lembre-se de que o professor vai responder quantas vezes você precisar.

4 – Se organize com cores
Seja uma pessoa organizada, e aproveite as cores para identificar suas tarefas. Azul para o que você já fez, verde para o que você faz bem, vermelho para o que precisa melhorar. Esse sistema serve para tarefas, pesquisas, aulas… E seus cadernos nunca mais terão orelhas, dobras, etc. Além de mais organizados, seus estudos serão mais limpos.

5 – Estabeleça uma zona de estudos em casa
Esqueça essa história de estudar na cama ou no chão do quarto. Isso não te ajuda em nada. Estabeleça um local de estudos na sua casa, onde você possa se sentar e estudar. Um local bem iluminado, confortável e calmo é o ideal.

6 – Se prepare para os testes
Você sabe que é importante estudar para os dias de testes, mas nunca faz isso, certo? Se acostume a separar algumas horas do seu dia para dedicar ao estudo e assim você não precisará entrar em pânico um dia antes da prova. Evite distrações e encontre o melhor estilo para você.

7 – Conheça seu estilo de estudo
Não fique dando murros em ponta de faca tentando se encaixar em um estilo que te enjoa, cansa e dá dores de cabeça. Encontre a melhor maneira para estudar e siga sempre esse cronograma. Não se julgue por não estudar no modo convencional, ele pode não funcionar para você. Procure recursos visuais, como vídeos ou desenhos.

8 – Pegue o que é mais importante
Destaque no seu caderno as anotações mais importantes, use marca textos, grifos, caixas coloridas. Isso ajuda muito na hora de estudar, especialmente se você é uma pessoa visual. Usando esses recursos, fica mais fácil identificar as informações principais na página.

9 – Não procrastine
Pare de enrolar. Não coloque dificuldades na hora de estudos. Dedique-se ao que você tem que fazer e mantenha em mente que quanto antes você começar a estudar, mais cedo vai terminar o que precisa fazer.

10 – Cuide-se
Para estudar, é preciso estar com a cabeça em ordem. Então não descuide da sua saúde, coma bem e mantenha a cabeça e os pensamentos limpos. Evite passar muito tempo nos video games, computadores e mensagens de texto.

Fonte: noticias universia

Livro de Bruno Borges entra para lista dos mais vendidos e volume 2 já tem data de lançamento

0

Caio Fulgêncio, no G1

primeiro dos 14 livros do estudante de psicologia Bruno Borges, de 25 anos, desaparecido há quatro meses, entrou para a lista “não ficção” dos mais vendidos da semana, entre 24 e 30 do mês passado. O ranking é do site PublishNews, construído a partir da soma das vendas de todas as livrarias pesquisadas. A segunda obra do jovem já tem data para lançamento, disse a editora ao G1.

Livro de Bruno Borges ocupou 20ª posição do ranking (Foto: Divulgação/PublishNews)

Livro de Bruno Borges ocupou 20ª posição do ranking (Foto: Divulgação/PublishNews)

A primeira tiragem do “TAC – Teoria de Absorção de Conhecimentos” foi de 20 mil cópias. A coaching literária Renata Carvalho, de São Paulo, que trabalha na produção dos livros, acrescenta que mais 10 mil exemplares devem ser liberados para venda. A família lançou a obra no dia 20 de junho.

O segundo volume a ser lançado, na verdade, é o terceiro livro escrito por Bruno, explica Renata. A publicação segue uma ordem específica deixada pelo próprio estudante. O título da nova obra, conforme a coaching, é “Caminho para a Verdade Absoluta” e deve ser lançada em aproximadamente 60 dias.

A irmã de Bruno, Gabriela Borges, de 29 anos, diz que a família não imaginava que tantas cópias seriam vendidas. Ela revela que o irmão sempre falou do desejo de se tornar um escritor, mas os parentes não acreditavam muito. “Estamos bem surpresos com a repercussão. Aposto que Bruno não está, já que sempre acreditou nele mesmo”, diz.

Gabriela ressalta que a família não tem pistas sobre o paradeiro de Bruno e existem dias de sofrimento. Segundo ela, com a leitura dos escritos deixados no quarto, foi possível compreender melhor o período de isolamento, um dos assuntos abordados no TAC.

Livro "Teoria da Absorção do Conhecimento" entrou para lista dos mais vendidos (Foto: Reprodução )

Livro “Teoria da Absorção do Conhecimento” entrou para lista dos mais vendidos (Foto: Reprodução )

“É uma montanha-russa de emoções. Têm dias que estamos melhores, mais fortes, e outros não. Toda essa situação, os ataques que sofremos nesses quatro meses e ainda a saudade que sentimos acabam causando um grande estresse. Desejamos só que ele não demore mais, queremos ter uma notícia. Sentimos muita falta. Nossa casa não é completa sem um de nós”, fala.

Relembre a história

Antes de sair da casa onde mora em Rio Branco, Bruno Borges deixou 14 livros escritos à mão e criptografados, alguns copiados nas paredes, teto e no chão do quarto. Deixou ainda uma estátua do filósofo Giordano Bruno (1548-1600), por quem tem grande admiração, que custou R$ 10 mil.

Em maio deste ano, Marcelo Ferreira, de 22 anos, amigo do estudante, foi detido pela polícia pelo crime de falso testemunho. Na casa dele, a Polícia Civil encontrou dois contratos – um deles autenticado no dia do desaparecimento – que estabeleciam porcentagens de lucros com a venda dos livros. Ferreira teria ajudado Bruno no projeto.

Policiais também encontraram móveis do quarto do acreano na casa de outro amigo, Bruno Gaiote, que também teria participado na logística. Gaiote, que mora na Bahia, chegou a ser indiciado para depor na capital acreana, mas não compareceu, sendo indiciado indiretamente.

Em entrevista ao Bom Dia Amazônia exibida no dia 3 de julho, Ferreira contou que ajudou Bruno a montar o quarto e sabia do projeto, mas garantiu que não tinha conhecimento do desaparecimento, nem do local que ele pode estar vivendo.

Para a Polícia Civil, que investigou o caso, os contratos, e-mails e mensagens trocadas entre os amigos esclarecem a situação. O sumiço de Bruno foi parte de um plano para garantir a divulgação do trabalho deixado por ele, informou na época o delegado Alcino Souza Júnior.

“A gente encerra neste segundo momento, que é a comprovação de que não foi um homicídio, pelo menos não está comprovado. Também não foi um sequestro, mas que se trata sim de uma vontade própria, onde existe um plano para divulgação das obras”, destacou o delegado.

Escolas substituem dever de casa por tempo de leitura. Funciona?

0
Alunos do distrito escolar de Marion: incentivo à leitura. Foto: Marion County School Distric

Alunos do distrito escolar de Marion: incentivo à leitura. Foto: Marion County School Distric

 

Distrito escolar nos Estados Unidos adotou a prática com base em indícios de que a leitura livre é melhor do que as tarefas 

Publicado na Gazeta do Povo [via Washington Post]

Alunos de ensino primário em um distrito escolar da Flórida terão uma bem-vinda – mas controversa – nova política quando retornarem para a escola no ano letivo que começa no próximo mês: nada de lição de casa tradicional.

Eles terão que fazer outra coisa para ajudá-los academicamente: ler por 20 minutos todas as noites.

Heidi Maier, nova superintendente do distrito de escolas públicas do condado de Marion, na Flórida, formado por 42 mil estudantes, disse em uma entrevista que ela tomou a decisão com base em uma pesquisa sólida acerca do que funciona melhor para aumentar o desempenho acadêmico dos alunos.

Isso pode parecer óbvio, mas no mundo da educação, os decisores políticos são notáveis por criar muitas políticas sem saberem e/ou se importarem com as evidências das melhores pesquisas.

A política será aplicada a todos os alunos do primeiro ciclo do ensino fundamental no distrito – cerca de 20 mil – mas não valerá para os demais alunos de ensino fundamental e médio. Maier, uma especialista em leitura que começou a liderar as escolas de Marion em novembro, depois de atuar como professora de licenciatura no College of Central Florida, disse que está baseando sua decisão em uma pesquisa que mostra que lição de casa tradicional nos primeiros anos escolares não melhora o desempenho acadêmico, mas a leitura – e ler em voz alta – sim.

Uma análise muito citada de uma pesquisa sobre o tema, publicada em 2006, constatou que lição de casa no primeiro ciclo do ensino fundamental não contribui para ganhos acadêmicos e tem apenas um efeito moderado para estudantes mais velhos em termos de melhorias de desempenho acadêmico. Apesar da lição de casa ser uma das questões mais controversas na educação básica, não existe nenhum estudo experimental sobre os possíveis efeitos da prática.

Mas especialistas dizem que a pesquisa é clara quanto aos benefícios da leitura diária, com estudantes escolhendo seus próprios livros, lendo em voz alta e escutando um adulto fluente ler para eles.

Maier citou o trabalho de Richard Allington, especialista em aquisição de leitura, que pesquisou e escreveu extensivamente sobre como ensinar os alunos a lerem.

“A qualidade da lição de casa é tão pobre que simplesmente fazer as crianças lerem em substituição a lição de casa, com leituras selecionadas por elas mesmas, é uma alternativa poderosa”, diz Allington. “Talvez alguns tipos de lição de casa possam aumentar os ganhos acadêmicos, mas esse tipo de lição é incomum em escolas dos EUA.”

Maier diz que os estudantes poderiam selecionar o seu próprio material de leitura e teriam ajuda de professores e bibliotecas escolares. Para as crianças que não têm um adulto em casa para ajudá-las a ler – os mesmo alunos que não tinham um adulto em casa para auxiliá-los com lição de casa tradicional – seriam disponibilizados voluntários, audiolivros e outros recursos.

Maier conta que teve um retorno positivo dos pais e professores, muitos dos quais aplaudiram a decisão, mas alguns são céticos. “Nós precisamos deixar a nossa mensagem clara e explicar por que isso é benéfico”, disse, acrescentando que em breve serão realizadas assembleias para os pais.

Lição de casa tem sido uma questão controversa para educadores e famílias por mais de um século. No final do século XIX, um herói da Guerra Civil Americana que se tornou membro do conselho escolar, Francis Walker, acreditava que lição de casa de matemática prejudicava a saúde das crianças e levou o conselho a bani-la como parte de uma febre nacional contra a lição de casa. A Ladies’ Home Journal, uma revista do período voltada para mulheres, chamou a lição de casa de algo “bárbaro” e muitos educadores disseram que essas tarefas causariam condições nervosas e doenças cardíacas em crianças, que se beneficiariam mais em brincar ao ar livre.

A lição de casa, é claro, passou a ter importância na educação – com crianças de 3 e 4 anos agora participando – e, hoje, defensores dizem que ajuda a fixar informações na memória das crianças e as ensina a estabelecer uma rotina.

O distrito de Marion se juntará a um pequeno grupo de escolas e distritos cujos líderes decidiram trocar a lição de casa tradicional por leitura diária nas primeiras séries. Apesar de não terem resultados definitivos, educadores apontam que as notas em avaliações e outras aprendizagens não foram prejudicadas.

Tradução: Andressa Muniz

Go to Top