Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged Chico Buarque

Os principais livros de Chico Buarque, vencedor do Prêmio Camões

0

Publicado na Revista Cifras

O cantor e compositor brasileiro Chico Buarque foi o vencedor da 31ª edição do Prêmio Camões, honraria cedida anualmente a um escritor lusófono pelo conjunto de sua obra.

Criado em 1988 pelos governos do Brasil e de Portugal, o Camões elege a cada ano um escritor de países onde o português é a língua oficial. A eleição de Chico, segundo o júri, foi definida a partir da qualidade de seu trabalho e também pela “contribuição para a formação cultural de diferentes gerações em todos os países onde se fala a língua portuguesa”.

Também pelo “caráter multifacetado”, uma vez que Chico escreve para teatro, além de romances e da poesia de suas canções. “Seu trabalho atravessou fronteiras e mantém-se como uma referência fundamental da cultura do mundo contemporâneo”, afirmaram os jurados, em nota.

Chico Buarque, que vai receber 100 mil euros pelo prêmio, se tornou o primeiro músico a ganhar a distinção além de ser o 13º autor brasileiro a figurar entre os vencedores.

‘Fazenda Modelo’ (1974)

No auge da ditadura militar, Chico Buarque encontrou na literatura distópica uma maneira de criticar a sociedade da época e driblar a censura e a repressão do regime. Com forte inspiração no clássico ‘Revolução dos Bichos’, de George Orwell, ‘Fazenda Modelo’ replica os grandes temas brasileiros em um microcosmo.

‘Estorvo’ (1991)

O retorno definitivo de Chico Buarque à literatura se deu com ‘Estorvo’, narrado em primeira pessoa por um personagem atormentado que se situa a meio caminho entre sono e vigília. O livro venceu o Prêmio Jabuti em 1992.

‘Benjamin’ (1995)

Narrado em terceira pessoa, ‘Benjamin’ mantém o estilo onírico de ‘Estorvo’. A trama é contada da perspectiva de um ex-modelo fotográfico à beira de sua morte, mas obcecado com a morte de uma antiga namorada.

‘Budapeste’ (2003)

Um ghost-writer decide se arriscar na alta literatura em um romance permeado por pares simétricos: Brasil e Hungria, português e húngaro, os dois livros que ele tem de escrever e as duas mulheres que ocupam sua mente.

‘Leite Derramado’ (2009)

Com os últimos dois séculos do Brasil como pano de fundo, ‘Leite Derramado’ constrói uma épica saga familiar sobre decadência moral, social e econômica.

‘O Irmão Alemão’ (2014)

A partir de questões familiares e com elementos de autoficção, ‘O Irmão Alemão’ traça a busca do narrador por seu suposto irmão desaparecido.

Festa Literária de Santa Teresa acontece neste fim de semana no Rio

0

Festa Literária de Santa Teresa leva mais de 10 mil pessoas ao Parque das Ruínas, em Santa Teresa. — Foto: Divulgação/FLIST

Evento vai homenagear o compositor, escritor e músico Chico Buarque. Roteiro gastronômico e cultural reúne dez restaurantes do bairro com pratos relacionados ao músico.

Publicado no G1

Chico Buarque será o grande homenageado da Festa Literária de Santa Teresa (FLIST), que acontece neste sábado (27) e domingo (28) no Rio.

O evento gratuito está marcado para ocorrer no Parque das Ruínas, em Santa Teresa, região central da cidade.

Além do compositor e escritor, também serão homenageados o ilustrador Ivan Zigg, o educador Paulo Freire e a escola de design alemã Bauhaus.

Haverá, ainda, a comemoração aos 50 anos do Centro Educacional Anísio Teixeira (CEAT).

Durante o fim de semana, dez restaurantes do bairro também vão participar da celebração com apresentações musicais, debates e produção de pratos em homenagem às músicas de Chico Buarque.

Festa Literária de Santa Teresa homenageia Chico Buarque. — Foto: Divulgação/FLIST

Entre eles estão: o Café do Alto, Espírito Santa, Maloca Carioca, Adega do Pimenta, Alda Maria Doces Portugueses, Tribas´s Pizzas e Favela Hype.

No sábado, o público pode ver, pela primeira vez, Clara Buarque, Chico Brown e Lia Buarque – netos do cantor – juntos no palco. O show Prata da Casa acontece às 17h.

No domingo, o grupo “Mulheres de Chico” canta os sucessos “João e Maria”, “A Banda” e “Roda Viva” às 17h.

Confira a programação da FLIST 2019

SÁBADO (27/04)

Manhã

10h – Abertura

10h30 – Lançamento do jornal Língua de Brincar

10h30 – Teatro – A vida ideal das crianças

10h30 – Exibição do curta da Multirio, O Boto

11h – Teatro – Felizópolis – a cidade ideal

11h – Apresentação literária sobre Paulo Freire, com o cordelista Edmilson Santini

11h – Bate-papo sobre Lendas e Mitos Polêmicos na Literatura Infantil

11h – Contação de história – Chapeuzinho amarelo, Chico Buarque / Contação de histórias de Ivan Zigg

Tarde

12h – Lançamento da edição especial da Revista Philos em homenagem aos 50 anos do CEAT 50 anos, com as presenças de escritores e ilustradores

12h30 – Apresentação literária, musical e teatral Ópera dos malandros (apresentação literária, musical e teatral)

13h – Bate-papo com Virginia Cavalcante sobre o livro Exílio na primeira classe

13h – Bate-papo Aquilo que ninguém vê – a história por trás da História, com as autoras Andrea Viviana Taubman e Anna Claudia Ramos. A mediação é do escritor Igor Gonçalves

13h – O mundo de Narciso, contação de histórias, seguida de autógrafos, com a autora Tatiana Ribeiro

14h – Homenagem a Chico Buarque com o autor Elias Fajardo

14h – Bate-papo A casa e o mundo lá fora: cartas de Paulo Freire para Nathercinha, seguido de autógrafos de livros

14h – Apresentação poética Poesias ao vento: a brisa virou ventania

14h – Bate-papo O Chico sambista: tabelando com Ismael e Noel com o historiador Luiz Antonio Simas e o cantor Moyseis Marques

14h – Bate-papo Diáspora brasileira: O crime do cais do Valongo e Água de barrela, seguido de autógrafos de livros

14h30 – Chico em prosa, música e versos

15h – Café literário com Márcia Lobosco

15h – Contação de histórias Menino movimento, seguida de autógrafos de livros com as autoras Denise Calasans e Sandra Nascimento

16h – Bate-papo Guardados do coração: avô + avó = a voz, bate-papo, seguido de autógrafos com o autor Francisco Gregório

16h – Bate-papo Caminhos e descaminhos femininos: onde acertamos, onde erramos, com as especialistas Ana Beatriz Manier (autora e editora), Hilvânia de Carvalho (psicanalista e poeta), Iracema Macedo (filósofa e poeta), Jana Meilman (professora e romancista), Rosana Miziara (historiadora e poeta) e Maria Bitarello (jornalista/cronista)

16h – Artesanato, Leitura e trabalho na recuperação de presos (Bruno Parreiras)

16h30 – Leitura da peça Riobaldo. Adaptação da obra Grande Sertão: Veredas, de João Guimarães Rosa com o ator Gilson de Barros

17h – Buarquianas: A Prata da Casa canta Chico Buarque

DOMINGO (28/04)

Manhã

10h – A importância de bruxas, fadas e outros seres fantásticos na Literatura Infantil com autores da AEILIJ

10h – Apresentação musical – Os saltimbancos

11h – Exibição curta do Hugo, o Monstro, da MultiRio

11h – Autógrafos do livro Nuvem, com a presença dos autores

11h – Bate-papo A Suíça brasileira não é aqui: construção identitária de professoras negras no município de Nova Friburgo, seguido de autógrafos de livros (Márcia Lobosco – autora e professora)

11h – Contação de história Chapeuzinho amarelo com a contadora de histórias Cilene Oliveira

11h15 – Bate-papo sobre temas polêmicos na literatura para a infância com a MultiRio

Tarde

12h – Apresentação literária Paulo Freire: lendo o mundo em cordel, com o cordelista Edmilson Santini

12h – Leitura no Sítio atraca nas escolas com as professoras Antônia Pereira da Silva Lima, Eliandra de Oliveira Belforte, Gleidenira Lima Soares, Maria Antônia Fernandes da Silva e Suzi Shen Alcântara Pires. A mediação é de Glória Valladares Grangeiro, especialista em literatura infantil

12h – Sarau poesia A roleta do Chico

13h – Leituras e brincadeiras em versos Pulando de poesia, seguidas de autógrafos de livros com autora Cecilia Botana

13h – Homenagem ao ilustrador Ivan Zigg, seguida de autógrafos de livros

13h – Bate-papo Diáspora brasileira: Eles, seguido de autógrafos de livros com autor Vagner Amaro

14h – Bate-papo Carolina Maria de Jesus: uma biografia, seguido de autógrafos de livros com o autor Tom Farias

14h – Apresentação Lendas amazônicas com a contadora de histórias Lucia Morais

14h – Apresentação musical Apesar de você: Ensino Médio canta Chico

15h – Apresentação poético-musical com o Coletivo Caneta Preta de Poesia

15h – Bate-papo Como anda a literatura na Amazônia? Identidade e Cultura Amazônica na Literatura infantil e juvenil, com Jaqueline Gomes da Costa – mestre em literatura, professora de Rondônia e mediação da professora Maria Antônia Fernandes da Silva

15h – Mesa de debates Coisas (e pessoas) que viram outras: do lixo à arte, seguida de autógrafos de livros com o artista plástico Adilson Dias, a editora Ana Beatriz Manier, a artista plástica Elê Nogueira e a autora Ninfa Parreiras 16h – Mesa de debates Temas polêmicos na literatura: 50 anos do CEAT com os professores Igor de Oliveira Costa, Marlene Araújo e Oswaldo Martins

16h – Apresentação musical com o Coral CEAT, sob a regência de Gloria Calvente Van Den Bos

16h – Bate-papo com Maria Fernanda Figueiredo “Desculpe a demora. Não repare na bagunça”.

17h – Show de encerramento com o grupo Mulheres de Chico

CONHEÇA OS RESTAURANTES E PRATOS

Adega do Pimenta, em Santa Teresa. Currywurst com batata rústica canoa. — Foto: Divulgação/FLIST

Adega do Pimenta. Prato: Currywurst com batata rústica canoa. Chico Buarque tinha um irmão alemão. Uma história que só soube aos 22 anos, quando o poeta Manuel Bandeira, num encontro que também reuniu Vinicius de Morais e Tom Jobim, revelou o segredo de família. Rua Almirante Alexandrino, 296 / Tel: (21) 2224-7554

Alda Maria Doces Portugueses (Museu do Doce). Sobremesa: Rocambole de Laranja – “Roda Viva” de Laranja, em homenagem à música de Chico. Preço: R$15,00 fatia. Rua Almirante Alexandrino 1116 / Tel: (21) 2232-1320

Espírito Santa. Prato: Cuscuz à paulista, cuscuz à pernambucana, cuscuz à mineira e cuscuz à baiana. Um Cuscuz passeando pelo Brasil para mostrar que a diversidade cultural e a arte são os nossos principais recursos para combater os nossos problemas mantendo a ternura e a integridade. Mini: R$38. Família: R$55. Rua Almirante Alexandrino 264 / Tel: (21) 2507-4840

Maloca Carioca, em Santa Teresa. Feijoada. — Foto: Divulgação/FLIST

Maloca Carioca. Prato: Feijoada Completa (Preparada com carnes defumadas, arroz, farofa, couve e laranja. Acompanha shot de caipirinha). Valor: R$35 (individual). Rua Paschoal Carlos Magno 103B / Tel: (21) 3174-3597

FESTA LITERÁRIA DE SANTA TERESA – FLIST

ENDEREÇO: RUA MURTINHO NOBRE, 169 – SANTA TERESA – PARQUE DAS RUÍNAS

DATA E HORÁRIO: 27 E 28 DE ABRIL DE 2019, DAS 9H ÀS 18H

Chico Buarque vence prêmio literário na França

0
Foto: Bob Wolfenson / Divulgação

Foto: Bob Wolfenson / Divulgação

 

Cantor e compositor foi escolhido na categoria literatura latino-americana

Publicado no Zero Hora

Chico Buarque vai receber o prêmio de literatura Roger Caillois na próxima segunda-feira, em Paris, na França, pelo conjunto de sua obra. O cantor e compositor foi escolhido na categoria literatura latino-americana.

Seus livros são publicados na França pela editora Gallimard e o último, O Irmão Alemão, foi lançado em 2016. Informado apenas nesta quinta-feira, Chico Buarque infelizmente não poderá comparecer à premiação.

O Prêmio Roger Caillois foi criado em 1991 pelo PEN Club da França em parceria com a Casa da América Latina e a Sociedade dos escritores e amigos de Roger Caillois (1913-1978), sociólogo e crítico literário francês. Já ganharam na mesma categoria autores como Mario Vargas Llosa (2002), Alberto Manguel (2004), Ricardo Piglia (2008) e Roberto Bolaño (2009). Haroldo de Campos (1999) era o único brasileiro na lista até então.

Autêntica investe na literatura brasileira

0

bienal30

Publicado no Impresso

Editora responsável pela caixa de Rubem Braga, Maria Amélia Mello chama a atenção para uma série de lançamentos de literatura brasileira que a Autêntica pretende colocar nas livrarias até meados de 2017.

A obra infantil de Chico Buarque faz parte do catálogo da Autêntica, editora fundada há 18 anos em Belo Horizonte. Em outubro, será relançado o primeiro volume, Os saltimbancos, com ilustrações de Ziraldo.

No fim do ano, para homenagear Clarice Lispector (1920-1977), chega às livrarias O rio de Clarice. A obra, de Teresa Montero (autora de Eu sou uma pergunta – Uma biografia de Clarice Lispector), é um guia sentimental sobre a vida da escritora no Rio de Janeiro. “O livro mostra o trajeto pelos lugares da cidade por onde ela passou – da chegada, nos anos 1920, na Tijuca, até a morte, na Lagoa Rodrigo de Freitas”, comenta Maria Amélia.

Também para este ano, celebrando o centenário de Murilo Rubião, a editora lança a correspondência do autor de O ex-mágico da Taberna Minhota com Otto Lara Resende. Outra efeméride que será comemorada, esta em janeiro, será o centenário de Antônio Callado. Serão reunidas em livro suas crônicas políticas de 1978 a 1985.

Já para meados de 2017, está prevista a publicação de Os três Andrades. O livro vai contar a relação de Mário de Andrade, Oswald de Andrade e Carlos Drummond de Andrade. A publicação trará pequena antologia dos autores.

17 livros escritos por famosos e que vale a pena ler

0
Fernanda Torres também já escreveu livros Créditos: Reprodução

Fernanda Torres também já escreveu livros
Créditos: Reprodução

Confira obras de autores que também fazem sucesso fora do âmbito literário

Publicado no Guia da Semana

O universo literário está recheado de grandes e incríveis escritores. Entretanto, muitos deles são famosos por outras atividades e não pela literatura. Pensando nisso, o Guia da Semana lista alguns livros incríveis escritos por famosos e que vale a pena a leitura. Confira:

Muitas pessoas só conhecem o lado de Chico Buarque cantor. Entretanto, além de músico, é também dramaturgo e escritor. Dois de seus livros – “Leite Derramado” e “Budapeste” – ganharam o Prêmio Jabuti de Melhor Romance.

chico-buarque-bw

O IRMÃO ALEMÃO

É um romance em busca da verdade e dos afetos. O autor já publicou os romances “Estorvo”, “Benjamim”, “Budapeste” e “Leite derramado”, que lhe renderam três prêmios Jabuti e venderam quase um milhão de exemplares, ficando por meses nas listas de livros mais vendidos do país. Ele também é autor de peças como “Roda viva” e “Ópera do malandro”. A narrativa de Chico se faz mais daquilo que escorre entre as palavras do que com as verdades que elas costuram. […] Ele está entre os grandes narradores brasileiros contemporâneos.


LEITE DERRAMADO

Um homem muito velho está num leito de hospital. Membro de uma tradicional família brasileira, ele desfia, num monólogo dirigido à filha, às enfermeiras e a quem quiser ouvir, a história de sua linhagem desde os ancestrais portugueses, passando por um barão do Império, um senador da Primeira República, até o tataraneto, garotão do Rio de Janeiro atual. Uma saga familiar caracterizada pela decadência social e econômica, tendo como pano de fundo a história do Brasil dos últimos dois séculos. A imagem de capa do livro foi desenvolvida em duas versões – nas cores branca e laranja.

BUDAPESTE

Ao concluir a autobiografia romanceada ‘O ginógrafo’, a pedido de um bizarro executivo alemão que fez carreira no Rio de Janeiro, José Costa, um ghost-writer de talento fora do comum, se vê diante de um impasse criativo e existencial. Meio sem querer, vai parar em Budapeste, onde buscará a redenção no idioma húngaro, segundo as más línguas, a única língua que o diabo respeita. Narrado em primeira pessoa, combinando alta densidade narrativa com um senso de humor muito particular, é a história de um homem exaurido por seu próprio talento, que se vê emparedado entre duas cidades, duas mulheres, dois livros, duas línguas e uma série de outros pares simétricos que conferem ao texto o caráter de espelhamento que permeia todo o romance.

2014-776044698-2014-772864978-2014120299744-jpg-20141202-jpg-20141214

Além de arrasar nas telas de televisão – seja apresentando o Saia Justa, em novelas ou filmes – Maria Ribeiro também dirigiu um documentário e escreveu seu primeiro livro recentemente. Com crônicas incríveis e deliciosas, a atriz, apresentadora e jornalista nos transporta para seus pensamentos sobre pequenas (e grandes) coisas do dia a dia.

TRINTA E OITO E MEIO

Estas crônicas, reflexões e desabafos, escritos com curiosidade sem fim, mas também com senso de humor, mostram os bastidores da cabeça e do coração de Maria Ribeiro. A atriz, que confessa, neste livro, o seu interesse (se não mesmo obsessão) pelas histórias dos outros, junta, em ‘Trinta e oito e meio’, textos que escreveu nos últimos anos, e que, com as ilustrações de Rita Wainer, formam um inesperado diário e um guia de viagem pela sua vida.

28out2013-maite-proenca-posa-para-o-calendario-calendario-da-campanha-cabeleireiros-contra-aids-as-fotos-foram-feitas-no-copacabana-palace-1382990860267-1920x1080

Atriz e apresentadora, Maitê Proença também já deixou sua marca na literatura. Com 3 livros publicados, aborda temas simples, com uma escrita gostosa e um texto fluido.

ENTRE OSSOS E A ESCRITA

As memórias do passado distante ou do presente imediato, a sabedoria e as dores do amadurecimento, a indignação da cidadã e os encontros e desencontros do amor e do sexo foram a matéria-prima de sua estréia na literatura, em 2005. Nesta edição ampliada, Maitê mostra como se apossou do texto como forma de expressão – o que não é fácil para alguém que trabalha e vive para o texto dos outros.

TODO VICIOS

Stella, uma bela e madura atriz e escultora, se apaixona por João, um publicitário cinquentão, feio e viciado em remédios tarja preta. A partir desse encontro, Maitê Proença escreveu a bela trama de ‘Todo vícios’. Essa paixão improvável torna-se um retrato de um tipo de relacionamento cada vez mais comum nesses dias em que as redes sociais substituíram o contato profundo. Alternando as perspectivas de Stella e João, Maitê descreve um caso de amor que não rompe a superfície, em que mensagens de celular substituem o diálogo. Além de uma profunda análise do momento presente, ela consegue a proeza de inserir no enredo um tempero de thriller.

É DURO SER CABRA NA ETIÓPIA

Maitê Proença agora se lança na aventura de organizar um livro interativo e multiautoral, desde a sua concepção. A partir de um blog, a autora reuniu a contribuição, textos e imagens de anônimos (agora revelados) a grandes escritores, como Carlos Heitor Cony e Tatiana Salem Levy, e muitos outros, costurados pelas reflexões e provocações de Maitê.

miguelfalabella

Se houvesse uma categoria para definir aquele tipo de pessoa que arrasa em tudo o que faz, Miguel Falabella, sem dúvidas, estaria no topo da lista. Famoso por suas atuações e peças de teatro, também marca presença nos livros e, como era de se esperar, também é um sucesso como escritor.

VIVENDO EM VOZ ALTA

Memórias podem ajudar a viver com sabedoria. E se elas vierem acompanhadas de muita emoção, podem ajudar a tornar a vida mais pulsante. Em ‘Vivendo em Voz Alta’, Miguel Falabella escreve na velocidade de suas emoções e procura se abrir. Um cachorro branco, frutas da infância, (mais…)

Go to Top