Posts tagged concentração

Não consegue se concentrar por muito tempo? Entenda por que isso não é ruim

0

Hugoa Araújo, no UOL

Se gosta de estudar pelo computador, você provavelmente não percebe, mas, quando começa a navegar por diversas abas, assistir a vídeos e até conversar com amigos, também está aprendendo

Se gosta de estudar pelo computador, você provavelmente não percebe, mas, quando começa a navegar por diversas abas, assistir a vídeos e até conversar com amigos, também está aprendendo

Você consegue ficar por horas no computador, navegando pela internet, assistindo a vídeos e interagindo nas redes sociais. Mas, quando chega a hora de estudar ou fazer qualquer outra tarefa, não fica concentrado por muito tempo e logo perde o foco. E com os prazos chegando ao fim, logo bate o desespero.

Mas, calma: não ficar concentrado por longos períodos não é necessariamente ruim. Segundo a neurocientista Carla Tieppo, que também é professora da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, o ideal é estabelecer um tempo no qual você sabe que ficará concentrado na tarefa. Passado esSe intervalo, você deve fazer uma pausa para depois voltar.

E, acredite, as tecnologias podem ser suas aliadas na hora de estudar. Segundo Camila Alexandrini, professora de português e literatura da plataforma “Me Salva!”, os estudantes são capazes de aprender em ambientes comumente considerados como de “dispersão”. Ou seja, o jovem consegue fazer associações entre a vídeo-aula, o debate na rede social e as anotações escolares. “É muito coerente com a vida dos estudantes hoje pensar que esta dispersão é um novo processo de aprendizagem, que não se dá em linha reta e, sim, em redes”, explica.

De todo modo, é necessário cautela. Ou seja, se você gosta de estudar fora do computador, não precisa largar os livros e se forçar a entrar para os meios digitais. Também não vale ficar todo o tempo nas redes sociais em assuntos não relacionados ao que você deseja aprender.

O ideal é achar a plataforma que melhor funciona para você e apostar nela. Seja digital ou analógico, você deve arrumar um tempo para se dedicar e manter a concentração, mesmo que não seja necessariamente longo. O UOL listou algumas dicas que podem ajudar a encontrar o equilíbrio ideal na hora de buscar concentração:

1. Defina seu tempo

“A coisa mais importante é você saber quanto tempo fica concentrado”, afirma Carla Tieppo. Para isso, durante as tarefas diárias, você deve observar quanto tempo consegue render. Na leitura de um texto, por exemplo, durante qual período você realmente apreende o que está escrito ali? Quando começar a se cansar ou ter de reler muitas vezes, é sinal de que seu período ideal já passou.

2. Use as tecnologias a seu favor

Para controlar seu tempo, Eduardo Valladares, professor de português da plataforma “Descomplica”, afirma que você pode utilizar o celular. “Em geral, só se diz que a tecnologia do celular atrapalha. Que nada! Você pode baixar um aplicativo para ajudar a controlar o tempo e a organizar suas tarefas. Trello, Evernote, Pomodoro, HabitBull, Habitica são ótimos exemplos”, conta.

3. Faça pausas

Depois de estudar durante o período que você estabeleceu, a neurocientista Carla Tieppo recomenda que você faça uma pausa. “Você pode checar as notificações do celular, comer algo leve, tomar água, levantar da cadeira”.

4. Faça uma lista de músicas

Outra dica da neurocientista Carla Tieppo é fazer uma playlist com a mesma duração do tempo que você separou para estudar. As músicas devem ser conhecidas e ideais para ficar de plano de fundo — ou seja, aquelas que você gosta de cantar junto não valem! “Não é para ouvir no randômico, e, sim, naquela sequência certa que você definiu. Isso ajuda a diminuir a ansiedade. Você não fica pensando quanto tempo tem de estudar antes de parar. O seu inconsciente vai saber quando está chegando a hora da pausa”, explica.

5. Concentre-se nas redes

Se gosta de estudar pelo computador, você provavelmente não percebe, mas, quando começa a navegar por diversas abas, assistir a vídeos e até conversar com amigos, também está aprendendo. Você faz ligações entre estas diferentes plataformas e vai construindo seu aprendizado, mesmo que não fique muito tempo concentrado na mesma tarefa. “Enquanto está lendo em um site e, em seguida, clica em um vídeo, você continua pensando sobre o que estava estudando. É uma forma de estudar em rede”, explica a professora Camila Alexandrini.

6. Divida as tarefas e se organize

“Divida as tarefas grandes em pedaços menores. Faça uma coisa de cada vez. O menos é mais”, sugere o professor Eduardo Valladares. Para evitar o cansaço, é ideal que você separe as atividades de cada dia e semana. “Há tempo para tudo: lazer, descanso, comer, obrigações e estudo. Faça intervalos e mescle com algo prazeroso. Estudo pode ser divertido”, conclui.

Veja 5 motivos para que entenda por que você não consegue se concentrar nos estudos

0

Concentrar nos estudos

Publicado no Amo Direito

Você tem a sensação de que, por mais que tente, não consegue se concentrar naquilo que está estudando? Esse é um problema que afeta muitos estudantes e que pode ter diversas causas, sejam elas médicas ou não. Confira, a seguir, as principais delas e saiba como melhorá-las:

2014_02_19_14_38_503

1 – Noites mal dormidas
O sono é uma das principais causas da falta de concentração. Pessoas que costumam dormir mal ou poucas horas por noite tendem a ter não só problemas pessoais, mas também físicos e emocionais – o que pode afetar a qualidade dos seus estudos. Tente dormir ao menos 8 horas por noite e veja se você percebe alguma diferença.

2 – Ansiedade
Você costuma se sentir pressionado e tenso? Se sim, é aí que pode estar a causa da sua falta de concentração. Pessoas ansiosas costumam ter bastante dificuldade em manter o foco justamente pela tensão a qual se sentem submetidas. Neste caso, a melhor solução é desabafar com alguém ou procurar um psicólogo.

3 – Empolgação
Querer fazer várias coisas ao mesmo tempo também é prejudicial: quem desempenha várias tarefas simultaneamente costuma perceber a queda da qualidade em alguma delas. No caso dos estudos, isso é ainda pior, já que durante o aprendizado é importante manter-se concentrado apenas no conteúdo que está sendo lido. Portanto, contenha-se na hora de estudar e concentre sua empolgação naquilo que você está estudando.

4 – Má alimentação
Acredite: sua alimentação pode prejudicar – e muito – a sua concentração. É importante que você mantenha uma alimentação balanceada e consuma alimentos de diversos grupos, como carboidratos e proteínas, e que evite a ingestão frequente de alimentos gordurosos. Caso você esteja de dieta, tome cuidado: estudos apontam que estudantes que consomem apenas alimentos de baixas calorias têm uma tendência maior à depressão.

5 – Falta de motivação
Não se encaixa a nenhum dos exemplos acima? Talvez o seu problema seja a falta de motivação. Para melhorar esse problema, tente estabelecer objetivos e mantenha em mente o que você deseja atingir no futuro e por que essa etapa de estudos é importante. Pensar no futuro pode ser uma boa forma de melhorar o presente.

Fonte: noticias universia

Confira 10 excelentes dicas de concentração para você mandar muito bem nos estudos

0

Concentração

Publicado no Amo Direito

Muitos alunos têm dificuldades de concentração nos estudos. Se esse é o seu caso, fique tranquilo. Pequenas dicas podem ajudar a resolver o seu problema, aumentar sua capacidade de concentração nos estudos e ainda aumentar as chances de bons resultados.

A aprovação no vestibular depende de esforço, dedicação e principalmente, organização. É importante estabelecer objetivos claros, como, por exemplo, aprender Implícitos e pressupostos até o fim de uma determinada semana. Um bom planejamento permite ganhar ritmo de estudo e assim, aprender mais conteúdos curriculares até o dia do exame.

Ao estudar, é importante se afastar de objetos e lugares que causem interferência no processo de aprendizado. Lugares barulhentos, televisores e celulares não são amigos do estudo, causam distração e por isso devem ser evitados.

Dicas
1 – Escolha um lugar único para estudar. Deve ser um local calmo, bem iluminado e livre de distrações e interrupções. Tente reproduzir o local de prova;

2 – Não estude ouvindo música, que pode colaborar para a desatenção;

3 – Crie uma agenda que estabeleça tarefas e prazos. Assim você terá mais estrutura para estudar e conseguirá acompanhar a sua evolução;

4 – Respeite o seu relógio biológico. Todos tem um período do dia em que funcionam melhor, por isso, procure estudar no horário em que sua mente estiver mais ativa;

5 – Não estude cansado ou com fome. Sem energia, você terá dificuldades para se concentrar nos estudos;

6 – Não misture o ato de estudar com outra tarefa. Você não conseguirá focar nas duas coisas;

7 – Divida grandes conteúdos em partes menores. Se você tentar estudar um conteúdo muito extenso de uma vez só, poderá se preocupar demais e ter dificuldades em manter a atenção;

8 – Afaste preocupações dos seus pensamentos, que contribuem para desatenção. Procure ocupar a cabeça com o conteúdo estudado;

9 – Tente relacionar o conteúdo estudado à sua vida, especialmente tratando-se de matérias de exatas. Isso vai tornar o que você estuda mais interessante e assim lhe motivar a se concentrar;

10 – Durante o estudo, faça pausas breves sempre que se sentir cansado. Beba água, distraia-se com outro assunto por alguns minutos.

Fonte: educacao globo

Transtorno de atenção nos estudos pode ser controlado para melhorar rendimento

0

amo-direito-post-concentracao

Publicado no Amo Direito

Também conhecido como Distúrbio de Déficit de Atenção (DDA), o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) tem como sintomas básicos a falta de atenção, a impulsividade e a agitação motora.

Em crianças e adolescentes, a consequência comum do transtorno é mau rendimento escolar. Mas o problema é vitalício e, se não for tratado, compromete muito mais que o desempenho nas provas.

Especialistas não chegaram a um consenso sobre as causas do TDAH. Ele pode ser transmitido geneticamente pelos pais, pode decorrer de uma disfunção neuroquímica e também ser influenciado por fatores como ambiente familiar, exposição ao chumbo e consumo de álcool e tabaco pela mãe durante a gestação. Ou ainda, pode ocorrer por conta da junção de todos esses motivos.

“O tratamento é medicamentoso, com acompanhamento do psiquiatra ou do neurologista e da terapia com psicólogo”, explica a psicóloga Adriana Nobre de Paula Simão.

No mestrado e no doutorado, Adriana estudou a ocorrência do transtorno de atenção em crianças encaminhadas para avaliação neuropsicológica e constatou que cada paciente precisa de uma receita diferente para controlar o déficit de atenção.

“Pais e professores precisam incentivá-los a se organizar e acompanhá-los mais de perto que as outras crianças. Algumas precisam sentar mais perto da professora, para outras, o melhor é ter um amigo que o ajude, que lembre de anotar as coisas”, exemplifica Adriana.

Também não existe cura para o TDAH, por isso o tratamento pretende tornar o paciente apto a controlar todos os sintomas do transtorno, esclarece a psicóloga. “Fazemos treino de atenção, de organização, de planejamento. A pessoa tem que melhorar a própria atenção”, descreve.

Diagnóstico
Diferentemente de outros transtornos (como o Bipolar), o déficit de atenção se manifesta da mesma forma em qualquer situação, independentemente do nível de estresse ou tipo de emoção experimentada. “Para ter o diagnóstico, tem que ter os mesmos sintomas em todos os lugares”, esclarece a psicóloga.

Há três tipo de TDAH: o inatento, o hiperativo e o combinado. Os dois primeiros têm nove sintomas típicos e o paciente precisa apresentar ao menos seis deles por seis meses para ser diagnosticado portador. Para ter o TDAH combinado, a pessoa precisa manifestar seis sintomas do tipo inatento e outros seis do tipo hiperativo por seis meses.

Confira os sintomas de cada tipo do Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH):

Sem título

Difícil focar durante os estudos? Confira 5 boas dicas para melhorar a sua concentração

0

amo-direito-post-concentracao

Publicado no Amo Direito

Estudar todos os dias é um exercício de pouca inspiração e muita “transpiração”. Requer empenho, disciplina, foco. Mas, nem sempre a cabeça está tranquila e, com os estímulos em volta, concentrar-se pode ser um exercício difícil.

Veja algumas dicas abaixo para ajudar a manter o concurseiro focado e concentrado. Confira:

1- Tire o celular de cima da mesa
Inofensiva ou deliberadamente, é comum apoiar o celular ao lado dos livros quando se está estudando. E se ele começar a tocar e a ligação for importante? É sempre bom manter o aparelho por perto, não é mesmo? Acontece que esse simples ato pode reduzir drasticamente o foco e causar prejuízos enormes de tempo e energia.

Checamos e respondemos mensagens constantemente, muitas vezes nem mesmo nos damos conta da frequência com que isso ocorre. Mas cada olhada inocente no Whatsapp ou nas redes sociais pelo smartphone representa uma interrupção no fluxo de pensamentos, e a mente demora a recuperar aquele foco perdido.

Tente, sempre que possível, resistir à tentação de dar uma espiada na tela do celular enquanto estiver estudando. Se não estiver conseguindo, apele e tire o aparelho de cima da mesa. Coloque-o bem distante, em outro cômodo ou dentro da bolsa, e só vá buscá-lo em intervalos previamente programados. O que nos leva a nossa dica número dois.

2- Faça intervalos
Muita gente acha que estudar seguidamente durante toda a tarde é sinônimo de eficiência, mas isso não é verdade. O cérebro humano só é capaz de fixar atenção por cerca de uma hora, mais do que isso causa desconcentração.

O interessante, portanto, é fazer intervalos periódicos: divida o tempo de estudo em fatias e faça pequenas pausas a cada hora. Use o tempo para dar uma voltinha pela casa, buscar um café, suco ou olhar o celular. Alguns minutos são capazes de descansar e aliviar a mente, potencializando o seu rendimento para a maratona que está por vir.

3- Mantenha-se bem-alimentado
Não tem como se concentrar com a barriga doendo de fome, não é mesmo? Para aumentar o seu rendimento durante as horas de estudo, mantenha-se alimentado ao longo do dia.

Invista em alternativas leves, que não pesem no estômago. Frutas, barras de cereal e castanhas são ótimas opções de lanche rápido entre as principais refeições. E não se esqueça de beber bastante água: a hidratação é igualmente importante para manter o corpo funcionando a todo vapor.

4- Ouça Música
Pode parecer estranho, mas a música é uma excelente aliada para os momentos que exigem grande concentração. Ela é capaz de reduzir o barulho ambiente e aumentar a sensação de bem-estar, o que é muito propício aos estudos.

Mas cuidado para não interpretar essa dica de forma equivocada. Escutar um pouco de música para potencializar sua concentração não significa dizer que você deva dar o play em um disco favorito e cantar todos as estrofes a plenos pulmões. O ideal é que seja uma música ambiente, agradável e aprazível. Não escolha uma trilha sonora envolvente o suficiente ao ponto de lhe tirar atenção. O objetivo é concentrar e não distrair.

Uma boa pedida pode ser a música clássica ou até mesmo simplesmente sons brancos como barulho de chuva.

5- Acabe com a bagunça
Uma escrivaninha caótica pode ser uma barreira gigantesca para a concentração, por isso, antes de começar, organize o ambiente em que você irá estudar. Tire de cima da mesa tudo aquilo que não será útil, tudo aquilo que poderá distraí-lo.

Além disso, preste atenção na altura da cadeira, na distância até os livros. Está numa posição agradável? Sente alguma dor? É importante manter-se confortável para fazer leituras ou resolver exercícios. Pode parecer bobo, mas isso ajuda, e muito, a manter o foco.

Fonte: Olhar Direto

Go to Top