Posts tagged criar

7 habilidades que os estudantes precisam ter para o futuro

0
Fonte: Shutterstock

Fonte: Shutterstock

 

Saiba o que melhorar para ter um bom futuro pessoal e profissional

Publicado no Universia Brasil

O sistema educacional tradicional foca o estudo na escrita, leitura e aritmética, porém a sociedade precisa de profissionais que tenham outras habilidades. Os professores precisam refletir sobre estratégias para formar alunos bem preparados para lidar com o mercado de trabalho e com a vida de um modo geral.

Além disso, devem incorporar às atividades propostas algumas das habilidades buscadas no século 21 e encontrar ferramentas para aprimorá-las. Os professores precisam entender a real importância desse processo e dar o melhor para conseguirem atingir os objetivos.

Confira 7 características essenciais para ser bem sucedido hoje em dia:

1 – Liderança
Os docentes devem priorizar o ensino de como exercer a liderança, deixando as definições corriqueiras em segundo plano. Os alunos aprendem mais facilmente quando entendem por exemplos práticos como devem agir para serem bons líderes. Antigamente, a liderança tratava-se da denominação de uma pessoa responsável por mandar em outras. Entretanto, hoje a ideia central é que haja colaboração entre a equipe, trabalhando para atingir um objetivo comum e a atuação de um líder em qualquer projeto que se envolver.

2 – Alfabetização digital
Com o avanço das tecnologias, todos os estudantes precisam ter domínio do uso da internet, a fim de localizar, revisar, utilizar e criar diferentes tipos de informações. Embora alguns professores tenham dificuldade de lidar com o universo digital, essa etapa do ensino o ajuda também a aprender mais, com a ajuda dos próprios alunos. As estratégias de implementação das tecnologias na rotina dos alunos devem ser criativas, além de buscarem mantê-los focados na aprendizagem. Algumas delas podem ser o uso do Skype, mensagens, Twitter ou jogos com finalidades didáticas.

3 – Comunicação
Em muitos casos, a comunicação enfrenta barreiras de entendimento mútuo e os alunos precisam conhecer técnicas para superar esses problemas. Embora os professores consigam dar dicas de como lidar com falhas comunicacionais, as de solução mais complexas envolvem as questões culturais. Nesses casos, é ideal que você escute atentamente para tentar contornar a situação. Os professores podem investir também em debates, para que os alunos exerçam as capacidades de expor os pontos de vista e de escutar o dos outros. Essas técnicas serão um diferencial na formação do estudante, que serão capazes de levar para o resto da vida.

4 – Inteligência emocional
Esse tipo de habilidade é definido como uma competência que envolve a habilidade de monitorar as emoções pessoais e dos outros e usá-las para guiar suas ações e pensamentos. Em conjunto com a comunicação, a inteligência emocional é essencial na construção e manutenção de relacionamentos, tanto no ambiente escolar como de trabalho.

5 – Empreendedorismo
Algumas das habilidades essenciais para o empreendedorismo podem são também para a vida, entre elas a criatividade, a inovação e a paixão. O espírito empreendedor revela uma visão única para o local onde vivem e o sacrifício de tornar os objetivos em realidades. Essa postura é essencial para os profissionais de hoje.

6 – Civilidade global
Para que a convivência em sociedade seja satisfatória, todos os cidadãos precisam trabalhar em conjunto para garantir a continuação da existência da vida no planeta. Por isso, os alunos precisam ser educados desde novos para que entendam a dimensão do universo a sua volta e deem mais valor a ele.

7- Resolução de problemas e trabalho em equipe
Dentre todos, esse tópico é o mais presente na rotina escolar dos alunos. A parte mais importante desse método é criar projetos nos quais as soluções requeiram o uso intenso das habilidades de solução de problemas e na maneira como o aluno trabalha em equipe.

Heroínas de ‘Estrelas além do tempo’ inspiram garotas em trabalho de escola nos EUA

0

Foto de meninas vestidas como trabalhadoras da Nasa retratadas no filme viralizou nas redes sociais.

Publicado no G1

Uma foto de três crianças vestidas como as protagonistas do filme “Estrelas além do tempo” viralizou em redes sociais e foi compartilhada pelas três atrizes do longa, Taraji P. Henson, Janelle Monae e Octavia Spencer.

A imagem foi criada para um trabalho de escola de Ambrielle-Baker Rogers, Morgan Coleman e Miah Bell-Olson em um colégio em Milwaukee, nos EUA. Elas tinham que criar um projeto para o Mês da História Afroamericana.

Meninas se vestem de protagonistas de 'Estrelas além do tempo' para trabalho de escola (Foto: Divulgação)

Meninas se vestem de protagonistas de ‘Estrelas além do tempo’ para trabalho de escola (Foto: Divulgação)

 

As meninas, então, resolveram imitar as três mulheres (Katherine Johnson, Dorothy Vaughan and Mary Jackson) que foram pioneiras entre trabalhadoras negras na NASA, e foram retratadas no filme. “A professora pediu para criar pôsteres que afirmassem positivamente a excelência dos estudantes e jogasse os holofotes na beleza da cultura afroamericana”, explixou a mãe de Jessica ao site “Huffington Post”.

4 técnicas matadoras para memorizar qualquer coisa

0

memorizacaoa
publicado na Super

1. Construa um “palácio da memória”
Também conhecido como “método de loci”, este dispositivo de memorização remonta à Grécia Antiga. Segundo o mito, o poeta grego Simônides de Ceos precisou identificar os corpos de pessoas que haviam morrido no desabamento de um palácio. Como ele se lembrava exatamente da localização de cada um, conseguiu assim “reconhecer” cada um dos cadáveres desfigurados.

A técnica consiste em usar a memória espacial para gravar nomes, fatos ou listas. O objetivo é criar um lugar imaginário, como uma casa ou um palácio, visualizar os móveis de cada cômodo e associar uma memória a cada um deles.

Imagine que você queira gravar os nomes de todos os presidentes brasileiros, por exemplo. Getúlio Vargas pode ser ligado à poltrona da sala e Juscelino Kubitschek, ao lustre. O ideal é que as associações entre os móveis e os elementos a serem memorizados sejam divertidas ou inusitadas – você pode associar Jânio Quadros ao quadro na parede, por exemplo.

Depois que fizer todas as associações, a ideia é percorrer mentalmente o “palácio” várias vezes, lembrando-se da posição de cada móvel e, consequentemente, dos nomes ou fatos vinculados a eles. Oradores gregos e romanos, como Cícero, usavam essa técnica para memorizar seus longos discursos.

2. Invente acrônimos, acrósticos e encadeamentos
Acrônimos são palavras formadas por letras que representam, por sua vez, outras palavras. A ferramenta de gestão CHA (Conhecimento, Habilidade e Atitude) é um exemplo.

Já os acrósticos são frases formadas por palavras cuja primeira letra é a dica para o que precisa ser lembrado. Se você quer memorizar, por exemplo, os nomes dos bairros paulistanos Mooca,Penha, Belém e Carrão, por exemplo, pode gravar a frase “Meu Pai Bebe Café”.

Outro dispositivo útil é o encadeamento, sugere o site The Memory Institute. Para guardar elementos numa determinada ordem, crie uma frase narrativa com eles. O ideal é que cada item “puxe” o outro por associação. Para gravar, nesta ordem, as palavras “menina”, “panela”, “doze”, “abóbora” e “verde”, por exemplo, você pode criar uma sentença como “A menina vendeu uma panela por doze reais ao plantador de abóboras, que ainda estão verdes”. A estrutura de encadeamento traz lógica para as palavras avulsas, além de facilitar a fixação de uma ordem.

3. Faça conexões entre informações novas e velhas

Uma das melhores formas de reter um dado é contextualizá-lo, isto é, integrá-lo aos conhecimentos que você já tem. Quanto mais conexões você fizer com os seus conhecimentos prévios, mais facilmente gravará uma novidade, dizem ao site Business Insider os autores do livro Make It Stick: The Science Of Successful Learning, Peter Brown, Henry Roediger e Mark McDaniel.

Uma ótima forma de fazer isso é aplicar, na prática, tudo que você precisa memorizar – ou, no mínimo, vislumbrar hipóteses de aplicação desses dados na vida real. Se você precisa gravar como funciona o processo de transmissão de ondas de calor, por exemplo, tente pensar nessas informações a cada vez que tiver uma xícara de chá em suas mãos num dia de frio.

4. Explore o seu próprio humor

A neurocientista Carla Tieppo, professora adjunta da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, diz que um excelente método para estimular a memória é criar imagens bizarras, engraçadas e surreais sobre o elemento que precisa ser recordado.

Se você acaba de conhecer uma pessoa, por exemplo, imagine-a numa situação esquisita, que faça você rir, e que tenha relação com o som do nome dela. É uma forma muito eficiente de gravar para sempre como ela se chama – quanto mais “cócegas” a imagem mental fizer em você, mais fácil será fixá-la, diz a professora.

Conto escrito por inteligência artificial surpreende em concurso literário japonês

0

publicado na Super

“O computador, dando prioridade à busca pela própria felicidade, parou de trabalhar para os humanos”. É assim que termina o conto “Konpyuta ga shosetsu wo kaku hi” (“O Dia em que um Computador Escreveu um Conto”), escrito por uma inteligência artificial com a ajuda de cientistas humanos. Apesar de não ter levado o grande prêmio, o texto passou na primeira fase do concurso literário Nikkei Shinichi Hoshi, no Japão, e tem levantado a dúvida: será que os computadores são capazes de criar?

inteligencia_artificial_0_0

A resposta é: ainda não. Mas estamos quase lá. Hoje, nenhuma inteligência artificial tem autonomia suficiente para criar um trabalho artístico por vontade própria, como os humanos podem fazer. Por isso, o computador “autor” japonês teve um empurrãozinho de pesquisadores da Universidade do Futuro em Hakodate.

Os cientistas selecionaram palavras e frases que seriam usadas na narrativa, e definiram um roteiro geral da história, que serviria como guia para a inteligência artificial. A partir daí, o computador criou o texto combinando as frases e seguindo as diretrizes que os cientistas impuseram.

O Nikkei Shinichi Hoshi, que está em sua terceira edição, sempre aceitou trabalhos escritos por “não humanos” – ou seja, por programas e inteligências artificiais (e este fato se torna ainda mais legal sabendo que Shinichi Hoshi, escritor que dá nome ao prêmio, era autor de ficção científica).

O processo deste ano analisou 1.450 contos – 11 deles escritos com inteligência artificial. Esta foi a primeira vez que um texto composto por um computador passou na primeira das quatro fases do concurso. O juízes não sabem de antemão quais textos são escritos por humanos e quais são feitos por computadores, o que mostra que o conto estava bem escrito. “O Dia” só não passou para as próximas etapas porque, de acordo com os juízes, os personagens não foram muito bem descritos, embora o texto estivesse estruturalmente impecável.

A ideia dos cientistas de Hakodate é continuar desenvolvendo a criatividade da AI para que ela se pareça cada vez mais com a humana. Simular esse tipo de resposta é difícil, porque o computador precisa ter, primeiro, um banco de dados vasto vinculado a uma programação específica para cada tipo de projeto – escrita, pintura, música, desenho e por aí vai.

Alguns passos já foram dados nessa direção: existem programas que escrevem textos informativos sobre economia e esportes, cujas informações são mais diretas, como resultados de competições ou variações na cotação de bolsas de valores. Pesquisadores nos Estados Unidos também têm desenvolvido programas geradores de discursos políticos, que também seguem uma lógica linear e repetitiva.

Gosta de escrever? Confira os sites que permitem criar livros digitais

0

Existe sites específicos para criar e publicar livros online; veja quais são eles

Fonte: Shutterstock Atualmente, as novas tendências para a leitura são os e-books

Fonte: Shutterstock
Atualmente, as novas tendências para a leitura são os e-books

Publicado por Universia Brasil

Ao longo do tempo, os livros têm se adaptado cada vez mais às novas tecnologias do mundo moderno. Aos poucos, os meios de leitura foram evoluindo, do papel para os tablets e celulares.

Atualmente, as novas tendências para a leitura são os e-books, livros interativos que podem ser uma ótima alternativa tanto para alunos quanto para professores. Além disso, eles possibilitam a economia de papel e dos custos com a impressão.

Para facilitar essas inovações, existem alguns sites que permitem a criação e publicação de e-books online. Confira abaixo uma lista com as principais plataformas que permitem a criação, edição e publicação de livros digitais:

1-ePub Bud
O site foi desenvolvido para a criação de livros infantis para tablets. Por meio dele, o usuário pode disponibilizar a sua produção gratuitamente ou ainda vender a sua criação. Além disso, ele poderá também acessar as criações de outros autores, e acessar um acervo com diversos livros digitais para crianças.

2-Myebook
A ferramenta está disponível em inglês e permite que o usuário crie e edite livros digitais, além de possibilitar a criação de projetos com vídeos, áudios e imagens. Após a conclusão, o livro pode ser disponibilizado no site.

3-Playfic
O site tem uma programação simples, mas possibilita o desenvolvimento das habilidades de leitura e escrita. O usuário pode criar a sua narrativa e possibilitar que os leitores escolham o fim da história.

4-Livros digitais
O site está disponível em português e pode ser utilizado por alunos e professores. A ferramenta permite que o usuário formate o seu livro, escolha modelos de capas e insira imagens. A obra pode ser convertida em PDF, formato A4 ou ainda ser compartilhada nas redes sociais.

Se você sempre teve vontade de publicar seu próprio livro, e ainda de forma gratuita, não espere mais, a chance é essa!

Go to Top