Posts tagged criar

Gabriel Chalita planeja criar evento literário em São Paulo

0

Publicado por Folha de S.Paulo

Gabriel Chalita, 45, deputado federal de São Paulo pelo PMDB até janeiro de 2015, não concorreu a nenhum cargo público neste ano, mas está cheio de projetos literários.

Autor de mais de 70 livros, que segundo ele já venderam 10 milhões de cópias, pretende presidir a APL (Academia Paulista de Letras), criar um evento literário em São Paulo e concluir um livro de ficção iniciado há sete anos.

Retrato do escritor e político Gabriel Chalita, em São Paulo, em setembro passado / Bruno Poletti - 10.set.2014/Folhapress

Retrato do escritor e político Gabriel Chalita, em São Paulo, em setembro passado / Bruno Poletti – 10.set.2014/Folhapress

Na sexta (10), ele deu a palestra “Semiótica na Educação e o Desafio de Formar Novos Leitores” na Feira do Livro de Frankfurt, maior evento editorial do mundo, na Alemanha. Antes, concedeu a seguinte entrevista à Folha.

***

Folha – Por que o sr. não se candidatou a nenhum cargo público nestas eleições?

Gabriel Chalita – Decidi focar na vida de escritor, que é algo caro e prazeroso para mim. Cumpri minha missão como deputado ao presidir a Comissão de Educação da Câmara [em 2013] no momento em que o Plano Nacional de Educação foi discutido. É um excelente plano, que foca na melhoria da carreira do professor, no currículo e na ligação da família com a escola, pontos centrais para melhorar a educação brasileira.

E o que está escrevendo?

Dois livros. No “Inteligência Alpha” resgato ideias de Aristóteles para mostrar como desenvolver a inteligência emocional dos alunos. O outro é uma ficção, “O Julgamento de Maria Aurora”. Tem livro que escrevo em duas semanas, mas este estou escrevendo há sete anos, sempre acho que falta algo.

Além disso, escrevo muito por encomenda de editoras. Como escritor não posso reclamar, meus livros saem com tiragem de 50 mil cópias. Vendi ao todo 10 milhões, mesmo sem ter livros comprados pelo governo federal.

O sr. tem algum outro projeto além de escrever livros?

Devo presidir a Academia Paulista de Letras a partir do fim do ano. Tenho ainda de ser eleito, mas a princípio sou candidato único.

Quero criar em São Paulo um grande evento literário, algo que misture a Feira de Frankfurt com a Jornada Nacional de Literatura de Passo Fundo, mas espalhado pelas livrarias de São Paulo.

Além disso, três peças minhas devem ser encenadas em 2015. Uma delas, “Muito Louca”, será dirigida por José Possi Neto. Meu livro “Mulheres de Água” está sendo adaptado para TV. E continuo dando aula [de direito] na universidade, porque amo. Nasci para ser professor.

O sr. veio a Frankfurt exclusivamente para palestrar?

Não. Também me encontrei com agentes literários para falar da venda de meus livros para o exterior. “Sócrates e Thomas Moore” já foi vendido para o Líbano, e “Os Dez Mandamentos da Ética”, para a Espanha. Agora há interesse de outros países.

Não sente falta da política?

A política tem coisas boas e ruins. Não gosto de falar para não desanimar as pessoas, mas o Brasil não pode ter a quantidade de partidos que tem. Perde-se muito tempo na Câmara, por exemplo, cada vez que um partido orienta sua bancada a votar. Gosto de fazer muitas coisas. Mas estarei à disposição para ajudar.

Concurso Cultural Literário (84)

17

capa manual do bebê

LEIA UM TRECHO

Engana-se quem acha que criar filhos não requer qualificações tão ou mais exigentes que as do mercado de trabalho. Hoje, para ter sucesso na profissão, são necessárias habilidades tanto “masculinas” quanto “femininas” para ambos os sexos. E adivinhe? Para cuidar de filhos também. Por isso, com este manual útil e divertido, escrito em uma linguagem que os homens entendem e gostam, você poderá encarar a função de ser pai como um novo trabalho, e ainda por cima desenvolverá qualidades que serão também muito úteis na sua profissão:

Administração financeira: quanto custa criar um filho?
Gestão de crise: como trocar fraldas?
Redução de estresse: o que dar de comer à criança?
Gerenciamento de tempo: como equilibrar trabalho e paternidade?
Inteligência emocional: como entender o significado do choro do bebê?
Trabalho em equipe: como dividir tarefas com a mãe?
Motivação e liderança: o que fazer para ter um filho feliz?

Vamos sortear 3 exemplares de “Manual de instruções do bebê para quem acaba de ser promovido a pai“, lançamento da Gutenberg.

Para participar, mencione na área de comentários o nome de um amigo ou parente que recentemente tornou-se pai ou que está próximo de ter essa alegria.

Se usar o Facebook, por gentileza informe seu email de contato.

O resultado será divulgado dia 28/8 neste post.

Boa sorte! 😉

***

Parabéns aos ganhadores: Alvino RodriguesJoão Carlos ViannaCarliane Sousa Silva. \o/

Por gentileza enviar seus dados completos para [email protected] em até 48 horas.

Bares e restaurantes literários que você pode conhecer!

0

1

Diego Santos, no Literatortura

Imagine só, ter a oportunidade de poder viajar pelo mundo e provar a culinária de diversos países?!

Não, infelizmente não estamos oferecendo uma promoção pra isso.

A real intenção desse post é indicar alguns restaurantes bem interessantes que qualquer fã de literatura vai adorar visitar, caso esteja viajando por aí.

Tratam-se de restaurantes temáticos, inspirados em grandes clássicos literários ou artísticos.

Para conferir, basta clicar nas setas acima.

[Se não viu a parte 1, clique aqui.]

Onegin, em New York (EUA)

O design suntuoso desta fusão visual, foi baseado na obra de Pushkin, Eugene Onegin. O restaurante recria toda a opulência russa do século 19.

1

2

3

Gogol, em São Petersburgo

Na São Petersburgo de Gogol, enfeitada como um apartamento do século 19, uma grande sobretudo preto dependurado na porta de entrada e os menus são salpicadas com a escrita de Gogol e também divide-se em capítulos como romances. É uma ironia cruel criar um restaurante baseado no nome de um escritor que morreu de fome.

1

2

Alice in Magic World, em Toquio (Japão)

Tenha cuidado com as camadas de sua comida quando comer na Alice in Magic World, restaurante temático criado pela Fantastic Design Works Co. Cada ambiente recria uma cena diferente do livro.

1

2

3

Les Éditeurs, em Paris (França)

Restaurante-biblioteca ou biblioteca-restaurante? Quem consulta o website da Les Éditeurs, é uma biblioteca -restaurante tomada por livros, situado no Quartier Latin. Mas não importa como a chamam, está sempre cheia de boa comida e bons livros doados pelas editoras que a frequentam.

1

2

Club Verne, em Budapest (Hungria)

Você não precisa percorrer 20.000 léguas submarinas para encontrar o restaurante dedicado a Jules Verne. Mas terá que ir para a Hungria. Considere também conhecer a Le Jules Verne, a meio caminho da Torre Eiffel.[Photos via]

1

2

3

Biblio, no Brooklyn (New York – EUA)

Onde é mais provável encontrar um restaurante literário do que em Brooklyn? O restaurante de Williamsburg, Biblio, encanta os visitantes com um menu anunciado como um “Sumário” e repleto de alusões literárias.

1

2

Bookbar, em Denver

Além da obviedade do nome “Bookbar” , que já diz que é uma livraria e bar,servem café e muito mais. Se você o encontrar, provavelmente nunca irá sair (por que você precisa?). [Photos via]

1

2

Café Kafka, em Barcelona (Espanha)

Este café boêmio e literário em Barcelona, tem o nome de um dos maiores escritores de todos os tempos. É preocupante, no entanto, ao ouvir os toaletes, de todas as coisas, descritos como kafkiano. [Photos via]

1

2

Hugo Café, em Dubai

Com cadeiras e fachadas no estilo parisiense, juntamente com uma salpicos de referências visuais do próprio escritor Victor Hugo, faz desse restaurante único. Supostamente, há também alguns “materiais audiovisuais.” Literários.[Photos via]

1

2

Café du Livre, em Marrakesh

Os proprietários deste restaurante-livraria dizem que foi com a intenção de criar um lugar onde os amigos internacionais poderiam se unir para o prazer, falar e troca de idéias. Café du Livre é abastecido com poltronas de pelúcia, comida deliciosa, e cerca de 2.000 volumes em vários idiomas para leitura ou compra. Nada melhor para estimular a conversa literária.[Photos via]

1

2

The Winding Stair, em Dublin (Irlanda)

Este estabelecimento, livraria / café / restaurante, foi nomeado por causa da sua escada em caracol, e também devido ao famoso poema de Yeats. Enquanto leem os livros disponíveis, o restaurante serve o melhor combustível para enfrentar um romance complexo.

1

10 características que todo pensador deve ter

0

Quer pensar de maneira crítica? Veja algumas dicas de como fazê-lo

Publicado no Universia Brasil

 

Fonte: Shutterstock     Abandonar as ideias dos livros didáticos para criar suas próprias não é uma tarefa simples

Fonte: Shutterstock
Abandonar as ideias dos livros didáticos para criar suas próprias não é uma tarefa simples

Aprender não é coisa fácil, não há dúvida quanto a isso. Contudo, refletir a respeito dos conceitos estudados pode ser um desafio ainda maior, afinal abandonar as ideias dos livros didáticos, por exemplo, para criar suas próprias não é uma tarefa simples. Se você tem interesse em desenvolver um pensamento crítico, veja abaixo algumas características que os pensadores têm e tente aplicá-las a sua rotina de estudos.

1 – Persistência é essencial

Os pensadores não desistem quando encontram dificuldade lendo um texto complexo ou se deparando com uma opinião divergente da sua. Na verdade, eles tendem a encará-los com entusiasmo, lendo-os por mero prazer. Além disso, os pensadores também escutam pacientemente as ideias dos outros para que assim, unindo suas leituras e experiências, possa articular seus argumentos autonomamente.

2 – Reflexões na ponta do lápis

Geralmente, a partir das várias ideias que têm, os pensadores escrevem textos. Não para postar nas redes sociais e mostrar o quão cult eles são, mas sim para se organizar e, consequentemente, raciocinar melhor diante de tantas nuances.

3 – Vive para aprender

Os pensadores são curiosos por natureza: perguntam incessantemente para saciar suas dúvidas. E não se desesperam quando não obtêm respostas, porque sabem que as perguntas valem mais que as respostas.

4 – É possível aprender a partir de tudo

Como bons curiosos, eles sabem que tudo tem uma história e, portanto, qualquer coisa é motivo para iniciar novos estudos. E eles podem ser bastante criativos fazendo isso, afinal eles criam seus próprios métodos de aprendizado.

5 – Opinião e fato não são equivalentes

Os pensadores têm plena consciência de que suas opiniões não são fatos, muito menos inquestionáveis. Isso porque eles articulam suas próprias ideias, ou seja, sabem que aquilo se aplica aos seus valores e experiências, mas podem não ter a mesma recepção com outras pessoas.

6 – Tudo se conecta, nada está isolado

Pensar implica em brincar com as ideias e os pensadores fazem isso por livre e espontânea vontade: vinculam conceitos aparentemente desconexos a todo instante tanto para analisar uma situação quanto apenas para fazer piada. Entretanto, independentemente de suas razões, ele faz isso refletindo tanto no fato por si só como sobre quais são as raízes dele.

7 – Não julgar é um de seus preceitos

O pensador valoriza demais as análises para julgar as pessoas por suas opiniões, porque ele sabe que para tê-las você teve que primeiro refletir para depois tirar conclusões, afinal ele mesmo passa por esse processo.

8 – Pode compartilhar sim

Por mais que eles não busquem aprovação de suas ideias, os pensadores as compartilham com o objetivo de socializá-las e, assim, criar um debate, afinal reconhecem que só dessa maneira podem continuar aprendendo.

9 – Sempre há uma novidade

Por mais cotidiana que seja a situação, eles a enxergam como nova, porque têm o hábito de encontrar padrões em tudo e ver as muitas facetas de um mesmo fato. Portanto, tudo é encarado como novidade.

10 – Complexidade e simplicidade

Eles sabem que o mundo pode ser visto tanto como complexo como simples, isto é, eles têm a habilidade de pensar de maneira simples um aspecto complexo da realidade e vice-versa.

Descubra os principais tipos de estudantes

0

É provável que você se encaixe em um tipo de estudante. Conheça as características de cada um e veja em qual tipo você mais se identifica

Publicado no Universia Brasil

Fonte: Shutterstock.

Fonte: Shutterstock. Considere fazer um exercício físico leve, como uma caminhada de 20 minutos, para aumentar o ânimo

Estudantes podem possuir algumas características em comum na hora dos estudos. Apesar de, algumas vezes, esses aspectos não serem sempre positivos, é possível contornar eles e ter uma experiência melhor na hora de estudar.

O primeiro tipo de estudantes (e um dos mais comuns) é o que está entediado. A sala de aula é uma grande tortura para ele e estudar ou fazer tarefas em casa é ainda pior. Ele sente como se essas atividades não pudessem ser mais chatas e, por isso, não conseguem manter a concentração por mais de um parágrafo. Mas esse não é um caso perdido: é possível aumentar o interesse nos conteúdos escolares. Esse tipo de estudante deve trabalhar com um sistema de metas e recompensas, ou seja: a cada meia hora estudada, 5 minutos de descanso ou um pedaço de chocolate. As recompensas não devem ser complexas, porque elas tirariam a concentração durante o estudo. Mas com essa estratégia, é possível se envolver mais com os conteúdos e criar certa disciplina durante os estudos.

Outro tipo de estudante bastante comum é o eufórico. Ele não consegue ficar muito tempo sentado, possui diversos pensamentos ao mesmo tempo, tamborila os dedos na mesa e balança as pernas. Se você se identifica com essa descrição, provavelmente a hora dos estudos pode ser um grande desafio. Mas existe uma solução para o seu caso: antes de estudar, faça alguma atividade que o deixe mais relaxado. Vá à academia, jogue vídeo-game, ouça uma música empolgante, etc. Dessa forma, quando você abrir o livro e iniciar a leitura, seu nível de euforia estará menor e a sua capacidade de manter a concentração será maior.

Além desses dois tipos, também podemos encontrar o estudante ocupado, ou seja, aquele que provavelmente estuda e faz diversas atividades durante o dia. Para eles, é impossível ficar mais de uma hora estudando e eles precisam utilizar o pouco tempo disponível para aproveitar ao máximo o momento de estudo. Para essas pessoas, a melhor solução para seus problemas é a organização: elas devem ser organizadas, criar um calendário rígido de estudos e segui-lo com bastante disciplina. Afinal, se elas possuem pouco tempo para estudar, é essencial que nas horas reservadas para isso sejam totalmente aproveitadas.

Por fim, o último tipo comum de estudante às vezes está diretamente conectado com o estudante ocupado. É a pessoa que está constantemente cansada e, por isso, não consegue ter disposição para estudar. Enquanto eles leem os livros, seus olhos vão se fechando e eles só pensam em dormir. Independentemente do motivo do seu cansaço, é essencial que ele deixe de lado a indisposição e foque nos estudos. Uma das possíveis soluções para esse problema é vestir uma roupa mais adequada. Se você estiver estudando em casa, deixe os pijamas guardados e coloque uma calça jeans e camiseta. Além disso, considere fazer um exercício físico leve, como uma caminhada de 20 minutos, para aumentar o ânimo.

Com essas dicas, independentemente do seu problema, será mais fácil resolver ele e, assim, melhorar o seu desempenho enquanto estuda. Bons estudos!

Go to Top