Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged criatividade

“Leitura profunda é tudo aquilo que desafia o seu cérebro a pensar”

0

cerebro

Confira entrevista com Susan Reynolds, escritora da área científica

Irinêo Baptista Netto, na Gazeta do Povo

Susan Reynolds é escritora com experiência em temas científicos. O livro mais recente dela, “Fire Up Your Writing Brain” (“Acione seu cérebro de escritor”), cita pesquisas de neurociência para falar sobre o que se sabe a respeito de criatividade e escrita. Ela é colaboradora da revista “Psychology Today” e vive em Boston, no estado de Massachusetts (EUA). Na entrevista a seguir, concedida por e-mail, ela faz uma defesa da escrita feita à mão com letra cursiva para estimular o cérebro.

O que acontece com o cérebro de uma pessoa que nunca pratica “leitura profunda”?

Não acontece nada, mas neurocientistas sabem que aqueles que a praticam têm vários benefícios, sobretudo uma habilidade maior para ser empático e compassivo. Ler textos complexos – como poesia, ficção de qualidade e não ficção desafiadora, ou mesmo análises aprofundadas – ajudam o cérebro na habilidade de pensar em níveis mais complexos. Diferente da leitura superficial ou leve – como a que a gente faz quando só passa os olhos pelas chamadas de um site ou lendo textos curtos, ou lendo apenas ficção mais leve e “fofa” (ficção sem substância) –, a leitura profunda põe para funcionar as funções cognitivas complexas do córtex cerebral [ligado ao pensamento, à memória e à consciência]. Qualquer leitura que faça você pensar constrói, cria estruturas e reforça as conexões neuronais no córtex cerebral. Leituras rasas basicamente “entram por um ouvido e saem pelo outro”, com pouco ou nenhum impacto duradouro. É só um passo além de assistir à televisão, que não gera nenhum benefício para o cérebro.

Escrever pode ajudar alguém a ser um humano mais completo? Ou é melhor deixar a escrita para os escritores?

Já mostraram que escrever é um meio eficiente de curar feridas emocionais. O processo de colocar suas emoções numa página por meio da escrita parece diminuir a atividade cerebral relacionada ao estresse e aumentar a liberação de neurotransmissores que acalmam o cérebro. Escrever pode servir como uma meditação para todo mundo, particularmente se você adotar introspecção e usar letra cursiva – está provado que ela desacelera o processo de raciocínio e ajuda a acessar sentimentos reprimidos. Assim como é muito mais impactante ver a versão de um poema escrito à mão pelo poeta, é mais impactante para o cérebro se você escreve à mão usando letra cursiva e de modo reflexivo. É uma ótima forma de explorar sentimentos mais profundos e com clareza. E também se você pesquisa um tópico, estuda e reflete sobre as informações que acumula, e depois escreve algo original como resultado desse processo, você está ampliando a habilidade que o seu cérebro tem para pensar.

Você pode explicar o que é “leitura profunda”?

Leitura profunda é tudo aquilo que desafia o seu cérebro a pensar, a refletir, que faz você lutar para assimilar a informação, para aprender. Podem ser poemas (que se relacionam com sentimentos e estimulam introspecção e reflexão), artigos científicos (que engajam o córtex cerebral), trabalhos literários de ficção – especialmente aqueles que lidam com sentimentos profundos, que têm pensamentos e frases complexos, e que exigem mais do cérebro (algo que faça você procurar palavras no dicionário, por exemplo) –, ou algo que faça você prestar muita atenção e parar para pensar. Se você estuda uma língua estrangeira, ler livros nessa língua pode ser um grande desafio. Se você tem dificuldade de entender matemática ou ciência, ler artigos ou livros sobre esses assuntos que façam você diminuir o ritmo o suficiente para assimilar o que está sendo dito seriam ótimas formas de “leitura profunda”.

Cada vez mais, as pessoas vivem no Facebook, buscando informações, notícias e conhecimento no feed de notícias. Você acha que isso é perigoso de alguma forma – ler apenas o que é publicado em redes sociais?

Existem exceções, mas a maioria dos sites na internet não se detém muito em nenhum tópico. Geralmente, os agregadores de notícias (Google News é um exemplo) oferecem destaques sem muita profundidade. É preocupante que cada vez mais as pessoas estejam só passando os olhos em manchetes, o que certamente pode distorcer a percepção do que é verdade ou não é, e pouco é guardado na memória a menos que o córtex cerebral seja usado. O melhor é ler ampla e profundamente, sobretudo em relação a tópicos de relevância. Busque publicações que você sabe que fazem reportagens com profundidade e que oferecem análises confiáveis.

10 capas de livros com uma perfeita ilusão de ótica

1

Publicado no Boa Informação

Para quem acha que as capas de livros são sempre parecidas, saiba que as coisas não são bem assim. Ao menos é o que acontece com os modelos que trouxemos.

Nas mãos de pessoas criativas, elas acabam gerando cenas divertidas quando misturadas ao mundo real.

O ângulo e posição onde está colocada acaba gerando o resultado curioso!

Confira abaixo 10 exemplos de capas de livros com uma perfeita ilusão de ótica.

1-powiat-slupca

Para quem acha que as capas de livros são sempre parecidas, saiba que as coisas não são bem assim. Ao menos é o que acontece com os modelos que trouxemos. Foto: powiat-slupca

3-bored-panda

Foto: bored panda

book-cover-face-illusion-perfectly-timed-photos-2-5763a459c2ec4__605

book-cover-face-illusion-perfectly-timed-photos-2-5763c0166ffd7__605

book-cover-face-illusion-perfectly-timed-photos-8-5763a465aa911__605

book-cover-face-illusion-perfectly-timed-photos-11-5763a46c1b289__605

(mais…)

Mente ativa: Dicas para ter uma boa memória e um pensamento criativo

0

publicado na Zupi

Nossa mente anda cheio de informações, não é mesmo? Seja pelo excesso de preocupações ou pelo ritmo de vida alucinante, todos já devem ter parado um instante e esquecido o que estava procurando, o que ia fazer ou que ia falar. A memória é inexplicavelmente enorme, que precisa ser treinada para ter rápido acesso às informações escondidas no nosso cérebro. Louis Pasteur dizia “A sorte favorece apenas a mente treinada”, que ser criativo não é questão de inspiração instantânea e sim de treino prolongado.

Com esta necessidade crescente para não perder tempo no dia a dia (lembrando onde deixamos as chaves de casa ou o celular, por exemplo). Sabemos que para fugir dessas lacunas, não há receita mágica, mas algumas dicas fazem diferença para manter a memória e a criatividade aguçada mesmo com o passar dos anos.

ler

Segue algumas dicas:

Jogar: existem alguns jogos que estimulam nosso cognitivo, como apostilas com exercícios de lógica, palavras cruzadas, sudoku, quebra cabeça, e mais de 60 jogos de tabuleiro que trabalham a memória e a criatividade. Use essa função de jogos como se fosse uma tempestade de ideias.

Realizar atividade física: a atividade física além de ser saudável também ajuda a combater várias doenças ela deixa o corpo e a memoria mais ativa. Quanto mais ativa uma pessoa é, menor a probabilidade de ter distúrbios de memória.

Ler: assim como qualquer órgão do corpo, o cérebro precisa se manter ativo para continuar saudável. Uma das melhores maneiras de melhorar o dinamismo, raciocínio e o despertar da criatividade também está na leitura.

Dormir: enquanto dormimos o conhecimento é armazenado no cérebro, por isso a fase de sono profundo é essencial para lembrar aquilo que lemos, ouvimos ou sentimos durante o dia.

E para finalizar, mantenha sua mente sempre ativa, liberte o pensamento criativo, não tenha medo das ideias que nascem. A criatividade pode ser estimulada através do seu meio, da educação e da cultura. Quem se dedica à criatividade todo dia deixa a mente sempre pronta para aproveitar oportunidades assim que elas aparecem.

Economia Criativa é o futuro da sociedade

0

publicado na Zupi

Sabe qual é um setor que está conseguindo dar um olé na crise? A chamada economia criativa. Aliás, esse é o momento de criar e inovar. Entre todas as possibilidades que este ramo proporciona, uma delas está resolver problemas, propor colaborativismo e soluções pragmáticas para problemas do cotidiano. Uma ideia na cabeça e saber o que fazer com ela, essa é a grande sacada. Ser diferente e empreender, num mercado com produtos e serviços cada vez mais massificados, é garantia de sucesso.

economia-criativa-4

Qualquer pessoa é capaz de intervir, modificar e perceber uma demanda que ainda não é atendida. Inquietação e plano de negócios, estas são as palavras. O primeiro passo é entender que criatividade é o ponto de partida, mas que qualquer negócio exige estratégia, e empreender pensando em minimizar os riscos é fundamental. Exemplos de economia criativa surgem todos dos dias: O Uber reinventou um modelo tradicional de negócios, agregando um alto valor aos serviços prestados.

Allan Szacher – formado em Propaganda e Marketing e artes gráficas – e Simon Szacher – formado em Administração – são as cabeças por trás da Zupi, maior crossmedia de arte e criatividade do Brasil e mais um exemplo de economia criativa bem sucedida. Este ramo de negócios trabalha com o mais incrível dos materiais: A criatividade humana.
O mundo e você precisam estar atentos a esse movimento que cresce diariamente e, felizmente, se transforma num caminho sem volta. Investir em estratégia e criatividade nos permite desempenhar atividades que antes pareciam impossíveis. E isso é maravilhoso!Novas profissões vão surgir e estar por dentro destas mudanças, e buscar novas oportunidades, é o caminho para se manter competitivo. Investir em cursos e aprimoramento, esta é a melhor das dicas.

economia-criativa-zupi-academy

Dia 17 de abril, na Zupi Academy, o Allan e o Simon Szacher vão ministrar um Workshop de Economia Criativa aqui em São Paulo. Não há momento melhor para você começar a desenvolver aquela ideia super diferente que você teve, mas não sabe como transformá-la em negócio. O curso é a chance de trocar ideias, networking e o melhor de tudo: Tirar aquele projeto do papel e transformá-lo numa ideia viável e com grandes chances de dar certo.O curso tem como objetivo melhorar a formação do profissional criativo para empreender suas ideias com menos riscos e inserir o conceito de business em qualquer negócio. O curso é destinado à empreendedores, freelancers e qualquer profissional interessado no mercado que busca desenvolver soluções criativas.

O curso tem um pré-requisito muito importante: Ter uma ideia e querer torná-la realidade. Ahhh… Se você tem alguma já sendo realizada e quer melhorar… O curso também é pra você.

Esta é a melhor forma de ensinar história do Brasil para quem é viciado em internet

0

Cabral fazendo checkin na Ilha de Vera Cruz e WhatsApp do Marechel Deodoro decidindo o futuro do país.

Raphael Evangelista, no BuzzFeed

A página do Facebook História nas Redes Sociais surgiu para mostrar pontos marcantes da história do Brasil e do mundo por meio de montagens de “prints” como este do descobrimento da América:

Colombo poderia fazer tudo ao chegar “nas Índias”, menos postar em seu Facebook

Colombo poderia fazer tudo ao chegar “nas Índias”, menos postar em seu Facebook

 

O bafafá intercontinental viraria bate-boca nos comentários de gente poderosa.

cabral2

Gerando o primeiro Tratado assinado e publicado no Facebook.

tratado

E a belíssima de Pero Vaz Caminha poderia ser resumida em 140 caracteres:

enhanced-11833-1452882006-1

Os livros de história teriam estes prints registrando o verdadeiro momento do Descobrimento do Brasil.

brasil

Ou mesmo a história da abolição da escravatura… (mais…)

Go to Top