Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged denúncia

Uma campanha chocante para denunciar o quão pouco ganham os escritores

0

Fabio Mourão, no Dito pelo Maldito

Você pode ficar rico com a literatura? É bem provável que não. Embora as manchetes destaquem escritores que ganham milhões com seus livros, sabemos bem que isso não é o que acontece com a maioria dos autores. De acordo com um estudo britânico recente, apenas um em cada dez escritores conseguem viver apenas do que escrevem. Na verdade, o mesmo estudo conclui que apenas uma elite de 5% de escritores dominam 42,4% de toda a receita gerada pelos livros.

Infelizmente essa realidade é ignorada por parte dos leitores que, de forma contraditória, continuam pirateando PDFs de autores que dizem admirar. Para elucidar essa discrepância, uma associação francesa que representa escritores e ilustradores, lançou uma campanha que nos convida a pensar sobre o caso.

As imagens ilustram a situação econômica dos autores, mostrando o número de livros vendidos necessários para se conseguir comprar coisas básicas do nosso dia a dia.

Confira abaixo:

530 livros para comprar um óculos novo

530 livros para comprar um óculos novo

 

13 livros para comprar um livro de bolso

13 livros para comprar um livro de bolso

 

2.646 para comprar um notebook

2.646 para comprar um notebook

 

2 livros para comprar uma bisnaga

2 livros para comprar uma bisnaga

 

7 livros para comprar um pacote de café

7 livros para comprar um pacote de café

 

4 livros para uma caixa de paracetamol

4 livros para uma caixa de paracetamol

Câmera flagra professora agredindo e puxando alunos pelo cabelo

0

Agressões ocorreram na escola municipal Ângelo Carana, em Catanduva.
Secretaria de Educação diz ter afastado professora após denúncias.

Câmera flagra agressões dentro de sala de aula contra crianças (Foto: Reprodução / TV TEM)

Câmera flagra agressões dentro de sala de aula contra crianças (Foto: Reprodução / TV TEM)

Publicado no G1

Câmeras de segurança flagraram uma professora agredindo crianças entre três e quatro anos na escola municipal Ângelo Carana, em Catanduva (SP). Nas imagens, feitas em agosto do ano passado, a professora dá tapas e puxa o cabelo dos alunos. Em uma delas, chega a sufocar uma criança. Em outra gravação, a mesma professora bate no braço do aluno, empurra a cabeça dele contra a mesa e deixa o menino sozinho na sala no escuro. O menino se senta no chão e é puxado pelo cabelo e arrastado.

A professora que aparece nas imagens foi afastada das salas de aula, mas continua trabalhando na secretaria de outra escola municipal.

Uma mãe, que não quer ser identificada, diz que percebeu as agressões quando o filho de três anos mudou de comportamento. Ao ser questionado, ele contou que apanhava na escola. Ela chegou a conversar com a professora, que negou as acusações. Revoltada, a mãe registrou o caso na polícia e comunicou a Secretaria de Educação de Catanduva. Outras mães também identificaram agressões nos filhos.

Na delegacia de Defesa da Mulher a delegada responsável não quis falar sobre o caso, mas confirmou as acusações contra a professora e disse ainda que as imagens solicitadas à Secretaria Municipal de Educação chegaram há poucas semanas e o material está sendo analisado. Sobre a demora em entregar as imagens para a polícia, a Secretaria de Educação informou que, assim que recebeu o ofício, encaminhou o material. De acordo com o delegado seccional de Catanduva Pedro Artuzo, o laudo da perícia irá indicar qual o tipo de crime foi cometido pela professora.

Oito meses depois do caso ser registrado, os pais das crianças agredidas questionam a punição dada à professora. Ela foi afastada das salas de aula e agora trabalha na secretaria de outra escola municipal. A confirmação de que a professora continua trabalhando em uma escola deixou as mães indignadas.

A assessoria da Secretaria de Educação de Catanduva disse que assim que recebeu a denúncia afastou das funções a professora que aparece nas imagens.

Enquanto as investigações do caso continuam, os pais tentam superar os traumas dos filhos. Segundo a Secretaria de Educação, toda a documentação e o relato da mãe foram anexados num processo administrativo interno e no processo civil, que estão em tramitação. A Secretaria disse ainda que defende a segurança e o bem estar dos alunos.

Jovem do Ceará diz ter recebido tema de redação do Enem antes da prova

0

Imagem da folha de redação teria sido enviada por WhatsApp; Polícia Federal do Piauí investiga denúncia de vazamento

Publicado por Último Segundo

Um adolescente de Fortaleza (CE) afirmou ter recebido no celular a imagem da folha de redação do Exame Nacional do Ensino Médio 2014 (Enem) antes do início da prova.

O jovem disse em entrevista ao jornal Bom Dia Brasil, da TV Globo, que a foto com o tema da redação “Publicidade infantil em questão no Brasil” lhe foi enviada às 10h50 de domingo (9) por um amigo de Campina Grande (PB). Pouco mais de uma hora antes do início da prova.

“Se chegou a mim lá de Campina Grande, já deve ter vazado para muitos outros Estados”, afirmou o estudante, que não quis se identificar.

Até ontem, a Polícia Federal do Ceará não havia recebido nenhuma denúncia de vazamento do tema de redação do Enem.

Reprodução/Facebook Candidato do Piauí denunciou vazamento do tema de redação do Enem 2014

Reprodução/Facebook
Candidato do Piauí denunciou vazamento do tema de redação do Enem 2014

Polícia Federal do Piauí investiga denúncia

Na quarta-feira (12), um estudante do Piauí denunciou à Polícia Federal o vazamento do tema da redação. De acordo com o estudante, ele teria recebido por Whats App uma imagem com o tema da redação do exame e a foto da prova às 10h47 de domingo (9).

No Facebook, o estudante diz ter recebido a imagem em um grupo do qual fazem parte cerca de 40 pessoas.

A Polícia Federal do Piauí apreendeu este celular e instaurou inquérito policial nessa quinta (13) para apurar o caso.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais afirmou em nota que está trabalhando em parceria com a PF.

“O Inep trabalha em conjunto com a PF para dar, cada vez mais, rigor e segurança à aplicação do exame, garantindo assim a isonomia entre os participantes.”

Livros didáticos são jogados em vala de lixão no distrito de Colina Verde, RO

0

Descarte aconteceu no último domingo, 19, e revoltou moradores.
Comissão de investigação do caso foi instaurada pela Seduc.

Livros didáticos foram descartados em lixão no distrito de Colina Verde (Foto: Fred Barbosa/ RO463)

Livros didáticos foram descartados em lixão no distrito de Colina Verde (Foto: Fred Barbosa/ RO463)

Eliete Marques e Franciele do Vale, no G1

Moradores do distrito de Colina Verde, do município de Governador Jorge Teixeira (RO), a 370 quilômetros de Porto Velho, denunciaram o descarte de centenas de livros didáticos no lixão da região. Conforme os denunciantes, os materiais foram despejados no último domingo (19) por um caminhão da prefeitura. A Secretaria Municipal de Educação (Semed) nega que o material seja do município e a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) diz que está investigando se pertenciam a Escola Estadual Cláudio Manoel da Costa.

O roceiro Ivan de Souza, de 37 anos, conta que ficou indignado e resolveu denunciar o caso. Ele diz que descobriu os livros por acaso, quando passava pelo local e afirma que os livros foram jogados por um caminhão da prefeitura de Governador Jorge Teixeira. “É uma coisa que não dá para gente aceitar. Quantas pessoas estão precisando de um livro. Estão jogando o futuro de milhares de crianças no lixo. Espero que seja tomada uma providência rigorosa sobre isso”, enfatiza.

A secretária da Semed, Daniele Cupertino, afirma que o material didático não pertence à rede municipal de ensino. Alguns dos livros apresentam carimbo da Escola Estadual Cláudio Manoel da Costa, localizada em Colina Verde. O vice-diretor da escola, Deiverson Mendes de Paula, confirmou ao G1 que os livros jogados no lixão do distrito pertenciam a unidade de ensino e foram descartados após um mutirão de limpeza realizado na escola. Ele garante que todos os materiais descartados estavam ultrapassados e em desacordo com a nova ortografia da língua portuguesa.

Materiais foram descartados após multirão (Foto: Fred Barbosa/ RO463)

Materiais foram descartados após multirão
(Foto: Fred Barbosa/ RO463)

Apesar da confirmação do vice-diretor, a coordenadora pedagógica da Coordenadoria Regional de Educação da Seduc, em Jaru (RO), Dercília Antônia, informou que após o conhecimento do corrido, foi instaurado uma comissão para investigar se de fato os livros pertencem à escola Estadual Cláudio Manoel da Costa.

Segundo a coordenadora, com a confirmação serão tomadas as providências cabíveis sobre o caso. Dercília asseverou que o descarte foi incorreto, independente de quem tenha o feito. Ela informou que há uma portaria que define normas descartar livros em desuso, como catalogar os materiais, doar, incinerar, dentre outras.

10 Regras de Nietzsche para Escritores

0

Mais de um século antes do sistema de escrita de Elmore Leonard e conjuntos semelhantes inspirados dos mandamentos de Neil Gaiman, Zadie Smith, Vogler, Campbell, Margaret Atwood, entre outros, uma das maiores mentes humanas que já existiu fez exatamente o mesmo.

1

Maik Barbara, no Homo Literatus

Interessante foi o fato dessa criação: ocorrido entre 8 a 24 de agosto de 1882 ninguém menos que ele, Friedrich Nietzche, estabelecia dez regras estilísticas para a então escritora, intelectual e psicanalista Lou Andreas-Salomé, tudo feito através de cartas enviadas a ela.

Andreas-Salomé, então com 21 anos de idade, e Nietzsche com impulsos de admiração, decidiu fazê-la não só a sua protegida intelectual, mas também sua esposa. Ele teria supostamente proposto casamento logo em seu segundo encontro no início daquele mesmo ano. Andreas-Salomé o rejeitou o pedido assim como os avanços românticos de Nietzsche, em seguida lidou com a ruptura na amizade. Apesar de tudo ela manteve com Nietzsche uma relação de respeito por toda a vida, respeito por sua mente e trabalho.

Mais de duas décadas depois, ela incluiu essas dez regras da escrita em seu livro Nietzsche– diga-se de passagem um livro que reflete um estudo soberbo da personalidade de Nietzsche, filosofia e psique.

Sob o conteúdo nomeado “Rumo ao Ensino de Estilo”, eis aqui um resumo das regras que Nietzsche prescreveu:

1. De primeira necessidade é a vida: um Estilo deve ser feito VIVO.

2. O Estilo deve ser adequado para o tipo específico de pessoa com quem você deseja se comunicar (Lei da Relação Recíproca).

3. Em primeiro lugar, deve-se determinar com precisão “o-que e o-que eu desejo fala e apresentar,” antes que você possa escrever. A escrita deve ser mimetismo.

4. Uma vez que o escritor carece de meios de oratória, ele deve, em geral, têm por seu modelo um tipo muito expressivo de apresentação de necessidade, a cópia de escrita (estilo) irá aparentar-se mais pálida.

5. A riqueza da vida se revela através da riqueza de gestos, dos símbolos. É preciso aprender a sentir tudo – o comprimento e o retardamento das sentenças, inter-pontuação, a escolha das palavras, a pausa, a sequência de argumentos – tal como sinais.

6. Tenha cuidado com os períodos! Apenas as pessoas com respiração de longa duração irão se beneficiar de trechos grandes, sem pausas. Com a maioria das pessoas, o período é uma questão de afeição.

7. O Estilo deve provar que alguém acredita em uma ideia; não apenas que acredita, mas também a sente.

8. Quanto mais abstrata for a verdade que se tenta ensinar, mais é preciso seduzir primeiro os sentidos.

9. A estratégia por parte do bom escritor de prosa consiste na escolha de seus meios para pisar no limiar da poesia, mas nunca para dentro dela.

10. Não é de boas maneiras, ou inteligente, privar um leitor das mais óbvias objeções. É de muito boas maneiras e muito inteligente colocar essas objeções de forma ao leitor perceber e pronunciá-las em jus da quintessência definitiva de sua sabedoria.

Estes mandamentos são, obviamente, no mínimo aforísticos. Na verdade, ao contrário de Susan Sontag, que veementemente denuncia, tanto Nietzsche e Andreas-Salomé no sentido que tiveram uma predileção por aforismo. Andreas-Salomé reflete em sua obra o estilo de Nietzsche à luz de sua predileção aforístico:

Para examinar o estilo de Nietzsche por Causas e Condições significa muito mais do que apenas examinar a mera forma em que suas ideias são expressas; pelo contrário, significa que podemos ouvir seus sons internos. O seu Estilo surgiu através da vontade, entusiasmo, auto sacrifício, e seu pródigo grande talento artístico… e uma tentativa de transmitir o conhecimento através de nuanças individuais, reflexo das excitações de uma alma em convulsão. Como um anel de ouro, cada aforismo firmemente envolve pensamento e emoção. Nietzsche criou, por assim dizer, um novo estilo de escrita filosófica, que até então foi redigida em tons acadêmicos ou na poesia efusiva: ele criou um estilo personalizado; Nietzsche não só domina a linguagem, mas também transcendeu suas insuficiências. O que antes tinha sido mudo, alcançou grande ressonância.

O livro Nietzsche é magnífico quando lido na íntegra.

Go to Top