Posts tagged editorial

As 20 editoras mais populares do Twitter (17)

1

1

Ranking atualizado em 16/1.

O perfil @livrosepessoas tem 99.967 seguidores.

#1: 45.215 Intrínseca @intrinseca

#2: 42.638 Editora Sextante @sextante

#3: 42.052 Companhia das Letras @cialetras

#4: 41.341 Mundo Cristão @mundocristao

#5: 32.493 Editora Rocco @editorarocco

#6: 30.059 Editora CPAD @EditoraCPAD

#7: 29.026 Galera Record @galerarecord

#8: 28.437 Editora Novo conceito @Novo_Conceito

#9: 27.342 Cosac Naify @cosacnaify

#10: 25.454 Editora Saraiva @editorasaraiva

#11: 22.743 L&PM Editores @LePM_Editores

#12: 21.766 Editora Gutenberg @Gutenberg_Ed

#13: 20.719 Editorial Record @editora_record

#14: 19.731 Editora RT @editoraRT

#15: 18.653 Editora Autêntica @Autentica_Ed

#16: 18.219 Casa Publicadora @casapublicadora

#17: 17.103 Editora Leya @EditoraLeya

#18: 16.113 Ultimato @ultimato

#19: 13.877 Editora Agir @agireditora

#20: 13.668 Conrad @ConradEditora

Conhece alguma editora cujo número de seguidores a credencia a fazer parte deste ranking? Por gentileza, informe nos comentários.

10 profissões para quem gosta de escrever

0

Publicado por Guia do Estudante

Conheça as carreiras ideais para quem gosta de se expressar por meio de textos

1

Você gosta de escrever? Conheça mais sobre as profissões a seguir e veja se alguma delas se encaixa no seu perfil.

1

Foto: Wikimedia Commons
CIÊNCIAS SOCIAIS – É o estudo das origens, do desenvolvimento, da organização e do funcionamento das sociedades e culturas humanas. Com toda a bagagem teórica adquirida com o passar do tempo, é natural que esse profissional queira compartilhar seu conhecimento escrevendo textos.

Leia mais

1

Foto: Getty Images
CINEMA E AUDIOVISUAL – É a elaboração e a produção de audiovisuais artísticos, documentais, publicitários, institucionais ou jornalísticos para veiculação em diversas mídias, como cinema, internet, tv aberta e a cabo e circuitos fechados de programação. Como toda produção tem um roteiro, esta profissão é ideal para quem gosta de escrevê-los.

Leia mais

1

Foto: Getty Images
HISTÓRIA – É o campo do conhecimento que estuda o passado humano em seus vários aspectos: economia, sociedade, cultura, ideias e cotidiano. O profissional naturalmente, pode compartilhar o seu dia a dia e suas experiências em textos.

Leia mais

1

Foto: Wikimedia Commons
JORNALISMO – O jornalista é o profissional da notícia. Ele investiga e divulga fatos e informações de interesse público, redige e edita reportagens, entrevistas artigos, adaptando o tamanho, a abordagem e a linguagem dos textos ao veículo e ao público a que se destinam.

Leia mais

1

Foto: Getty Images
LETRAS – É o estudo da língua portuguesa e de idiomas estrangeiros e de suas respectivas literaturas. O profissional pode se dedicar à escrita profissional, trabalhando para editoras.

Leia mais

1

Foto: Getty Images
PRODUÇÃO EDITORIAL – É o conjunto de atividades envolvidas na edição e na publicação de obras impressas ou eletrônicas. Por ser responsável pela produção de conteúdo, este profissional pode se dedicar à redação e edição de textos.

Leia mais

1

Foto: Wikimedia Commons
PUBLICIDADE E PROPAGANDA – O publicitário cria, realiza e divulga campanhas e peças publicitárias, procurando a melhor forma de apresentar um produto ou serviço ao consumidor e promover sua venda. Como comunicador, este profissional tem autonomia para redigir peças publicitárias, como roteiros de comerciais de TV, por exemplo.

Leia mais

1

Foto: Wikimedia Commons
RÁDIO E TV – São as atividades ligadas à criação, à produção, à edição e à direção de programas de rádio e TV. Esse profissional se envolve na elaboração e na veiculação de programas jornalísticos, esportivos ou de variedades, exceto nas atividades reservadas a jornalistas e atores, como reportagem e dublagem. Ele monta a programação da emissora, redige roteiros, produz e edita programas.

Leia mais

1

Foto: Wikimedia Commons
TEATRO – É o conjunto de técnicas usadas na criação, direção, montagem e interpretação de espetáculos. O profissional usa os movimentos corporais e a voz para representar personagens e transmitir ao público histórias, ideias e sentimentos. Está habilitado ainda a dirigir e escrever peças teatrais, novelas e filmes, bem como fazer críticas em veículos de comunicação e elaborar obras didáticas.

Leia mais

1

Foto: Wikimedia Commons
TRADUTOR E INTÉRPRETE – É a transposição do significado de textos e de falas de um idioma para outro. O tradutor faz a versão escrita de livros, documentos e textos em geral de uma língua para outra.

Leia mais

 

dica da Luciana Leitão

“Cinquenta tons de cinza” vende 13 livros por minuto no Brasil

0

Publicada por Intrínseca

O furacão Cinquenta tons de cinza, fenômeno editorial global com a vendagem mais rápida da história, repete seu desempenho inédito no mercado brasileiro. Em menos de quatro meses, os livros que compõem a trilogia adulta escrita pela britânica E L James ocupam as três primeiras posições em todas as listas de mais vendidos e somam 2.370.000 exemplares comercializados, ou seja, a cada minuto 13 livros são vendidos no Brasil.

Cinquenta tons de cinza, primeiro volume que dá nome à série, foi lançado em 24 de julho e registra 1.130.000 exemplares vendidos; publicada em 12 de setembro, a sequência Cinquenta tons mais escuros já alcançou a marca de 700.000 cópias comercializadas; e o desfecho Cinquenta tons de liberdade totaliza 540.000 unidades vendidas desde 8 de novembro.

Responsável por sucessivos recordes, a série, que já tem mais de 67 milhões de livros comercializados em 47 países, também acumula a marca de maior número de vendas de e-books no Brasil: desde seu lançamento, que foi simultâneo à versão impressa, a trilogia já contabiliza 53 mil livros digitais vendidos.

Eleita uma das 100 pessoas mais influentes do mundo pela revista Time, E L James recebeu o honroso título de personalidade editorial do ano pela Publishers Weekly — é a primeira vez que um autor é escolhido. Sua estreia na literatura acaba de vencer o The National Book Awards na categoria melhor ficção popular e o Goodreads Choice Awards 2012.

O preço da ignorância

0

Editorial publicado na Folha de S.Paulo

“Se você acha que a educação é cara, experimente a ignorância.” Frequentemente atribuída a Derek Bok, ex-reitor da Universidade Harvard, a frase resume com precisão a ideia de que dinheiro aplicado em escolas não é despesa, mas investimento.

Não é preciso ter dirigido uma das melhores universidades do mundo para dar a importância devida à educação. Em São Paulo, cresce de modo significativo o número de pais com disposição e recursos para matricular seus filhos em escolas particulares.

Levantamento desta Folha com base em 962 escolas da capital mostra que, de 2001 a 2012, as matrículas na rede pública caíram 14%; no mesmo período, aumentou em 147% a quantidade de crianças em instituições com mensalidades de até R$ 500 (nas mais caras, 15%).

A expansão de escolas mais baratas (47% delas foram abertas nos últimos dez anos) parece corresponder à ampliação da classe média. Segundo pesquisa Datafolha de janeiro, ela passou de 57% da população, em 2001, para 63% em 2011. O crescimento mais notável se deu na classe média intermediária (com renda familiar de até R$ 3.000), que foi de 17% para 26%.

Pais que decidem apertar o orçamento para matricular seus filhos em escolas privadas o fazem na esperança de dar aos descendentes uma vida melhor do que a que eles próprios tiveram.

É uma iniciativa louvável. O Datafolha detectou que a escolaridade, mais que a posse de bens, tem correlação predominante com a posição de classe. No estrato mais alto, 77% têm ensino superior e só 44% frequentaram escolas públicas. Mesmo na classe média alta, a diferença se evidencia: 75% têm ensino médio e 75% cursaram instituições públicas.

A educação exerce também um efeito em cascata. O nível de escolaridade dos pais pesa muito no desempenho escolar dos filhos. As gerações futuras tendem a se beneficiar do esforço da presente.

Para que esse raciocínio adquira validade, porém, é preciso que as escolas de até R$ 500 sejam bem melhores do que as públicas –algo que ainda não foi demonstrado.

A procura por essas escolas, mesmo que de qualidade duvidosa, é mais um sintoma da falência do ensino público no Brasil. Como ocorreu na saúde, com planos privados, e no trânsito, com transporte individual, também na educação o cidadão que paga pesados impostos se vê obrigado a buscar alternativas à indigência dos serviços oferecidos pelo Estado.

Parte da população já se deu conta de que educação é investimento, mas não tem força nem representação política para dar consequência social à noção de que a ignorância custa caro ao país.

imagem via Internet

Cabine Literária: Lançamentos de julho

0


x
Sempre numa deliciosa vibe bem-humorada, Danilo Leonardi e Gabriel Utiyama apresentam lançamentos recentes. Visitem o Tumblr dos caras. #recomendo

Go to Top