enem2015

Maria Cortez, em Folha de S.Paulo

Na prova de matemática, segundo os estudantes, caíram questões de lógica, trigonometria e perguntas que exigiam a leitura de gráficos. Já o tema da redação deste ano foi: “A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira”.

“A redação foi a parte mais fácil, mais interessante de fazer”, diz Erica Paloma Sena, 18, que prestou o Enem no campus da Uninove da Barra-Funda, zona oeste da capital. Para ela, o pior foi matemática.

Graziele Fagundes, 25, que pretende cursar direito, concorda. “Para quem já tem algum curso superior ou técnico pode ser fácil, mas para um exame de nível médio estava muito difícil, tinha que saber várias fórmulas”, afirma.

Além da redação, os candidatos tiveram que resolver 90 questões sobre linguagens, códigos e suas tecnologias e matemática e suas tecnologias. Também teve cinco perguntas sobre língua estrangeira (inglês ou espanhol, dependendo do estudante).

Na prova de português os candidatos tiveram que interpretar obras de arte, além de textos.

PREOCUPADOS

O tema da redação era a principal preocupação dos estudantes antes da abertura dos portões. Não à toa, já que fugir do tema ou da estrutura do texto dissertativo-argumentativo pode anular a redação. Também ganham nota zero os estudantes que escreverem sete linhas ou menos ou que defendam ideias que desrespeitem os direitos humanos.

Por fim, também é eliminado da redação quem propositadamente incluir no texto trechos desconectados do assunto da questão -em 2012, cerca de 300 provas foram desclassificadas por isso. Uma delas trazia uma receita de miojo, outra, o hino de um time de futebol.

A nota da avaliação é usada total ou parcialmente por 128 instituições públicas nos seus processos de seleção e é um dos critérios para a obtenção de financiamento em faculdades privadas pelo Fies (programa federal).