Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged escrita

22 dicas do mestre Stephen King para escritores e para vida

0

Stephen King

Lana Franciele, no StephenKing.com.br

Stephen King, renomado escritor de histórias que cativaram milhões de pessoas ao redor do mundo e que ganha aproximadamente 17 milhões de dólares por ano, em seu memorável, “On Writing“,compartilha informações valiosas sobre como ser um escritor melhor. Ele não dosa as críticas e escreve: “Eu poderia mentir e dizer que não há maus escritores. Desculpem, mas existem muitos escritores ruins.”

Não quer ser um deles? Aqui estão 22 dicas do livro do King sobre como ser um escritor surpreendente:

1. Pare de assistir à televisão. Ao invés, leia tanto quanto puder

Se você for um escritor iniciante, sua televisão deve ser uma das primeiras coisas a serem eliminadas. É “venenosa à criatividade”, diz Stephen. Os escritores precisam olhar para dentro de si mesmos e direcionar a atenção à vida da imaginação.

E para tanto devem ler o máximo possível. King leva consigo um livro a todo lugar que vai e lê até mesmo durante as refeições. “Se você quiser ser um escritor, deve fazer duas coisas acima de todas: ler muito e escrever muito”. Leia muito e trabalhe constantemente para refinar e redefinir seu trabalho enquanto lê.

2. Prepare-se para mais falhas e críticas do que pode lidar

King compara escrever ficção a travessar o Atlântico em uma banheira, pois em ambos “há inúmeras oportunidades para duvidar de si mesmo”. Não apenas vai duvidar de si mesmo como também haverá outros duvidando de você. “Se você escrever (ou pintar, dançar, esculpir ou cantar, acredito) alguém irá tentar te fazer se sentir mal por isso”, King escreve.

Constantemente você tem que continuar escrevendo mesmo quando não está com vontade de fazê-lo. “Parar um trabalho apenas porque é difícil, seja emocionalmente ou por bloqueio de criatividade, é uma má ideia”, ele escreve. E quando falhar King sugere que continue otimista. “Otimismo é uma resposta perfeitamente adequada à falha”.

3. Não perca seu tempo tentando agradar as pessoas

De acordo com King, a grosseria deve ser a menor de suas preocupações. “Se você pretende escrever da forma mais verdadeira possível, seus dias como membro da sociedade bem-educada estão com os dias contados”. King costumava se envergonhar do que escrevia, especialmente após receber cartas que o acusavam de ser preconceituoso, homofóbico, sanguinário e até mesmo psicopata.

Por volta de seus 40 anos, percebeu que todo bom escritor já fora acusado de não possuir talento algum. King resolveu esse dilema definitivamente. Ele escreve: “Se você não aprova o que escrevo, posso apenas dar de ombros. É só o que tenho”. Como não poderá agradar a todos os leitores o tempo todo King aconselha que pare de se importar.

4. Escreva principalmente para você mesmo

Você deve escrever porque isso traz felicidade e satisfação. “Eu escrevo pelo puro prazer do ato, e se você puder escrever por prazer, você pode escrever para sempre”.

O escritor Kurt Vonnegut fornece um insight parecido: “Encontre um assunto com o qual se importa e que sinta que outros também vão se importar. Será este genuíno cuidado – não seu jogo de palavras – o mais sedutor e cativante elemento em sua escrita”.

5. Enfrente o que for mais difícil escrever

“As coisas mais importantes são as mais difíceis de dizer”, King escreve. “São aquilo de que você sente vergonha porque palavras degradam seus sentimentos”. A maioria das grandes obras são precedidas de horas de reflexão. Segundo King “A escrita é o pensamento aprimorado”.

Ao abordar assuntos difíceis certifique-se de ir a fundo. King diz “Estórias são objetos encontrados, como fósseis no solo… Estórias são relíquias, partes de um desconhecido mundo pré-existente”. Escritores deveriam ser como arqueologistas que escavam por tanta história quanto podem encontrar.

6. Ao escrever desconecte-se do mundo exterior

A escrita deve ser uma atividade completamente íntima. Coloque sua mesa no canto de uma sala e elimine toda possibilidade de distração, desde telefones até janelas abertas. Stephen aconselha: “Escreva com a porta fechada; reescreva com a porta aberta”.

Você deve manter total privacidade entre você e seu trabalho. O primeiro rascunho é “completamente cru, o tipo de coisa que me sinto livre para fazer com a porta fechada – é a história nua, vestida apenas de meias e roupas íntimas”.

7. Não seja pretensioso

“Uma das coisas realmente ruins que você pode fazer ao seu trabalho é rebuscar o vocabulário, à procura de palavras longas por estar ligeiramente envergonhado de usar as curtas”, diz o autor que compara este erro ao de vestir um animal de estimação em trajes de gala – ambos o animal e o dono estarão constrangidos pelo excesso.

Um icônico empresário, David Ogilvy, escreve em um memorando para seus funcionários: “Nunca use jargões como reconceptualizar, desmassificação, atitudinalidade, criticalidade. Estes são símbolos de um idiota pretensioso”. Além disso, não use símbolos a menos que seja necessário. “Simbolismo existe para adornar e enriquecer, não para criar um senso artificial de profundidade”, escreve King.

8. Evite advérbios e parágrafos longos

Conforme King enfatiza várias vezes “os advérbios não são seus amigos”. Ele acredita que “a estrada para o inferno é pavimentada com advérbios” e os compara a dentes-de-leão que estragam seu gramado. E são ainda piores após frases com “Ele disse” e “Ela disse”– frases estas que funcionam melhor sem complemento nenhum.

Você também deve prestar atenção em seus parágrafos para que eles fluam com as reviravoltas e o ritmo de sua estória. “Parágrafos são quase sempre igualmente importantes por sua estética e pelo que dizem”. (mais…)

Como aperfeiçoar a linguagem?

0

publicado na Exame

Em pleno ano de crise, algumas pessoas abençoadas conseguirão uma grande oportunidade no mercado de trabalho. Sabem elas que atitude e nova linguagem serão necessárias. Vem, então, a conhecida reflexão: “Como aperfeiçoar minha linguagem?”

De acordo com o dicionário Aurélio, a palavra Linguagem, substantivo feminino, refere-se ao uso da palavra articulada ou escrita como meio de expressão e de comunicação entre pessoas; é também a forma de expressão pela linguagem própria de um indivíduo, grupo, classe, etc.

size_810_16_9_mulher-megafone

Como a nossa forma de expressão não apenas se refere à palavra escrita, vamos a alguns pontos:

1. VESTIMENTA
Estude muito a ideologia de sua nova empresa; espelhe-se em executivos coerentes da sua área e note como esses seres de sucesso vestem-se. É natural que – até um determinado momento da vida – não nos preocupemos com a linguagem da vestimenta. No entanto, o desleixo (para a maioria dos cargos) causará péssimas impressões.

A tríade “barba, cabelo, bigode” exige muita atenção.

2. ESCRITA CRIATIVA NAS MÍDIAS SOCIAIS
Seja como executivo em Tecnologia da Informação, seja como um estagiário, as mídias sociais têm o enorme poder de lapidar seu poder de comunicação com o cliente. Mostre-se sensato, humano, estudioso, literato, interessado em espalhar conteúdo.

Exemplo: em uma planilha, separe os dias da semana e relacione cada dia a um sentimento e/ou habilidade. Escreva sobre isso; programe suas mídias sociais; em breve, o hábito melhorará sua escrita e sua palavra terá ampla divulgação.

3. HANGOUTS, PERISCOPE, VÍDEOS
Se realmente você almeja (ou mesmo já alcançou) um bom espaço profissional, já se posicione como um executivo de sucesso: não tenha medo de câmera e procure – a cada dia mais – a postura jornalística para se comunicar com o cliente.

Você já assistiu a um vídeo seu? Como é sua dicção? O sotaque é excessivo? Não são “oito” nem “oitenta”, pois o som pode dar tons caricatos a sua imagem.

É preciso estar atento à expressão facial; tenha muito cuidado com o franzir da testa.

Veja a câmera como um ente querido; transmita paz, serenidade, segurança, energia, sabedoria ao gravar um vídeo.

4. LÍNGUA
Como sempre digo aos meus alunos: saber gramática no Brasil é garantia de “ir além”. Desvencilhar-se de vícios (orais ou escritos), muletas linguísticas, conhecer os sinais de pontuação, os casos de concordância, colocação pronominal, conjugação verbal, crase são habilidades necessárias.

E-mails elegantes, slides bem-feitos (sintéticos), letra legível escancaram portas.

Veja como escrever uma tese bem elaborada com essas 6 excelentes dicas práticas

0

Escrevendo

Publicado no Amo Direito

Quer escrever textos capazes de atrair a atenção dos professores? Conheça 6 dicas que podem te ajudar. Dentro do universo acadêmico, os estudantes precisam encontrar maneiras criativas de escrever, para atrair a atenção do professor que corrigirá o texto. O autor do trabalho deve sair do senso comum e explorar argumentos e questões de forma aprofundada.

Para aumentar o interesse do leitor, é essencial desenvolver uma tese bem elaborada, específica e complexa. Este início será a base para toda a narrativa e garantirá o sucesso ou fracasso do projeto. Confira dicas para escrever uma boa tese:

1 – Anime-se com seu tema
Quanto mais engajado você estiver, melhor será seu texto. Embora você não goste do assunto, tente encontrar uma solução para torná-lo criativo e interessante. Assim, sua atuação será mais prazerosa e a leitura do projeto final também.

2 – Desenvolva uma forte opinião
A opinião consolidada é importante para o sucesso da tese. Caso você encontre dificuldades com essa parte do processo, leia artigos de jornal específicos sobre o assunto. Além disso, procure teses prontas que tenham algum tipo de relação com a sua, para aumentar sua base argumentativa.

3 – Use bons adjetivos
Evite expressões vagas como “bom” e “ruim”. Explore adjetivos mais elaborados, a fim de enfatizar sua opinião e fortalecer os argumentos apresentados. “Opressivo” e “tirânico”, por exemplo, destacam o forte ponto de vista do escritor.

4 – Foque a tese em uma ideia principal
Como a tese é o que dá sentido a todos os conceitos do texto, você deve garantir que ela não aborde muitos conteúdos diferentes. Assim, você mantém o documento organizado e com uma linha de raciocínio relevante.

5 – Seja extremamente específico na tese
Um início genérico enfraquece o texto, porque o leitor não é capaz de detectar qual o assunto que será tratado com maior ênfase. Porém, se a tese apresentar detalhes característicos sobre os argumentos, o professor fica preparado para o resto do conteúdo. Durante o período de produção da redação, você consegue se manter focado no assunto principal.

6 – Elabore uma lista de teses interessantes
Adicione à relação os conteúdos disponíveis em livros ou na internet que podem te ajudar a criar sua própria tese. Quanto maior a quantidade de informações, o texto será desenvolvido com maior facilidade.

Aqui são alguns exemplos de teses:

• Fraca:
“O Norte e o Sul lutaram na Guerra Civil por várias razões, sendo algumas iguais e outras deferentes”.

• Média:
“Enquanto dois lados lutaram na Guerra Civil envolvendo a escravidão, o Norte encarou a disputa por questões morais e o Sul para manter as suas instituições”.

• Forte:
“Enquanto nortistas e sulistas acreditavam que lutavam contra a opressão e a tirania, os primeiros focaram no fim da escravidão e os outros defenderam o direito de governo autônomo”.

Fonte: noticias universia

10 dicas e macetes para quem quer realmente escrever textos mais interessantes

1

amo-direito-post-escrevendo

Publicado no Amo Direito

Mais do que ter um bom domínio da gramática, para escrever bem é preciso ter criatividade. No começo, é normal ter dificuldade e ficar confuso, mas existem muitas táticas que podem ser úteis para quem está se preparando para redações de vestibular ou precisa escrever artigos acadêmicos. Conheça alguns hábitos úteis para quem quer aprimorar seu texto conferindo a lista abaixo:

1- Pratique
Quanto mais você tiver contato com a escrita, mais fácil isso se torna. A ideia é tornar o ato de escrever um hábito, pois mesmo que você já tenha muito domínio das técnicas sempre existem pontos a serem melhorados.

2- Ler em voz alta
Essa técnica ajuda a desenvolver o texto, pois assim é mais fácil identificar frases arrastadas e cacófatos, evitando que os parágrafos se tornem prolixos.

3- Tenha boas referências
Ao expandir seu repertório cultural, você terá mais argumentos e entrará em contato com ideias novas, o que sempre colabora para a criatividade.

4- Leia
Um bom escritor é também um bom leitor. Esse hábito é útil não apenas para as referências, mas para entrar em contato com novos vocabulários e estilos de escrita.

5- Faça registros
Anotar suas ideias é sempre uma boa pedida, principalmente aquelas que surgem em momentos de divagação. É justamente pelo fato de o cérebro estar relaxado que pode surgir um pensamento inovador que será bem aproveitado nos seus textos futuros.

6- Se esforçar é importante
Bons textos são fruto de um trabalho apurado. Releia, edite e, se caso for necessário, reescreva seus textos: sua dedicação transparecerá no resultado final.

7- Edite corretamente
Seja preciso ao editar. Procure deixar apenas o que for fundamental e corte os excessos para deixar o texto o mais significativo possível.

8- Prepare-se antes de escrever
Quando estiver escrevendo, tente se concentrar completamente e evitar interrupções. Alongue-se, vá ao banheiro e alimente-se antes de começar.

9- Saiba desenvolver a história
Para que o leitor continue a ler seu texto, ele precisa ser envolvido. Trabalhe a sua habilidade de desenvolver o texto com coesão, criando uma redação com começo, meio e fim.

10- Saiba quando fugir das regras
O processo criativo varia de pessoa para pessoa. Conheça seus limites e saiba o que funciona para você, mesmo que sejam hábitos incomuns. Crie seu próprio método!

Fonte: noticias universia

Confira 5 ótimos hábitos diários que ajudam qualquer pessoa a escrever bem melhor

1

amo-direito-post-ESCREVENDO

Publicado no Amo Direito

“O escritor é um homem que, mais do que qualquer outro, tem dificuldade para escrever”, disse o alemão Thomas Mann, vencedor do prêmio Nobel de literatura de 1929.

A frase é um alento para aqueles que sofrem diante da página em branco. As palavras, afinal, exigem suor e empenho até dos artistas mais brilhantes.

Apesar disso, fatores como a influência da tecnologia têm trazido prejuízos adicionais para a escrita do cotidiano, afirma Diogo Arrais, professor de português no Damásio Educacional.

“Com a rapidez trazida pela internet, a maioria dos profissionais precisa se comunicar de uma forma praticamente imediata no trabalho”, diz ele.

Com a pressa, sobram mensagens ambíguas e mal construídas – que, por sua vez, podem levar a erros operacionais, conflitos com colegas e até prejuízos financeiros para a empresa.

A influência da comunicação oral e a falta de familiaridade com a escrita também fazem com que muitos textos corporativos sejam infestados de problemas estruturais, diz Rosângela Cremaschi, professora de comunicação escrita na Faap.

“Ambiguidades, redundâncias, clichês, jargões, erros de sintaxe, pontuação incorreta e excesso de estrangeirismos são extremamente comuns”, afirma ela.

A boa notícia é que todas essas “pragas” têm remédio. Veja a seguir cinco hábitos sugeridos pelos professores para melhorar a sua redação:

1. Adote um livro de cabeceira
Você certamente já ouviu que, para escrever bem, é preciso ler muito. Arrais corrobora o conselho e diz mais: escolha um livro do seu interesse e não passe um dia sem abri-lo, nem que seja para ler poucas páginas.

O ideal é priorizar obras de ficção. “Além de trazer repertório gramatical e vocabular, a literatura apresenta analogias e metáforas, o que ajuda a escrever melhor sobre qualquer assunto”, diz o professor do Damásio.

2. Use qualquer pretexto para escrever
Se você prestar atenção, verá que o cotidiano abre espaço para pequenas redações o tempo todo. “Escreva e-mails, recados, bilhetes, lembretes, cartas e até poemas”, sugere Rosângela. O importante é usar todas as oportunidades possíveis para treinar a escrita.

Arrais vai além e propõe alimentar um blog ou até um perfil nas redes sociais com textos mais “autorais”. Nesse exercício, diz o professor, a prioridade não é tanto o conteúdo dos artigos, mas sim a atenção que você dedicará à sua forma.

3. Pense no leitor (e peça feedback)
Na pressa do dia a dia, é comum apertar o botão “enviar” do e-mail sem revisar nada. Nada pode ser mais nocivo para a qualidade da comunicação, dizem os professores.

Se você quer aperfeiçoar a sua redação, é importante investir alguns segundos para reler o que você escreveu. Falta alguma informação? A mensagem está realmente clara? Segundo Arrais, é fundamental se imaginar no lugar do leitor ou até pedir comentários e críticas sobre o seu texto a colegas, familiares e amigos.

4. Desabilite o corretor ortográfico
Rosângela diz que não são poucos os profissionais que ficam “reféns” de corretores automáticos. “O problema é que esse tipo de instrumento é incapaz de compreender nossas ideias e nosso estilo de escrita”, afirma a professora da Faap. Em vez de ajudar, a tecnologia acaba confundindo e gerando insegurança.

Para ganhar confiança e independência, a dica é substituir a ferramenta por bons materiais de consulta, como um dicionário atualizado pelo novo acordo ortográfico e uma gramática confiável.

5. Investigue o que você (ainda) não sabe
Ao se deparar com uma dúvida de português, você costuma mudar a frase para evitar a construção que está causando insegurança? Esse tipo de “fuga” é muito frequente, mas desperdiça grandes chances de aprendizado, afirma Rosângela.

Quando você questiona a escrita de alguma palavra, o uso de determinada expressão ou a construção de uma frase, essa é a hora de consultar os materiais de referência mencionados no item anterior. Segundo a professora, a pior alternativa é ignorar o problema e, assim, perpetuar a dúvida.

Fonte: Exame

Go to Top