Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged Estados Unidos

“1984”, de George Orwell, volta ao ao topo dos mais vendidos da Amazon após declaração de assessora de Donald Trump

0

37216488_303

Vendas do livro disparam no site da Amazon após Trump e sua equipe contestarem relatos da imprensa e oferecerem “fatos alternativos”. História se passa num regime totalitário de constante vigilância e manipulação.

Publicado no DW

Título original: “1984”, de Orwell, lidera lista de mais vendidos nos EUA

O romance de George Orwell 1984 voltou às listas de livros mais vendidos nos Estados Unidos nesta terça-feira (24/01), após uma série de declarações incorretas ou imprecisas terem sido feitas pelo presidente Donald Trump e membros de sua administração.

Publicado pela primeira vez em 1949, o clássico de Orwell é um conto distópico que tem lugar numa sociedade onde os fatos são distorcidos e suprimidos numa nuvem de “novilíngua”. O livro chegou ao topo da lista de mais vendidos da Amazon nesta terça-feira.

Paralelos com o livro foram feitos após Trump alegar que milhões de votos ilegais foram contados contra ele na eleição presidencial. A conexão foi reforçada neste domingo, quando Kellyanne Conway, uma assessora do presidente, falou de “fatos alternativos” para se referir às declarações do porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, de que a posse de Trump teve o maior público da história.

A declaração provocou enorme controvérsia nas redes sociais, envolvendo até mesmo o dicionário Merriam-Webster, que, após um aumento repentino da pesquisa pelo significado da palavra “fato”, ressaltou que um fato é uma informação baseada na realidade objetiva.

História escrita por Orwell se passa numa sociedade onde fatos são constantemente distorcidos

História escrita por Orwell se passa numa sociedade onde fatos são constantemente distorcidos

 

A demanda pelo livro é tão grande que a editora Penguin programou uma impressão adicional de 75 mil cópias. A revista The Hollywood Reporter também noticiou que um filme está sendo preparado pela Sony e o diretor Paul Greengrass, o que seria a terceira adaptação do livro.

Mas 1984 não é o único livro escrito há décadas a invadir as listas dos mais vendidos esta semana devido a eventos políticos. O romance escrito por Sinclair Lewis em 1935 It Can’t Happen Here (Isso não pode acontecer aqui) sobre a eleição de um presidente autoritário nos Estados Unidos, está no lugar 46 da lista dos mais vendidos desde 25 de janeiro. O romance distópico de Aldous Huxley Admirável mundo novo, publicado em 1932, ocupa a posição 71, enquanto a obra de não-ficção de Hannah Arendt Origens do totalitarismo tem apresentado um aumento nas vendas.

MD/ap/afp

Livros de Donald Trump deverão ser lançados no Brasil em 2017

0

 

“Crippled America “(“América Debilitada”, em português), o novo livro de Trump || Créditos: Getty Images

“Crippled America “(“América Debilitada”, em português), o novo livro de Trump || Créditos: Getty Images

 

Publicado no Glamurama

Pelo menos quatro livros de Donald Trump serão lançados no Brasil em 2017 pela editora Citadel, a mesma que publicou no país o mais recente best-seller do bilionário, “América Debilitada”. As obras em questão são “The Art of the Deal” (1987), “Surviving at the Top” (1990), “Think Like a Billionaire” (2004) e “How to Get Rich” (2004).

De todos, o mais famoso é “The Art of the Deal”, que vendeu mais de um milhão de cópias somente nos Estados Unidos e é apontado como uma das melhores leituras para quem quer entender como pensa o futuro presidente dos Estados Unidos.

Apesar do sucesso, o escritor americano Tony Schwartz, ghost-writer do best-seller, afirmou em julho que se arrepende da parceria com Trump e que se sente desconfortável a cada vez que recebe os royalties pelo trabalho, estimados em mais de US$ 100 mil (R$ 338,9 mil) por ano. (Por Anderson Antunes)

Ideias de universitários amazonenses são premiadas nos Estados Unidos

0
Como prêmio, os melhores alunos das Instituições de Ensino Superior (IES) receberam uma viagem à Califórnia (EUA). Foto: Divulgação

Como prêmio, os melhores alunos das Instituições de Ensino Superior (IES) receberam uma viagem à Califórnia (EUA). Foto: Divulgação

 

Do Amazonas, três estudantes foram selecionados com projetos e alcançaram as premiações máximas

Publicado no A Crítica

Imagine um “uber” do ensino onde quem precisa aprender consegue se conectar com quem pode ensinar – um monitor, um universitário ou mesmo um professor. Ou ainda um quiz educacional on line para crianças e adolescentes cuja pontuação permite descontos e benefícios em lojas parceiras. E se para ajudar a diminuir o analfabetismo houvesse um aplicativo que, de forma lúdica, oferecesse um aprendizado ilustrado e interativo de livros? Sim, estas ideias existem e foram premiadas em uma competição de empreendedorismo na Califórnia (EUA). Todas são de universitários amazonenses.

Os projetos citados ficaram em primeiro, segundo e terceiro lugares, respectivamente, em um universo de seis ideias relacionadas à Educação, que foram desenvolvidas no Vale do Silício por alunos do programa Academic Awards, do grupo DeVry. Ao todo, 29 estudantes do Brasil participaram de uma imersão, durante uma semana, em empresas como Google e Intel, além de assistirem palestras e realizarem projetos de empreendedorismo no setor educacional. Do Amazonas, três estudantes foram selecionados, cujos projetos alcançaram as premiações máximas.

“Minha ideia foi facilitar a vida de quem quer aprender e ampliar a o universo de explicações que ele pode ter”, explica o recém-graduado em psicologia, Cássio Peres Fernandes, um dos autores da ideia do ‘uber educacional’. A plataforma seria vantajosa ainda para quem precisa melhorar sua didática ou simplesmente para quem quiser contribuir com o conhecimento que possui.

Projeto baseado na sociedade colaborativa

O projeto baseia-se no conceito de sociedade colaborativa cuja participação é cada vez mais valiosa dentro de um currículo no atual mercado de trabalho. “A ideia veio da contribuição de cada um do grupo que observou como poderíamos fazer com que os alunos buscassem aprendessem mais tendo um benefício prático em troca”, afirmou Igor Cansanção Pereira, recém-formado em direito e um dos idealizadores do quiz interativo.

Experiência permitiu ampliar horizontes

Para a estudante de direito da Faculdade DeVry/ Martha Falcão, Letícia Sant’Anna Xavier, 22, a experiência permitiu ampliar horizontes e convergir ideias. “Para desenvolver nosso projeto, fomos buscar qual era o maior problema educacional do Brasil e chegamos até o analfabetismo e o analfabetismo funcional, cujas maiores causas são a dificuldade de acesso aos livros e a falta de bibliotecas nas escolas”, explicou. “Foi aí que criamos esse aplicativo que funciona como uma biblioteca interativa”, afirmou.

Premiação resultou na viagem

A viagem, ocorrida no final do mês de julho, é oferecida como prêmio aos melhores alunos das Instituições de Ensino Superior (IES) que integram o grupo DeVry e que possuem engajamento em projetos sociais de voluntariado. O primeiro e segundo lugares foram convidados a dar continuidade ao projeto por meio do Centro de Empreendedorismo e Internacionalização da DeVry Brasil (CEI), um núcleo de experimentação formado por um conjunto de células empreendedoras, geridas pelos próprios alunos das IES que compõem o grupo. O objetivo é propor ações de consultoria e empreendedorismo para empresas, organizações governamentais e não-governamentais, além de desenvolver uma mentalidade crítica e empreendedora nos alunos.

Rihanna lança programa de bolsas de até 50 mil dólares para universitários, inclusive do Brasil

0

rihanna

Publicado no Extra

Rihanna acaba de acrescentar um motivo para ser mais amada pelos fãs. A cantora pop lançou um programa de bolsas para universitários americanos e estrangeiros, inclusive do Brasil, que estudarem nos Estados Unidos. As inscrições já estão abertas e vão até o dia 10 de junho.

De acordo com o site USA Today, podem concorrer à ajuda de custo os estudantes que ingressarem em universidades americanas este ano ou em 2017 e que sejam moradores do Brasil, Cuba, Haiti, Guiana, Barbados, Jamaica ou mesmo dos Estados Unidos. Segundo a reportagem, ainda não há um número definido de bolsas, mas a meta é aceitar tantos estudantes quanto for possível. O site já adiantou, porém, que um comitê da Clara Lionel Foundation (CLF) — fundação mantida por Rihanna — vai selecionar 50 finalistas.

O apoio financeiro será de 5 mil a 50 mil dólares por ano — ou seja, de R$ 20 a R$ 200 mil, aproximadamente — e pode ser renovado por até três anos ou até o término da faculdade. O valor vai depender da necessidade do estudante.

A seleção dos bolsistas vai avaliar a performance do histórico do estudante, experiências profissionais e uma redação que terá que ser escrita pelo candidato. Para concorrer ao programa, basta acessar o site www.claralionelfoundation.org/

 

Go to Top