Posts tagged Feira

Greve dos caminhoneiros adia Feira do Livro de Brasília

0

Publicado em O Globo

RIO — A 34ª Feira Internacional do Livro de Brasília foi adiada por causa da greve dos caminhoneiros, que acontece em todo o país desde a semana passada. O anúncio foi feito na página no Facebook do evento.

A feira será realizada agora entre 8 e 17 de junho, no Shopping Pátio Brasil. Os organizadores não deram mais detalhes ainda sobre a nova programação.

Estimuladas pelos pais, crianças formam nova geração de leitores na Feira do Livro, em Poços de Caldas

1

Estimulados pelos pais, crianças formam nova geração de leitores na Feira do Livro, em Poços de Caldas (Foto: Rose Lino)

Feira acontece junto com Festival Literário Internacional de Poços de Caldas e vai até o dia 6 de maio.

Rose Lino, no G1

cada ano, a Feira Nacional do Livro atrai ainda mais crianças, que geralmente acompanhadas dos pais ou professores visitam o espaço repleto de opções de literatura para diferentes idades durante o Festival Literário Internacional de Poços de Caldas (MG), formando assim uma nova geração de leitores.

E neste domingo, de feriado prolongado, não foi diferente. A feira recebeu grande um público, em que os pais aproveitaram a folga para estimular e abrir novos horizontes de interesse para os filhos.

Leonardo de Oliveira Rubio, de 4 anos, estava procurando um livro de dinossauros, mas não hesitou ao parar no primeiro estande e descobrir a imensa variedade de livros à disposição. Ao lado dos pais, parecia fascinado com tantas possibilidades. Para a mãe, a fisioterapeuta Beatriz de Oliveira, esta é uma oportunidade também de ensinar educação financeira.

“Como moramos em Poços voltamos aqui na Feira diversas vezes em dias alternados e compramos aos poucos alguns exemplares mostrando para o Léo que podemos planejar este investimento. Além disto, achamos importante estimular a curiosidade dele por meio da leitura e das escolhas”, explica.

Laís e a mãe escolhem livros juntas durante a Feira do Livro (Foto: Rose Lino)

O espaço traz diversidade de materiais, histórias e cada vez mais livros que viram brinquedos. A dona-de-casa Taís Fernanda Fonseca, trouxe o filho Guilherme de apenas 1 ano e meio de idade. O livro que escolheram vem com história escrita, ilustrações e até um volante de carro de brinquedo. Enquanto ele se diverte, ela lê e consegue a atenção dele.

A técnica de enfermagem Elaine Helena da Silva traz a filha Laís todos os anos à feira. Ela prefere intercalar livros de leitura e outros com atividades de aprendizado semelhantes às aplicadas na escola.

“Escolhemos juntas alguns títulos e esta é a chance também de Laís aprender a manusear os livros, ensinamento que fica para a vida toda como o respeito à leitura”, comentou.

Já para o contador de histórias, escritor e desenhista Davi Daniel, que iniciou seu trabalho há exatos 13 anos, mesmo tempo em que a Feira do Livro acontece em Poços de Caldas, muitas famílias têm restringido as atividades dos filhos em casa aos aparelhos eletrônicos e quando visitam o local, os livros passam a ser a grande novidade.

“Tenho visto crianças surpresas com a beleza dos livros e das histórias, o que nos traz a esperança de que estamos formando um novo público leitor”, ressalta Davi.

A Feira do Livro segue até o dia 06 de maio, das 9h às 21h, no Complexo Cultural da Urca, em Poços de Caldas. A entrada é franca. A programação completa pode ser encontrada no site oficial do Flipoços.

Feira do Livro de Brasília chega a 34ª edição em junho no Pátio Brasil

0

Em 2017, a feira homenageou as crianças candangas
(foto: Helio Montferre/Esp. CB/D.A Press)

O evento ocorre de 1º a 10 de junho com programação gratuita

Publicado no Correio Braziliense

A Feira do Livro de Brasília está de volta. A 34ª edição do evento será realizada de 1º a 10 de junho, no shopping Pátio Brasil. O evento, que é promovido pela Câmara do Livro e pelo Instituto Latinoamerica, terá como tema “Literatura infantil: a invenção do sonho. Vamos brincar de inventar?” e contará com a presença de escritores, leitores, estudantes e professores. O tema escolhido para a edição de 2018 visa o amadurecimento da leitura desde a infância propondo contribuir com a ampliação do acesso aos livros.

A programação conta com espetáculos teatrais de grupos do Distrito Federal, shows musicais, oficinas, palestras e bate-papo com autores e escritores, que ocorrerão simultaneamente com à exposição de livros.

O III Encontro Nacional de Escritores Jovens e o III Encontro Nacional de Blogueiros Literários serão realizados durante o evento, como ocorreu na feira de 2017. Também haverá espaço para conversas sobre o mercado editorial, políticas de livro, direitos autorais, vendas pela internet, livros eletrônicos e literatura inclusiva.

‘Evito que voltem para o lixo’, diz vendedor de livros usados em Bauru

0
Círso de Jesus Novaes vende livros na Feira do Rolo de Bauru há mais de 20 anos (Foto: Ednan Gomes/G1)

Círso de Jesus Novaes vende livros na Feira do Rolo de Bauru há mais de 20 anos (Foto: Ednan Gomes/G1)

 

Há mais de 20 anos Cirso Novaes comercializa livros usados a R$ 1.
Nesta terça-feira (14) é comemorado no Brasil o Dia do Vendedor de Livros.

Publicado no G1

O dia do vendedor de livro no Brasil é comemorado nesta terça-feira (14) e para saber um pouco mais sobre essa profissão, cada vez mais rara com a existência das grandes livrarias e da possibilidade de adquirir as obras pela internet, o G1 conversou com os responsáveis pelas bancas de livros de uma das feiras mais famosas de Bauru (SP), a Feira do Rolo, que é realizada todos os domingos na área central da cidade.

Ao chegar em uma dessas bancas, o olhar passa por clássicos de Machado de Assis, uma coletânea de poetas brasileiros até chegar a uma edição rara de ‘A Muralha’, livro da escritora Dinah Silveira de Queiroz. Em meio ao vai e vem das pessoas com suas sacolas de compras, é possível folhear tranquilamente alguns livros da literatura norueguesa ou ler algo do colombiano Gabriel Garcia Márquez. Essas obras estão à disposição de quem passa pela feira.

Os livros vendidos há mais de 20 anos por Círso de Jesus Novaes dividem o espaço com peças de diversas máquinas e outros “cacarecos” em uma lona branca estirada sobre os paralelepípedos da Rua Júlio Prestes, no centro da cidade. Ele conta que começou a participar da feira como uma forma de aproveitar os materiais de reciclagem que recolhia. “Sempre trabalhei com esse tipo de material e, no meio deles, eu achava muitos livros em bom estado ou que poderiam ser arrumados. Então eu comecei a trazer eles para feira e a colocar junto com as outras coisas que eu vendia. Pelo menos assim eles não voltariam para o lixo”, conta ele que vende a R$ 1 cada um dos exemplares.

Não muito distante da lona de Círso, é possível encontrar uma mesa com os livros vendidos por Chico Carioca. Sua relação com a Feira do Rolo começou em 1997, quando começou a negociar LP’s, produtos que atualmente ainda são vendidos por ele.

Depois que passou a frequentar a feira, Carioca, como é chamado pelos amigos, começou a se interessar por livros e, em especial por biografias. “Com o tempo meu interesse pela leitura aumentou e no ano de 2000 eu comecei a vender livros aqui”, conta ele que no momento está lendo a biografia da cantora Maysa e ficou surpreendido quando soube que ela morou por um período em Bauru, quando tinha apenas 2 anos.

Desde 2000, Chico Carioca vende livros na Feira do Rolo em Bauru (Foto: Ednan Gomes/G1)

Desde 2000, Chico Carioca vende livros na Feira do Rolo em Bauru (Foto: Ednan Gomes/G1)

 

Para ele, vender livros nas manhãs de domingo na Feira do Rolo é uma forma de dar acesso à literatura para a população. Os preços oferecidos por ele variam dos R$ 5 aos R$ 30. É possível encontrar em ótimo estado de conservação, por exemplo, o livro “Fim”, escrito pela atriz Fernanda Torres, por apenas R$ 8. Em duas livrarias diferentes de Bauru o preço do mesmo livro é de R$ 37,90.

“No Brasil, principalmente por causa dos impostos os livros vendidos em livrarias são muito caros. Vender esse material a preços populares em um local muito popular é uma forma de facilitar esse acesso”, comenta. De acordo com Carioca, os produtos que ele vende, em sua maioria, são doações de pessoas que estão de mudança e não podem levar os livros.

Com o passar do tempo, muitos clientes de Carioca tornaram-se seus amigos. Eles fazem até pedidos de livros que querem, e ele dá um jeito de arrumar para satisfazer a clientela. “Eu acho que 90% dos meus clientes são fixos. Eu acho que isso acontece porque no nosso país a leitura precisa ser mais incentivada para as pessoas de todos os níveis sociais. Não se pode obrigar as crianças lerem nas escolas. É preciso incentivar. A diferença entre essas duas palavras é grande”, afirma.

Exemplar roubado da primeira edição de ‘Cem Anos de Solidão’ é recuperado

0

1512989

Publicado na Folha de S.Paulo

A polícia da Colômbia recuperou nesta sexta-feira um exemplar da primeira edição do livro “Cem Anos de Solidão” com dedicatória do autor Gabriel García Márquez que tinha sido roubado de uma vitrine da Feira Internacional do Livro de Bogotá (Filbo).

O diretor da polícia, general Rodolfo Palomino agradeceu através de sua conta no Twitter os policiais “que conseguiram recuperar o livro que tinha sido roubado”, sem dar mais detalhes.

O exemplar da primeira edição do clássico escrito pelo vencedor do Nobel de Literatura foi publicado pela editora Sudamericana em 1967 e tinha uma dedicatória do falecido “Gabo” para Álvaro Castillo, proprietário da relíquia.

“Para Álvaro Castillo, o vendedor de livros velhos, como ontem e como sempre. Seu amigo, Gabriel”, diz a dedicatória.

O roubo do livro foi constatado no sábado passado pelos organizadores da Filbo, que este ano homenageou García Márquez com um pavilhão dedicado a Macondo, o universo imaginário de suas obras, universalizado em “Cem Anos de Solidão”.

Go to Top