Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged Folia

Cinco leituras para o carnaval

0

leitura

A literatura é a grande viagem dos não carnavalescos

Raphael Montes, em O Globo

O carnaval vem aí — na verdade, ele já chegou faz algumas semanas, com muita folia pelas ruas, purpurina, glitter, fantasias e disposição para dar e vender ao enfrentar os blocos sempre abarrotados. Pessoalmente, amo o carnaval, o clima contagiante das pessoas, dá até vontade de sair pulando no meio de todo mundo e de deixar as responsabilidades um pouco de lado.

Acho curioso como tem muita gente que não gosta. No último final de semana, estive com alguns amigos e perguntei o que eles estavam programando para os dias de festa e a resposta foi: ler e relaxar. Sem dúvida, para os que não gostam, o feriado é um ótimo motivo para viajar e ficar longe de toda a muvuca que se cria nas ruas; um bom momento também para ser introspectivo e se preparar para o ano que finalmente vai se iniciar. E nada melhor que uma boa leitura para os dias de descanso — a literatura é a grande viagem dos não carnavalescos. O bloco está nas páginas. Então, aqui vão algumas recomendações de lançamentos recentes que tive a oportunidade de devorar.

No início do ano, terminei de ler o festejado “Enclausurado” (ed. Companhia das Letras), de Ian McEwan, escritor inglês conhecido por obras-primas como “Reparação”, “Amor sem fim” e “Na praia”. A meu ver, Ian McEwan é um autor que une com perfeição a trama bem arquitetada a um texto de qualidade, une entretenimento ao erudito, como defendo com frequência nas minhas colunas neste jornal. Claramente inspirado em Hamlet, “Enclausurado” oferece um narrador inusitado: um feto dentro da barriga de sua mãe que descobre que a genitora planeja matar o ex-marido com a ajuda do amante. É um livro para ser lido no sábado de carnaval, deliciando-se com as viradas da história e as reflexões propostas por um feto irônico e um tanto ácido.

Outra ótima opção para o feriado inteiro é “Casos de família” (ed. Darkside Books), livraço de Ilana Casoy, em edição de luxo com capa dura ilustrando uma espécie de caderno antigo. Isto porque, neste livro, a criminóloga destrincha dois crimes que chocaram o país — os assassinatos do casal Richthofen e o de Isabella Nardoni —, informa bastidores das investigações e, pela primeira vez, revela seus cadernos de anotações utilizados durante a pesquisa na Polícia Civil. Sou fã de Ilana Casoy desde seus primeiros livros, sobre serial killers do mundo e serial killers brasileiros, e é um privilégio ler o trabalho acurado de uma boa profissional. Um prato cheio para quem gosta do mundo investigativo.

Se a ideia for uma leitura mais complexa e aventureira, vale conferir “As primeiras quinze vidas de Harry August” (editora Bertrand Brasil), de Claire North. A meu ver, a maior qualidade deste livro é usar um tema clássico (viagem no tempo) com uma premissa inovadora: Harry é uma pessoa com um dom incomum — toda vez que morre, ele retorna para o início da vida (renasce), mas mantém todas as lembranças e conhecimentos das vidas anteriores. Até compreendermos toda a mitologia criada pela autora, passeamos por diferentes períodos do século XX e culturas de países de todo o mundo, da Inglaterra à Rússia. Um livro perfeito para transitar entre épocas e países, com boas reviravoltas e alguns momentos de tensão.

Outra leitura que superou minhas expectativas foi “Nimona” (ed. Intrínseca), de Noelle Stevenson. Publicada de forma independente na internet, a história ganhou o carinho do público e conquistou uma editora. Confesso que não sou o maior entendedor de histórias em quadrinhos, mas os traços coloridos chamaram minha atenção e comecei a ler despretensiosamente. Quando percebi, estava dando gargalhadas, como quando assistimos a um bom desenho animado. Nimona é uma metamorfa — um ser que pode se transformar em qualquer tipo de animal — e se alia a Lorde Ballister Coração-Negro, o maior vilão que já existiu, mas com um bom coração, para realizar um plano de vingança. Com uma trama bem original, Nimona te fará rir e refletir, com boas doses de ação.

Por fim, e como não poderia deixar de ser, indico um romance policial que comecei a ler esta semana — “O canto dos segredos” (ed. Rocco), da irlandesa Tana French. Tive o privilégio de conhecê-la em Nova York e conversamos muito sobre o gênero. A autora segue o velho e bom estilo whodunit, uma espécie de Agatha Christie moderna, com um interesse maior na profundidade psicológica dos personagens e com uma escrita cirúrgica. Desta mesma autora, li os ótimos “No bosque da memória” e “O passado é um lugar”. Em “O canto dos segredos”, o detetive Stephen Moran é chamado a desencavar o caso de um jovem assassinado em um prestigioso colégio feminino. Entre um bloco carnavalesco e outro, voltarei a tentar desvendar este mistério. Boa folia (e boas leituras) a todos!

Escritor Rubem Braga será homenageado no Carnaval de 2013

0

Escritor Rubem Braga será homenageado no Carnaval de 2013 Dulce Helfer/Agencia RBS

O Brasil comemora o centenário do cronista, que nasceu em 1913

Publicado no Zero Hora

2013 será o ano para lembrar o centenário do mestre da crônica brasileira, o escritor Rubem Braga (1913 – 1990).  A cidade capixaba de Cachoeiro do Itapemirim, onde Rubem nasceu, começou a celebrar a data já em 2011, realizando a Bienal Rubem Braga, em maio.

No Carnaval, uma escola de samba da cidade, a Unidos de Jucutuquara, programou um desfile em homenagem ao escritor. Com 22 alas, cinco carros, um tripé e aproximadamente 1,5 mil componentes, a escola vai levar para a avenida os temas preferidos de Rubem Braga, como infância, mar, mulheres, amigos, saudade, esperança, solidão e até mesmo a morte. O  título do samba-enredo é “A centenária noite do sabiá da crônica: entre pássaros, palavras, chiquitas e baianas”.

No Rio, cidade onde o escritor morou a maior parte da vida, Rubem Braga também será lembrado nos dias de folia. O bloco carioca Banda de Ipanema homenageia em 2013  o arquiteto Oscar Niemeyer, além dos centenários de Vinicius de Moraes, Jamelão, Rubem Braga, Paulo Tapajós, Wilson Batista e Ciro Monteiro.

Foto: Dulce Helfer / Agencia RBS

Go to Top