Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged Frida Kahlo

Concurso Cultural Literário (174)

13

1428-20161108164850

Frida Kahlo

Para que preciso de pés quando tenho asas para voar?

Jean-Luc Cornette (autoria), Flore Balthazar (ilustração), Fernando Scheibe (tradução)

1937, México.

Frida Kahlo, artista genial e mulher livre, recebe em sua casa Leon Trotsky, um dos líderes da revolução russa, forçado ao exílio após a ascensão ao poder de seu adversário Stalin. Até 1940, o político, a bela mexicana e seu marido, o grande pintor Diego Rivera, viverão uma aventura extraordinária, entre paixão e fúria, arte e política, risos e lágrimas. Três destinos que se cruzam para contar quatro anos de uma história que marcou profundamente o século XX.

***

Em parceria com a Nemo, vamos sortear 2 exemplares de Frida Kahlo, lançamento da Nemo.

Para concorrer, responda: qual é a importância da arte na sua vida?

Não esqueça de deixar seu e-mail se responder via Facebook.

Para ficar sempre por dentro das novidades e promoções, sugerimos que curta as páginas dos envolvidos neste concurso cultural:

O resultado será divulgado dia 7/3 neste post.

Boa sorte. 🙂

 

ATENÇÃO PARA OS GANHADORES: Nadja Nayra e Paulo Henrique. Parabéns! Entraremos em contato via e-mail! 🙂

 

 

3 livros imperdíveis sobre Frida Kahlo

0
Fonte: Shutterstock

Fonte: Shutterstock

Conheça mais sobre a pintora mexicana por meio dos livros a seguir

Publicado no Universia Brasil

Frida Kahlo: Conexões entre mulheres surrealistas no México está em cartaz no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo, até o dia 10 de janeiro de 2016. A artista mexicana pintou 143 obras ao longo da vida e, segundo a curadora da exposição Teresa Arqc, foi uma das artistas latinas mais conhecida do século XX e que representou um avanço na história da arte.

Por sua grande importância, tornou-se ícone para algumas publicações que homenageiam sua história. Para que você entenda mais sobre a vida da artista e aumente sua bagagem cultural, a Universia Brasil selecionou 3 livros sobre Frida Kahlo. Confira:

1 – Frida: A Biografia, de Hayden Herrera

A obra tem como objetivo passar ao leitor algumas informações sobre a vida da pintora. Além disso, pode-se encontrar interpretações e descrições dos quadros pintados por Frida, as quais fazem com que as pessoas entendam melhor o modo artístico dela.

2 – Frida Kahlo – Col. Grandes Mestres

Com uma linguagem simples, própria para estudantes do Ensino Fundamental, a obra conta a história da pintora e traz detalhes sobre os trabalhos que produziu ao longo da vida. O leitor poderá conhecer mais das lutas da mexicana, da sua vida pessoal, bem como sua vida artística.

3 – Frida Kahlo, de Rauda Jamis

Essa biografia da artista é uma obra romanceada no qual o leitor entra em contato com a vida de Frida Kahlo e seus traços artísticos. Além disso, a autora também aborda o contexto do México na época, já que as obras da artista estão completamente relacionadas a ele.

Sucesso entre leitores adultos, biografias de personalidades históricas invadem as prateleiras infantis

0
Piloto brasileiro Ayrton Senna ganhou biografia juvenil. Crédito: Editora Memo/Divulgação

Piloto brasileiro Ayrton Senna ganhou biografia juvenil. Crédito: Editora Memo/Divulgação

As figuras retratadas vão de líderes políticos como Martin Luther King e Nelson Mandela até pintores como Frida Kahlo e Van Gogh

Fellipe Torres, no Diário de Pernambuco

Mais de 35 milhões de pessoas no país consomem obras de memórias e biografias, o equivalente a 40% do universo de leitores (88,2 milhões). A constatação faz parte da pesquisa Retratos da leitura no Brasil, feita a cada quatro anos pelo Ibope Inteligência para o Instituto Pró-Livro. Somado a isso, recentemente o gênero literário passou a ganhar força também junto à parcela do público com idade entre 5 a 17 anos, principalmente pela aposta do mercado editorial em livros biográficos com linguagem acessível e programação visual adaptada para crianças e jovens.

As personalidades retratadas são as mais diversas, desde líderes políticos como Martin Luther King e Nelson Mandela até pintores como Frida Kahlo e Van Gogh, que cometeu suicídio aos 37 anos. Entre os brasileiros, há obras sobre o piloto Ayrton Senna, a cantora Carmen Miranda, o ativista Chico Mendes, o inventor Santos Dumont, os cangaceiros Lampião e Maria Bonita. O grande trunfo das histórias é encontrar um meio-termo entre livro didático e o entretenimento. Assim, transmitem fatos históricos e ao mesmo tempo são interessantes para o público jovem.

Enquanto outros países têm tradição em publicações dessa espécie, só recentemente as obras passaram a chegar às prateleiras brasileiras, tanto por causa da tradução de títulos estrangeiros quanto da edição de autores nacionais. Uma grande aposta no nicho é a coleção Filosofinhos, da Tomo Editorial, cujos títulos explicam de maneira lúdica as ideias de vários filósofos e pensadores. Coordenados pela filósofa Maria de Nazareth Agra Hassen, os oito volumes publicados retratam as personalidades como se fossem crianças. Já foram retratados René Descartes, Sigmund Freud, Sócrates, Sartre e Simone de Beauvoir, Platão, Karl Marx, Immanuel Kant e Jean-Jacques Rousseau.

A mais recente biografia infantil publicada dá conta da trajetória de duas crianças paquistanesas: Malala, vencedora do Nobel da Paz 2014, e Iqbal, um menino conhecido por sua luta em protesto contra o trabalho forçado. Ele foi escravizado em uma fábrica de tapetes quando tinha apenas 4 anos, ao ponto de tecer as peças acorrentado. Já Malala se tornou popular em todo o mundo por combater os talibãs e a decisão de proibir meninas paquistanesas de frequentar escolas.

Restauração revela registros íntimos de Frida Kahlo

0

Denise Mota, na Folha de S.Paulo

O início de 2014 deve ser marcado no México pela aparição, em versão restaurada, de 369 imagens do acervo pessoal de Frida Kahlo (1907-1954), com a artista de Coyoacán e seu marido, Diego Rivera (1886-1957) -figuras centrais da arte mexicana no século 20-, diante e por trás das câmeras.

Trata-se de uma seleção entre as 6.500 fotografias guardadas na Casa Azul, residência da artista, na Cidade do México, transformada em museu quatro anos após sua morte.

Os registros, que devem estar recuperados para exposição a partir de janeiro, abarcam 70 anos de momentos e pessoas relacionados à trajetória de Kahlo, como um retrato de seu pai, Guillermo.

Além dos mexicanos, entre os autores das imagens em restauração estão nomes como Henri Cartier-Bresson, Man Ray, Sergei Eisenstein, Tina Modotti e Edward Weston, além de Lola e Manuel Álvarez Bravo.

Frente à objetiva, aparecem, por exemplo, os artistas David Alfaro Siqueiros, André Breton e José Clemente Orozco, e o revolucionário comunista Leon Trótski.

Há também vislumbres de momentos do cotidiano, registros de viagens, detalhes de objetos que foram alvo do interesse da pintora.

Registros íntimos de Frida Kahlo

Frida fotografada pelo seu pai, Guillermo, em 16 de outubro de 1932 (Divulgação)

Frida fotografada pelo seu pai, Guillermo, em 16 de outubro de 1932 (Divulgação)

Frida Kahlo no Detroit Institute of Arts (EUA), com mural de Diego Rivera ao fundo, em 1932 ou 1933 (Divulgação)

Frida Kahlo no Detroit Institute of Arts (EUA), com mural de Diego Rivera ao fundo, em 1932 ou 1933 (Divulgação)

Diego Rivera e Frida visitam local onde o botânico Luther Bubanks foi enterrado, nos EUA (Divulgação)

Diego Rivera e Frida visitam local onde o botânico Luther Bubanks foi enterrado, nos EUA (Reprodução)

Frida Kahlo entre os pais, Guillermo e Matilde (Divulgação)

Frida Kahlo entre os pais, Guillermo e Matilde (Divulgação)

Retrato Guillermo Kahlo, pai de Frida (Divulgação)

Retrato Guillermo Kahlo, pai de Frida (Reprodução)

E instantâneos de pura intimidade: em imagem do fotógrafo húngaro Nickolas Muray (amante da artista entre 1931 e 1941), Frida se mostra deitada na cama, de bruços, com a cintura descoberta e um olhar enigmático.

A foto foi feita em Nova York, em 1946, onde ela estava para se submeter a uma entre as várias cirurgias que realizaria ao longo da vida.

ACERVO PESSOAL

As imagens -registradas entre 1880 e 1950- são parte de um acervo de documentos pessoais (entre mapas, desenhos, recortes de jornais, cartões-postais, cartas) de propriedade do casal Kahlo-Rivera e que começaram a ser catalogados em 2005.

Em 2010, a análise do conjunto de imagens guardadas revelou um contingente de 65% de registros com necessidades de restauração.

As que começaram a ser recuperadas agora são as 369 que estão em pior estado. Após a conclusão do projeto, as fotos serão tema de exposição e livro.

“Cada foto representa uma peça de um grande quebra-cabeças da complexa vida de Frida. Permitem entender muitos aspectos de sua personalidade, sua visão política, social e sexual, sua doença, sua frustração por não poder ter um filho, sua intensa vida social e, claro, sua relação com Diego [Rivera]”, disse a diretora da Casa Azul, Hilda Trujillo à publicação “The Art Newspaper”.

O processo de recuperação das fotos, que deve durar aproximadamente seis meses, está sendo custeado pelo Bank of America Merrill Lynch, por meio do seu Projeto de Conservação de Arte. A iniciativa incluiu a América Latina a partir de 2012 e, neste ano, contempla 16 países e 24 propostas, incluindo o Museu de Arte Moderna de São Paulo (leia texto ao lado).

No ano de lançamento do programa, em 2010, o Bank of America informou que “pelo menos US$ 1 milhão” seriam destinados anualmente à totalidade dos projetos escolhidos.

Neste ano, tanto as instituições quanto o banco não informaram os valores que foram cedidos.

Go to Top