Projeto de Ann Cotton já beneficiou mais de três milhões de meninas em escolas de áreas pobres de países africanos

Ann Cotton com crianças na Tanzânia (foto: Divulgação)

Ann Cotton com crianças na Tanzânia (foto: Divulgação)

Ludmilla de Lima, em O Globo

A fundadora e presidente da organização internacional Camfed (Campanha para a Educação Feminina), Ann Cotton, foi premiada ontem em Doha, no Qatar, com o 2014 WISE Prize, espécie de Nobel da educação oferecido pela Fundação Qatar. O programa criado pela britânica em 1993 promove com a educação de meninas em áreas pobres de países africanos. Até agora, a iniciativa beneficiou mais de três milhões de crianças e jovens de Zimbábue, Zâmbia, Gana, Tanzânia e Malaui por meio de uma rede de 5.085 escolas, em 115 regiões rurais desses países.

Ann Cotton abraçou a causa após uma uma viagem ao Zimbábue em 1991. O objetivo dela ao visitar o país era pesquisar as causas do baixo número de meninas nos bancos escolares. Ela descobriu que a pobreza, mais do que questões culturais, era a principal barreira por trás do fenômeno. Ao criar a Camfed, em 1993, ela passou a trabalhar em conjunto com as comunidades. Além de desenvolver novas lideranças femininas na África Subsaariana, a organização tem como desafios quebrar o ciclo de pobreza, reduzir o casamento infantil e combater as altas taxas de natalidade e também de HIV/Aids entre as jovens.

O prêmio foi entregue pela sheika Moza bint Nasser, presidente da Fundação Qatar, durante a cerimônia de abertura do Wise, conferência internacional sobre educação e inovação que vai até amanhã, em Doha. Em seu discurso, ela destacou três valores do projeto de Ann Cotton: inovação, sustentabilidade e consciência das dimensões da educação.

— Nós consideramos a premiada um exemplo de como a educação tem o poder de mudar as sociedades. Ela é uma mulher que reconhece, assim como nós, que a solução para todos os problemas está na educação. Ela trabalha para fazer da educação a primeira prioridade para o desenvolvimento de outros setores — declarou a sheika.

Ann Cotton afirmou que a organização ajuda a transformar em realidade o desejo universal das familias de ver seus filhos na escola.

— Recebo este prêmio em nome das milhões de meninas atendidas. A Camfed está empenhada em apoiar, através da educação secundária, nos próximos cinco anos, um milhão de meninas cuja autoconfiança foi roubada pela pobreza. São meninas que ainda não sabem a transformação incrível que as espera – disse a fundadora da ONG, acrescentando. – Imaginem essas meninas trabalhando no sistema de saúde e educação, atuando na política, no jornalismo, no direito, na engenharia, na ciência. Imaginem o poder que elas podem adquirir para transformar o mundo.

A premiada com o WISE nasceu em 1950 em Cardiff, capital do País de Gales. Antes de criar a ONG, ela estabeleceu em Londres um centro voltado para meninas excluídas do sistema de ensino. Como prêmio, Cotton receberá US$ 500 mil.

Cerca de 1.800 pessoas de todo o mundo participam da conferência organizada pela Fundação Qatar. Durante os três dias de evento, pesquisadores e profissionais da área trocarão experiências. Seis projetos inovadores também serão premiados. O encontro, que está na sua sexta edição, tem como tema este ano a criatividade.