Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged Fuvest

Inscrição para Fuvest 2016 começa nesta sexta-feira

0

2a-Via-Boleto-Fuvest-2

Vestibular selecionará 9.568 candidatos para Universidade de São Paulo.
Processo ainda vai ser usado para curso de medicina da Santa Casa.

Publicado no G1

As inscrições para o vestibular Fuvest 2016 da Universidade de São Paulo (USP) começam nesta sexta-feira (21). O período de inscrição se encerra em 9 de setembro. O cadastro deve ser feito pelo site www.fuvest.com.br. As provas ocorrem em 29 de novembro (1ª fase) e de 10 a 12 de janeiro de 2016 (2ª fase).

O processo vai selecionar 9.568 candidatos para a USP e 120 para o curso de medicina da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. No ano passado, a Fuvest recebeu 141.888 inscrições.

Nesta edição, há menos vagas em disputa na Fuvest porque a USP decidiu, em junho, que 13,5% das vagas de graduação serão disputadas pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do Ministério da Educação. Serão oferecidas 1.489 pelo sistema do MEC que utiliza as notas do Enem 2015 – o exame será em 24 e 25 de outubro.

A USP oferece 249 cursos de graduação distribuídos em oito campi no estado de São Paulo nas cidades de Bauru, Lorena, Piracicaba, Pirassununga, Ribeirão Preto, Santos, São Carlos e São Paulo.

Passo a passo do cadastro
A inscrição começou às 9h desta sexta. A taxa de R$ 145 deve ser paga em bancos ou pela internet até 10 de setembro.

De acordo com a Fuvest, o candidato deverá usar no processo o seu próprio número do Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) e o número do seu documento de identidade.

Ao completar a inscrição e pagar a taxa de inscrição no prazo, o aluno receberá um número de inscrição que permitirá consultar no site o local onde realizará as provas.

Onde serão as provas
As provas da primeira fase serão realizadas em 32 municípios do estado de São Paulo. Na região metropolitana haverá exames em Barueri (com Santana do Parnaíba), Carapicuíba, Diadema, Guarulhos, Mogi das Cruzes, Osasco, Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Taboão da Serra e São Paulo.

No interior do estado, a Fuvest aplicará provas em Barretos, Bauru, Campinas, Fernandópolis, Franca, Jaú, Jundiaí, Limeira, Lorena, Marília, Mogi Mirim, Piracicaba, Pirassununga, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Santos, São Carlos, São José do Rio Preto, São José dos Campos, Sorocaba e Taubaté.

Na segunda fase, os candidatos convocados que se inscreveram em Barretos farão as provas em Ribeirão Preto; os de Fernandópolis deverão se deslocar até São José do Rio Preto e os de Jaú e Marília serão realocados para Bauru.

Pontuação extra para alunos de escola pública
Alunos que fizeram o ensino médio em escola pública podem optar por aderir ao “Sistema de Pontuação Acrescida”. Com isso, receberão um bônus na nota da 1ª fase e na Nota Final de Classificação. É preciso ter cursado integralmente o ensino médio em escola pública brasileira (municipal, estadual ou federal), em cursos regulares ou na modalidade de Educação de Jovens e Adultos (EJA), incluindo os cursos supletivos.

Provas
A primeira fase será realizada no dia 29 de novembro, domingo, com início às 13h. A duração será de cinco horas. A prova terá 90 questões sobre português, história, geografia, matemática, física, química, biologia e inglês.

Na segunda fase, os candidatos fazem três provas discursivas. Todas as provas terão quatro horas de duração:

– 10/01/2016 (domingo): dez questões de português e redação

– 11/01/2016 (segunda-feira): 16 questões de história, geografia, matemática, física, química, biologia e inglês.

– 12/01/2016 (terça-feira): 12 questões com disciplinas de acordo com a área da carreira escolhida.

Chamada dos classificados
A primeira chamada será divulgada em 2 de fevereiro de 2016 no site www.fuvest.br.

Cresce o número de calouros da USP oriundos de escolas públicas

0

Número de ingressantes vindos da rede pública cresceu de 32% para 35%.
Índice de pretos, pardos e indígenas matriculados também aumentou.

ag_2690

Publicado em G1

A Universidade de São Paulo anunciou, nesta quarta-feira (22), que o número de ingressantes oriundos de escolas públicas na USP cresceu 8% em relação a 2014, passando de 32,3% para 35,1%. Segundo a USP, o número representa um recorde desde a criação do Programa de Inclusão Social (Inclusp) – criado em 2006 para incentivar o ingresso de alunos de escola pública na universidade por meio de bônus nas notas do vestibular da Fuvest.

Ao todo foram 3.847 calouros vindos da rede púbilca, do total de 10.955 novos alunos matriculados este ano.

Ainda segundo o relatório, o número de calouros que se autodeclararam pretos, pardos e indígenas aumentou, de 17,2% em 2014 para 18,8% em 2015.

Desses, 32% vieram de escola pública e utilizaram o bônus do programa.

A maior porcentagem dos matriculados declarou ter renda familiar de três a cinco salários mínimos — 19,6% dos alunos matriculados em 2015 (em 2008, essa porcentagem era de 15,7%).

Para a renda familiar de até sete salários mínimos, o índice chega a 56,7%. Em 2008, esse índice era de 41,5%.

Tipos de bônus
No ano passado a USP mudou o sistema de bonificação no vestibular para dar mais oportunidades a alunos de escolas públicas.

Pelo Inclusp, quem cursou o ensino médio em escola pública tem direito a 12% de bônus. Quem cursou tanto o ensino fundamental quanto o ensino médio na rede pública tem direito a 15% sobre a pontuação na prova.

Os candidatos que participam também do Programa de Avaliação Seriada (Pasusp) – que cursaram o ensino fundamental na rede pública e ainda estejam cursando o 2º ou 3º ano do ensino médio em escola pública – têm direito a 20% de bônus.

Já os candidatos pretos, pardos e indígenas que cursaram ensino fundamental e médio em escola pública recebem ainda 5% de bônus adicional (neste caso, o bônus pode chegar a um teto de 25%).

Outra mudança foi que a nota de corte deveria ser calculada depois do acréscimo do bônus, o que poderia fazer com que ela aumentasse de um a dois pontos.

Campeão do ‘Soletrando’ passa em direito na USP e reencontra professor

1

Dener Luiz Silva, vencedor em 2010, conversou com Sérgio Nogueira.
Estudante de 17 anos também passou em medicina, mas quer ser juiz.

Dener Luiz Silva está com 17 anos; ele foi campeão do Soletando, do Caldeirão do Huck, em 2010, que teve o professor Sérgio Nogueira na equipe de jurados (Foto: Marcelo Brandt/G1)

Dener Luiz Silva está com 17 anos; ele foi campeão do Soletando, do Caldeirão do Huck, em 2010, que teve o professor Sérgio Nogueira na equipe de jurados (Foto: Marcelo Brandt/G1)

Ana Carolina Moreno e Paulo Guilherme, no G1

Dener Luiz Silva, campeão da edição de 2010 do ‘Soletrando’, o quadro do programa Caldeirão do Huck no qual alunos tinham de pronunciar letra por letra palavras de vocabulário pouco comum, vai estudar direito na Universidade de São Paulo (USP). O jovem de 17 anos passou em 10º lugar no concorrido curso do vestibular da Fuvest.

O G1 promoveu o reencontro do estudante com o professor Sérgio Nogueira, que fez parte da equipe de jurados do programa, na tarde de sexta-feira (6). “Parabéns, estamos muito orgulhoso de você”, disse Nogueira ao jovem, cinco anos depois da conquista de Dener.

Na conversa entre os dois, o professor destacou a capacidade de Dener lidar com a pressão e a habilidade com o vocabulário. “A memória visual e o vocabulário se adquire com muita leitura”, afirmou o professor. “Leio desde os quatro anos e sei que não basta decorar a palavra, tem de estudar a sua etmologia”, completou o estudante.

Dener também foi aprovado em medicina na Universidade Estadual Paulista (Unesp), na Universidade Federal Paulista (Unifesp), e na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Mas em vez de ser médico, optou pela carreira jurídica. “O direito é um sonho meu desde antes do ‘Soletrando'”, disse Dener, ansioso pelo início das aulas na Faculdade de Direito do Largo São Francisco. O sonho dele é ser juiz.

Dicas do campeão

Se pudesse soletrar uma palavra do dicionário que resume o segredo das suas conquistas, Dener ficaria com D-E-T-E-R-M-I-N-A-Ç-Ã-O.

“O programa me ensinou a buscar ir além do que a gente aprende na escola, a ler dicionários, a estudar. Eu pesquisava muito em casa, lia muitos livros e procurava sempre estar atento aos grandes assuntos”.

Dener diz que o segredo do sucesso no vestibular é a qualidade, e não a quantidade de estudo. “Tinha aula em período integral e depois estudava mais três horas em casa. Revisava tudo o que aprendi durante todo o ensino médio. E ainda treinava muito a redação, porque isso é um grande diferencial nos vestibulares.”

Calma e concentração
Dener venceu a final do ‘Soletrando’ pronunciando corretamente a palavra iâmbico, que significa “pessoa irônica, satírica”. A concorrente dele colocou um “h” antes da palavra e foi eliminada. “Eu decorei todas as palavras iniciadas com ‘h’ do dicionário, e vi que iâmbico não estava entre elas, então só poderia ser com ‘i'”, revelou o campeão.

Depois da vitória, Dener curtiu a fama de campeão. Deu entrevista no Programa do Jô (veja aqui) e ganhou uma bolsa de estudos oferecida pelo Colégio Unidade Jardim, de Santo André (SP), onde mora com a família.

O filho de um metalúrgico e uma dona de casa não parou por aí. Além de usar seu conhecimento para passar nos vestibulares, Dener desenvolveu com um amigo e a namorada um projeto social para ensinar alunos carentes a passar nos vestibulinhos de escolas públicas e particulares. “Conseguimos ensinar 60 adolescentes este ano”, comemorou.

Fuvest libera lista de livros obrigatórios em 2016

1
Os aprovados no vestibular 2015 da USP serão divulgados no dia 31 / Divulgação

Os aprovados no vestibular 2015 da USP serão divulgados no dia 31 / Divulgação

Unicamp também divulgou os novos livros que pedirá na prova, já que não dividirá mais a lista da USP

Publicado no Diário de S.Paulo

A Fuvest divulgou nesta quinta-feira (22) a lista de livros obrigatórios para o vestibular 2016 da Universidade de São Paulo (USP).

O Conselho de Graduação (CoG) da USP se reuniu no último dia 20 e decidiram manter a lista de livros obrigatórios nos últimos dois vetibulares.
São nove obras:
– Viagens na minha terra, Almeida Garrett
– Tim, José de Alencar
– Memórias de um sargento de milícias, Manuel Antônio de Almeida
– Memórias póstumas de Brás Cubas, Machado de Assis
– O cortiço, Aluísio Azevedo
– A cidade e as serras, Eça de Queirós
– Vidas secas, Graciliano Ramos
– Capitão da areia, Jorge Amado
-Sentimento do mundo, Carlos Drummond de Andrade

Para quem ainda está esperando o resultado da segunda fase do vestibular 2015, basta esperar até o dia 31, quando a lista da primeira chamada será divulgada.

Unicamp/ Até o vestibular 2015, a USP e a Unicamp utilizavam a mesma lista para elaborar as provas. A lista do vestibular 2016 conta com 12 obras, sendo seis delas mantidas da lista antiga.

A cada ano, a organização promete divulgar a lista exclusiva de livros que serão exigidos na prova, que contará com diversos gêneros literários e extensões. As obras poderão ter textos grandes ou curtos, como contos, e também poderá variar entre coletâneas de poemas e romances.

Contos:
– “Amor”, do livro Laços de Família, Clarice Lispector
– “A hora e a vez de Augusto Matraga”, do livro Sagarana, Guimarães Rosa
– “Negrinha”, do livro Negrinha, Monteiro Lobato.

Poesia:
– Sentimento do mundo, Carlos Drummond de Andrade
– Sonetos, Luís de Camões

Romance:
– Viagens na minha terra, Almeida Garrett
– O cortiço, Aluísio Azevedo
– Til, José de Alencar
– Memórias Póstumas de Brás Cubas, Machado de Assis
– Terra Sonâmbula, Mia Couto

Teatro:
– Lisbela e o prisioneiro, Osman Lins

Primeiro dia da 2ª fase da Fuvest 2015 foi exigente, segundo professores

0

Primeiro dia da 2ª fase da Fuvest 2015 foi exigente, segundo professores

Tema da redação foi considerado bom e contemporâneo

Carolina Vellei, no Guia do Estudante

Neste domingo (4), os candidatos selecionados para a segunda fase do vestibular da Fuvest 2015 fizeram provas de português e redação. Para os professores, a Fuvest manteve o nível exigente de outras edições e mostrou que candidato deveria ter profundo conhecimento das obras literárias da lista de leituras obrigatórias para responder bem às questões.

“Só quem leu os livros conseguiria responder de fato as questões da prova, não bastava apenas ter lido resumos ou assistido a videoaulas”, explica Luís Ricardo Arruda, coordenador do Anglo Vestibulares. Para ele, além de exigir uma leitura interpretativa das obras aos estudantes, a prova também pedia uma base de conhecimentos sobre o contexto histórico das livros. Por exemplo, na questão número 8 os estudantes precisaram relacionar correntes filosóficas e científicas da época em que Memórias Póstumas de Brás Cubas foi escrito com o conceito de Humanitismo, “sistema de filosofia” presente no livro. Para o professor Célio Tasinafo, diretor pedagógico do cursinho Oficina do Estudante, essa pergunta, assim como outras da prova, exigiam uma boa preparação do aluno: “A prova não foi difícil, mas foi bem feita e exigente”.

Sobre a redação, os professores elogiaram o tema “Camarotização: a segregação da sociedade”. “A redação teve um tema bem específico, mas com base em uma questão que é bem discutida no Brasil”, diz Tasinafo. O professor de redação do Anglo Vestibulares, Aníbal Telles, concorda sobre a abordagem de uma proposta contemporânea. “Não foi um tema óbvio, foi um tema interessante e do universo cultural do candidato. Embora o tema seja atemporal, os exemplos que poderiam ser usados na argumentação poderiam ter sido recentes, dados a partir do cotidiano do estudante”, entende Telles. Como exemplo, o professor cita alguns pontos que poderiam ter feito parte da abordagem do estudante: “Poderiam ter falado dos ‘rolezinhos’ que ficaram famosos no começo de 2014, quando jovens de classes menos privilegiadas começaram a ocupar locais que antes eram frequentados apenas por pessoas mais abastadas como símbolo de contestação e até mesmo ter falado da resistência recente de moradores de Higienópolis em aceitar uma estação de metrô e ciclovias no local com medo de uma ‘invasão’ de pessoas mais pobres”.

O maior risco, na prova de redação, é a fuga do tema, segundo os professores. “É o maior problema a pessoa fugir do tema e não ler os textos de apoio apresentados e colocar o que está na cabeça”, argumenta o coordenador Arruda. “Era preciso seguir a diretriz da coletânea e do tema proposto, sem fugir para outras questões, como por exemplo abordar apenas a distribuição de renda como assunto central da redação”, comenta Tasinafo.

Segunda fase continua nesta segunda-feira (5)

Para o segundo dia, que terá 16 questões sobre as disciplinas do núcleo comum obrigatório do Ensino Médio (História, Geografia, Matemática, Física, Química, Biologia, Inglês e questões interdisciplinares), Tasinafo espera uma prova mais trabalhosa do que hoje. “É o dia com maior número de questões, mas com o mesmo tempo dos outros dias. O ideal é que o aluno saiba controlar bem o tempo”, aconselha o professor.

A segunda fase da Fuvest 2015 termina na terça-feira (6), com 12 questões de duas ou três disciplinas incluindo questões interdisciplinares, de acordo com a carreira escolhida.

Provas de habilidades específicas

Para os candidatos de Música (Ribeirão Preto), Artes Cênicas, Curso Superior do Audiovisual, Arquitetura e Design, o vestibular continuará com as provas de habilidades específicas entre os dias 7 e 9 de janeiro de 2015.

Resultado

A primeira lista de aprovados no vestibular 2014 da Fuvest poderá ser consultada em 31 de janeiro.

Go to Top