Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged Gay Talese

10 livros baseados em fatos reais que você precisa ler

0

livros-e-reportagens-que-fizeram-historia-e-vai-te-emocionar-www-blastingnews-com_1174003

Para os amantes da leitura, esses livros baseados em fatos reais vão prender do início ao fim.

Luciana de Queiroz, no Blasting News

Se você não é fã de livros de ficção, histórias reais são escolhas excelentes e lhes prenderão do início ao fim da leitura. O estilo literário no formato de reportagem costuma ser sensacional e, quando o leitor começa a leitura, não quer parar antes de terminar.

Por tratarem de relatos reais, os #Livros-reportagens são bem detalhistas e, por isso, os leitores conseguem inserir-se na #História de uma maneira incrível, como se estivessem, de fato, na cena. Alguns autores são feras nesse tipo de escrita, tais como, Joseph Mitchel, Norman Mailer e Gay Talese. Confira 10 livros separados com carinho para você.

1- “Honra teu Pai” é um livro escrito por Gay Talese e fala da história de Joseph, que vive no #Mundo da máfia italiana. Mais conhecido como Joe Bananas, ele controla, em Nova York, cinco famílias, além de seu filho Bill. É uma guerra bem sangrenta entre os mafiosos, até que Joe é sequestrado, aos 26 anos de idade.

2- “A Luta”, de Norman Mailer, fala sobre um lutador e campeão de boxe que perdera seu título porque recusou-se a apresentar-se durante a Guerra no Vietnã,mesmo sendo convocado. Quem o desafiava para a luta era simplesmente Muhammad Ali e, claro, ele não queria perder essa batalha. O livro relata essa luta em si, que ficou marcada na história.

3- “Hiroshima”, escrito por John Hershey, relata sobre seis sobreviventes da bomba atômica, que matou milhares de pessoas em Hiroshima e Nagasaki. Os hibakushas descritos nos livros eram as pessoas que foram afetadas pelas bombas e seus efeitos, graças às armas nucleares.

4- “O Segredo de Joe Gould” foi escrito por Joseph e relata a história de um mendigo que vivia em um bairro boêmio em Nova York. Apesar de ser andarilho, ele escrevia um livro, que só foi encontrado após 20 anos de sua morte e, na publicação, revela muitos mistérios.

5- “O Reino e o Poder”, do escritor Gay Talese, fala da história do fundador do jornal mais famoso do mundo, o The New York Times. É um relato sobre as mudanças que o jornal sofrera durante sua existência e sobre as reportagens mais incríveis já publicadas.

6- “Abusado – O Dono do Morro Santa Marta”, do jornalista Caco Barcellos, relata o tráfico de drogas e ações criminosas no Rio de Janeiro. A publicação cita o Comando Vermelho e como tudo acontecia dentro das favelas.

7- “Chico Mendes, Crime e Castigo”, do escritor Zuenir Ventura, conta a história de Chico Mendes, seringueiro e ativista que vivia no Acre e foi assassinado por saber demais sobre o desmatamento na Amazônia. O livro divide-se em três partes e conta com relatos impressionantes.

8- “A Feijoada que Derrubou o Governo”, escrito por Joel Silveira, falas sobre os ex-presidentes Juscelino Kubitschek, Jânio Quadros e João Goulart e, entre vários relatos, entra a história do próprio autor.

9- “O Livro das Vidas”, escrito por diversos autores, conta histórias de obituários de pessoas comuns, que foram retratadas de forma enfática pelo jornal The New York Times.

10- “A mulher do Próximo”, escrito por Gay Talese, fala sobre as mudanças dos costumes sexuais nos Estados Unidos. Conta sobre as seitas de livre amor, nudismo e repressão da homossexualidade.

Jornalista e editor Paulo Werneck será o curador da próxima Flip

0

Publicado por Folha de S.Paulo

O editor, jornalista e tradutor Paulo Werneck, 35, foi anunciado nesta segunda (9/9) como o novo curador da Flip (Festa Literária Internacional de Paraty).

Werneck cuidará da programação da 12ª edição do encontro, no ano que vem.

O novo curador foi editor do caderno “Ilustríssima”, da Folha, de maio de 2010 a junho de 2013. Antes, atuou por 11 anos como editor nas editoras Cosac Naify e Companhia das Letras.

O novo curador da Flip, Paulo Werneck, durante palestra de Gay Talese na Folha em maio de 2012, da qual foi um dos mediadores (Daigo Oliva - 30.mai.2012/Folhapress)

O novo curador da Flip, Paulo Werneck, durante palestra de Gay Talese na Folha em maio de 2012, da qual foi um dos mediadores (Daigo Oliva – 30.mai.2012/Folhapress)

“A Flip é um dos espaços em que a cultura brasileira se afirma de forma mais democrática, aberta, plural. Na Flip fiz descobertas literárias e conheci mestres da vida inteira. Minha geração se desenvolveu tendo a Flip como referência. Por tudo isso, é uma convocação intelectual desafiadora”, afirmou, no comunicado oficial emitido pela Flip, o novo curador, que é filho do também jornalista Humberto Werneck.

Mauro Munhoz, diretor da Casa Azul, associação que organiza a festa literária, disse que a escolha seguiu os mesmos critérios das anteriores: “vivência no meio literário, sólida formação em literatura, sintonia com as tendências editoriais mundiais e afinidade com os princípios que orientam a organização da Flip”, conforme o comunicado à imprensa.

“A alternância na posição de curador é uma tradição da Flip e nos permite acrescentar novos olhares à programação, mantendo a diversidade de pontos de vista que sempre caracterizou a Festa”, declarou Munhoz.

Confira os curadores das edições anteriores da Flip:

2003 Flávio Pinheiro
2004 Flávio Pinheiro
2005 Ruth Lanna
2006 Ruth Lanna
2007 Cassiano Elek Machado
2008 Flávio Moura
2009 Flávio Moura
2010 Flávio Moura
2011 Manuel da Costa Pinto
2012 Miguel Conde
2013 Miguel Conde

Go to Top