Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged histórias

BH ganha três pontos de biblioteca comunitária no bairro Padre Eustáquio

0
Um dos novos endereços da Mercearioteca é o Sacolão Hortifruti Ideal

Um dos novos endereços da Mercearioteca é o Sacolão Hortifruti Ideal

 

Para a inauguração, um encontro foi marcado para este sábado (4), às 16h, na Praça do Nino. Haverá contação de histórias e as pessoas poderão levar livros para doação

Publicado no Hoje em Dia

A Mercearioteca ganhará novos endereços no bairro Padre Eustáquio, região Noroeste de Belo Horizonte. A biblioteca comunitária passará a funcionar no Sacolão Hortifruti Ideal, na esquina da rua Progresso com a rua Itororó; no Bar Tudo no Ponto, na rua Curral del Rey; e no Alonsos’Burguer, na mesma rua.

Para a inauguração, um encontro foi marcado para este sábado (4), às 16h, na Praça do Nino, que fica entre as ruas Progresso e Coronel José Benjamin. Haverá contação de histórias com Rosana Mont’Alverne, presidente da Câmara Mineira do Livro, e Vanessa Corrêa, escritora e poetisa, além de Malu Brant. Quem for ao evento poderá levar um livro para deixá-lo como doação para a biblioteca comunitária.

A principal motivação para a ampliação da Mercearioteca foi um acervo de mais de 1000 títulos doados pela família do jornalista Gabi Santos, que morreu em abril de 2014.

A Mercearioteca foi criada pela escritora Leida Reis, que lançou recentemente a Páginas Editora, e seu marido, João Alves da Silva Filho, então dono da Mercearia Porteirinha, onde o projeto começou em 2014.

Livro de Neil Gaiman sobre mitologia nórdica chega em março no Brasil

0
Neil Gaiman (Foto: Flickr/Stanislav Lvovsky)

Neil Gaiman (Foto: Flickr/Stanislav Lvovsky)

 

Isabela Moreira, na Galileu

Em seu novo livro, Neil Gaiman fala sobre Thor, Odin e Loki, os três grandes deuses da mitologia nórdica. Este, inclusive, é o nome da obra, que será lançada no Brasil em março deste ano.

Responsável por livros como Deuses Americanos e Coraline, Gaiman anunciou o novo trabalho pela primeira vez em junho de 2016. Na ocasião, a editora W.W. Norton & Company, que publica as obras do autor nos Estados Unidos, anunciou que ele contaria as histórias da mitologia em forma de romance.

“Gaiman costura história primordiais com um arco romântico que começa com a gênese de nove mundos lendários; explora as origens das divindades, anões e gigantes; e culmina em Ragnarok, o crepúsculo dos deuses e o renascimento de uma nova era e de um novo povo”, afirma a nota de anúncio.

Para celebrar o lançamento de Mitologia Nórdica, o escritor publicou um vídeo em sua página do Facebook falando mais sobre ela. “Desde quando estava trabalhando em Sandman, senti que uma das coisas mais interessantes a serem feitas na ficção é prestar atenção nos mitos, porque me parece que eles estão sempre vivos e informam o que fazemos. Eles informam nosso mundo em formas nas quais nem nos damos conta”, afirma.

O livro trará uma versão romantizada, ainda que fiel, dos mitos de Loki, Thor e Odin. “O incrível da mitologia nórdica é que os personagens são eles mesmos: eles têm falhas e são fascinantes”, comenta Gaiman. “Temos Loki e seus três filhos monstruosos. Temos Thor e deuses sendo assassinados e transformados em hidromel por anões malvados que são chantageados por gigantes.”

“É um livro para qualquer um que tiver interesse por mitologia nórdica. É para qualquer um que acha que Tom Hiddleston fica legal com o grande chapéu com chifres e se pergunta no que o personagem dele é baseado.”

Mitologia Nórdica será lançado no Brasil em março pela editora Íntrinseca.

 

10 curiosidades literárias

0

descubra-se-e-possivel-ou-benefico-ler-varios-livros_1019353

Publicado no Guia dos Curiosos

1. Provavelmente, o primeiro poeta nascido em terras brasileiras foi Bento Teixeira. Seu livro Prosopopeia foi publicado em Lisboa, no ano de 1601.

2. O escritor de ficção científica Julio Verne voou apenas uma vez. Ele subiu em um balão em 1873.

3. A casa em que residia o escritor paulista João Antônio pegou fogo e o incêndio queimou todos os originais. Teimoso, escreveu tudo de novo. Malagueta, Perus e Bacanaço, o livro reescrito, publicado em 1963, virou clássico.

4. O paulista José Carlos Inoue entrou para o Guinness – Livro dos Recordes. Ele tem o recorde de romances já publicados no mundo. Foram 1.086, sob 39 diferentes pseudônimos.

5. O autor francês Georges Perec era maníaco por listas. Ele chegou até a escrever uma com as coisas que gostaria de fazer antes de morrer.

6. Mencionar seu nome, o de seu melhor amigo ou de algum conhecido em suas obras consistia em uma das brincadeiras favoritas do argentino Jorge Luís Borges.

7. Praticamente todos os romances de José Saramago têm um cachorro entre os personagens.

8. Em 1975, Clarice Lispector participou de um congresso de bruxaria na Colômbia. Ela começou seu discurso dizendo: “Eu tenho pouco a dizer sobre magia. Na verdade, eu acho que nosso contato com o sobrenatural deve ser feito em silêncio e numa profunda meditação solitária”.

9. O escritor catarinense Cristóvão Tezza sempre escreve a primeira versão de suas obras a mão, apesar de saber mexer no computador.

10. Em 1934, Cecília Meirelles levou um chá de cadeira do poeta Fernando Pessoa. Ela e o marido combinaram um encontro com o autor em um bar em Lisboa (Portugal), mas ele nunca apareceu. O casal esperou por duas horas. Para compensar a ausência, Pessoa mandou a Cecília uma edição do livro Mensagem com a dedicatória:

“A Cecília Meireles, alto poeta, e a Correia Dias, artista, velho amigo e até cúmplice, na invocação da Apolo e Atena, Fernando Pessoa”.

Dicas para quem quer gostar de ler

0

tag-chocolatelivros-colorindonuvens

 

 

Fabrícia de Pelegrini, no Portal Veneza

Muitas pessoas já adultas querem desenvolver o hábito de leitura e nesta busca algumas conseguem descobrir o prazer de ler enquanto outras não se identificam. Cada ser humano tem suas características e acredito que se alguém quer gostar de ler é porque tem alguma identificação com os livros.

Para quem quer se aventurar nesta descoberta tenho algumas dicas que poderão ajudar.

– A escolha do livro é meio caminho andado. Procure algo que você se identifique, uma história que tem a ver com você.

– Tem muitas histórias boas, por isso conhecer seu estilo é fundamental. Pode ser um livro policial, um romance, uma biografia, autoajuda, literatura fantástica e por que não um terror?

– Não aconselho começar lendo um clássico, estes livros geralmente têm um estilo que requer uma leitura mais demorada e maior concentração.

– Com o livro escolhido, procure um lugar sossegado que irá facilitar a concentração. Para quem está iniciando neste hobby é importante ficar com a TV e o som desligados e deixar o celular longe das mãos para não ter distrações.

– Lembre-se que a leitura é algo solitário, um momento que a pessoa está dedicando para ela mesma. Tem que ser algo positivo e não uma obrigação.

– Depois que começou a ler o livro, ele não pode ficar por dias abandonado porque ao retomar a leitura o interesse já diminuiu. A dica aqui é ler todos os dias, nem que seja uma página apenas, assim a história e os personagens continuam na memória, mantendo o interesse do leitor.

– E claro, um bom chocolate para acompanhar também é um incentivo.

Boa leitura!

Alunos buscam alternativas para não sair da faculdade

0

De trocar de curso a encarar uma dívida, histórias de quem não pensa em desistir de estudar

altern

Publicado em Estadão

A estudante de Direito Camila Macedo, de 26 anos, estava com a mensalidade atrasada havia três meses quando a própria faculdade sugeriu um financiamento privado. Gabriel Amaral, de 18, trocou o curso de Veterinária pelo de Ciências Contábeis, apostando que assim vai poder entrar no mercado de trabalho mais rápido. Histórias de estudantes que buscam alternativas para não ter de abrir mão do diploma mesmo em tempos de crise.

Alguns universitários estão trilhando o caminho do endividamento – no ensino superior, o índice de inadimplência chegou a 11,5% no primeiro semestre. Outros tentam mudar de estratégia para esse débito não crescer mais.

Quando percebeu que não teria como arcar com as mensalidades da FMU e os custos de viver em São Paulo, o baiano Gabriel resolveu voltar para a casa dos pais, em Ilhéus. O montante do débito universitário soma R$ 2 mil, que ele pretende negociar com a instituição.

Com a estrutura de morar com os pais e um curso mais em conta, o ensino superior vai caber no orçamento. “Primeiro, farei algo que posso pagar, depois realizo meu sonho.” O plano é juntar dinheiro para, no futuro, fazer Veterinária.

Fies. As recentes mudanças no Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), fruto dos cortes de gastos públicos, pegaram de surpresa outra parcela de estudantes. Thayná Dias, de 20, dá rosto ao dado bruto: a redução de 42,81% no número total de novos contratos, segundo o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

Ela tentou o Fies pela Faculdade Maurício de Nassau, no Recife. Mas não havia vagas suficientes de financiamento pelo programa governamental. O curso superior de Enfermagem, que custaria cerca de R$ 800 por mês, foi substituído por um técnico na mesma área, para o qual ganhou bolsa de 50%. Com isso, ela paga R$ 120. “A faculdade abriria mais portas”, afirma Thayná. “Um dia eu chego lá.”

Financiamento privado. Com menos vagas no Fies, que agora subiu os juros de 3,4% para 6,5% ao ano em novos contratos, a alternativa usada por alguns alunos é recorrer ao financiamento privado. No principal programa de crédito universitário, o Pravaler, da Ideal Invest, o volume de contratos aumentou 7,5 vezes entre abril e julho em comparação com o mesmo período do ano anterior. Isso apesar dos juros anuais que chegam a 29,7%.

Seguindo a recomendação da própria universidade, a Estácio de Sá, Camila Macedo buscou o Pravaler para se manter no curso de Direito. No quarto e penúltimo ano da faculdade, desistir não era uma opção.

As dívidas da universitária começaram a se acumular depois de ela trocar um emprego no segmento de turismo por outro em sua área de estudos. Três mensalidades de R$ 760 estavam em aberto. Com ajuda do crédito, conseguiu quitar a dívida e vai ter o dobro do tempo para pagar a faculdade. “Mesmo com os juros, o crédito era minha única alternativa”, diz Camila. “Sempre sonhei em fazer Direito e, sem o financiamento, não teria conseguido.”

O crédito por meio do Pravaler deve aumentar já no segundo semestre. Isso porque a Ideal Invest assinou contrato com a Federação Nacional das Escolas Particulares (Fenep), garantindo às instituições de pequeno e médio porte as opções que antes só chegavam às universidades com mais de 5 mil alunos. As instituições atendidas devem passar de 200 para 350. “Todos os setores estão se organizando. A maneira que encontramos foi chamar a iniciativa privada para o crédito educativo”, diz a presidente da Fenep, Amábile Pácios.

Apesar dessa previsão de avanço, a escala de financiamentos públicos e privados é muito diferente. Para se ter uma ideia, de 2010 a 2014, o Fies alcançou 1,9 milhão de alunos, enquanto o Pravaler concedeu crédito a 50 mil desde sua criação, em 2006.

Na universidade. As instituições de ensino, por sua vez, voltaram a turbinar a oferta de bolsas e o financiamento próprio, reduzidos em épocas de Fies mais amplo. A Estácio adotou essas medidas e incluiu outra, um seguro educacional que cobre a mensalidade por até seis meses se o aluno perder o emprego.

A universidade passou a seguir de perto os sinais de desistência dos alunos ao longo do semestre. “Essa é a batalha que escolhemos para o início de 2015: diminuir a evasão”, afirma o Diretor Financeiro da Estácio, Virgílio Gibbon.

O grupo Kroton, que inclui gigantes como Anhanguera e Pitágoras, também inaugurou o Parcelamento Especial Privado, que financia o primeiro ano de estudos sem juros. De janeiro a março, o grupo concedeu crédito a mais de 22 mil alunos.

Go to Top