Escola E3

Posts tagged homenagem

 

Estudante carrega enxada na cerimônia de formatura em homenagem aos pais

0
Mais uma prova de que uma alma grata é capaz de indizíveis belezas!

Mais uma prova de que uma alma grata é capaz de indizíveis belezas!

 

Publicado na Revista Pazes

Na cidade de Mossoró, no Rio Grande do Norte, a jovem Kauany Sousa, de 24 anos, ergueu uma enxada durante sua entrada na cerimônia de formatura do curso de Serviço Social, na UnP (Universidade Potiguar) para agradecer seus pais pelo esforço no trabalho na roça para garantir o sustento dela e de mais três irmãos.

A homenagem feita pela estudante Kauany Sousa aos seus pais durante sua formatura no curso de Serviço Social na UnP (Universidade Potiguar) emocionou não só os convidados presentes na cerimônia, mas também milhares de internautas. Na festa, ocorrida no dia 9 de abril na cidade de Mossoró, no Rio Grande do Norte, Kauany levantou uma enxada para representar o trabalho de seus pais que garantiu o sustento da família durante sua infância difícil no campo. Assista o vídeo abaixo:

“Eu lembro do meu pai saindo todos os dias para trabalhar, como ele faz até hoje. Trabalhar na roça, para dar sustento para mim e mais três irmãos. Desde o início, foi sempre assim. A lembrança que eu tenho é de ver ele sair de casa para trabalhar”, contou a jovem de 24 anos em entrevista ao canal UERN TV, da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. A renda de seu pai, Nilson Pereira, não passava de R$ 20 por semana. Por conta das dificuldades financeiras, a família tinha problemas até mesmo para conseguir comer todos os dias. “[Lembro] de ver minha mãe preocupada todos os dias para dar um prato de comida para a gente. Muitas vezes não tinha e ela agradecia a Deus quando um vizinho chegava e dava uma alimentação. Eu lembro que na época meu pai ganhava R$ 20 por semana, para trabalhar no sol quente, todos os dias”, relata.

No sítio Caraúba Torta, no município potiguar de Almino Afonso, Kauany começou a aprender a ler e escrever debaixo de uma árvore, no espaço cedido por uma vizinha. Além disso, assim como seus outros três irmãos, ela também ajudava no trabalho de agricultura.

Assistam ao vídeo!

 

Professora foi inspiração para personagem de “Star Wars”, segundo diretor

0

star

Publicado em UOL

O diretor de cinema J. J. Abrams, responsável pelo novo filme da franquia “Star Wars” (“Star Wars: O Despertar da Força”), revelou que a inspiração para uma das personagens do longa foi sua professora de inglês do ensino médio.

A professora Rose Gilbert começou a dar aulas em 1961. Ela era conhecida pelo entusiasmo com o qual ensinava literatura. O carisma dela inspirou Abrams, que fez da personagem Maz Kanata, interpretada pela atriz Lupita Nyong’o, uma homenagem à professora.

“Nós queríamos muito que a história ficasse autêntica, apesar de ser uma ficção. Eu mencionei Rose, essa figura sábia que eu conheci, em uma das primeiras reuniões de roteiro”, contou Abrams ao jornal norte-americano Palisadian-Post. “Enquanto nós experimentávamos os visuais e estilos, antes de chegar ao design final da personagem, ela sempre estava na minha cabeça como inspiração para Maz”.

Apesar da homenagem, Rose não chegou a saber que o novo Star Wars teria uma personagem baseada nela. A professora morreu em 2013, aos 95 anos. “Eu planejava falar com ela e mostrar o trabalho, mas ela infelizmente faleceu enquanto estávamos preparando o filme”, lamentou J. J. Abrams.

 

Professora de Tapiratiba, SP, faz 100 anos e ganha homenagem da cidade

0

Alzira Siqueira de Souza lutou para melhorar a educação no município.
“Batalhei, batalhei, batalhei até quando me aposentei”, diz aniversariante.

captura_de_tela_inteira_27072015_152006

Publicado no G1

A professora Alzira de Souza Siqueira recebeu neste domingo (26) uma grande homenagem em Tapiratiba (SP). Ela completou 100 anos e a festa de aniversário foi realizada na Praça da Concha Acústica com direito a discurso, moda de viola e a presença de ex-alunos e discípulos.

Primeira mulher a aprender a dirigir na cidade, ela chegou à comemoração na garupa de uma moto e relembrou no evento sua luta pela educação no município, para onde se mudou em fevereiro de 1942.

“Não fiz com interesse. Eu fiz por necessidade. Tinha quatro classes só a escola”, contou. “Não tinha vaso sanitário, não havia água encanada, puxavam a água no poço, era um sacrifício tremendo. Quatro classes. Pois eu batalhei, batalhei, batalhei até quando me aposentei e aí tinha até ginásio”, relatou orgulhosa.

Lúcida e ativa, ela disse que seu segredo é dividir o que tem de melhor com aqueles que precisam.

“Eu não tenho tempo de falar da vida alheia. Eu só tenho tempo de cuidar das vidas alheias que necessitam”. E completou: “O meu coração é assim, um coração aberto, aberto para o bem, o bem de todo mundo. Eu não distingo classe, nem cor, nem situação financeira. Todo mundo para mim tem o mesmo valor”.

Parabéns
Na hora do “parabéns”, 99 integrantes de entidades e associações acenderam e seguraram as velas, apagadas com um grande “Viva a dona Alzira”.

“Ela continua com todo aquele idealismo que ela tem, colaborando com as entidades, fazendo parte e praticamente é a história viva da nossa cidade”, justificou o secretário de Cultura, Márcio Kitano. “A dona Alzira é uma pessoa muito especial para nós aqui de Tapiratiba”, completou o morador Luiz Carlos Araújo.

“Para a gente foi uma homenagem maravilhosa. Uma porque ela foi nossa diretora, para a gente é uma honra”, disse a professora Cleonete Zimak.

“Ela foi um modelo que a gente procurou seguir nesse tempo todo”, finalizou a professora aposentada Maria Petruci, que se inspirou em dona Alzira. “Desde pequenininha eu queria ser professora e ela ajudou a aumentar minha vontade”.

 

Caetano Veloso dá bronca em sua equipe por ‘erro idiota’ de crase

0

Cantor deu ‘aula de português’ aos responsáveis por suas redes sociais.
Post de 11 de junho tinha a expressão ‘homenagem à Bituca’.

caetano2

Publicado no G1

A produção de Caetano Veloso publicou nesta terça-feira (23), no Facebook, um vídeo no qual ele dá uma bronca na equipe que cuida de suas redes sociais. Motivo: mau uso da crase. “Um erro chato, eu não gosto desse erro. Acho idiota”, diz ele após explicar por que o acento não deveria ter sido usado na construção “homenagem a Bituca”. O equívoco estava na legenda de uma foto publicada no Facebook em 11 de junho.

O “Bituca” em questão é Milton Nascimento. A imagem do post mostra justamente um encontro de Milton e Caetano durante um show da banda Dônica. Um dos integrantes é filho de Caetano.

“Até os linguistas estimulam [o uso equivocado da crase], dizendo que não deve ligar para crase, que deve deixar… Nada! Nada de deixar. Tem que saber português e trabalhar bem a língua portuguesa no Brasil! Tem que ter responsabilidade!”, finaliza ele.

A pessoa que está filmando, então, responde: “Sim, senhor. Vamos tentar melhorar, prometo. A produção falhou”.

Explicação gramatical

Sérgio Nogueira, colunista de língua portuguesa do G1, explica que a crase é a junção de uma preposição com o artigo definido feminino (“a” mais outro “a”).

Quem faz homenagem sempre faz homenagem “a” alguma coisa ou “a” alguém. A preposição é uma exigência do substantivo “homenagem”.

No caso de “homenagem à música brasileira”, por exemplo, é como se falássemos “homenagem a a música”. O segundo “a” é o artigo definido que antecede o substantivo, também feminino, “música”.

Por que no caso do “Bituca” a crase é impossível? Simples: Bituca é Milton Nascimento, é masculino. É impossível haver artigo feminino antes do Bituca. Se houvesse, seria o artigo masculino “o”. Nesse caso, seria “homenagem ao Bituca”.

 

Bienal do Livro do Rio homenageará este ano a Argentina

0

unnamed

Publicado no R7 [ via Agência EFE]

Rio de Janeiro, 2 abr (EFE).- A Bienal do Livro do Rio de Janeiro, o maior evento literário do Brasil e cuja 17ª edição será realizada entre 3 e 13 de setembro próximos, homenageará este ano a Argentina e contará com pelo menos 11 autores do país vizinho como convidados, informaram nesta quinta-feira seus organizadores. A Bienal contará com “a presença de expoentes da literatura argentina, que farão parte de um elenco de autores dos mais diversos gêneros e nacionalidades”, segundo um comunicado divulgado hoje pelos organizadores da tradicional feira do livro do Rio de Janeiro.

A Argentina sucederá a Alemanha, que foi o país homenageado em 2013. O evento igualmente renderá uma homenagem, com atos específicos e convidados, aos 450 anos da fundação do Rio de Janeiro, celebrados em 1º de março passado. A Bienal, tradicionalmente organizada pelo Sindicato Nacional de Editores de Livros (SNEL), ganhará este ano o apoio da firma Fagga GL Events Exhibitions, responsável por 20 diferentes feiras no país. Entre os autores que já confirmaram sua presença na Bienal deste ano se destacam o americano Raymond E. Feist, autor da série “Saga do Mago”; a britânica Sophie Kinsella; a romancista americana Julia Quinn; e a brasileira Giulia Moon.

Go to Top