Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged House of Cards

Castle Rock ganha trailer repleto de easter-eggs

0

A nova temporada de “Castle Rock” foi profundamente inspirada pelo incrível Stephen King. De acordo com o trailer, muitos serão os easter-eggs.

Catarina Novais, no Magazine HD

Lizzy Captan está de regresso como uma espécie de jovem Kathy Bates. Pelo menos, neste novo trailer da segunda temporada de “Castle Rock”, é precisamente isso que a psicótica enfermeira Annie Walkes transparece.

Intensificando ainda mais o mundo recheado de referências às icónicas obras de Stephen King, esta nova fase da série deverá inspirar-se noutra obra clássica do autor. Desta vez, a obra escolhida foi “Misery”. Caplan assumirá a personagem de Bates, Tim Robbins viverá Reginald “Pop” Merrill, e Paul Sparks (de “House of Cards“) será o John “Ace” Merrill. Todas as personagens serão baseadas em várias figuras criadas por Stephen King.

Além disso, Elsie Fisher (“Eighth Grade”), Barkhad Abdi (“Capitão Phillips”), Yusra Warsama (“Call the Midwife”) e Matthew Alan (“13 Reasons Why”) farão parte do elenco da segunda temporada. A série regressa, uma vez mais, com a realização de Dustin Thomason e Sam Shaw.

The Witcher | Diretor de Game of Thrones irá comandar alguns episódios da série

0

Alik Sakharov também já trabalhou em séries como “The Americans”, “House of Cards” e “Ozark”.

Livia Saenz, no Cinema com Rapadura

Segundo informações do Omega Underground, Alik Sakharov, que já havia sido confirmado como produtor executivo de “The Witcher”, nova série da Netflix baseada na saga de livros homônima do escritor Andrzej Sapkowski, também será responsável pela direção de alguns episódios.

Sakharov já dirigiu episódios de séries como “Game of Thrones”, “Black Sails”, “Boardwalk Empire”, “The Americans”, e já trabalhou em parceria com a Netflix em “House of Cards”, “Marco Polo” e “Ozark”.

Ainda segundo o site, as filmagens devem começar no dia 5 novembro, com locações em Budapeste, Hungria, Eslováquia e África do Sul, com provável data de encerramento em maio do ano que vem.

Encomendada pela Netflix, a série “The Witcher” acompanhará a história de Geralt de Rívia, um dos últimos bruxos restantes durante a Idade Média. O escritor Andrzej Sapkowski, deve atuar como uma espécie de consultor da série. A roteirista Lauren S. Hissrich (da série “Os Defensores“) já tem o episódio piloto completo, e pretende adaptar os dois primeiros livros da série, “A Espada do Destino” e “O Último Desejo“.

Sean Daniel, Jason F. Brown (ambos da série “The Expanse“), Jarek Sawko e Tomek Bagiński (ambos da série “Polish Legends“) produzirão a série, com o último dirigindo pelo menos um episódio da primeira temporada. O projeto contará com roteiristas de “Jessica Jones” e “Demolidor“, outras produções da Netflix.

Informações sobre o elenco ainda estão em fase de definição. A série ainda não tem data de estreia definida, mas deve estrear somente em 2020.

Netflix quer levar seus sucessos para os quadrinhos

0

NetflixLogo_des

Samir Naliato, no Universo HQ

A Netflix rapidamente se tornou uma gigante da indústria de entretenimento. Agora, o maior serviço de streaming de filmes e séries do mundo quer expandir seus negócios para outras áreas.

A empresa busca um executivo para gerenciar a concessão de licenças de suas séries e filmes originais para serem criados produtos como livros, brinquedos e, claro, quadrinhos.

“Estamos apostando em produtos de consumo e em promoção associada, porque acreditamos que isso gerará uma exposição significativa para nossos programas, com formas mais tangíveis de interagir com os nossos conteúdos mais populares. Queremos fazer licenciamentos para ajudar a promover nossos títulos, para que eles se tornem parte cultural por longos períodos de tempo”, afirmou a Netflix.

Recentemente, uma parceria com a Hot Topic gerou produtos como camisetas, bonés, canecas e joias baseados em Stranger Things. A ação serve de teste para a expansão em novos segmentos.

Isso significa que, em breve, poderemos ter (pelo menos em teoria) revistas em quadrinhos de Stranger Things, Black Mirror, Orange is the New Black, House of Cards, Marco Polo, Sense8, Narcos, The OA e vários outros.

As informações são do site Bloomberg, especializado em informações do mercado financeiro.

Professores listam seriados e filmes para estudar história

0
Séries como "House of Cards" podem ajudar a entender contextos históricos, econômicos e até questões contemporâneas que pareçam super complexas nos livros

Séries como “House of Cards” podem ajudar a entender contextos históricos, econômicos e até questões contemporâneas que pareçam super complexas nos livros

 

Hugo Araújo, no UOL

Na sua rotina de escola ou cursinho pré-vestibular, provavelmente você deve ter aquele tempo de descanso em que assiste a seu seriado favorito ou vai ao cinema, não é? Essas estão entre as formas de diversão mais populares na correria entre escola, casa e obrigações.

Mas saiba que, enquanto você se diverte, dá para memorizar um conteúdo que aprendeu na escola de uma forma descontraída e humanizada. Você entende contextos históricos, econômicos e até questões contemporâneas, que podem parecer super complexas nos livros, por meio das histórias de personagens. É uma maneira divertida de estudar.

Danilo Zanetti, professor de história da escola Dínamis, listou seriados que retratam diferentes momentos históricos. Já Camila Alexandrini, professora de português e literatura da plataforma “Me Salva!”, selecionou filmes que tratam de questões contemporâneas. Confira a lista abaixo:

1. “House of Cards”

Para o professor Danilo Zanetti, o seriado é interessante para observar as questões políticas, a disputa de poder e as articulações nos bastidores do governo norte-americano. “É bom lembrar que estamos em ano de eleição presidencial nos Estados Unidos, então, assuntos relacionados ao País, como sua independência, Constituição, política externa e interna e a questão racial são frequentemente cobrados nos vestibulares”, diz.

2. “Anti-herói americano

A professora Camila Alexandrini recomenda o longa também para pensar sobre os Estados Unidos. Inspirado na história real do quadrinista Harvey Pekar, o filme, segundo ela, serve de ponto de partida para refletir sobre “a crise do sonho americano”. “Esse assunto tem sido bastante frequente com as eleições norte-americanas e a candidatura do republicano Donald Trump”, conta.

3. “Downton Abbey”

“A história deste seriado começa no dia do naufrágio do Titanic e acompanha as consequências do evento na vida de uma família nobre da Inglaterra. Podemos observar a Primeira Guerra Mundial, a luta pelo voto feminino, os conflitos políticos e a decadência do sistema social”, conta o professor Danilo Zanetti.

4. “Cidade de Deus – 10 anos depois”

A professora Camila Alexandrini recomenda o documentário “Cidade de Deus – 10 anos depois” para refletir sobre a questão negra. “Ele fala sobre os atores do filme ‘Cidade de Deus’, que são quase todos negros, e quais são as carreiras que eles tiveram dez anos depois. Em resumo, muitos não trabalham mais com televisão ou cinema ou, se atuam, é como um personagem que é ladrão ou morador de rua. Eles sofrem preconceito também no cinema”, explica.

5. “The Tudors”

Para o professor Danilo Zanetti, o seriado “The Tudors” ajuda a estudar a Reforma Protestante na Europa e a formação da Igreja Anglicana. “É uma série baseada na história de Henrique VIII, rei da Inglaterra e responsável por fundar sua própria igreja, além de se separar de sua primeira esposa para casar com outra, atitude impensável para a época”, conta.

6. “Transamérica”

Para refletir sobre a questão da transexualidade, a recomendação da professora Camila Alexandrini é o filme “Transamérica”. “Ele fala sobre uma transexual e todo processo pelo qual ela passa para conseguir a identidade, ser aceita na sociedade e também o quanto ela reproduz um padrão de mulher que talvez deveria combater”, afirma.

7. “Anos Rebeldes”

Esta série brasileira retrata o Rio de Janeiro durante o período da ditadura militar. “Ela tem uma visão romantizada e própria da classe média da época, porém mostra parte da realidade vivida no período da ditadura civil-militar de 1964, tema recorrente nos vestibulares e na nossa contemporaneidade”, explica Danilo Zanetti.

8. “Xingu”

O filme brasileiro “Xingu” pode ser interessante para aprender sobre a questão indígena, segundo a professora Camila Alexandrini. O longa narra a história dos irmãos Villas-Boas, durante uma expedição que percorreu a área central do Brasil nos anos 1940.

Continuação de Cinquenta Tons de Cinza será assinada por diretor de House of Cards

0
Casal protagonista de "Cinquenta tons de cinza". Crédito: Focus Features/Divulgação

Casal protagonista de “Cinquenta tons de cinza”. Crédito: Focus Features/Divulgação

 

James Foley é responsável ainda pelo clipe Papa Don’t Preach, de Madonna

Publicado no Diário de Pernambuco

O que muitos fãs já esperavam se confirmou. Após divergências com produtores e roteiristas, a cineasta Sam Taylor-Johnson não volta para a sequência de Cinquenta Tons de Cinza. A vaga ficará com James Foley, responsável por diversos episódios da premiada série House of Cards (Netflix).

Segundo o site The Wrap, Foley dirige as duas continuações do romance erótico, com o roteiro ficando por conta de Niall Leonard, marido de E.L. James, autora da série de livros que inspirou a franquia cinematográfica. James Foley também tem no currículo filmes como A Estranha Perfeita (2007) e clipes como Papa Don’t Preach, de Madonna.

O filme, que deve estrear em 2017, terá mais uma vez Jamie Dornan e Dakota Johnson como o casal Christian Grey e Anastasia Steele.

A trama acompanha o romance da tímida e pacata Anastasia com o milionário Christian Grey, adepto de práticas sadomasoquistas durante o sexo. Lançado em 2011, o livro já vendeu mais de 100 milhões de cópias no mundo todo.

Go to Top