Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged idosos

Idosa aprende a usar computador aos 81 e quer criar conta em rede social

0

‘Só não quero conta no WhatsApp. É muito cheio de problemas’, diz.
Grupo de idosos faz parte da Universidade Aberta da Terceira Idade da Ufac.

nelita

Publicado em G1

Os olhos cansados tentam ler através dos óculos de grau as letras na tela do computador. Aos 81 anos, a aposentada Maria Nelita aprendeu a ligar o equipamento, acessar a internet, criar uma conta de e-mail e divide com mais 39 idosos a experiência de ser alfabetizada digitalmente na terceira idade.

O grupo faz parte da Universidade Aberta da Terceira Idade da Universidade Federal do Acre (Unati), em Rio Branco. Nelita conta que antes do curso não fazia ideia sequer de como ligar um computador.

“Eu não sabia nada de informática. Não sabia nem ligar o computador. Tinha era medo do computador, porque não sabia o que era”, revela.

Hoje, entretanto, ela diz que se diverte com os demais idosos nas aventuras pelo mundo digital e já pensa até em criar uma conta no Facebook.

“Criaram meu email, mas deu problema e vão consertar. Eu já pedi para arrumarem, eu preciso. Pedi que antes de sair daqui, meu email esteja funcionando. Só não quero conta no WhatsApp. Não quero mesmo, é muito cheio de problemas”, confessa.

As aulas começaram em fevereiro deste ano e deve ser concluídas nesta sexta-feira (11). Os idosos se encontram toda sexta-feira das 8h às 11h30 em uma das salas do Colégio de Aplicação da Ufac, no Centro da capital acreana. Além de informática, o grupo tem aula de dança, coral em italiano e desenho.

“Fiz vários cursos, de tudo um pouquinho. Sempre acompanhei os cursos da terceira idade. Saía de um e já começava outro. Quando soube que iam abrir curso de informática, já me matriculei e venho todas as sextas”, diz.

Com um rascunho que ajuda a abrir e fechar abas, desligar a máquina e com o endereço de alguns sites locais, Nelita conta que passa horas vendo fotos de outras cidades. “Fiz algumas anotações de como entrar na rede e sei entrar nos sites sozinha”, conta enquanto abre mais uma aba no navegador da internet e abandona o vídeo que estava assistindo.

Sobre as experiências adquiridas nas aulas de informática, a aposentada salienta que enquanto tiver saúde e disposição para caminhar até a sala de aula ainda tem muito a aprender.

“Falto só se estiver doente. Eu gosto, a gente se diverte. Saí do zero e ainda estou aprendendo”, confidencia.

‘Não imaginei chegar nessa idade e descobrir tanta coisa’
O colega de aula da aposentada, Marcial Gomes, de 73 anos, assiste atento às instruções do professor sobre como mexer em tablets, smartphones e TV digital. Há oito anos aposentado como técnico de contabilidade, Gomes conta que as aulas são uma distração.

“É fabuloso porque a vida toda a gente aprendeu a falar e dialogar com as pessoas pessoalmente. Hoje a gente procura os benefícios para nossa própria espécie atrás da máquina e da tecnologia. Já aprendi mexer nos computadores, celulares e etc. Não imaginei chegar nessa idade e descobrir tanta coisa, ter outra visão desse universo”, revela.

O aposentado explica que também já abriu conta nas redes sociais e até participa de grupos de conversas do WhatsApp. “Nós descobrimos um novo mundo, sem dúvida. Quero fazer outros cursos. Abrir contas em outras redes que eu nem imaginava existir”, diverte-se.

Forró no Youtube
O militar da reserva Francisco Adelino, de 68 anos, conta que teve acesso aos computadores quando trabalhou em empresas de segurança e com um computador deixado pelo filho, que estuda em outro país, mas as aulas ajudaram a aprimorar o conhecimento.

“Eu sou militar da reserva e trabalhei em algumas empresas de segurança e foi lá onde conheci o computador. Estou sempre em casa mexendo e acessando os sites. Eu gosto bastante e o que eu sabia só aperfeiçoei”, destaca.

Adelino confessa que o maior aprendizado foi conseguir acessar o Youtube e pesquisar suas músicas de forró preferidas. “Não sabia acessar o Youtube e agora eu mesmo entro nele, já ouço o meu forro. Tenho conta no Facebook, tenho e-mail. Ainda não sei tudo, como tem que saber, mas estou aprendendo”, explica.

Unati
O professor da turma, Reginamio Bonifácio, conta que o projeto oferece 40 vagas todos os anos para os idosos e que esse ano foram realizadas turmas em Rio branco e Xapuri, no interior do estado. Ele explica ainda que o colégio disponibiliza um enfermeiro que acompanha os idosos.

“Esse é um trabalho da Ufac em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa e nós trabalhamos nesse momento redes nacionais. Então nós ensinamos o uso de computadores, tablets, smartphone, sobre o uso de rede e mídia digital. Nosso objetivo é de que eles sejam alfabetizados digitalmente”, fala.

De acordo com o professor, os alunos têm entre 59 e 84 anos. Bonifácio confessa ainda que o resultado adquirido com os idosos foi surpreendente. “Eles aprenderam bastante, nos surpreenderam. Já tem autonomia digital, sabem ligar e desligar máquinas, descobrir e visualizar os sites. Têm contas de email, whatsApp, Facebook. Fizeram até grupos entre eles”, finaliza.

Idosos e crianças trocam afetos em espaço que junta asilo e pré-escola

0

xxxxxxxxxx-1434727531782_956x500

Publicado em UOL

As pequenas mãozinhas brincam com as mãos marcadas pelo tempo e de movimentos lentos em Seattle, nos Estados Unidos. As brincadeiras e as atividades poderiam confundir o visitante desavisado. Trata-se de uma casa de repouso para idosos ou uma pré-escola? O Intergenerational Learning Center juntou as duas coisas.

O espaço tem a estrutura física que as duas instituições precisam, mas com a troca de afeto entre gerações que outras escolas e lares para idosos não têm. No local, a energia das crianças completa a experiência de vida dos mais velhos.

“Ao longo de meses filmando, observei muitas trocas incríveis entre idosos e crianças”, diz Evan Briggs, que gravou um filme sobre a experiência entre as duas gerações no ILC.

O local abriga crianças de até cinco anos que realizam atividades cotidianamente com os mais de 400 idosos atendidos no espaço.

De um lado, as crianças aprendem a se relacionar com diferentes gerações, a respeitar os mais velhos e a conviver com pessoas com limitações físicas. Já os idosos recebem carinho e são estimulados intelectual e fisicamente pelos exercícios com os alunos.

Para que as imagens gravadas no ILC virem um documentário, Briggs resolveu criar um projeto de financiamento coletivo para arrecadar o dinheiro necessário para a edição. Ela precisava atingir 50 mil dólares para concluir o projeto, mas até a tarde desta sexta-feira (19) já havia conseguido cerca de 80 mil dólares (quase R$ 250 mil).

Enem 2014: 15,5 mil candidatos idosos estão inscritos para fazer a prova

0

No ano passado, 10,9 mil pessoas com mais de 60 anos fizeram o exame; em 2009, foram 4,7 mil

Publicado em O Globo

RIO – Neste ano, 15,5 mil idosos fizeram a inscrição no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O número de inscritos com 60 anos ou mais cresce anualmente. Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), no ano passado esses inscritos somaram 10,9 mil. Em 2009, foram 4,7 mil idosos.

O Dia do Idoso, celebrado nesta quarta-feira, foi instituído pela Organização das Nações Unidas e, posteriormente, escolhido para a criação do Estatuto do Idoso, que comemora 11 anos.

O Enem é a porta de entrada para instituições de ensino superior e técnico, além do financiamento estudantil e intercâmbio acadêmico. Neste ano, as provas serão aplicadas nos dias 8 e 9 de novembro. No total, foram 8,7 milhões de inscritos.

– O aumento de idosos está sendo identificado em várias instituições de ensino superior. São pessoas aposentadas, que por vezes já têm diploma de ensino superior e buscam outros cursos. Procuram uma mudança de carreira ou a realização de um sonho – diz o superintendente-geral de Educação a Distância do Centro Universitário Iesb, em Brasília, Francisco Botelho.

Os idosos são hoje no país 26,3 milhões, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O número representa 13% da população. A expectativa é que esse percentual aumente e que em 2060 chegue a 34%, segundo previsão do próprio IBGE

Estudantes brasileiros conversam com idosos americanos em projeto emocionante

0

Ação do curso de inglês CNA promove encontros virtuais entre alunos e moradores de casa de repouso nos EUA

Publicado em O Globo

A equação é simples: estudantes brasileiros querem aprender inglês e idosos americanos querem ter alguém com quem conversar. O curso de inglês CNA e a agência FCB Brasil tiveram então a ideia de conectar estudantes de inglês com velhinhos que moram em asilos nos Estados Unidos pela internet.

Como pode ser visto no vídeo acima, os jovens brasileiros e os idosos americanos podem conversar através de um programa de web chats. O projeto “Speaking exchange” (algo como “intercâmbio de conversa”, em português) foi concretizado pela agência de publicidade FCB Brasil. A intenção é que os alunos não apenas treinem a língua estrangeira como também troquem experiências e afeto com quem está no outro computador. O vídeo mostra que esses laços realmente foram desenvolvidos na primeira fase do projeto, e o resultado é emocionante. Tente não chorar quando uma das senhoras diz para a menina do outro lado da tela que ela é sua “nova netinha”. Ou quando um outro par troca um “eu te amo”, em inglês, claro.

O projeto-piloto foi implementado em uma unidade do CNA no bairro da Liberdade, em São Paulo, e na casa de repouso Windsor Park, em Chicago. Segundo o site “Adweek.com”, as conversas entre os estudantes e os idosos foram gravadas e publicadas no YouTube como vídeos privados para que os professores pudessem avaliar o desenvolvimento dos alunos.

“A ideia é simples e os dois lados saem ganhando, tanto os estudantes como os idosos americanos. É empolgante ver as reações e a alegria. A ação realmente beneficia os dois lados”, disse a diretora criativa da FCB Brasil, Joanna Monteiro, ao “Adweek”.

Batalha: Idosos desafiados a ler e escrever livros eletrônicos

0

Publicado originalmente no Correio da Manhã

A Biblioteca Municipal da Batalha vai emprestar equipamentos iPad aos utentes a partir de Janeiro de 2013 e desafiar, no próximo mês de Setembro, os idosos do concelho a escreverem livros electrónicos, anunciou António Lucas, presidente da autarquia, esta sexta-feira.

As duas iniciativas integram o projecto ‘E-leituras – Ler, Ouvir e Saber’, aprovado pela Fundação Calouste Gulbenkian, e cujo custo está estimado em 6 mil euros.

O projecto arranca em Setembro, em três Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) com 70 idosos: Irmandade da Santa Casa da Misericórdia da Batalha, Centro Paroquial de Assistência do Reguengo do Fetal e Centro Social e Paroquial de São Mamede.

Os utentes vão ser encorajados a escreverem, em cada uma das IPSS, um livro electrónico, sendo feita uma recolha de lendas e tradições relativas ao local em que está inserida a instituição.

Outro dos objectivos do projecto passa por familiarizar os idosos com as novas tecnologias, através do iPad, e transformá-los em potenciais leitores de livros electrónicos, que serão disponibilizados no início de 2013 pela Biblioteca Municipal da Batalha.

“A ideia é simples: conseguir que cada vez mais pessoas leiam cada vez mais”, sintetizou António Lucas.

O livro electrónico, que integrará histórias de origem popular e tradicional, deve estar concluído em meados de Novembro, passando a englobar uma lista de outros livros, no mesmo formato, que a biblioteca disponibilizará gratuitamente a partir de Janeiro, através do empréstimo de iPad.

(mais…)

Go to Top