Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged imagens

Veteranos usam urina em trote de Medicina da UFRJ, dizem alunos

0

Calouros carregaram placas com identificações como ‘viadinho tatuado’, ‘chifruda’ e ‘filha do demo’
No ano passado, um estudante virou uma lixeira na cabeça de outro

Calouros em piscina utilizada no trote do curso já no semestre passado Reprodução da internet

Calouros em piscina utilizada no trote do curso já no semestre passado Reprodução da internet

Juliana Dal Piva, em O Globo

RIO – Urina, peixes mortos, melancia e terra. Essa é a mistura que veteranos de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro colocaram em uma piscina utilizada em um trote do curso ocorrido, há 15 dias, no campus da Ilha do Fundão. Os calouros foram obrigados a se banhar ali, como revelam as imagens publicadas pelo GLOBO nesta quinta-feira (18). As informações vieram de dois alunos que presenciaram o trote, mas não quiseram divulgar seus nomes por temerem reações do grupo de veteranos chamado “Esquadrão de bombas da UFRJ”.

— O esquadrão urinou na piscina e colocou peixes mortos, terra e melancia. Isso é comum nos trotes e já teve calouro que se machucou com espinha de peixe — contou um dos estudantes.

Outra situação verificada nas imagens do trote, na qual calouros apareciam enfiando a cabeça em uma melancia, também causou indignação em alguns alunos, pois a fruta estava encharcada de vodca, e os estudantes foram obrigados a mordê-la.

— Eles colocam vodca na melancia e dividem os alunos em equipes. Ganha quem terminar de comer a melancia primeiro — explicou o mesmo estudante.

Outro estudante, que ligou para a redação do GLOBO após ler a reportagem no site, revelou que os veteranos cobraram R$ 450 reais de cada um dos calouros para pagar a festa do trote e dos outros eventos do semestre.

— São anos de vestibular. Você quer fazer novos amigos, então você quer se integrar e aí se submete a uma situação que depois você pode até se arrepender — contou o aluno .

Apesar de o trote ser proibido no Estado do Rio, estudantes de universidades públicas e particulares não apenas ignoram a legislação, como contratam uma empresa para ajudar na organização pagando valores a partir de R$ 3 mil. Fotos postadas no Facebook da TGF Eventos mostram os calouros carregando placas com identificações depreciativas, como “viadinho tatuado”, “chifruda” e “filha do demo”.

A TGF Eventos informa que as brincadeiras ficam totalmente a cargo dos alunos, enquanto a agência é responsável pelo fornecimento de material como camisetas, canecas e o contato com possíveis patrocinadores. No trote do curso de Medicina, diversas imagens publicadas no Facebook carregam a marca da cervejaria Skol.

A assessoria da cervejaria comunicou que a empresa patrocina alguns eventos organizados pela TGF Eventos, mas não participa diretamente da organização, produção ou execução dessas ações. “A marca repudia veementemente qualquer situação vexatória ou discriminatória envolvendo qualquer pessoa”, informou a nota.
Após ser informada pelo GLOBO sobre os fatos, a direção da Faculdade de Medicina emitiu uma nota de repúdio e informou que abriu uma investigação para apurar o ocorrido.

De acordo com alunos do curso, os calouros são coagidos a participar do trote, que começa, em geral, numa terça-feira e dura até sexta. Durante esses quatro dias, os novos universitários são obrigados a carregar as placas no pescoço.

No ano passado, dois episódios também causaram revolta. Em um dos trotes, um aluno faltou a aula e, no dia seguinte, ao reaparecer na faculdade foi alvo do “Esquadrão de bombas”. De acordo com estudantes, o grupo o imobilizou em uma cadeira, usando fita adesiva, e depois virou uma lixeira sobre a cabeça dele. Outro motivo de indignação foi a simulação de sexo que as calouras foram obrigadas a fazer com uma barra de chocolate. Os alunos garantem que tudo ocorreu em frente à prefeitura universitária da UFRJ.

Calouros dizem que não foram obrigados a participar

No fim da tarde desta quinta-feira, cinco calouros disseram ter participado livremente do trote. Pablo Plubins, de 20 anos, afirmou que não houve violência e que ele não se sentiu constrangido.

— Tem umas coisas das plaquinhas que podem ser pesadas, mas vi pessoas tranquilas em relação a isso. Eu participei rindo das brincadeiras, ninguém me machucou — afirmou Plubins.

Sobre a urina na piscina, ele disse não se importar.

— Não sei o que tinha na piscina e não me interessa saber. Eu sei que podia ter qualquer coisa lá e entrei sabendo disso — afirmou o estudante. Ele disse ainda que foram recolhidos alimentos e brinquedos para uma doação ao hospital durante as atividades do trote.

Também por meio de nota, a TGF Eventos disse que se opõe a qualquer tipo de constrangimento aos alunos nos eventos em que atua. A agência informou ainda que a empresa e seus parceiros não tem qualquer responsabilidade e participação nas brincadeiras realizadas entre os alunos nos trotes.

“Realizamos festas e promovemos eventos de cunho social, buscando como resultado a aproximação entre os alunos e a prática de boas ações, em benefício da sociedade. Ao invés de trotes vexatórios, a empresa sempre sugere ações com práticas saudáveis e benéficas, como arrecadação de alimentos e participações em campanhas para doação a comunidades carentes”, afirmou a TGF.

O GLOBO segue tentando fazer contato com integrantes do Centro Acadêmico, organizadores do trote, mas nenhum dos três retornou os contatos da reportagem até o momento.

Promoção: “Os arquivos secretos do Vaticano”

4

1

Tudo o que é oculto, secreto, proibido parece chamar mais nossa atenção. E, de fato, uma aura de mistério envolve os Arquivos Secretos do Vaticano. O local é um imenso repositório de informações. Em seus 85 quilômetros de prateleiras estão livros, documentos, papéis e imagens, contando cerca de dois milhões de registros, que a Igreja Católica acumulou em oito séculos. Mas o que há de tão secreto em tudo isso? O local, apenas parcialmente aberto para consulta, não é um simples depósito de dados, mas uma espécie de área proibida, que guarda detalhes que mudariam não apenas a história do cristianismo, mas também a da humanidade como a conhecemos. Lá seria possível encontrar informações “perigosas”, como os Evangelhos Apócrifos, o código da Bíblia, o verdadeiro terceiro segredo de Fátima, documentos confidenciais e outros, incluindo os relacionados à renúncia do papa emérito Bento XVI. Se há algo que fascina as pessoas é a possibilidade ter acesso a dados considerados “proibidos”, que desafiam a realidade como a conhecemos e provocam nosso imaginário a conjecturar qual seria, na verdade, a realidade.

Vamos sortear 3 exemplares de “Os arquivos secretos do Vaticano”, lançamento da Editora Gutenberg que vai trazer revelações dos mistérios e segredos do maior acervo religioso do mundo.

Para participar é muito fácil:

* Faça o login e siga os requisitos do aplicativo.

O resultado será divulgado no dia 16/4 no perfil do twitter @livrosepessoas e os ganhadores terão 48 horas para enviar seus dados completos para o e-mail [email protected].

a Rafflecopter giveaway

***

Os requisitos são:

Tweet about the giveaway: é só clicar no botão “twitter” que será dado RT automaticamente no seu perfil. Se você clicar diariamente nesse botão, mais pontos você faz e melhor a chance de ganhar o livro.
Easy entry for all Livros e Pessoas fan on facebook: É só clicar no botão para curtir a fan page do Livros e Pessoas
Easy entry for all Gutenberg Editora fan on facebook: É só clicar no botão para curtir a fan page da Editora Gutenberg
Follow @livrosepessoas on twitter: É só clicar no botão para seguir o perfil do Livros e Pessoas
Follow @gutenberg_ed on twitter: É só clicar no botão para seguir o perfil da Editora Gutenberg

Curiosidades do Jornal de Letras, 1949-1951

0

1

Roberta Fraga, no Livros e Afins

O Jornal de Letras foi uma publicação que teve edições de 1949 a 1993, sob e edição de José Condé e seus irmãos João Condé e Elysio Condé. Era um panomara da arte no cenário do Rio de Janeiro e também nacional. Lá, caso algum de vocês tenham o privilégio de ver algum dia in loco um exemplar do periódico, poderão ver o cotidiano da vida artística de grandes vultos das artes e da literatura. Era também um pouco de revista de fofoca dos artistas, mostrando cenas do dia-a-dia da cidade, rotina de lanches na Academia Brasileira de Letras, opiniões, picuinhas artísticas, publicidade relacionada. Aliás, a publicidade é uma diversão à parte.

Como eu tive o privilégio de trabalhar pesquisando uma encadernação das edições do ano de 1949 a 1951, vou mostrar umas degustações interessantes. São fotos feitas com celular e sem iluminação adequada, portanto, contentem-se e não chiliquem muito pela qualidade das imagens.

Lendo o conteúdo delas, vocês terão uma boa ideia de quão divertidas são as matérias, se bem que, algumas com altíssimo conteúdo político e ativista, naturalmente para uma publicação desse tipo.

Vejamos…

Abaixo, registro de uma cena do cotidiano com uma figura bem ilustre

1

Publicidade mostrando desde sempre o quão importante as bibliotecas são

1

1

Reconhecem este senhor simpático? Pois é, Cândido Portinari em Veneza

1

1

Ranking dos escritores

1 (mais…)

Professor pega aluno falando mal dele no Twitter e exibe imagens em sala

0

Thiago Barros, no TechTudo

Um caso hilário de uma “punição” de um professor a um aluno nos Estados Unidos deu o que falar no Reddit na última terça-feira (05). O docente pegou o jovem falando mal dele no Twitter, tirou um print da página e colocou como papel de parede do seu computador, junto com um projetor, na sala de aula.

Professor colocou tuíte ofensivo como papel de parede do computador (Foto: Reprodução/Reddit)

Professor colocou tuíte ofensivo como papel de
parede do computador (Foto: Reprodução/Reddit)

O nome da escola e das pessoas envolvidas não foram revelados pelo internauta que publicou as imagens do projetor no Reddit. No entanto, “Xcoaster”, como ele se chama na rede social, explicou o que aconteceu: o estudante “xingou muito no Twitter” porque o mestre havia marcado uma determinada data para uma prova e acabou realizando o teste em outro dia.

“Te odeio, Sr. Torrence. Você disse que a prova era na quarta, então nos dê na quarta, não na terça. #VocêPrecisaDeUmCalendário #VaiSeFerrar”, escreveu o garoto.

O que ele não imaginava era que um colega de classe fosse tirar um screen da tela e delatá-lo para o “Sr. Torrence”, que no fim das contas, segundo o usuário que postou as imagens, estava correto e havia mesmo marcado a prova para terça-feira. Então, a vingança do professor foi simples: “envergonhar” o aluno em plena sala de aula mostrando a publicação em um telão no meio da classe.

Sistema de leitura 3D permite folhear livros medievais

1

Isaltina Padrão no Diário de Notícias

Sistema de leitura 3D permite folhear livros medievais

Preciosos livros medievais, geralmente exibidos em caixas de vidro e apenas manuseados com luvas, podem ser folheados através de um sistema de leitura em 3D apresentado hoje na feira de tecnologias de informação Cebit, em Hanover (Alemanha).

Desenvolvido pelo organismo alemão de investigação Fraunhofer, o sistema faz uma cópia digital dos textos antigos e das suas ilustrações coloridas e retransmite-a num ecrã plano.

O leitor apenas tem de se colocar a alguns metros de distância do ecrã, estender os braços e fazer o gesto de virar as páginas do livro antigo.

Os gestos são analisados graças a detetores de movimento e o leitor pode virar as páginas do livro 360 graus e admirar em 3D as imagens embutidas.

“Penso que o livro mais velho que digitalizamos até agora tem pelo menos 1.000 anos”, explicou o responsável do projeto, Paul Chojecki.

O Fraunhofer trabalha em parceria com a biblioteca da Baviera, em Munique (sul), que pretende tornar mais acessível a sua coleção de livros antigos, mas o instituto quer levar a experiência mais longe.

Go to Top