Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged incentivo à leitura

Apaixonada por livros, menina monta biblioteca comunitária dentro de casa

0

Aos 11 anos, estudante de Monte Aprazível (SP) já leu mais de 300 livros. Exemplo de dedicação e força de vontade, ela incentiva a leitura.

Publicado na Tribuna Hoje

lexssandra mostra biblioteca para amiga

Alexssandra mostra biblioteca para amiga

Aos 11 anos, uma estudante de Monte Aprazível (SP) já leu mais de 300 livros e criou uma biblioteca comunitária dentro de casa. Os livros são catalogados por temas e idade. Alexssandra Borges Alves é um exemplo de dedicação e força de vontade, além de ser uma grande incentivadora da leitura.

Todas as crianças do bairro Copacabana, onde mora, têm acesso aos livros. Em princípio, as obras dividem espaço com o tanque e a máquina de lavar, mas ficam à disposição para quem deseja ler. “Quando eu tinha 3 anos, minha mãe me incentivava a ler. A minha mãe pegava um livro e começou me dar. Eu começava a rabiscar, a pintar, mas quando eu comecei a ler surgiu essa ideia de que eu não conseguia mais parar de ler. Fiquei com paixão pelos livros”, conta.

Muitos livros, que poderiam estar esquecidos, foram doados para a biblioteca, que aproxima alguns moradores da leitura. “A única biblioteca que tem em Monte Aprazível fica no Centro Municipal, que fica muito longe. Para quem mora para esses lados, ir até a biblioteca dela é mais fácil”, diz Maria Eduardo Lombarde de Oliveira, de 10 anos.

A professora de Alexssandra, Elaine Aparecida Balsamão, diz que ela chamou a atenção por gostar de ler. “Só tenho coisas boas para falar dela. É uma menina dedicada. Ela vai crescer muito, vai crescer muito na vida”, acredita.

Um dos colegas de classe da estudante, Emanuel Átila da Silva, de 11 anos, afirma que aprendeu muito com a amiga. “Muita coisa que eu aprendi com ela foi bom para mim hoje. Desde quando a conheci, ela fez muita coisa boa pra mim.”

Alexssandra organiza toda a retirada e a devolução de cada exemplar pelo computador, que também ganhou. Se alguém não devolver na data certa, ela vai de bicicleta até a casa da pessoa para saber o motivo do atraso. Para a mãe dela, Diene Borges Alves, saber ler traz conquistas.

“É uma coisa que ninguém tira de você. É o aprendizado. Falar de uma filha assim é muito emocionante, É um orgulho”, diz.”Quero incentivar as pessoas a ler. Quem não gosta de ler pode começar a ler um pouqinho porque é muito legal. Ler traz bastante esperança. Se você está triste, fica alegre. Depende dos livros”, afirma.

Jovem que lia somente por obrigação hoje ama os livros e é fã de Clarice Lispector

0
foto1

Maurilane descobriu a paixão pela leitura por meio do programa Caminho Melhor Jovem Foto: Mariana Annunziato

 

Publicado no Extra

Maurilane da Cunha, de 19 anos, nasceu e cresceu na Cidade de Deus, comunidade da Zona Oeste do Rio. Sem qualquer plano para o seu futuro, cuidava dos sobrinhos para ajudar a família. Não era muito de estudar e não amava nem um pouco os livros.

A mudança na trajetória de vida da jovem veio há três anos, por meio do Programa Caminho Melhor Jovem (CMJ), da Secretaria de Estado e Esporte, Lazer e Juventude, com financiamento do BID. Hoje, ela sonha em cursar pedagogia e espalha por aí seu amor pela literatura, e, em especial, por Clarice Lispector, uma de nossas maiores escritoras.

Criado em 2013, esse programa estimula o desenvolvimento pessoal e profissional de jovens de 15 a 29 anos, moradores de territórios com Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) ou em processo de pacificação. A equipe formada por psicólogos, assistentes sociais e pedagogos articula oportunidades e serviços sob demanda dos próprios jovens, para fortalecê-los na construção do seu projeto de vida.

– O meu papel é acompanhar esse jovem, entendê-lo e apoiá-lo no seu desenvolvimento para que ele enxergue um pouco mais além. O diferencial do CMJ é justamente a continuidade e a personificação desse atendimento ao jovem. Tudo é feito a partir do perfil e da vontade dele. É um espaço de escuta e reflexão, explica a conselheira e assistente social do CMJ Thainá Briggs.

Foi ela quem enxergou o potencial de Maurilane, aluna de escola pública, com dificuldades em Matemática e Português, mas que apresentava um comportamento muito comum entre meninas da sua idade: escrevia em um diário suas impressões sobre a vida e o seu dia a dia.

Programa Caminho Melhor Jovem atende moradores de territórios com UPPs Foto: Mariana Annunziato

Programa Caminho Melhor Jovem atende moradores de territórios com UPPs Foto: Mariana Annunziato

 

Percebendo seu gosto por escrever, a conselheira começou a estimular na menina o hábito da leitura, indicando os livros da biblioteca do Programa. Thainá incentivava Maurilane a escolher um título, ler em casa e fazer um resumo para ser entregue no dia do atendimento. A atenção da conselheira fez a jovem descobrir o gosto pelos livros, principalmente aqueles voltados para o universo feminino. Sua escrita e rendimento na escola também apresentaram uma melhora, de imediato.

– Antes de participar do Programa eu só lia por obrigação, confessa a estudante. Logo no primeiro contato com os profissionais do Programa é traçado o perfil desse jovem, com sua trajetória pessoal e profissional até ali. Depois, ele é estimulado a pensar sobre suas possibilidades e a elaborar um plano de autonomia para sua vida. O plano, é dividido em três metas: a curto (3 meses), médio (6 meses) e longo (1 ano) prazos.

Para o Secretário de Esporte, Lazer e Juventude do Estado do Rio de Janeiro, Marco Antonio Cabral, o principal retorno do CMJ é expandir as possibilidades na trajetória da vida dos participantes:

– O Programa tem mesmo este objetivo: orientar e estimular esses jovens a alcançarem sua autonomia, seja na vida pessoal, acadêmica ou profissional. A ideia é aumentar o número de jovens participando do CMJ. Para isso, a Secretaria conta com o trabalho dos articuladores, jovens participantes do programa, que também são influenciadores em suas regiões. Orientados por supervisores, eles fazem a divulgação do CMJ em pontos estratégicos, como escolas públicas.

Com o suporte do CMJ, Maurilane também participou de outros cursos, como os de teatro e auxiliar administrativo na Faetec; além de artesanato e oficina no Nesa/Uerj. Atualmente, ela cursa o último ano do Ensino Médio, faz estágio em uma escola para crianças da primeira infância e estuda para o vestibular de Pedagogia.

– Se eu não tivesse passado por aqui, não traçaria o meu caminho e também não estaria estagiando. Vou terminar meus estudos, fazer a prova do Enem e passar para a faculdade. Antes, não sabia que podia planejar meu futuro tão bem, nem mesmo que podia amar os livros tanto assim, finaliza a jovem.

Projeto envia literatura a custo zero para aplicativo Whatsapp

0
Uma vez cadastrado, o usuário recebe textos diários, que chegam cedo pela manhã para atender quem desejar ter acesso à literatura no caminho para o trabalho. (Divulgação)

Uma vez cadastrado, o usuário recebe textos diários, que chegam cedo pela manhã para atender quem desejar ter acesso à literatura no caminho para o trabalho. (Divulgação)

 

Para estimular a leitura rápida, o “Leitura” investe em textos curtos que são mandados para o telefone através do serviço de mensagens instantâneas Whatsapp a custo zero

Lucas Jardim, no A Critica

Quando foi a última vez que você leu um livro? Caso você não se lembre, é provável que faça muito tempo e você não está sozinho nessa.

Uma pesquisa feita pela Federação do Comércio do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ) este ano deu conta de que sete entre dez brasileiros não leram um livro sequer em 2014 e os que leram, o fizeram menos do que em anos anteriores.

Um dos vários fatores apontados pela pesquisa que pode ter levado a esse resultado é a crescente facilidade no uso da internet, popularizada como nunca antes através dos smartphones.

INTEGRAÇÃO

Em vez de vê-los como inimigos, funcionários de uma agência de publicidade decidiram integrar o smartphone no padrão de leitura das pessoas.

Essa é a ideia por trás do “Leitura de Bolso”, projeto idealizado e apoiado pela agência Isobar. Criado em novembro, ele já possui mais de 10.500 inscritos.

“Nós ficamos impressionados com o número de brasileiros que não leu nenhum livro em 2014 e 2015. Tentamos entender porque isso acontece e como poderíamos mudar essa situação. Para estimular a leitura, mesmo que ela comece apenas com 5 minutos diários, resolvemos unir a tecnologia com a cultura. Nosso sonho é que esses novos leitores aumentem para 10, 20, 30 minutos de leitura por dia”, disse Mateus Braga, diretor executivo de criação da agência em Brasília, que enfatizou que a resposta dos inscritos tem sido muito positiva.

LEITURA RÁPIDA

Para estimular essa leitura rápida, o “Leitura” investe em textos curtos que são mandados para o telefone da pessoa através do serviço de mensagens instantâneas Whatsapp a custo zero.

Uma vez cadastrado, o usuário recebe textos diários, que chegam cedo pela manhã para atender quem desejar ter acesso à literatura no caminho para o trabalho.

Mateus explica o mote é que a iniciativa promova a leitura ao mesmo tempo em que permite a exposição de novos talentos, uma vez que o projeto não envolve custo para os escritores, nem para os usuários e nem para os desenvolvedores.

“Queremos mostrar para os leitores que todo mundo pode ter um livro no bolso. E que ninguém precisa de muito tempo para conseguir ler um livro completo. Basta a leitura fazer parte da rotina e ser algo prazeroso. Para o escritor, são mais de 10.000 novos leitores conhecendo o trabalho dele. Tanto no site quanto no próprio WhatsApp há maneiras dos leitores conhecerem mais sobre o trabalho desse autor e comprar seus livros”, explicou o diretor de criação.

APOSTANDO

Um dos atraídos pela proposta do “Leitura” foi o autor brasiliense Roberto Klotz, que fez do seu terceiro livro, “Quase Pisei!”, o primeiro lançamento da plataforma digital.

“É senso comum que a publicação do livro é a realização para o escritor. Entretanto, mesmo os escritores novatos logo percebem que o trabalho não terminou com a edição. São precisos distribuição, marketing e vendas ou um enorme espaço sob a cama para estocar as caixas de livros. Então a possibilidade de conseguir divulgação levou a apostar no projeto”, contou.

Segundo o autor, o livro já existia antes do projeto, mas a recepção no “Leitura” deixou boas impressões. “As vendas na noite de lançamento superaram as expectativas graças à grande divulgação – e, apesar de não ter bancado a edição, vendi o suficiente que a bancaria. O lançamento no Whatsapp me surpreende pelo retorno na quantidade de elogios e mensagens”, relembrou Roberto.

FUTURO

Com as expectativas de todos os envolvidos no projeto superadas, Mateus contempla a integração de conteúdo audiovisual no “Leitura” no futuro, no entanto, diz que sua agência está focando no principal diferencial do projeto, o texto.

“Estamos convidando novos escritores para (mais…)

Amazon e Nestlé darão livros digitais em caixas de bombom

0

11100617739157-t1200x480

Rodney Eloy, no Pesquisa Mundi

A Amazon e a Nestlé anunciaram ontem o projeto Bombom de Ler, uma promoção que incentiva a leitura facilitando o acesso a livros digitais. Por meio dessa parceria inédita, clientes que comprarem caixas de bombom Nestlé e Garoto terão a oportunidade de escolher um dentre dez best-sellers em eBooks disponíveis no site da promoção para baixar gratuitamente e ler em um eReader Kindle, ou qualquer computador, smartphone ou tablet.

Ao todo, serão 30 milhões de caixas distribuídas em mais de 5 mil pontos de venda do Brasil. O lançamento chega para impulsionar as vendas das caixas de bombom Nestlé e Garoto para o Natal, o mais importante período sazonal para o mercado brasileiro, e agregar valor às caixas de bombons, tradicionalmente utilizadas como forma de presentear. Esta é uma oportunidade singular de fazer com que milhões de consumidores possam ter acesso à leitura de grandes títulos gratuitamente.

A Nestlé escolheu as populares caixas de bombons para a parceria inovadora com a Amazon, pois as embalagens reúnem diversas marcas consagradas de chocolates ao tempo que permitem que o consumidor escolha um livro entre os dez best-sellers oferecidos.
Publicidade

Fomentando a leitura no Brasil

“A Nestlé e a Amazon estão unindo forças para promover a leitura para qualquer brasileiro que compre os bombons neste fim de ano. Chocolates e livros são sempre excelentes presentes, e estamos oferecendo aos nossos clientes dois presentes em uma única caixa, bombons e livros digitais. Estamos muito felizes por ter a Nestlé como uma grande parceira para fomentar o hábito da leitura no Brasil”, diz Alex Szapiro, Country Manager da Amazon.

“Os clientes que baixarem os livros também terão a opção de testar o serviço Kindle Unlimited gratuitamente por 30 dias. Esta é a união perfeita da doçura dos chocolates Nestlé com o prazer do ato de ler”, continua Szapiro.

“Para a Nestlé, a ação ‘Bombom de Ler’ marca mais um capítulo da relação de afeto construída com os consumidores brasileiros ao longo de toda a sua história. Por meio da parceria com a Amazon, a companhia atua como facilitadora do acesso e reforça a tradição da busca constante por inovação, aproveitando o potencial de disseminação da leitura por meio de eBooks”, comenta Liberato Milo, Head da Unidade de Chocolates da Nestlé.

11100236311152

Mecânica da promoção

Para participar, é simples: após comprar as caixas de bombons das marcas Nestlé ou Garoto, o consumidor deverá entrar no site da ação através deste link, escolher um dos dez títulos selecionados e digitar o código impresso dentro das caixas. Os consumidores (mais…)

Crianças param trânsito para doar livros e incentivar a leitura no Amapá

0
Crianças fizeram doação de livros durante bliz literária em Macapá (Foto: André Mendonça/Arquivo Pessoal)

Crianças fizeram doação de livros durante bliz literária em Macapá (Foto: André Mendonça/Arquivo Pessoal)

 

Ação faz parte do projeto escolar ‘Dentro do livro… Um mundo mágico’.
Blitz educativa aconteceu nesta quinta-feira (10), na Zona Sul de Macapá.

Fabiana Figueiredo,no G1

Alunos das turmas de 5º ano da Escola Municipal Paraíso das Acácias pararam o trânsito nesta quinta-feira (10) para doar livros a motoristas que trafegavam na Rua Santos Dumont. A ação faz parte de um projeto que busca incentivar a leitura entre os estudantes e moradores do entorno do colégio.

A blitz literária aconteceu em frente a escola, no bairro Muca, Zona Sul de Macapá. Além de livros, também foram entregues para os condutores dicas de como incentivar a leitura na família. As atividades fazem parte do projeto “Dentro do livro… Um mundo mágico”, criado pela professora Adrilene Braga, de 48 anos.

“Esse projeto foi aplicado para buscar elevar a nota do Ideb [Índice de Desenvolvimento da Educação Básica] da nossa escola, que estava muito baixa, além de trabalhar a alfabetização dos alunos”, disse a professora.

Projeto busca incentivar leitura entre crianças e adultos (Foto: André Mendonça/Arquivo Pessoal)

Projeto busca incentivar leitura entre crianças e
adultos (Foto: André Mendonça/Arquivo Pessoal)

 

O projeto iniciou na sala de aula da turma onde a professora leciona, com crianças de 9 a 14 anos. Em poucos meses, quase 50 crianças estavam sendo atendidas com a proposta, segundo Adrilene.

“Em março, 18 crianças não sabiam ler. Hoje elas já aprenderam e muito bem. Também trabalhei a leitura com os pais desses alunos. Alguns resultados foram a criação de um cantinho de leitura na casa deles e a produção do primeiro livro que cada um escreveu e foi lançado hoje”, contou Adrilene.

Nesta quinta-feira, além de blitz literária, a programação também teve exposição de contos, contação de histórias, e o lançamento das obras autorais escritas por alunos ao longo do ano.

Go to Top