Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged interesse pela leitura

Estudante cria ‘sebo solidário’ para vender livros e arrecadar dinheiro para cursar faculdade no interior de SP

0

 

Estudante de Itapetininga (SP) criou ‘sebo solidário’ para arrecadar dinheiro com a venda de livros doados — Foto: Thiago Pires Fotografia/Divulgação

Juliana de Albuquerque Marçal, moradora de Itapetininga (SP), vende livros a baixo custo pela internet para incentivar a leitura.

Nicole Annunciato, no G1

Com a paixão pela leitura e o sonho de cursar medicina veterinária, uma adolescente de Itapetininga (SP) criou um “sebo solidário”. Ela recebe doações de livros, os vende pela internet e o dinheiro arrecadado é destinado ao “porquinho” da faculdade.

Em entrevista ao G1, Juliana de Albuquerque Marçal, conta que começou a juntar dinheiro com a venda de roupas e jogos que não usava. Quando as peças acabaram, ela teve a ideia de vender os livros que tinha em casa pela internet.

“Eram dez livros e acabei vendendo todos em um dia. No mesmo dia consegui doações e quando o sebo completou uma semana, terminei com mais de 100 títulos. Hoje estou com quase 400.”

A estudante vende de 20 a 30 livros por mês e eles custam entre R$ 0,50 e R$ 15 para que todos tenham a oportunidade de ler.

“A ideia do sebo é também promover a leitura a baixo custo para aqueles que não têm condições de comprar livros novos. Os livros que não saem eu faço doação para pessoas que tem algum projeto. Nenhum livro é dispersado”, afirma.

Juliana tem o sonho de estudar medicina veterinária e arrecada dinheiro com a venda de livros em ‘sebo solidário’ — Foto: Thiago Pires Fotografia/Divulgação

A família de Juliana também a apoia com o projeto: a mãe dela vende roupas para pets feitas com crochê, o pai dela a ajuda com as entregas dos livros e a irmã os cataloga. “A família toda me apoia e me dá muito amor.”

Interesse pela leitura

Juliana pegou gosto pelos livros quando leu a saga de Harry Potter. “Eu tenho síndrome do pânico e nunca tive paciência para pegar um livro e ler. Pode parecer exagero, mas quando li os primeiros livros da saga, minha vida mudou.”

A estudante passou a frequentar a biblioteca semanalmente e em meio às páginas, encontrou livros que foram os alicerces para que ela tivesse a iniciativa de juntar dinheiro para realizar o sonho de estudar medicina veterinária.

“Um dos livros que vi dizia que quem luta pela lenda pessoal, o universo conspira para que ela se realize. O outro afirmada que nunca devemos dizer que não temos dinheiro para comprar algo porque nosso cérebro vai trabalhar para que acreditemos nisso. A partir daí, me dei uma chance”, diz.

Além de batalhar pelo objetivo, Juliana afirma que os livros a ajudaram a vencer as crises de pânico.

“As pessoas me abraçam quando eu entrego um livro. Elas sorriem e dizem que acreditam em mim. Isso me ajudou. Os livros me transformaram.”

Aposentado monta ‘árvores de livros’ no Morro dos Alagoanos, em Vitória

0

Seu Raimundo contou que a ideia de fazer a ação nesta data surgiu por causa do Dia Nacional do Livro, celebrado em 29 de outubro.

Nadine Allves, no G1

A paixão do aposentado Raimundo de Oliveira pela leitura virou inspiração em uma comunidade de Vitória, nesta sexta-feira (26). Ele criou a campanha ‘Árvores que dão livros’, pendurando exemplares nas áreas verdes do Morro dos Alagoanos.

Seu Raimundo contou que a ideia de fazer a ação nesta data surgiu por causa do Dia Nacional do Livro, celebrado em 29 de outubro.

Árvore de livros do Seu Raimundo, no Morro dos Alagoanos (Foto: Arquivo Pessoal/Raimundo de Oliveira)

Árvore de livros do Seu Raimundo, no Morro dos Alagoanos (Foto: Arquivo Pessoal/Raimundo de Oliveira)

A intenção do aposentado é despertar o interesse pela leitura na comunidade. Todos os exemplares serão doados aos moradores que quiserem. Seu Raimundo também estará no local para conversar com os interessados durante a ação: de 8h às 17h nesta sexta, e de 8h às 12h no sábado (28).

“São livros do meu acervo, muitos deles estão autografados pelos autores. A ideia é que eles circulem e não fiquem parados nas estantes”, contou.

Ao todo serão três árvores que ficam na Rua Colatino Barroso, próximo a Igreja Católica São Sebastião, no Morro dos Alagoanos, em Vitória.

Paixão

A paixão de Seu Raimundo pelos livros é antiga. Ele confessa que entra nas livrarias para sentir o cheiro e admirar as estantes.

“Os livros são as maiores fontes de conhecimento. Seja o livro científico, romance, literatura ou poesia, todos possuem uma sabedoria imensa”, ressaltou ele.

Uma das inspirações do aposentado é a Biblioteca Nacional do Brasil, considerada a maior da América Latina e fica no Rio de Janeiro.

Jonathan Azevedo já precisou ler um livro por semana para pagar aluguel

0

Adalberto Neto, em O Globo

Quem vê Jonathan Azevedo na pele do bandido Sabiá, na novela “A força do querer”, nem imagina que, por trás daquela malvadeza toda, existe um homem delicado e sensível. E olha que a vida sempre foi dura com ele. Logo que nasceu, levou um ‘não’. “A mulher que me pariu não me queria”, conta. “Para minha sorte, minha mãe estava no mesmo hospital, tinha acabado de perder uma filha de 22 anos e saiu de lá me carregando nos braços”.

Jonathan Azevedo | Divulgação

Jonathan Azevedo | Divulgação

As relações familiares sempre foram uma questão para o ator. “Vou à psicóloga para tentar me situar na vida. Só quando parei de questionar o meu passado, passei a aceitar o meu futuro”, observou ele, que afirma não querer conhecer os seus pais biológicos. “Dizem que eles moram numa comunidade perto, mas não tenho a menor vontade de saber quem são”. Nascido na Cruzada São Sebastião, no Leblon, ele mora no Vidigal e, aos 17 anos, dividiu apartamento com um amigo, um dos responsáveis por seu interesse pela leitura.

“Eu só podia dar R$ 200 para o aluguel. Então, além desse valor baixo, ele exigia que eu um lesse livro por semana. Conheci Nelson Rodrigues, Plínio Marcos, Elisa Lucinda por causa desse amigo”, diz. Com o fim da novela, ele se despede hoje do personagem que o ajudou a mostrar ao Brasil inteiro o seu talento.

Saiba como despertar nas crianças o interesse pela leitura

0

dicas-para-que-as-crianas-aprendam-a-ler_A

Publicado no Ribeirão Preto Online

O brasileiro lê muito pouco, apenas 4,96 livros por ano. Esse fato foi constatado pela quarta edição da Pesquisa Retratos da Leitura no Brasil. Para completar, o estudo mostrou ainda que o incentivo para reverter a situação é baixíssimo. Por exemplo, 67% da população não recebeu qualquer apoio de alguém para abrir um livro sequer.

Para o professor, coordenador pedagógico e fundador do blog “Como educar seus filhos” Carlos Nadalim, o hábito da leitura deve vir de casa. Segundo ele, para combater a falta de interesses, os pais precisam contar mais histórias em voz alta para as crianças.

O especialista conta que muitas vezes esse é o grande momento do dia dos filhos por ser uma ocasião de descobertas da criança e também da aproximação da família. “Minha primeira dica é que leiam em voz alta, para eles mesmos, o livro escolhido”.

Por que fazer isso? Para se familiarizar com a narrativa, é preciso dominar a história antes de lê-la. Isso porque os pequenos percebem quando o pai ou a mãe está lendo por ler uma determinada história. Elas sabem quando estamos fingindo interesse. Evite isso a todo custo – relata.

Outro ponto a ser analisado, segundo Nadalim, é que o texto precisa ser interessante para o leitor e para o ouvinte. Ele enfatiza a importância de se colocar no lugar das crianças e observar se o conteúdo é instigante e se a sonoridade é agradável. “Caso seu filho tenha certa idade, será capaz de entender o significado de determinada palavra em outros contextos”.

Por esse motivo, sugiro sempre fazer uma leitura prévia. Isso permite ver se existe algum ponto do texto que deva ser omitido ou que não mereça destaque. Muitas vezes, nós, pais, pegamos o primeiro livro que temos à mão e fazemos a leitura. Surge então um trecho ou palavra que você julga inadequado para a criança naquele momento e você acaba lendo sem pensar. Ela então ouve o que você disse e começa a repetir – diz.

Nadalim ressalta também que a ilustração merece cuidados. Os pais devem ter a percepção se o desenho vai atrair a criança e chamar a atenção dela. Ele chama enfatiza ainda o fato de se ao longo da história há frases repetidas.

Ele explica que as imagens conseguem manter o interesse dos pequenos, por incrível que pareça. Quando você lê histórias em que as frases se repetem, isso cria expectativa na criança, ela espera por essa repetição. “Trata-se de um recurso interessante para a leitura em voz alta”.

Obviamente há muitas outras sugestões acerca desse assunto tão vasto que é a preparação da leitura em voz alta e os critérios para você escolher os livros e as histórias. Portanto, use e abuse desse recurso – conclui.

Site: http://comoeducarseusfilhos.com.br/blog/

Go to Top