Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged J. K. Rowling

De desempregada a bilionária: conheça a história da autora da saga Harry Potter

1

Ben Pruchnie/Getty Images

J. K. Rowling tem uma fortuna estimada pela Forbes em US$ 1 bilhão

Livia Maria, no Administradores

O ano era 1990 e Joanne Rowling estava em um trem, viajando entre a cidade inglesa de Manchester e a capital Londres, exatamente para a estação ferroviária de King’s Cross. Durante o trajeto de quatro horas, as ideias sobre a história de um jovem bruxo de cabelos negros, óculos redondos e sobrenome Potter tomaram sua atenção. Ela começou a rabiscar o que se tornaria a saga literária infanto-juvenil com adaptação para o cinema mais lucrativa da história.

Nos quatro anos seguintes, Rowling elaborou uma complexa história envolvendo criaturas mágicas, mitologias, mas principalmente histórias de amizade e amor. A hoje riquíssima e reconhecida autora, entretanto, não percorreu um caminho fácil até a publicação do seu primeiro “Harry Potter e a Pedra Filosofal”, exatamente há 17 anos. No fim de 1994, Joanne era uma mãe solteira que morava em Edimburgo, na Escócia, dependia do seguro-desemprego concedido pelo governo britânico e não via nenhuma perspectiva financeira. Seus dias eram dedicados aos afazeres domésticos e cuidados com a filha recém-nascida, que quando dormia era arrastada pela mãe em um carrinho para o café mais próximo, onde Rowling se dedicava por horas e horas às aventuras e dramas de Harry Potter – muitos dos quais refletiam momentos específicos da sua vida igualmente bagunçada.

Com o manuscrito em mãos, Joanne o enviou para um agente literatário, que o devolveu com uma educada carta de recusa. Sorte de Christopher Little, que acreditou no potencial da autora e ofereceu o manuscrito à editora Bloomsbury, que sugeriu o uso de iniciais em vez do nome da autora, por acreditar que os garotos teriam preconceito com uma autora mulher. Harry Potter chegaria às livrarias inglesas em 26 de junho de 1997, sob autoria de J. K. Rowling.

Com o adiantamento recebido da editora, J. K. Rowling, que dava aulas de francês para se sustentar, pode enfim se dedicar exclusivamente à literatura. Hoje, todos seus livros viraram best-sellers, com mais de 600 milhões de cópias vendidas e traduzidos para 68 idiomas em mais de 200 países.

O sucesso dos seus livros a transformou de desempregada e bilionária, em 2004. Sua fortuna era estimada pela Forbes em 1 bilhão de dólares, colocando-a financeiramente a frente até da Rainha Elizabeth II, que tinha uma fortuna pessoal estimada em 660 milhões de dólares. Além do dinheiro que ganha com os livros, Rowling ainda recebe royalties pela venda dos diversos produtos baseados na franchising criada pelo igual sucesso da série no cinema.

Apesar de bilionária, ela não perdeu seu ar pacato e simples, sendo que uma de suas primeiras extravagâncias foi a compra de uma mansão do século XIX, na Escócia. Hoje, Rowling dedica-se à ajuda de causas humanitárias, escrita de novas histórias, à criação dos filhos e ao casamento com o médico Neil Murray.

J. K. Rowling publica ‘Histórias do Quadribol’ na internet

1
A autora britânica J.K. Rowling publica online Lefteris Pitarakis / AP

A autora britânica J.K. Rowling publica online Lefteris Pitarakis / AP

Autora postou artigo com novas histórias do mundo de Harry Potter

Publicado em O Globo

RIO – A autora britânica postou no pottermore.com, portal dedicado ao mundo do bruxo, a primeira parte do artigo “History of the Quidditch World Cup”, em tradução livre “História da Copa do Mundo de quadribol”. O jogo de 2.400 anos faz parte da saga Harry Potter e já havia virado livro em “Quadribol através dos séculos”, escrito pela própria autora sob o pseudônimo de Kennilworthy Whisp.

A segunda parte do artigo será lançada na próxima sexta-feira e será o maior conteúdo publicado no site, que entrou no ar em 2012.

“Estamos muito felizes por ter a oportunidade de publicar um história de imaginação de J. K. sobre o esporte mais emocionante do mundo dos bruxos. Seremos o único lugar em que os fãs poderão descobrir outro pedaço da saga de Harry Potter”, comemora Susan L. Jurevics, CEO da Pottermore.

Enquanto a segunda parte trará capítulos das Copas mais notáveis da história, a primeira mostrará os bastidores do torneio, como ele funciona e exemplos de polêmicas nas edições.

J. K. Rowling fará outra série de sete livros

0

Detetive particular de ‘O chamado do cuco’ terá outras aventuras

Publicado em O Globo

A escritora J.K Rowling, que lança série policial sob pseudônimo de Robert Galbraith J. P. Masclet / AP

A escritora J.K Rowling, que lança série policial sob pseudônimo de Robert Galbraith J. P. Masclet / AP

RIO – O romance policial “O chamado do cuco”, de J. K. Rowling, fará parte de uma série de sete livros com o detetive particular Cormoran Strike, tal como foi com “Harry Potter”, segundo o jornal The Sunday Times.

O segundo livro da série, “The Silkworm”, ainda sem título em português, será lançado dia 24 de junho no Reino Unido. No Brasil, ele chegará às livrarias em novembro, editado pela Rocco. Ambos foram escritos sob o pseudônimo de Robert Galbraith. O próprio The Sunday Times revelou a verdadeira identidade do autor após um escritório de advocacia britânico vazar a informação. “O chamado do cuco” já havia vendido mil cópias e subiu para o topo da lista de mais vendidos no mundo depois do anúncio, atingindo 600 mil vendas impressas e um milhão de ebooks.

A autora já havia anunciado que pretendia fazer uma série, porém não se sabia ainda que a saga do detetive Strike e sua assistente Robin Ellacott chegaria ao mesmo número de volumes que a história do bruxo de Hogwarts

Novo livro de J. K. Rowling será publicado em Junho

1

Gabriel Utiyama, no Cabine Literária

De acordo com o site MuggleNet, um novo livro de J. K. Rowling está programado para ser publicado em junho deste ano. Trata-se de um novo romance policial protagonizado por Cormoran Strike – o detetive de “O Chamado do Cuco” e assinado pelo pseudônimo de Rowling, Robert Galbraith.

O novo livro se chama “The Silkworm” (O Bicho de Seda, em tradução livre) e, segundo informações da editora Hachette Group Book, possuirá 384 páginas. A sinopse oficial revela que Cormoran e sua assistente Robin Ellacott são contratados para encontrar o escritor Owen Quine, que desapareceu após escrever um livro que relata diversos segredos e que teria o potencial de arruinar a vida de muitos conhecidos do escritor. O desaparecimento logo se torna uma investigação de homicídio e cabe à Cormoran descobrir a identidade do assassino e suas motivações.

A capa já foi produzida e você confere abaixo:

1

Ansiosos para mais uma aventura da lady Rowling?

Editor de ‘Harry Potter’ quer publicar livro de escritor ‘mascarado’ brasileiro

0

O editor britânico que descobriu Harry Potter, dando à então escritora desconhecida J.K. Rowling a chance de finalmente publicar a primeira obra da saga que vendeu 400 milhões de cópias em todo o mundo, quer publicar o livro de um escritor brasileiro anônimo que vem divulgando partes de sua obra pela internet.

Fernanda Nidecker, na BBC Brasil

ilustração do livro de Dark Writer | Divulgação

Leitores contribuem ativamente criando ilustrações para o livro do autor mascarado

Barry Cunningham, antigo editor da Bloomsbury, disse à BBC Brasil que quer ser o “mentor” do autor misterioso, que não revela seu nome, idade ou gênero ao seu público virtual e carrega apenas o pseudônimo de Dark Writer.

Em seus perfis no Facebook e no Twitter e no site DarkWriterProject, o escritor aparece com uma máscara que ganhou do designer de joias japonês Joji Kojima, que confeccionou máscaras para a cantora Lady Gaga.

“Eu li o primeiro capítulo em inglês pelo Twitter e vi logo que ele tinha talento, mas que precisava aprimorar a estrutura da narrativa”, diz Cunningham, que mantém contatos frequentes com Dark para discutir sobre os avanços do livro de estreia do autor, que deve ter vinte capítulos.

O editor o compara a um “trovador moderno” que tem mostrado que os livros não têm apenas de viver em prateleiras empoeiradas, mas podem florescer no espaço virtual.

“Dark Writer é um dos precursores e um dos melhores escritores até agora a abrir caminho para que suas histórias cresçam online com uma interação direta com seu público”, afirma Cunningham, que hoje comanda a editora Chicken House, que publica a série Túneis, sucesso no Brasil entre o público infanto juvenil.

Dark Writer | Divulgação

Autor ganhou máscara de Joji Kojima, designer de Lady Gaga

Em entrevista à BBC Brasil, Dark Writer explicou que a escolha pelo anonimato foi motivada por uma mistura de timidez e a vontade de brincar com a imaginação das pessoas.

“Fiquei com vontade de ver como reagiriam ao ler algo de alguém que não sabem se é jovem, velho, homem ou mulher”, diz.

“Acho que os leitores muitas vezes se preocupam demais com quem escreveu o livro, em vez de simplesmente mergulhar na história.”

Criaturas medonhas

No livro, Dark Writer conta a história de Mary, uma jovem britânica de 16 anos que durante um ano muito conturbado para todo planeta parte de férias com os pais.

Após vários contratempos que retardam a viagem de verão, entre os quais a queda de um meteorito que levou a torre do Big Ben ao chão, uma forte luz surge na estrada e vira a vida da garota de cabeça para baixo.

Quando abre os olhos, Mary está em um ambiente completamente diferente e não vê seus pais. Ela carrega um estranho medalhão de prata no pescoço e tem de enfrentar criaturas medonhas.

A inspiração para a trama vem da infância, quando Dark gostava de criar mundos alternativos e escrevia pequenos contos usando amigos da escola como personagens.

O primeiro capítulo foi postado em 2010 no Orkut, onde o autor começou a atrair leitores enviando pedidos de amizade com a pergunta “Quer participar da criação de um livro?”

Em 2011 migrou para o Twitter e para o Facebook, onde continuou conquistando adeptos com convites enviados por perfis dos personagens da trama.

A personagem Mary e os demônios | Divulgação

Livro conta a história da jovem Mary, que vive atormentada por criaturas medonhas

Dark chegou a publicar nove capítulos no Twitter e lembra que a grande virada veio quando uma fã brasileira traduziu o primeiro capítulo para o inglês, popularizando a história entre leitores de vários países.

Entre os novos seguidores que adquiriu nas redes sociais – hoje são mais de nove mil -, estava Barry Cunningham.

“Começamos a trocar mensagens em que ele me dava conselhos, até que veio o convite para um café em Londres. Cheguei em janeiro deste ano já de mudança”, conta.

Leitores participativos

Dark considera imprescindível estar na Grã-Bretanha para buscar inspiração para caracterizar melhor seus personagens e retratar de forma mais fiel o cenário onde passa a história.

Para isso, ele conta com o apoio dos leitores, que participam ativamente da criação do livro fazendo ilustrações que são postadas no site DarkWriterProject e nas redes sociais.

autor mascarado e leitores | Divulgação

Dark Writer distribuiu cópias do primeiro capítulo em Londres

O autor mascarado acabou virando ele próprio um integrante da trama, sendo retratado nas ilustrações ao lado dos personagens.

E foi também com doações de seu público virtual que Dark conseguiu imprimir 200 cópias do primeiro capítulo em inglês que foram distribuídas nas ruas de Londres e de Oxford durante o verão.

Por orientação de Cunningham, Dark Writer retirou do ar o que tinha postado até agora, mas ainda é possível baixar o primeiro capítulo em inglês e em português no site Darkwriterproject.com.

Para descobrir o desfecho da história de Mary, o público terá de esperar até o final do ano que vem, quando o livro chegará às livrarias, e também deverá ter fim o mistério que ronda a identidade do autor mascarado.

Go to Top