Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged jogos

Game Of Thrones: Westeros deveria ser assim, segundo George R.R. Martin

0

O próximo livro de George R. R. Martin está chegando. Não, não é aquele livro.

Bill Bradley, no Brasil Post

O autor falou recentemente sobre The World of Ice & Fire, seu novo livro que narra a história de Westeros. Durante a palestra, Martin revelou que o universo retratado na série Game of Thrones pode ser lindo, mas não é como ele imaginou que ficaria.

“Eu queria as versões precisas desses castelos. Nós tivemos um número de diferentes artistas desenhando em capas, cards e jogos. Alguns criaram belas imagens, mas não necessariamente precisas em relação ao mundo que eu descrevi”, disse sobre o cenário desenvolvido ao longo da série literária e televisão.

Para o novo livro – uma visão apurada sobre os conceitos, mitologias e cenários de GOT -, o autor disse que colaborou com os artistas que souberam como interpretar sua mente, extraindo paisagens de dentro dela. Veja agora como o mundo de Game of Thrones realmente deveria ser.

O Trono de Ferro

1

No que diz respeito à forma como o trono foi moldado para a série, o autor disse: “É um grande trono e se tornou icônico, mas não é realmente o meu Trono de Ferro … Neste livro você vai ver o meu Trono de Ferro”. Acima, uma visão de como seria o trono com base nos livros.

Winterfell

1

Sobre o trabalho de paisagem do artista Ted Nasmith, Martin disse: “Eu sabia que com Ted Naismith estava trabalhando com um dos grandes pintores de paisagens do mundo real e um cara que realmente fez grandes obras arquitetônicas, de modo que ele e eu trabalhamos muito próximos neste projeto”.

A Fortaleza Vermelha em King’s Landing

1

Ao falar sobre a Fortaleza Vermelha, Martin disse que as locações e paisagens da HBO são bonitas, mas nenhuma é exatamente o que ele descreveu no livro.

Castle Black e a Muralha

1

Segundo Martin, a Muralha de Adriano, na Escócia, serviu de inspiração para a criação de Castle Black. O autor disse que visitar o muro lhe deu um “profundo sentimento”.

Pedra do Dragão

1

Martin disse, a Pedra do Dragão foi uma das transposições visuais mais difíceis da série. Ainda assim, a descrição mais precisa da fortaleza está nos livros, ou no novo projeto do escritor.

The World of Ice and Fire: The Untold History of Westeros and the Game of Thrones foi lançado no último dia 28 de outubro nos Estados Unidos. No Brasil, o título ainda segue sem tradução e previsão de lançamento.

Argentina comemora 50 anos de Mafalda com mostra

0

Publicado por Folha de S.Paulo

Mafalda, uma das mais famosas personagens dos quadrinhos argentinos, é tema de uma exposição em Buenos Aires que teve início nesta semana.

“El Mundo Según Mafalda” (“O Mundo segundo Mafalda”, em livre tradução do espanhol) traz reconstruções de cenas dos quadrinhos desenhados por Joaquín Salvador Lavado, mais conhecido como Quino, além de estátuas dos personagens, jogos, músicas e muitas outras peças interativas.

O cartunista Quinto, criador da Mafalda, na inauguração da exposição em Buenos Aires (Natacha Pisarenko/Associated Press)

O cartunista Quinto, criador da Mafalda, na inauguração da exposição em Buenos Aires (Natacha Pisarenko/Associated Press)

A exposição marca o aniversário de 50 anos de Mafalda, assim como os 60 anos da estreia de Quino como chargista.

Após passar também por México, Chile e Costa Rica, a mostra está programada para chegar a São Paulo em dezembro deste ano.

Mafalda é uma garotinha argentina cheia de questionamentos sobre a vida e a sociedade.

Junto a seus amigos e seus pais, suas histórias comovem crianças e também adultos há décadas e suas aventuras já foram traduzidas para cerca de 30 línguas.

Quino ganhou este ano o prêmio Príncipe de Astúrias de Comunicação e Humanidades.

Professor cria jogos educativos com material reciclável em Guaratinguetá

1

Jogos aumentam o rendimento dos alunos sala de aula, diz educador.
Ele criou um grupo na internet para compartilhar ideia com outros educadores.

10498050_602179793235532_7423290325032236116_o
Publicado no G1

Um professor de matemática de Guaratinguetá, no interior de São Paulo, utiliza a criatividade para ensinar matemática aos seus alunos. Com materiais recicláveis, ele confecciona jogos para atrair a atenção das crianças e transformar as aulas teóricas em práticas.

O educador George Washington Leite, de 42 anos, atua na profissão há 10 anos e dá aula de matemática para alunos do 6° ao 9° ano em uma escola particular da cidade. Seu projeto recebeu o nome de ‘Sucesso da Matemática’ e também já conquistou outros alunos da escola. Segundo ele, outros professores de matemática o convidam para aplicar os jogos para turmas do 1º ao 5º ano.

“Meu projeto deu tão certo que os professores me convidam e passam o conteúdo que está trabalhando em sala, e então eu penso em um jogo que aborde aquele conteúdo de uma maneira mais simples”, disse. Em dois anos de projeto, ele já notou diferença no rendimento e nas notas dos alunos.

“Estamos melhorando o rendimento dos nossos alunos, tentando resgatar a aprendizagem e o interesse pela matemática. Muitos tinham medo de se envolver com a matemática, mas estou mostrando que pode ser fácil e divertido. O jogo é uma estratégia para um melhor aprendizado”, afirmou. Entre os jogos, há atividades de tabuada, adição, subtração e frações. O grau de dificuldade varia de acordo com a série do aluno.

Mãe de uma aluna do 4° ano, Patrícia Fernandes, conta que a filha agora se interessa mais pela matemática. “Minha filha estuda com mais prazer, ela aprende se divertindo. Ela adora os jogos e algumas ideias ela traz para a casa e montamos um jogo para jogar em casa. O trabalho e o cuidado do professor é maravilhoso”, afirmou.

cortada_1

Sustentabilidade
Além do cuidado em criar os jogos de acordo com o que é desenvolvido em sala, George avalia que mais que contribuir na educação dos seus alunos, também ajuda o meio ambiente.

“Estamos na era da sustentabilidade, os materiais ficavam jogados em casa. Então resolvi aproveitar e utilizar nos jogos. Os alunos também ficam curiosos em ver o que pode ser reaproveitado”, disse.

Para montar os jogos, ele utiliza tampinhas de refrigerante, garrafas de leite, jornais e caixas de ovos.

Multiplicando a ideia
O professor também utiliza as redes sociais para levar a ideia a professores de outras cidades. Neste ano, ele criou um grupo para trocar experiências com outras pessoas. “Esse é o maior presente pra mim, ver professores do outro lado do Brasil trabalhando com algo que nasceu em casa. É uma ideia simples mas que pode fazer a diferença”, disse.

George conta que alguns de seus jogos foram adaptados para crianças com deficiência. “Uma professora de Blumenau adaptou alguns jogos para alunos com deficiência visual. Sempre digo que de uma boa ideia, nascem outras boas ideias”, afirmou.

Em menos de nove meses, o grupo já atingiu mais de mil membros, com professores do Rio de Janeiro, Minas Gerais, Campinas, Mato Grosso do Sul e até de Portugal. “Eu poderia criar os jogos e utilizar apenas com os meus alunos, mas decidi compartilhar com outros professores e trocar ideia em nome da educação”, disse.

Estas 10 práticas vão deixar você mais inteligente

0

Seu cérebro é capaz de realizar muitas peripécias, mas você pode dar uma ajudinha

Fonte da imagem: Shutterstock

Fonte da imagem: Shutterstock

Daiana Geremias, no Megacurioso

Quer ficar mais esperto, ter um rendimento melhor nos estudos e no trabalho? Sabia que é possível dar um empurrãozinho no funcionamento do seu cérebro? A revista Time fez uma lista com pequenas atitudes que podem ajudar você a ser uma pessoa mais inteligente. Confira quais são essas atitudes a seguir e depois nos conte se já pratica alguma delas:

1 – Administração do seu tempo online

1

Você provavelmente já reparou que, de vez em quando, faz seu login no Facebook “só para dar uma olhadinha” e, de repente, lá se foram algumas horas diante da tela azul e branca. Não que você não possa se divertir com as redes sociais, mas aprender a administrar seu tempo na internet é uma grande coisa.

Você pode usar “o lado bom” da internet e se dedicar a aprender coisas novas, ver palestras do TED, tentar aprender uma nova língua, conhecer um novo país, aprender mais a respeito do corpo humano e por aí vai.

2 – Tome nota!

1

Você tem acesso a um número muito grande de informações todos os dias, por isso não adianta pensar que vai conseguir lembrar sempre o conteúdo daquela matéria do Mega Curioso que você acabou de ler e que achou incrível. Quando alguma coisa for realmente importante para você – por exemplo: se for algo que possa cair em uma prova –, o ideal é que você faça anotações para poder lembrar depois.

3 – Faça uma lista das coisas que você já fez

1

Ser confiante e feliz é sinal de inteligência, e uma boa forma de você se tornar confiante e satisfeito é se lembrar das coisas que já conquistou. Se sua meta era fazer academia e se você já está fazendo aulas de musculação há duas semanas, lembre-se disso. Idem para aquela conquista no trabalho, na faculdade, na escola. Isso vai fazer de você uma pessoa mais motivada.

4 – Jogue mais!

1

Os jogos mais recomendados para treinar seu cérebro são o xadrez, alguns jogos de baralho e, claro, as famosas palavras cruzadas. Tudo que envolve planejamento estratégico e memória é uma boa ideia. Melhor ainda se você jogar sozinho, sem ajuda de livros e dicas.

5 – Selecione melhor seus amigos

1

Não é novidade que as pessoas com as quais você se relaciona podem influenciar seus hábitos e suas decisões. Por isso, é sempre bom manter por perto aquele amigo que gosta de ler, que vai bem nos estudos, que tem um bom relacionamento social, que sabe tomar boas decisões e que tem boas conversas. Esse conselho serve para a vida inteira: é sempre bom ter por perto uma pessoa inteligente tanto na questão racional da coisa quanto na emocional também.

De acordo com Saurabh Shah, o seu QI é uma média do QI das cinco pessoas mais próximas de você. Isso só comprova o que falamos no parágrafo anterior: ficar perto de gente esperta faz de você uma pessoa esperta.

6 – Leia muito

1

Esse é um conselho muito batido e, para alguns, um pouco chato. Ainda assim, é preciso reforçar o poder da leitura, principalmente em tempos de redes sociais, quando passamos mais tempo em contato com conteúdos rasos do que com uma boa narrativa literária, por exemplo.

Cientificamente falando, a leitura tem o poder de dar aquele impulso que seu cérebro precisa de vez em quando, sem falar que é um ótimo exercício para a criatividade também. Você não precisa começar lendo a obra completa de Dostoiévski, mas pode criar o hábito de ler jornal e, quem sabe, aquele livro que faz mais o seu estilo. O importante é ler bastante e sempre. (mais…)

Como conciliar os estudos com a Copa?

0

desenho-futebol

Eventos como esse podem transformar a preparação para o vestibular em um desafio ainda maior. Veja as nossas dicas para não perder o ritmo sem deixar de torcer!

Ana Lourenço, no Guia do Estudante

Há grandes chances de você estar, como boa parte do mundo, hipnotizado pela euforia que envolve a Copa do Mundo – ainda mais estando no seu país-sede este ano. Desse jeito, fica quase impossível se concentrar em qualquer outra coisa que não os jogos, certo? Errado! Felizmente, há maneiras de conciliar a escola, o cursinho e os estudos com a Copa.

Planejamento e equilíbrio

Planejar bem a rotina de estudos é, como sempre, o mais importante na vida do estudante, e, em tempos de Copa em casa, se torna ainda mais essencial. Afinal, em todas as semanas do evento os horários úteis ficam desregulados por conta dos jogos, e mais ainda se você morar em uma das cidades-sede. Para a diretora de serviços educacionais da editora Saraiva, Francisca Paris, não há necessidade de o vestibulando se isolar da Copa. “Futebol faz parte de nossa identidade, é quase impossível não ficar contagiado com a torcida nos jogos do Brasil. Nessas épocas, é natural que haja algumas alterações no país, mas, com equilíbrio entre jogos e estudo, dá para conciliar tudo”, explica.

Faça escolhas

É importante entender que interromper os estudos para focar nos jogos está fora de questão, mesmo que apenas durante o mês da Copa. Para o professor Eduardo Saneti, da Oficina do Estudante, o vestibulando deve escolher o que assistir. “Se a pessoa gosta muito de futebol, o ideal é escolher alguns jogos específicos que queira muito assistir, e usar as duas horas da partida como período de descanso”, diz. Dessa forma, se em um dia forem transmitidos dois jogos, escolha um deles para acompanhar – e deixe para checar o resultado do outro depois.

Inclua a Copa em seus estudos

Como o maior evento do futebol está sendo sediado no Brasil, é bastante provável que haja alguma questão sobre o assunto no Enem e nos vestibulares. De acordo com o professor Eduardo, há chances de que questões de Geografia que envolvam a Copa sejam cobradas. “Em vários dias, podemos ver seleções jogando em Manaus a 32 ºC, e, no dia seguinte, um jogo em Curitiba a 15 ºC. Dá para explorar a diferença de clima relacionada ao tamanho continental do país, envolvendo tópicos como latitude e vegetação”, explica.

Os jogos em si também podem ser usados para estudar questões históricas e geopolíticas. Segundo Francisca, ”é possível, por exemplo, fazer simulações estatísticas com os resultados, ler geograficamente o campo de futebol e compreender os embates de alguns jogos fora da linha de campo”.

Estudar a configuração política atual dos países que disputaram até agora, tendo sido eliminados ou não, também pode ser uma boa pedida. Além disso, é possível usar algumas partidas como gancho para estudar conflitos históricos. Por exemplo, a vitória do Chile sobre a Espanha, na fase de grupos da Copa, remete à colonização espanhola na América Latina. Um país europeu enfrentando um africano também pode lembrar o neocolonialismo e o imperialismo do século XX. O jogo entre França e Alemanha, que ocorre no dia 4 de julho, relembra as rivalidades entre França e Alemanha no processo da unificação alemã.

Quaisquer que sejam os métodos utilizados para conciliar os estudos com essa grande festa, o importante é não deixar os livros de lado: tenha em mente o objetivo a ser alcançado no fim do ano. Mas, estudos à parte, também não dá para deixar de aproveitar a festa!

Go to Top