Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged leitura

Ler para as crianças melhora o desempenho escolar

0

(Tatyana Tomsickova Photography/Getty Images)

A exposição à leitura beneficia os desenvolvimentos emocional e neurológico.

Raquel Drehmer, no M de Mulher

Ler sempre é bom. Por meio da leitura desenvolvemos a empatia, aumentamos o vocabulário, relaxamos, conhecemos e entendemos pensamento e realidades diferentes do nosso padrão, entre outros fatores. Quando lemos perto das e para as crianças, isso se amplifica, pois elas recebem estes mesmos benefícios e, de quebra, os laços familiares são fortalecidos. E tem mais: quando o assunto é desempenho escolar, os pequenos que são expostos com frequência aos livros antes dos cinco anos ficam à frente daqueles que não têm este estímulo.

Esta é a conclusão de um estudo realizado pela Universidade de Newscastle (Austrália) divulgado no final de 2018. Com base na observação da dinâmica de 1320 crianças e seus pais – metade das famílias orientadas a ler para os filhos, metade orientada a não ler –, observou-se que, depois de três anos, o grupo infantil da leitura tinha o vocabulário mais amplo e a compreensão de situações cotidianas mais apurada que o outro grupo.

Naturalmente, houve consequências no rendimento em sala de aula: no geral, as crianças do primeiro grupo tiveram avaliações e/ou notas mais elevadas que as do segundo.

O resultado confirma o que havia sido revelado em um outro estudo, de 2017, publicado no periódico Pediatric Academic Societies Meeting. Nele, pela análise por 4 anos de 250 filhos para os quais as mães liam desde os 6 meses de vida, observou-se que o vocabulário e a compreensão da linguagem eram mais amplos que a média na entrada na escola.

Desenvolvimento cerebral infantil pela leitura

Deborah Moss, neuropsicóloga especialista em psicologia do desenvolvimento pela USP, afirma que a ação da leitura é tanto emocional quanto física: “Além de toda a questão de afeto e troca neste momento de qualidade que os pais se dispõem a ficar com os filhos, o contato com os livros e as letras estimula uma parte do desenvolvimento neurológico que chamamos de ambiente alfabetizador, onde as letras circulam. À medida que eles crescem, a associação com as letras é feita.”

Que fique claro, porém, que o objetivo não é alfabetizar precocemente essas crianças, mas sim estimular sua familiaridade com as letras, com a escrita – que serão fundamental ao longo de toda sua vida. “O mundo letrado estimula a curiosidade. Este é o ponto principal”, explica.

A pedagoga Caroline Assis, professora de ensino fundamental I, conta que em sala de aula é perceptível quando a criança vem de uma realidade da qual livros, gibis e revistas façam parte do dia a dia. “Elas tendem a ser mais curiosas, criativas e capazes de associações incríveis, pois deixam a imaginação voar longe desde cedo. Aproveitam muito melhor o mundo do faz-de-conta e participam da construção de histórias mais ativamente”, diz.

USP fará terceira edição de curso gratuito de leitura

0

Curso tem foco em desenvolvimento profissional através da melhora na leitura

Inscrições tem início no dia 1º de março e promove melhora na leitura, escrita, concentração e ampliação de vocabulário.

Publicado no A Cidade On

A Escola de Educação Física e Esporte da USP de Ribeirão Preto, em comemoração aos seus dez anos, realizará um curso gratuito de proficiência na leitura e competência na escrita: práticas contextualizadas para o desenvolvimento profissional. As inscrições podem ser feitas pelo site a partir do dia primeiro de março até o dia onze de março.

O curso tem duração de dez semanas e acontecerá no período de 22 de março a 31 de maio, todas as sextas, das 14h às 17h. A coordenadora e também ministradora do curso, professora Maria Helena da Nóbrega, explica que cada aluno escolhe um livro de romance para ler e apresentar na reta final do curso, fazendo um vídeo falando sobre a obra escolhida e depois uma resenha, opinativa e argumentativa.

“Antes disso não discutimos o livro, eu apresento várias teorias de como ler, de como melhorar a leitura, concentração e também trabalho a parte prática em textos menores, durante a aula a gente faz textos variados, não só ficcionais, mas também informativos como o jornalístico, e também analisamos muito a fotografia que compõe o texto”, detalha a professora.

Os interessados devem ficar atentos as datas de inscrições e distribuições de vagas, pois das 35 disponíveis, 20 serão ara funcionários da USP e 15 para comunidade externa de acordo com a ordem de inscrição.

“A ideia é que a leitura […] é fundamental como instrumento de aprendizagem, como instrumento de autoconhecimento, estar familiarizado a leitura leva a uma maior concentração, você aprende a treinar a mente a ter uma nova concentração. Você está no livro e não nos seus problemas, e quando você volta para o dia a dia você volta muito melhor, mais capacitado, com outra visão dos seus problemas. Leitura é uma viagem, é uma coisa maravilhosa”, reforça Maria Helena.

Gerando frutos

Desde a primeira vez que ministrou o curso, em 2017, Maria Helena afirma que a maior alegria é saber que mudou a vida das pessoas para melhor e que elas mantém os hábitos após a conclusão. O resultado da turma de 2017 foi um clube do livro que permanece até os dias atuais, se reunindo mensalmente e recebendo pessoas que participaram e não participaram do curso.

“Eu tive um público bem variado nessa primeira edição do curso em 2017, e eu acho que é essa a tendência mesmo. Então tinha pessoas que já liam muito, tinha pessoas que não tinha o hábito de leitura, tinham lido pouco na época de escola e fazia tempo que não estudavam, tinha pessoas que não gostavam de ler e nunca tinham lido. E de uma maneira geral, houve uma redescoberta da leitura, isso que a parte que mais me deixa feliz, por acreditar que isso muda a vida das pessoas”, conta.

Para ela, trazer a redescoberta de si através da leitura é um dos maiores ganhos, além de perceber a evolução causada no ambiente profissional, a percepção da mudança no pessoal também é notável.

“Eu entendo a leitura realmente como um processo libertador, porque a pessoa lendo vai aprender um pouco mais de todo mundo e também de si mesma, ela tem esse aspecto de autoconhecimento que está embutido na leitura, a partir da identificação ou não com alguns personagens, quer dizer, você repensa sua vida, revê a sua vida”, diz Maria Helena.
(Bruna Zanatto, sob supervisão de Marcelo Fontes)

SERVIÇO
Proficiência na leitura e competência na escrita: práticas contextualizadas para o desenvolvimento profissional
Quando: Inscrições 1/3 à 11/3. Curso 22/3 à 31/5
Onde: USP Ribeirão Preto (Av. Bandeirantes nº 3900 – Monte Alegre)
Entrada: Gratuita

Casa França Brasil distribui 3 mil livros neste Natal

0

Publicado no Promoview

Um Natal solidário, com intuito de promover o hábito da leitura é o que a Casa França-Brasil, com apoio da Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro, busca nesta data.

Segundo pesquisa feita pelo Instituto Pró-livro de São Paulo, 44% da população Brasileira não pratica o ato da leitura, e para diminuir esse índice alarmante a Casa França-Brasil planeja distribuir cerca de 3 mil exemplares, dos mais variados temas e faixas etárias, inclusive literatura infantil, gratuitamente.

O evento acontece no dia 21 de dezembro das 17h às 20h30.

Carlos Vereza.

Na mesma ocasião, o projeto “Literatura na Varanda” estará promovendo a leitura de o “Conto de Natal” do escritor francês, Guy de Maupassant, e o conto brasileiro “O Pároco” de Coelho Netto, interpretados por Carlos Vereza, um presente de Natal recheado de histórias e desenvolvimento.

 

6 Dicas para ler mais e muito mais rápido

0

Leonardo Filomeno, no Manual do Homem Moderno

Sabia que a escritora Agatha Christie lia 200 livros por ano? E que o presidente dos EUA Theodore Roosevelt tinha como costume ler um livro por dia? Até mesmo o Mark Zuckerberg, criador do Facebook, termina um volume a cada duas semanas?

Você não precisa ser um leitor voraz desse tipo, mas pode incorporar mais o hábito de leitura na sua vida. Você deve estar se perguntando: mas por que eu deveria fazer isso? Porque vai trazer consigo grandes melhorias na sua vida. Se liga nos principais benefícios: – Melhorar o funcionamento do seu cérebro, aumentando as conexões neurais; – estimula sua criatividade, deixando você mais inteligente, melhora sua escrita e vocabulário; – Incita o senso crítico; – Provoca empatia. Se você já ficou convencido com os motivos pelos os quais deveria incorporar o hábito de leitura na sua vida, com ajuda do Clube de Assinatura TAG, confira algumas dicas para ler mais e muito mais rápido!

1. Reserve um tempo no dia para ler (e pratique)

Não fique esperando a hora certa para ler, faça da leitura uma tarefa comum no seu dia. Isso funciona para quem não é tão fã de leitura, sempre vai aparecer uma série, um filme ou um jogo mais legal do que parar e começar a ler. Deixar para o momento ideal pode não acontecer, assim como reservar para momentos antes de dormir. Aqui, com seu cansaço de um dia inteiro, é fácil se perder entre as letras e pegar no sono, abandonando aquele livro que você queria ler. Dedicar uma parte do começo da manhã pode ser uma boa. Deixe de lado aquele tempo em que você gasta nas redes sociais para ler alguns capítulos.

2. Tenha mais livros disponíveis para ler do que consegue

Tudo bem se você tiver mais livros do que conseguiria ler, faz parte da construção do hábito. Ter em mãos opções diferentes de leitura pode fazer você ganhar o gosto por aí. Pode pegar livro emprestado, comprar que, a probabilidade de você encontrar um volume que se encaixe com sua vibe é muito maior.

3. Tenha um Clube de assinatura de livros

Se você não sabe por onde começar a ler, a dica que nós damos é ter o Clube de Assinatura de livros TAG. Com ele, todos os meses um curador indica um livro surpresa, em edição exclusiva, que não são encontradas para a venda em livraria ou um grande best-seller ainda inédito no Brasil. Dessa forma, você vai ter a certeza de que terá, pelo menos, um bom livro para ler todo mês. Hoje, o clube já conta com mais de 35 mil assinantes em todo o Brasil.

4. Leia mais de um livro por vez

É legal ter foco, mas a flexibilidade pode também ser aplicada à leitura. Muitas vezes ficamos com um livro difícil que nos trava e isso compromete todo fluxo de leitura. Por isso, aposte em duas ou três opções de áreas e estilos diferentes para ler mais. Alguns mais densos, outros mais leves. Isso vai fazer você ter mais volume de leitura de páginas ao longo dos dias.

5. Comprometa-se a ler um número fixo de páginas antes de desistir de um livro

Tem muita gente que desiste do livro logo no capítulo inicial. Às vezes é porque o início da história pode ser mais difícil e enfadonho, outras vezes por que você precisa se adaptar com a linguagem de época, no caso dos clássicos da literatura. A narrativa pode demorar para te envolver, por isso, sugerimos adotar a regra das 50 páginas (ou algo menor, em volumes mais enxutos). Esse tempo de leitura vai fazer você perceber que a história se desenvolveu o suficiente para você ficar atraído ou não por ela. Assim, vai poder abandonar o teste do livro sem culpa.

6. Carregue sempre um livro com você

Preciso revelar que algo comum que sempre acontecia comigo quando eu não levava um livro junto: eu tinha sempre aqueles momentos de espera e ostracismo que poderia ser recheado com leitura. Perdi a conta de quantos livros já li em transporte público, na sala de espera de consultas médicas, hora de almoço e intervalos. Se você tem um livro em mãos nesses momentos livres, é mais fácil você voltar para a leitura e deixar redes sociais, programas de músicas de lado.

9 livros incríveis para ler em dezembro

0

Dicas de livros para o fim do ano (Foto: Pixabay)

Isabela Moreira, na Galileu

Dezembro está chegando, mas isso ainda não significa que o ano acabou. Separamos alguns dos principais lançamentos literários para você incluir na sua lista de leitura ou de presentes. Boas festas — e boas leituras!

1 – Mary Poppins (edição de bolso), P.L. Travers (Zahar)
Não há momento melhor para ler Mary Poppins: além de ter um ar de nostalgia típico dessa época do ano, coincide com a estreia de O Retorno de Mary Poppins, filme da Disney que estreia nos cinemas no dia 20 de dezembro.

O livro conta a história de uma babá que é contratada para cuidar dos pequenos John, Barbara, Jane e Michael Banks. Com amizades e habilidades inusitadas, Mary Poppins conquista as crianças e muda suas vidas para sempre.

2 – As Horas Vermelhas, Leni Zumas (Planeta)
Um dos favoritos do ano: na onda de distopias como O Conto da Aia e O Poder, o livro se passa nos Estados Unidos, onde um presente eleito proíbe o aborto, a fertilização in vitro e a criação de filhos por pais solteiros.

A narrativa acompanha a perspectiva de diferentes mulheres — a Mãe, a Filha, a Reparadora, a Biógrafa — e mostra como as vidas de cada uma delas é afetada pela medida do governo.

3 – Fogo & Sangue, George R.R. Martin (Suma)
Enquanto George R.R. Martin não termina Os Ventos do Inverno, vale ler Fogo & Sangue, nova obra do autor que conta a origem e as principais lendas da família Targaryen. O livro é o primeiro de dois volumes e se passa 300 anos antes dos acontecimentos de “As Crônicas de Gelo e Fogo”, que inspiraram a série Game of Thrones.

4 – Breves Respostas para Grandes Questões, Stephen Hawking (Intrínseca)
O livro póstumo de Stephen Hawking, que faleceu no início deste ano, conta com as últimas reflexões do físico sobre temas como a formação do universo, a ideia de Deus e viagens no tempo.

A obra conta ainda com um prefácio escrito pelo ator Eddie Redmayne, que interpretou Hawking em A Teoria de Tudo, uma introdução do Nobel de Física Kip Thorne e um posfácio da filha do autor, Lucy Hawking.

5 – O Feminismo é para Todo Mundo, bell hooks (Rosa dos Tempos)
A feminista e ativista Gloria Jean Watkins, conhecida pelo pseudônimo bell hooks, escreve sobre como o feminismo pode mudar a vida de todos, abordando desde os recortes de gênero e raça até maternidade, paternidade e a masculinidade tóxica.

6 – Moxie: Quando as Garotas Vão à Luta, Jennifer Mathieu (Verus Editora)
Considerado um dos melhores livros juvenis de 2017 pela revista Time, Moxie conta a história de Vivian, uma adolescente que, cansada do machismo e da desigualdade de gênero entre os estudantes de sua escola, começa uma zine feminista, aprendendo mais sobre si e seus colegas.

7 – A História do Universo para quem Tem Pressa, Colin Stuart (Valentina)
Dos primórdios da astronomia à formação das galáxias como as conhecemos em apenas 216 páginas: essa é a proposta de A História do Universo para quem Tem Pressa, que aborda o tema com uma linguagem leve e acessível, ideal para quem quer ter um primeiro contato com o assunto.

8 – O Rei das Sombras, Javier Cercas (Biblioteca Azul)
Em forma de romance, Cercas conta a história de seu tio-avô, Manuel Mena, que, em 1936, se juntou ao exército de Franco na Guerra Civil Espanhola e por muito tempo foi considerado o herói de sua família.

9 – A História de Joe Shuster – O Artista por trás do Superman, Julian Voloj e Thomas Campi (Aleph)
Nada como uma graphic novel para relembrar a trajetória de uma lenda dos quadrinhos. Trata-se da história de Joe Shuster, um dos criadores do Superman, personagem que completou 80 anos em 2018 e foi responsável pelo início da Era de Ouro dos Quadrinhos

Go to Top