Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged Ligar

‘A Sútil Arte de Ligar o Foda-se’ lidera lista de livros mais vendidos da Amazon

0

Vitor Paiva, no Hypeness

A autoajuda segue em alta no Brasil, mas no lugar dos incentivos pessoais de superação, pela via da inspiração, da espiritualidade ou mesmo do autoconhecimento foi substituído por um sonoro e sincero foda-se. O perdão pelo termo se torna impossível, já que ele está no título do livro mais vendido pela Amazon no país: “A Sutil Arte de Ligar o F*da-se”, de Mark Manson, liderou as listas dos livros mais vendidos tanto entre os impressos quanto nos digitais. A lista também traz livros como “O Poder do Hábito”, de Charles Duhigg, e “Sapiens – Uma Breve História da Humanidade”, de Yuval Noah.

Somente dois esperados títulos de ficção adentraram as listas: “O Conto de Aia”, livro no qual a série “Handmaid’s Tale” foi inspirada, e o box com os livros do Harry Potter, entre os impressos, e nos digitais com as Obras Completas de Machado de Assis e “Os Grandes Romances de Dostoiévski”. Machado não é o único brasileiro a constar nas listas: há também a youtuber Nathalia Arcuri, com seu livro “Me Poupe!”, o terceiro mais vendido entre os impressos, e o décimo digital mais vendido.

O campeão, Mark Manson

O título campeão procura inverter quase que completamente a lógica dos livros de autoajuda: no lugar da pressão pelo sucesso e a busca incessante pela felicidade irrestrita, Manson propõe, em termos gerais, a admissão de que não somos tão especiais, e que devemos procurar o que é realmente importante na vida – e ligar um imenso foda-se para o resto. Assim, conseguiríamos algo realmente transformador, e não uma felicidade maquiada.

LIVROS IMPRESSOS

1 – “A Sutil Arte de Ligar o F*da-Se”, por Mark Manson (Intrínseca)
2 – “O Milagre da Manhã”, por Hal Elrod (BestSeller)
3 – “Me Poupe!: 10 Passos Para Nunca Mais Faltar Dinheiro no seu Bolso”, por Nathalia Arcuri (Sextante)
4 – “O Poder do Hábito: Por Que Fazemos o Que Fazemos na Vida e nos Negócios”, por Charles Duhigg (Objetiva)
5 – “Sapiens – Uma Breve História da Humanidade”, por Yuval Noah (L&PM)
6 – “Mindset: A Nova Psicologia do Sucesso”, por Carol Dweck (Objetiva)
7 – “O Conto da Aia”, por Margaret Atwood (Rocco)
8 – “Os Segredos da Mente Milionária”, por T. Harv Eker (Sextante)
9 – “Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas”, por Dale Carnegie (Nacional)
10 – “Caixa Harry Potter – Edição Premium”, por J.K. Rowling (Rocco)

LIVROS DIGITAIS

1 – “A Sutil Arte de Ligar o F*da-Se”, por Mark Manson (Intrínseca)
2 – “O Poder do Hábito: Por Que Fazemos o Que Fazemos na Vida e nos Negócios”, por Charles Duhigg (Objetiva)
3 – “Mindset: A Nova Psicologia do Sucesso”, por Carol Dweck (Objetiva)
4 – “Sapiens – Uma Breve História da Humanidade”, por Yuval Noah (L&PM)
5 – “O Milagre da Manhã”, por Hal Elrod (BestSeller)
6 – “PROCRASTINAÇÃO: Guia Científico Sobre Como Parar de Procrastinar (Definitivamente)”, por Lilian Soares (Amazon)
7 – “Obras Completas de Machado de Assis I: Romances Completos (Edição Definitiva)”, por Machado de Assis (Nova Aguilar)
8 – “Os Grandes Romances de Dostoiévski”, por Fiódor Dostoiévski (Amazon)
9 – “Homo Deus: Uma Breve História do Amanhã”, por Yuval Noah Harari (Companhia das Letras)
10 – “Me Poupe!: 10 Passos Para Nunca Mais Faltar Dinheiro no seu Bolso”, por Nathalia Arcuri (Sextante)

1010 maneiras de comprar (um livro) sem dinheiro

1

Publicado na revista Super Interessante

Dia 23/04 foi o Dia Internacional do Livro. A comemoração nasceu há quase 90 anos na Catalunha (Espanha) e mais tarde foi instituída como efeméride mundial pela UNESCO, por ter sido o dia de morte de grandes escritores, como o espanhol Miguel de Cervantes e o inglês William Shakespeare. Na Europa, a data costuma ser celebrada com ofertas e descontos em livrarias. Mas, na Catalunha, há três anos surgiu uma iniciativa que promove a leitura e dá valor ao livro de outra forma que não pelo dinheiro: 1010 Ways To Buy Without Money* (1010 Maneiras de Comprar Sem Dinheiro, em inglês).

Comprar livros sem dinheiro. Parece incoerente, não? Só que isso não significa que o livro é grátis. A ideia é vender livros em troca de ações que devem ser realizadas e comprovadas pelos clientes. Valem ações do tipo:
– ligar para a sua mãe e dizer que você a ama;
– montar uma playlist alegre e compartilhar com seus amigos;
– doar sangue;
– deixar de fumar; ou
– tornar-se um doador de órgãos.

Os 1010 preços seguem uma lógica. Eles devem significar uma ação positiva para a pessoa que realiza, proporcionar um valor para a coletividade, gerar algum tipo de utilidade ou despertar a reflexão sobre consumo e sustentabilidade.

A proposta é da agência de publicidade Carlitos e Patricia, de Barcelona. Uma equipe de 20 voluntários trabalhou por algumas semanas para catalogar todos os livros e atribuir seus preços. As obras foram doadas por escolas, associações, editoras, autores, amigos e desconhecidos.

Na semana passada, quando se comemorou o Dia Internacional do Livro, a mesma equipe esteve no espaço do projeto, montado na Plaza Real de Barcelona, para vender as obras e ajudar as pessoas nesta compra diferente. Alguns “pagamentos” podiam ser feitos à vista e, para isso, havia um fotógrafo registrando as ações. Mas em boa parte das compras, as pessoas se comprometeram a enviar uma prova de que a ação foi cumprida. O sucesso da iniciativa está na confiança: “Se não fizer nada em troca, é como se a pessoa roubasse o livro”, explicou uma das voluntárias.

Esta terceira edição do 1010 Ways To Buy Withou Money contou com eventos simultâneos em outras cidades do mundo, como Madrid, Amsterdam, Buenos Aires e Montevidéu. Em breve, o site do projeto* será atualizado com imagens e vídeos de todas as edições e com orientações para organizar e divulgar seu evento de venda sem dinheiro. A expectativa da agência é de que, num futuro próximo, o projeto realize eventos com outros objetos, além de livros.

Eu também aderi à campanha. Minha escolha na banca do “1010 Ways To Buy Without Money” foi demorada. Fiquei em dúvida entre um livro e um pôster de ilustração. O preço do livro era “Ir a pé ao trabalho por um mês”. Achei uma ótima ideia, mas como aqui em Barcelona não tenho emprego fixo que faça me deslocar com frequência, percebi que não teria como pagar. Neste projeto, o preço também influencia muito na hora da compra. E alguns não estão ao nosso alcance. Mas há produtos para todos os bolsos. Optei pelo pôster, com um preço que posso e estou disposta a pagar: adotar uma árvore. O voluntário que me atendeu enfatizou o significado de ADOTAR: “tem que cuidar também”, disse. Negócio fechado!

No vídeo abaixo, você pode ver um pouquinho da edição do ano anterior, em Montevidéu:

*1010 Ways To Buy Withou Money

Imagens: Divulgação

Go to Top