Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged Livros digitais

5 tipos de leitores que você encontra no metrô

1

unnamed

Publicado no Blog do Galeno [via Tem Mais Gente Lendo]

A caminho do trabalho, da faculdade, da escola ou da consulta médica; o metrô é sempre uma ótima oportunidade de colocar a leitura em dia.

Abaixo, listamos 5 tipos de leitores que você provavelmente já encontrou no metrô:

O emotivo

Ao ler sobre a morte do Dumbledore em A Ordem da Fênix (ops, spoiler), ele não se contém e chora no meio da Linha Vermelha, às 7h da manhã. E você quer oferecer um lencinho para o pobre coitado que está soluçando ao seu lado e dizer: “eu te entendo”.

O Digital

Pode ser Simone de Beauvoir no Kindle, Machado de Assis no Kobo ou Ilíada no iPad. Ele carrega uns 150 títulos de livros em um só lugar. Já tem e-reader com aroma de livro?

O equilibrista

Ele segura mala, mochila, sacola, casaco, em horário de pico. Em pé ou sentado, ele sempre acha uma posição confortável para ler seu livro no metrô. Prioridades, gente, por favor.

O concentrado

Ele mergulha tanto na leitura, mas tanto que às vezes perde a estação que precisa descer. Cuidado, sempre preste atenção no vão entre o trem e a plataforma, ok?

O Andarilho

A caminhada entre a saída do trem e a porta da estação pode muito bem ser a oportunidade perfeita para terminar aquele capítulo importante. Ele anda e lê, lê e anda (às vezes para no meio do caminho). Sempre pare do lado direito da escada rolante, tá Sr. Andarilho? 😉

E você? Qual tipo de leitor você é no metrô?

Amazon fecha acordo com a maior editora de livros do mundo

0
Penguin Random House: editora foi a última entre as cinco maiores do mundo a celebrar parceria com a Amazon

Penguin Random House: editora foi a última entre as cinco maiores do mundo a celebrar parceria com a Amazon

Luisa Melo, na Exame

São Paulo – A Amazon firmou um acordo com a Penguin Random House, maior editora do mundo, que inclui a venda de livros físicos e digitais. A informação é do The Wall Street Journal.

Segundo o jornal, as duas empresas se negaram a dar maiores detalhes sobre a parceria e revelaram apenas que o pacto é de longo prazo.

No Brasil, a Penguin possui uma participação na Companhia das Letras.

A gigante é a última entre as cinco maiores publicadoras de títulos do mundo a assinar contrato com a varejista online, de acordo com o WSJ.

10 benefícios do livro de papel … e outros 10 do livro eletrônico

0

libro-en-papel-y-electrónico

A leitura é sempre um benéfico, independentemente do formato em que ela é feita. Se você ler em papel ou ler eletronicamente… o importante é que a leitura lhe sirva e que você possa apreciá-la sem parar para pensar no formato no qual o conteúdo está.

Rodney Eloy, no Pesquisa Mundi

10 benefícios do livro de papel

1. Posse e colecionismo. Você pode formar uma grande biblioteca pessoal, e mostrar a seus amigos e conhecidos… além de ser preciosos objetos decorativos. Eles também servem como medalhas ou realizações.

2. Durabilidade. Livros de papel podem durar décadas e séculos, como tem sido demonstrado. É a tecnologia mais confiável para capturar e preservar textos.

3. A operação é simples. A operação dos livros de papel é muito simples: basta abri-lo e começar a ler. Também é fácil para retornar às páginas anteriores ou passagens do livro… a releitura é ainda mais fácil.

4. O poder de nostalgia. O fetichismo por livros existe… o cheiro de novo, seu toque, sua beleza visual… O livro de papel ganhou muitos seguidores e que não querem colocá-lo de lado.

5. Eles têm vida própria. Cada livro pode nos fazer relembrar um momento, nos sentimos acompanhados em viagens … Sem falar das anotações nas margens, as dobras das páginas, marcadores ou outras coisas que podemos encontrar dentro deles, tais como cartas, fotografias, calendários, bilhetes de trem…

6. Maior memória de leitura. Esta comprovado que ler em papel existe uma maior memorização e compreensão do texto lido.

7. Um livro é sempre um bom presente. Dar livros é sempre bem visto, e não apenas pela temática do mesmo, mas porque está presenteando um objeto físico para o lazer e/ou conhecimento.

8. Emprestar a um amigo. Você pode emprestar um livro de papel para um amigo, um parente, um vizinho, um colega de trabalho, certificando-se de que não está cometendo uma ilegalidade ao fazê-lo. Além disso, há uma abundância de livros de papel para emprestar em bibliotecas.

9. Não dá pau. Um livro de papel nunca vai deixar você na mão, por causa (mais…)

TRF nega imunidade tributária para leitor de livros digitais da Saraiva

0

Publicado no Consultor Jurídicosaraiva-lev1

Os leitores de livros digitais (“e-readers”) não podem ser comparados aos livros de papel e, portanto, não podem gozar de mesma imunidade tributária. Com esse fundamento, a 3ª Turma do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (SP) negou provimento a recurso da livraria Saraiva, que pretendia a liberação de equipamentos eletrônicos do modelo Bookeen Lev com luz, retidos pela Receita Federal, sem a exigência do recolhimento dos impostos federais incidentes na importação.

A Saraiva alegou se tratar de equipamento com finalidade exclusiva de leitura de livros digitais e acesso restrito à loja virtual através de acesso à internet para aquisição de obras, o que faria com que o equipamento gozasse da imunidade do artigo 150 da Constituição Federal. “O objetivo, independentemente de ser físico ou eletrônico o meio, é estimular a liberdade de expressão, afastando restrições do poder público na transmissão de ideias”, argumentou a livraria.

A empresa obteve em primeira instância a concessão parcial de liminar, em Mandado de Segurança, que havia determinado à Fazenda Nacional que se abstivesse da prática de qualquer ato tendente ao perdimento ou alienação dos leitores de livros digitais retidos no Aeroporto de Guarulhos enquanto não houvesse decisão nos autos.

Os desembargadores do TRF-3, no entanto, discordaram desse entendimento. Para eles, a extensão da imunidade de impostos sobre “livros, jornais, periódicos e o papel destinado a sua impressão” – imposto de importação e imposto sobre produtos industrializados – não pode ser aplicada aos equipamentos do modelo importado, conforme o artigo 150, inciso IV, letra “d”, da CF.

“Verifica-se, que (além de leitor de textos) o equipamento serve como arquivo de fotografias ou biblioteca de imagens, que podem ser transferidas por conexão USB, ultrapassando a funcionalidade estrita de livro eletrônico, em relação ao qual seria possível cogitar de extensão da regra de imunidade”, afirmou o desembargador federal Carlos Muta, relator do caso.

Segundo os desembargadores federais, a jurisprudência do Supremo Tribunal Federal se consolidou no sentido de reconhecer que tal imunidade atinge apenas o que puder ser compreendido na expressão papel destinado à sua impressão, com extensão a certos materiais correlatos, como filmes e papéis fotográficos, adotando, portanto, interpretação restritiva do dispositivo constitucional.

“A discussão definitiva da imunidade de ‘e-books’ (livros digitais) ainda pende de julgamento naquela corte (STF) que, porém, já admitiu a repercussão geral da matéria (Recurso Extraordinário 330.817), o que não significa reconhecimento da procedência nem da improcedência do pedido, mas apenas que se trata de tema com relevância para apreciação naquela instância”, descreveu o acórdão.

Diversidade de funções
De acordo com Muta, independentemente da solução a ser dada pelo STF quanto à questão jurídica em si, verifica-se que, no caso dos autos, inexiste direito líquido e certo a ser liminarmente tutelado, já que o aparelho, embora não garanta acesso à internet, mas apenas à loja virtual da impetrante, não se equipara, em termos funcionais estritos, ao livro em papel, pois possui outros atributos que o fazem ser mais do que apenas uma plataforma eletrônica de leitura de livros digitais.

“De fato, consta dos autos que, além de livros eletrônicos, o aparelho permite armazenar imagens não relacionadas a conteúdos escritos, como fotos, para visualização sem a necessidade de inserção de texto… Consta do manual de instruções acesso exclusivo a imagens armazenadas pelo usuário, distintas dos textos, o que torna duvidosa a afirmação de que o uso do aparelho serviria apenas para leitura, já que possível, mesmo em preto e branco, sua utilização como banco de fotos ou álbum de fotografias”, explicou o relator.

Ao negar provimento ao Agravo de Instrumento da empresa, os desembargadores federais acrescentaram ainda que o suporte à visualização de animações pelo aparelho afastaria, de forma contundente, a afirmação de que as imagens se refeririam apenas às encontradas dentro de livros digitais. “Isso prejudica o argumento de que o leitor de livros digitais poderia ser equiparado, em suas funções e finalidades, ao livro em papel para fins de gozo da imunidade constitucionalmente prevista”, concluiu Muta.

Jurisprudência em conflito
A decisão do TRF-3 vai na contra entendimento do Tribunal de Justiça de Goiás, segundo o qual, impedir que um leitor de livro eletrônico tenha imunidade de imposto, apenas por não ser publicado em papel, equivale a tributar a liberdade ao conhecimento, à cultura e à manifestação do pensamento.

A 5ª Câmara Cível da corte permitiu, no último dia 22, que uma editora comercialize no estado goiano livros eletrônicos e e-readers sem o recolhimento do ICMS.

A cobrança de ICMS no setor ainda opõe governos estaduais e editoras, com decisões divergentes pelo país. Em 2014, por exemplo, o Tribunal de Justiça do Ceará determinou a suspensão do imposto sobre a venda de e-readers. O Tribunal Regional Federal da 3ª Região (SP/MS), por sua vez, entendeu ser impossível equiparar e-readers ao papel destinado à impressão de livros.

Acesso ilimitado a livros eletrônicos por R$19,90 mensais

0

amazon_kindle-450x404

Publicado no Catraca Livre

Leia quantos livros eletrônicos desejar e ainda economize. No programa Kindle Unlimited da Amazon é assim: você explora diferentes títulos, autores, gêneros e categorias por apenas R$19,90 por mês, com cancelamento disponível a qualquer momento. Se quiser testar, os primeiros 30 dias são gratuitos.

Neste serviço da Amazon, não é necessário ter um dispositivo Kindle (leitor de livros digitais da Amazon) para aproveitar o programa. Acesse o aplicativo gratuito de leitura da Kindle, e leia seu livro em qualquer dispositivo que tenha o app instalado.

Na loja Kindle você encontra todos os títulos disponíveis do programa Kindle Unlimited. Esses livros exibem o ícone da Kindle Unlimited e apresentam o botão “leia de graça” nas suas páginas.

Livros como “Orgulho e Preconceito”, da Jane Austen; “Harry Potter e a Pedra Filosofal”, de J.K. Rowling; “O Retrato de Dorian Gray”, de Oscar Wilde; e “1984”, de George Orwell estão disponíveis do programa.

Saiba mais sobre o Kindle Unlimited aqui e comece a testar o seu agora.

Go to Top