Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged livros emprestados

Americana pode ser presa por esquecer de devolver livros à biblioteca

0

Publicado no UOL

Uma americana corre o risco de ser presa por não devolver dois livros que pegou emprestado em uma biblioteca pública de Michigan. Ela descobriu por acaso que havia um mandado devido ao empréstimo e agora passa por audiências.

Melinda Sanders-Jones pegou dois livros emprestados em 2017 e esqueceu de devolvê-los. Ela foi avisada dos atrasos quando tentou usar uma impressora na Charlotte Community Library e foi impedida devido à pendência. Ela então encontrou os livros na estante de seu filho e os devolveu.

Melinda Sanders-Jones emprestou dois livros na biblioteca em 2017 e esqueceu de devolvê-los Imagem: Reprodução/CNN

Após a devolução, a mulher esperava para receber uma notificação da multa pelo atraso. Porém, na semana passada, Melinda descobriu que havia um mandado contra ela.

Ela passava por uma promoção na empresa onde trabalha e, na hora de seu chefe checar seus antecedentes criminais, constou o mandado. Quando ele a contou pelo telefone, ela riu, mas ele garantiu que falava sério. “Eu estava tipo, não, não tem jeito. Não tem jeito, eu tenho um mandado”, contou Melinda ao canal WILX, filiado da CNN.

A diretora financeira da biblioteca, Marlena Arras, contou à CNN que foram enviadas diversas notificações para Melinda. Depois de quatro meses, a biblioteca enviou um aviso: “Se você não devolver esses materiais em duas semanas, enviaremos à Unidade de Crimes Econômicos”, contou Marlena.

O caso se encaixa em roubo de propriedade que, no Código Penal do Estado do Michigan, pode levar a 93 dias de prisão e uma multa de 500 dólares (R$2 mil) se o valor roubado for menor que 200 dólares (R$800).

Ela já teve uma primeira audiência sobre o caso e uma segunda está marcada para ocorrer amanhã.

“Realmente não acho que ir para a cadeia por esses dois livros seja normal, e definitivamente não queria roubar suas propriedades”, disse Melinda.

A biblioteca de ficção científica que reúne mais de 1200 títulos em Ribeirão Preto

0

Publicado no Hypeness

Adora livros de ficção científica? Então você precisa conhecer a Biblioteca Roberto C. Nascimento, em Ribeirão Preto, que reúne mais de 1.200 obras do gênero.

O acervo é parte do Departamento de Física da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) e conta ainda com uma gama de livros de divulgação científica em suas estantes. Criada em 2013, a estrutura fica localizada dentro de um laboratório do departamento.

Mesmo pertencendo à universidade, qualaquer pessoa pode pegar livros emprestados na biblioteca. Para isso, é necessário ficar atento aos horários de abertura do espaço: segunda e terça, das 14h30 às 18h30, e nas quintas, das 16h às 18h.

Ao Sci-Fi Blog, o diretor da biblioteca, físico e professor da USP Osame Kinouchi conta que o acervo começou com apenas 400 livros que foram doados pelo Clube de Leitores de Ficção Científica (CLFC). Com a ajuda da comunidade, mais títulos foram sendo acrescentados à coleção. Para encher ainda mais as estantes, doações de livros são aceitas, mas devem ser organizadas através do e-mail [email protected]

Mais leitura: passageiros do metrô no DF podem levar livros para casa

0

livros-metro-df

 

Livreiros já estão disponíveis em 14 estações. Campanha solidária foi feita para que a população doe e retire livros antes das viagens.

Publicado no G1

A ação ‘Compartilhe Cultura’ surgiu para incentivar o hábito da leitura na população do Distrito Federal. Segundo estudo da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan) – utilizado pelo Metrô DF para realizar a campanha – 63,5% dos moradores não têm o costume de ler no dia a dia.

Para reverter essa situação, o programa ‘Metrô Solidário’ colocou 22 livreiros em diferentes estações. A ideia é fazer com que os passageiros doem e peguem livros emprestados.

Segundo o Metrô, o objetivo da ação é “estimular esse costume durante a locomoção e fazer com que os usuários compartilhem cultura uns com os outros”.

A campanha conta com o apoio da Secretaria de Cultura que irá fornecer o acervo de livros durante a campanha. Toda semana, o metrô ficará responsável pela reposição dos livros. Nas estações, foram fixados cartazes para orientar as pessoas e estimular a doação.

Você pode ter acesso aos livreiros nas estações: Central, Galeria, 112 Sul, Shopping, Guará, Arniqueiras, Águas Claras, Praça do Relógio, Centro Metropolitano, Ceilândia Sul, Guariroba, Ceilândia Centro, Terminal Ceilândia e Terminal Samambaia.

Com 10 anos, estudante de Teresina já leu quase 400 livros e vira escritora

0
Menina de 9 anos escreve livro e já leu quase 400 e incentiva até sua mãe à leitura

Menina de 9 anos escreve livro e já leu quase 400 e incentiva até sua mãe à leitura

Edelani já começou a produzir o segundo livro enquanto família busca apoio para publicar o primeiro trabalho da menina. Carreira de escritora começou aos 8 anos.

Publicado no G1

A estudante de escola pública em Teresina, Edelani Silva, já leu quase 400 livros ao longo dos seus 10 anos de idade. Além disso, a garota também escreveu um livro inspirado nas histórias que conheceu no mundo da literatura.

“Eu li muitos livros e juntei tudo em um só. O Aladin, os contos de fadas e muitos outros estão neste livro”, explica Edelani ao falar sobre seu primeiro livro “A bolinha mágica”, que ela começou a idealizar e escrever aos 8 anos.

Enquanto Edelani trabalha na primeira poesia do segundo livro, sua família está em busca de apoio para publicar o primeiro trabalho da menina. O pai dela, um dos maiores incentivadores, contou que pegava livros emprestados na biblioteca para as filhas lessem.

“Eu fui uma pessoa que estudou muito pouco. O que eu sempre digo para minhas filhas é ‘estudar, estudar, estudar’. Porque se com o estudo está difícil, imagina sem o estudo”, disse Deusenir da Silva.

A mãe de Edelani, afirmou que sempre promoveu o hábito da leitura na filha. “Ler é muito bom. Você conhece mais o mundo. Quem gosta de lê, gosta de estudar”, disse Terezinha de Jesus.

A irmã da menina, Eusenir Araújo, de 14 anos, relatou que Edelani pegava seus livros escondidos para ler. “Eu não sabia que ela poderia passar de mim na leitura, comigo sendo mais velha. Achei bonito”, afirmou a adolescente.

Professor afirma que menina é excepcional para idade

De acordo com o professor e escritor Luiz Romero, um leitor em nível básico deveria ler ao longo de toda vida pelo menos um livro por mês, assim, aos 75 anos, a pessoa terá lido uma média de 900 livros.

“As escolas públicas tem seus alunos prodígios e ela é um”, disse o professor. Para ele, a garota precisa ser incentivada a continuar o hábito da leitura e da escrita. Para isso, o professor defende a publicação do livro de Edelani.

Professor Luiz Romero orienta menina escritora (Foto: Reprodução / TV Clube)

Professor Luiz Romero orienta menina escritora (Foto: Reprodução / TV Clube)

“Temos casos de alunos que de pequenos começam a produzir e a ler que chegam aos 20 anos já tendo lido cerca de 900 livros ou até mil livros. Não é um absurdo, é uma proposta boa”, ressaltou o professor.

A menina garante ler pelo menos a metade dos livros previstos pelo professor. “Como eu já li 375 livros, acho que aos meus 20 anos já vou ter lido mais de 500”, apostou Edelani.

4 motivos para ler (mais)

1

ITT2012-CP001-209019-1-m-Thinkstock_e_Getty_Images

Wanessa Magalhães, no Administradores

Há pouca novidade em afirmar que ler faz bem para o cérebro e para a vida, mas é interessante ressaltar como isso acontece, na prática, na vida de um leitor assíduo e, caso você seja daqueles que não curtem muito a leitura, convido a refletir com profundidade ainda maior.

Um primeiro grande motivo para ler (ou ler mais) é compreender que as leituras que um indivíduo realiza são uma das maiores fontes de informação, tornando o leitor mais atualizado e menos manipulável, uma vez que, quanto mais se lê, por fontes variadas e confiáveis, mais é possível desenvolver seu senso crítico e aumentar sua capacidade de análise, dando espaço a outros pontos de vista, contribuindo para formar sua própria noção da realidade. Quanto menos se lê, menos se compreende sobre o que acontece além da sua rotina, como acontece e o que se pode fazer a respeito.

Um segundo motivo para ler (mais) é saber que leitores possuem uma probabilidade maior de escreverem bem, pois a leitura melhora o vocabulário, já que quando lemos, rotineiramente encontramos novas palavras (e as aprendemos) e reforçamos no nosso cérebro a escrita correta dos vocábulos, evitando aqueles deslizes comuns que minam a credibilidade do nosso conteúdo, quando escrevemos errado.

Como se esses dois grandes motivos não bastassem para nos convencer de que a leitura precisa ser incorporada como um hábito, ainda há um terceiro, necessário aos profissionais das mais diversas áreas, inclusive conhecida como uma das características mais desejáveis pelas empresas e que os indivíduos se perdem sobre como desenvolvê-la: ler aguça a criatividade e desenvolve a capacidade de empatia.

Cada pessoa que lê o mesmo livro produz imagens mentais diferenciadas, de acordo com suas experiências e referências, o que significa que a leitura possibilita que você forme a sua própria imagem do que está sendo lido ou até crie uma própria imagem para os personagens de cada leitura, e tudo aquilo que estimula a criação de imagens mentais próprias está automaticamente desenvolvendo sua criatividade e seu modo de ver e modificar os cenários, em seu raciocínio, tornando-o mais empático e criativo para situações reais.

Além desses motivos, ainda há mais um potencialmente destacável, na prática da leitura: ler sobre a sua área de atuação é compatível com fazer cursos de aperfeiçoamento, com uma diferença: gastar bem menos ou quase nada. Penso até na possibilidade futura de que um currículo poderia abarcar os livros que o indivíduo já leu, se os selecionadores começassem a valorizar mais essa prática, e a entrevista de emprego poderia “investigar” os aprendizados proporcionados por eles (“que livro você leria novamente e por qual motivo?”, “qual a maior lição que um livro já te proporcionou?”).

Você já imaginou que a leitura de um livro, por exemplo, pode representar a mesma proporção de conhecimento aprendida num curso que você realize? Ainda mais numa realidade em que se espera cada vez mais do autodidatismo e se utilizam recursos de Ensino a Distância, com a presença reduzida ou inexistente de um tutor. É como se cada livro que você lê, da sua área de atuação, fosse mais um curso de aperfeiçoamento que você faz, embora não conte com a emissão de um certificado (e talvez por isso os livros lidos não sejam pauta nas entrevistas de emprego!). E é possível fazer isso a qualquer hora e em qualquer lugar, muitas vezes sem pagar um centavo (pegue livros emprestados ou adquira o hobby de passar uma tarde lendo, numa livraria, por exemplo!).

Imagine a quantidade de conhecimento contida num livro, cujo autor passou anos pesquisando e compilando ideias de outros especialistas, para passar para você, que lê, às vezes numa única semana, aquela obra. São conhecimentos de anos, absorvidos numa semana!

Definitivamente a leitura tem um potencial incrivelmente transformador e quem lê está à frente de quem não lê ou lê pouco. Quer uma dica? Leia mais!

Go to Top