Posts tagged livros favoritos

 

Dicas de livros: os autores favoritos de Marilyn Monroe

0
Marilyn tinha uma especial admiração por literatura russa, mas com certeza o autor que se destacou para ela foi Dostoyevsky. Fonte: Shutterstock

Marilyn tinha uma especial admiração por literatura russa, mas com certeza o autor que se destacou para ela foi Dostoyevsky. Fonte: Shutterstock

Publicado no Universia Brasil

Marilyn Monroe, 1954, by Eve Arnold (reading series)Uma das mulheres mais atraentes do século 20, a atriz Marilyn Monroe não é uma figura facilmente associada à literatura. O que poucos sabem é que além de suas façanhas como umas das maiores estrelas de Hollywood, Marylin era uma grande leitora.

Através de seu legado, como fotos, entrevistas e até histórias de amigos, o site Everlasting Star criou uma lista com centenas de livros que passaram pelas mãos da loira e foram, de diversas maneiras, importantes em sua vida. Entre os autores mais citados estão grandes nomes da literatura, como você confere abaixo:

DH Lawrence
A visão crítica deste autor britânico certamente influenciou Marilyn, já que ela possuía pelo menos quatro livros de sua autoria, além de um estudo sobre sua obra. Lawrence é conhecido por sua crítica à modernidade e seu trabalho relacionado à psique, especialmente aos instintos. Entre os livros lidos pela atriz está a coletânea Selected Poems, boa para quem quer se aprofundar no trabalho lírico do artista.

Thomas Mann
O Nobel de literatura de 1.929 também chamou a atenção da diva. Seu estilo trabalhava as características psicológicas dos personagens sem deixar de fazer um belo retrato da época conturbada em que viveu, já que presenciou as duas Grandes Guerras. Na estante de Marilyn havia uma cópia de Morte em Veneza, um dos clássicos do autor.

Sean O’Casey
A obra do irlandês Sean O’Casey estava relacionada diretamente ao trabalho da musa da MGM. Ambos tiveram uma infância difícil e humilde, fator que se refletia nas peças escritas pelo dramaturgo, sempre preocupado com o olhar social. Destaque para a obra I Knock at The Door, primeiro volume de sua autobiografia, que lhe rendeu um prêmio do Newspaper Guild of New York’s.

Clifford Odets
Também está na lista um diretor e roteirista de cinema. Odets começou sua carreira como dramaturgo, mas chegou inclusive a dirigir o filme None but the Lonely Heart. Entre as obras conferidas por Marylin está Golden Boy, que foi encenada na Broadway em 1937 e também foi adaptada em um longa metragem. É um dos maiores sucessos do autor. Tennessee Williams
Mais um dramaturgo de sucesso na lista da atriz. O autor, que na verdade se chamava Thomas Lanier Williams III, é famoso por seus trabalhos adaptados para o cinema. Um de seus maiores sucessos Gata em Teto de Zinco Quente, estrelado por Elizabeth Taylor. Na biblioteca de Marilyn foi encontrado um exemplar de A Streetcar Named Desire com anotações feitas por ela, demonstrando seu interesse pelo escritor.

Mark Twain
O criador d’As Aventuras de Tom Sawyer também está entre os favoritos de Monroe. A atriz escolheu justamente essa obra para apreciar o estilo crítico, bem humorado e ácido.

Marcel Proust
O ensaísta e crítico de arte francês é um dos mais lidos por Marilyn, que teve contato com pelo menos 5 de seus títulos. Entre suas muitas obras e traduções, a diva escolheu títulos como The Guermantes Way e The Captive para admirar.

Thomas Wolfe
A atriz teve grande interesse pelas obras deste autor americano, que retratou como ninguém os costumes de sua época e de sua terra natal. Entre as obras apreciadas por Marilyn esta um exemplar de Thomas Wolfe’s Letters To His Mother, uma coletânea de correspondências entre o escritor e sua mãe reunidas por John Skally Terry.

Fyodor Dostoyevsky
Marilyn tinha uma especial admiração por literatura russa, mas com certeza o autor que se destacou para ela foi Dostoyevsky. Um dos sonhos da atriz era interpretar Grushenka, uma das personagens da obra Os Irmãos Karamazov, de acordo com informações obtidas com seus amigos.

 

Os cem autores indicados por José Mindlin

0

Lista de 1993 tem prosa, poesia, clássicos, contemporâneos, História e crítica

Foto: IstoÉ

Foto: IstoÉ

Publicado em O Globo

José Mindlin achava muito difícil escolher só cem livros prediletos. Nesta lista, incluída no livro “A loucura mansa de José Mindlin”, que a Editora USP lança em novembro, ele adotou uma solução intermediária: em vez de cem títulos, escolheu cem autores; e indicou um livro de cada, mas ressaltando que outros livros também podem ser de interesse para o leitor. Feita em julho de 1993, a ideia da lista era é abrangente, incluindo prosa e poesia, clássico e contemporâneos, além de indicações no campo da História e da crítica literária.

Confira:

As Mil e Uma Noites

Adélia Prado – Bagagem

Alain-Fournier – Grande Meaulnes

Alexandre Dumas – Os Três Mosqueteiros

Anatole France – A Ilha dos Pinguins

Antonio Candido – Formação da Literatura Brasileira

Antônio Vieira – Sermões

Balzac – A Comédia Humana

Barbara Tuchman – A Torre do Orgulho

Baudelaire – As Flores do Mal

Beaumarchais – Teatro

Benjamin Constant – Adolfo

Bernard Shaw – Teatro (com prefácios)

Boccaccio – Decameron

Camões – Lírica e Os Lusíadas

Camus – A Peste

Carlos Drummond de Andrade – Poesia Completa

Casanova – Memórias

Castro Alves – Poesia Completa

Cecília Meirelles – Poesia Completa

Cervantes – Dom Quixote

Cyro dos Anjos – O Amanuense Belmiro

Defoë – Robinson Crusoé

Dickens – Grandes Esperanças

Diderot – Jacques, o Fatalista

Dostoiévski – Crime e Castigo

Eça de Queirós – Os Maias

Elisabeth Barrett Browning – Poemas

Emily Brontë – O Morro dos Ventos Uivantes

Emily Dickinson – Poemas

Érico Veríssimo – O Tempo e o Vento

Ésquilo – Teatro

Eurípides – Teatro

Fernando Pessoa – Poesia Completa

Fielding – Tom Jones

Flaubert – Educação Sentimental

García Márquez – Cem Anos de Solidão

Gilberto Freyre – Casa-Grande e Senzala

Gógol – Romances

Gonçalves Dias – Poesia Completa

Graciliano Ramos – Vidas Secas

Gregório de Mattos – Obra Poética

Guimarães Rosa – Grande Sertão: Veredas

Guy de Maupassant – Contos

Helena Morley – Minha Vida de Menina

Herman Hesse – O Lobo da Estepe

Homero – Odisseia e Ilíada

Jane Austen – Orgulho e Preconceito

João Cabral de Melo Neto – Poesia Completa

Jorge Amado – A Morte e a Morte de Quincas Berro d’Água

Jorge Luis Borges – Biblioteca de Babel

José de Alencar – O Guarani

José Lins do Rego – Menino de Engenho

José Saramago – Memorial do Convento

Joseph Conrad – Lord Jim

Julio Cortázar – O Jogo da Amarelinha

Kafka – O Processo

La Fontaine – Contos e Novelas

Lima Barreto – Triste Fim de Policarpo Quaresma

Machado de Assis – Memórias Póstumas de Brás Cubas

Manoel de Barros – Gramática Expositiva do Chão

Manuel Antônio de Almeida – Memórias de um Sargento de Milícias

Manuel Bandeira – Poesia Completa

Mário de Andrade – Macunaíma

Marivaux – Teatro

Molière – Teatro

Montaigne – Ensaios

Montesquieu – Cartas Persas

Nathaniel Hawthorne – A Letra Escarlate

Olavo Bilac – Poesias

Oscar Wilde – O Retrato de Dorian Gray

Oswald de Andrade – Serafim Ponte Grande

Paul Éluard – Poemas

Paulo Prado – Retrato do Brasil

Pedro Nava – Memórias

Platão – Diálogos

Proust – Em Busca do Tempo Perdido

Rachel de Queiroz – O Quinze

Raul Pompeia – O Ateneu

Rimbaud – Poesias

Rousseau – Confissões

Sérgio Buarque de Holanda – Raízes do Brasil

Shakespeare – Teatro

Sófocles – Teatro

Stendhal – O Vermelho e o Negro

Sterne – A Sentimental Journey

Suetônio – Vida dos Doze Césares

Swift – As Viagens de Gulliver

Tchékhov – Romances e Contos

Thomas Mann – A Montanha Mágica

Tolstói – Guerra e Paz

Turguêniev – Romances

Vargas Llosa – Conversa na Catedral

Verlaine – Poesias

Vicente de Carvalho – Poemas e Canções

Victor Hugo – Os Miseráveis

Vinícius de Moraes – Poesia Completa

Virginia Woolf – Orlando

Voltaire – Romances

 

9 livros que você deve ler, de acordo com Warren Buffett

0

Warren Buffett

“Business Adventures”, presente na lista, também é o livro de negócios favoritos de Bill Gates

Publicado no Administradores

Um estudante perguntou ao magnata Warren Buffett, certa vez, como se preparar para uma carreira em investimentos. Buffet pensou por alguns segundos, pegou alguns relatórios de ações, publicações sobre comércio e outros papéis em sua mesa e disse: “Leia 500 páginas iguais a essas por dia”.

Segundo o Omaha World Herald, Buffett teria completado dizendo: “É assim que o conhecimento funciona. Ele cresce, como juros compostos”.

Ao longo de 20 anos de entrevistas e cartas para acionistas, Buffett citou e indicou livros favoritos e leituras importantes no mundo dos negócios. O Business Insider fez um apanhado deles:

1. “O Investidor Inteligente – Um guia prático de como ganhar dinheiro na bolsa”, por Benjamin Graham

Para Buffett, ler “O Investidor Inteligente” quando tinha 16 anos foi uma das maiores sortes de sua vida, pois o livro lhe deu estrutura intelectual para investir. “Investir com sucesso ao longo da vida não requer um QI estratosférico, insights de negócios incomuns, ou informação privilegiada. O que é necessário é uma estrutura intelectual sólida para tomar decisões e a capacidade de impedir as emoções de corroer essa estrutura. Esse livro descreve com clareza e precisão a estrutura adequada. Você deve fornecer a disciplina emocional”, ele contou ao The Motley Fool.

2. “Security Analysis”, por Benjamin Graham

Ainda ao Moatley Fool, Buffett disse que Security Analysis é “um roteiro para investimentos que eu tenho seguido há 57 anos”. Basicamente, o livro afirma que se sua análise for detalhada o bastante, você pode descobrir o valor de uma empresa e se o mercado também tem noção desse valor. Buffett afirmou que, depois de seu pai, Benjamin Graham foi a figura mais influente de sua vida. “Ben era um professor incrível”, contou ao Business Insider.

3. “Stress Test”, por Tim Geithner”

Para Buffett, o livro sobre a crise financeira de 2008 do então Secretário do Tesouro dos EUA é uma leitura obrigatória para qualquer gestor. Existem muitos livros sobre gerenciamentos de crises, mas esse é um relato de primeira mão sobre como um setor do governo lidou com uma catástrofe econômica.

4. “Ações Comuns, Lucros Extraordinários – Não Siga o Rumo da Multidão”, por Philip Fisher

“Eu sou um leitor ávido de tudo o que Phil tem a dizer, e o recomendo a você”, disse Buffett. Um dos pontos de Fisher em Ações Comuns, Lucros Extraordinários é a importância de se avaliar a gestão de uma empresa, não se atendo apenas a demonstrações financeiras.

5. “The Essays of Warren Buffett”, por Warren Buffett

“O que poderia ser mais vantajoso em uma competição intelectual – seja xadrez, bridge, ou a seleção de ações – do que ter adversários que foram ensinados que o pensamento é um desperdício de energia?”, pergunta Buffett em seu livro. “The Essays” é a fonte perfeita para saber como Warren Buffett pensa.

6. “Business Adventures”, por John Brooks

Ao perguntar a Buffett qual era seu livro favorito, em 1991, Bill Gates recebeu, como resposta, uma cópia de “Business Adventures”. Para o fundador da Microsoft, a coleção de histórias da revista The New Yorker escrita por John Brooks, serve como um lembrete de que os princípios para construir o negócio são sempre os mesmos. “Não importa se você possui um produto perfeito, um plano de produção ou uma apresentação de marketing; você ainda vai precisar das pessoas certas liderando e implantando esses planos”, escreveu Gates em uma coluna do The Wall Street Journal.

7. “Jack Definitivo”, por Jack Welch

De acordo com o Bloomberg Businessweek, o livro de memórias do executivo da General Eletric Jack Welch oferece lições valiosas sobre administração, ao fazer um tour sobre sua história pessoal. Em uma carta a acionistas, em 2001, Buffett disse que o livro era “inteligente e energético” e recomendou: “Obtenham uma Cópia!”.

8. “The Outsiders”, por William Thorndike Jr.

O livro sobre CEOs famosos e não-convencionais, e seus padrões de sucesso, foi elogiado por Buffett em outra carta a acionistas, dessa vez de 2012. “Um excelente livro sobre CEOs que se destacaram na alocação de capital”, Buffett afirma. A Revista Forbes classificou The Outsiders como “um dos livros de negócios mais importantes da América”.

9. “The Clash of the Cultures”, por John Bogle

Outra recomendação de Buffett na carta de 2012, The Clash of the Cultures argumenta que o investimento a longo prazo tem sido ofuscado pela especulação de curto prazo. John Bogle, criador do Vanguard Group, dá dicas como não seguir o rebanho e não ser impulsivo quando se trata de investimentos.

Go to Top