Posts tagged mais vendidos

Livros de colorir: entenda fenômeno em 10 cifras impressionantes

0

G1 lista números do filão que está ‘salvando’ o mercado editorial em 2015.
Obras já venderam R$ 25 milhões e influenciaram vendas de lápis de cor.

Os seis lviros para colorir mais vendidos de 2015 até aqui (Foto: Divulgação)

Os seis lviros para colorir mais vendidos de 2015 até aqui (Foto: Divulgação)

Cauê Muraro, no G1

Chamam-se “jardineiros” os salvadores do mercado editorial brasileiro em 2015. Não precisam ler uma linha sequer: as ferramentas são estojos de lápis de cor. O apelido é referência ao grande best-seller do ano no país: “Jardim secreto”, da escocesa Johanna Basford. A obra encabeça o atual acontecimento literário do país – livros de colorir para adultos. O G1 consultou editoras e analistas de mercado e separou dez cifras impressionantes que explicam o boom (veja abaixo).

Eles são antiestresse, interativos, sintoma da infantilização do mundo atual – as opiniões a respeito dos títulos para colorir variam.

“Eles estão movimentando gráficas, editores, ilustradores. Mas, óbvio, é um fenômeno que vai acabar. Todo ano tem algo assim”, afirma ao G1 Cassia Carrenho, gerente-geral do PublishNews, portal que analisa o mercado. Dois exemplos de ondas anteriores: livros eróticos, como “Cinquenta tons de cinza”, e os religiosos. “O mercado editorial não lança moda, ele só segue a moda. Uma tendência em todas as áreas, não é só no editorial, de voltar um pouco às raízes, o ‘handmade'”, continua Cassia.

Outra facilidade óbvia para trazer sucessos internacionais de colorir ao Brasil: eles não precisam ser traduzidos. Além disso, é comum que o “leitor”, depois de concluir a pintura, compre uma segunda obra. E eventualmente uma terceira, uma quarta… As próximas tendências do setor devem ser livros para colorir de nicho, temáticos. A nova leva terá títulos sobre gatos e bichos em geral, além de clássicos para colorir (tipo “O pequeno príncipe”) e uma série sobre “cidades do mundo’. O êxodo rural dos jardineiros era mesmo questão de tempo.

livros-de-colorir_1

Os livros de colorir também reduziram o estresse do mercado editorial do Brasil ao amenizar a crise do setor. Venderam R$ 25,18 milhões entre janeiro e maio deste ano e evitaram queda do faturamento geral com relação a 2014. O número está em um estudo do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (Snel) e do Instituto de Pesquisa Nielsen.

livros-de-colorir_2Escrito – ou desenhado – pela escocesa Johanna Basford, “Jardim secreto” iniciou sua trajetória por aqui a tempo de aproveitar o Natal: saiu, muito calculadamente, em 27 de novembro. Desde então, virou o líder absoluto do ranking nacional, com 880 mil cópias (e contando…), informa a Sextante. “No nosso catálogo, entra em não ficção, mas poderia entrar em arte ou em autoajuda, pois transcende essa categorização”, afirma a gerente de aquisições da Sextante, Nana Vaz de Castro. Versátil, também transcendeu o status de livro-presente-natalino. “Em abril foi realmente um escândalo.” É que era “véspera” do dia das mães.

livros-de-colorir_3Com mais de meio milhão de exemplares vendidos desde o lançamento, em abril, o vice-campeão do ano no Brasil também é assinado por Johanna Basford. A Sextante informa que tem pelo menos outros oito títulos para colorir previstos para os próximos meses – incluindo um obrigatório sobre gatos.

livros-de-colorir_4Nem só de jardim e floresta vive o filão dos livros para colorir. A categoria se divide em subespécies: tem, por exemplo, a vertente “gatos” (por enquanto, apenas os animais, mas nunca se sabe), a vertente “mandalas” e a vertente “datas comemorativas” (“Mãe, te amo com todas as cores” para o dia das mães e “Amor em todas as cores” para o dia dos namorados”). O Instituto Nielsen – responsável junto do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (Snel) pelo Painel das Vendas de Livros do Brasil – calcula que existam pelo menos 76 títulos de colorir para adultos circulando atualmente. Por enquanto.

livros-de-colorir_5O portal PublishNews, que monitora o mercado editorial brasileiro, informa que cinco dos dez livros de não ficção mais vendidos do ano, entre janeiro e maio, são títulos de colorir para adultos. Mas por que não ficção? “Teve até uma tendência a colocar como autoajuda. Mas, se não fosse para relaxar – o que, aliás, é um grande marketing –, seriam o quê? Livros de ilustração. É não ficção”, justifica ao G1 Cassia Carrenho, gerente-geral do site.

livros-de-colorir_6É culpa das mães. Graças a elas, ou ao dia delas, maio foi um mês especialmente bom para os livros de colorir: os oito primeiros colocados no top ten de não ficção foram de colorir, mostra PublishNews. Sintomaticamente, “Mãe, te amo com todas as cores” foi o quarto colocado no ranking de maio. Comparando com o mesmo mês de 2014, neste ano as vendas cresceram 27% em volume e 21% em faturamento, totalizando R$ 115,8 milhões – em 2014, foram R$ 95,7 milhões.

livros-de-colorir_8O Instituto Nielsen informa que o preço médio dos livros de colorir é de R$ 27,98 – considerando todos os segmentos, o preço é R$ 39,26. O mais caro dentre os “coloridos” pesquisados é “Netter anatomia para colorir”, que custa R$ 91,73. Mas ele tem função didática e é voltado a público específico. O vice-campeão é a versão em inglês de “Floresta encantada”, que sai por R$ 64,54. O mais barato de todos é “Contos de fada supercolorir”, com preço médio de R$ 7,89.

945-preco-do-estojoCom 120 cores, o estojo metálico top de linha da Faber-Castell é o mais caro da marca, que o descreve como voltado a “profissionais [designers, ilustradores] e amadores exigentes”. De acordo com a fabricante, há “jardineiros exigentes”, que gastaram R$ 945 para adquirir um desses, com itens importados da Alemanha. A empresa informa, no entanto, que os favoritos dos consumidores dos livros de colorir são os estojos aquareláveis de 48 cores (R$ 80) e de 36 cores (R$ 60).

livros-de-colorir_9Um efeito colateral do fenômeno foi o aumento das vendas de lápis de cor. O G1 apurou que chegou a faltar o produto em grandes redes do setor. A Kalunga informa que houve alta de 210% das vendas em maio de 2015 na comparação com o mesmo mês do ano passado. Canetas hidrográficas e apontadores também saíram mais. Na Armarinhos Fernando, a procura por lápis de cor chamou atenção sobretudo por ter ocorrido fora do período “voltas às aulas”, em que as vendas são tradicionalmente altas. A Faber-Castell informa que, em abril, as vendas cresceram cinco vezes em relação a abril de 2014. Desde então, houve reforço na produção dos estojos de 36 e de 48 cores.

livros-de-colorir_10Editado pela independente Bebel Books, “Suruba para colorir” convenientemente não tem qualquer ilustração na capa. Na  contracapa, um aviso: “18+”. Assinado pelo jornalista e escritor Xico Sá, o texto ali avisa: “Tons de cinza um cacete”. Segundo a editora, o projeto nasceu de “uma brincadeira entre amigos’. São 34 ilustrações, de nomes como Laerte, Adão, João Montanaro e Fabio Zimbres. A primeira edição saiu com 1,8 mil exemplares.  A segunda, com 3,6 mil. Diante do sucesso e dos pedidos, chegou-se a uma terceira – com 25 mil exemplares, um recorde da editora. “Pra gente, é um número inimaginável. Nem nos meus sonhos mais dourados eu iria ter conseguido”, comemora ao Bebel.

Veja os livros mais vendidos em 2014

0

1

Publicado por Catraca Livre

Não dá para imaginar como seria nossa vida sem os livros, com suas ótimas histórias nos tirando da realidade, e trazendo um novo mundo, para nos divertir.

O ano de 2014 está acabando e durante este tempo tivemos grandes lançamentos literários que nos surpreenderam com as suas histórias, pudemos ver o sucesso que fizeram apenas pela rapidez que saíram das prateleiras das livrarias.

Veja a seleção dos 25 livros mais vendidos no ano de 2014:

A Culpa É das Estrelas – R$ 12,00

Nada a Perder Vol. 3 – R$ 15,20

Ansiedade – R$ 6,00

Destrua Este Diário – R$ 10,00

Quem é Você, Alasca? – R$ 12,00

Cidades de Papel – R$ 12,00

Se eu ficar – R$ 23,62

A Menina que Roubava Livros – R$ 16,00

Não Se Apega, Não – R$ 12,00

O Pequeno Príncipe – R$ 10,00

O Teorema Katherine – R$ 12,00

Kairós – R$ 4,00

O Chamado do Cuco – R$ 15,80

Divergente – R$ 15,80

Casamento Blindado – R$ 12,00

Diário de Um Banana: Maré de Azar – R$ 14,00

A Escolha – R$ 12,00

Garota Exemplar – R$ 12,00

Demi Lovato: 365 dias do ano – R$ 11,20

O Sangue do Olimpo – R$ 16,00

12 Anos de Escravidão – R$ 10,60

Inferno – R$ 18,90

A Esperança – R$ 15,80

Maze Runner: Correr ou Morrer – R$ 31,90

Somente Sua – R$ 19,90

Os preços podem sofrer alterações, por isso indicamos aos leitores que comparem os preços antes de finalizar a compra.

Livro, pipoca e lenço

0

Estréia filme baseado no livro ‘Se eu ficar’, vendas aumentam e a turma de bananas volta a atacar

Cassia Carrenho, no PublishNews

A culpa é das estrelas (Intrínseca) encabeçou a lista dos mais vendidos por muitas semanas e quando a trama chegou ao cinema as vendas aumentaram novamente. Nessa semana a combinação “livro + cinema + drama com adolescentes” começa a impulsionar outro livro, Se eu ficar (Novo Conceito), que já estava na lista dos mais vendidos, mas que nessa semana ficou em terceiro lugar, vendeu 8.504 exemplares e colou no livro A culpa é das estrelas. Se a velha combinação livro + pipoca + lenço der certo de novo, Se eu ficar promete fazer muita gente chorar (de alegria ou a concorrência de raiva), já que a estreia nos cinemas foi apenas nessa semana.

Outro destaque na lista geral foi o livro O que falta para você ser feliz (Gente) que ficou em sexto lugar com 5.103 exemplares vendidos. Ansiedade: como enfrentar o mal do século (Saraiva) manteve o primeiro lugar. Sem filme.

A lista geral dos mais vendidos não teve nenhuma novidade, mas vale destacar que os vinte títulos juntos venderam 78.922 exemplares, quase 20% a mais do que na semana passada, sem nenhum lançamento na semana entre esses livros.

Na lista de ficção, o destaque foi o romance vencedor do Prêmio Pulitzer O Pintassilgo (Companhia das Letras), de Donna Tartt que alcançou o nono lugar. Em não ficção,Termine este livro (Intrínseca), de Keri Smith, ficou em sétimo lugar, na mesma lista em que seu irmão mais velho, Destrua este diário, lidera. Outra novidade nesta lista é o livro do cantor Daniel, Minha estrada (Benvirá), no 17º lugar.

No ranking das editoras, o trio carioca, Sextante, Intrínseca e Record fizeram o pódio. O destaque foi a Vergara&Riba, que com sua turma de bananas, dos dez títulos oito são da coleção Diário de um banana, ficou em quarto lugar.

Um é pouco, dois é bom, três é demais

0

Lista cheia de séries, trilogias e livros de John Green

Cassia Carrenho, no PublishNews

A lista geral dos mais vendidos desta semana sofreu poucas alterações e as quatro primeiras posições mantiveram-se as mesmas: A culpa é das estrelas (Intrínseca), Destrua este diário (Intrínseca), Ansiedade: como enfrentar o mal do século (Saraiva) e A menina que roubava livros (Intrínseca). Por sinal, na lista geral anual, A culpa é das estrelas está em primeiro lugar com 156.143 exemplares vendidos em 2014, seguida de longe, pelo ex-campeão de vendas Nada a perder v2 (Planeta).

Na lista infantojuvenil, o destaque foi Convergente (Rocco Jovens Leitores) que assumiu o primeiro lugar com 3.744 exemplares. Um fenômeno que não é novidade nessa lista, mas ainda assim merece destaque, são as coleções e séries que colocam vários de seus livros na lista dos mais vendidos. A trilogia Divergente de Veronica Roth, publicada pela Rocco Jovens Leitores, colocou os três volumes na lista: Convergente, Divergente e Insurgente. A lista ficou ainda mais voraz com a presença de Jogos Vorazes e A esperança, também da Rocco. Longe da época em que todos os livros da coleção marcavam presença, Diário de um banana (V&R) ainda apareceu com dois livros, volumes 1 e 7. Agora o grande campeão é Rick Riordan, com sua série Percy Jackson & os Olimpianos, da Intrínseca, que colocou sete livros na lista infantojuvenil desta semana. Será que jovem realmente não lê?

Outra coleção que já desbotou, amornou, mas não sai de cima, é Cinquenta tons de cinza (Intrínseca). O fenômeno mundial colocou os três volumes na lista de ficção. Haja pílula azul!

E ainda, tem sempre um autor da vez, e nesse caso estamos falando de John Green que aparece seis vezes na lista dos mais vendidos, inclusive com o lançamento da Galera Record, Will & Will, que ficou na 11ª colocação na lista de ficção.

No ranking das editoras , a Intrínseca continua isolada em primeiro lugar, com 19 títulos; Sextante tem 12 e Record oito. O destaque desta semana foi a Globo, que pulou do sétimo para quarto lugar, com sete títulos.

Westeros conquista a lista dos mais vendidos

0

Livro de George R.R. Martin alcança 5º lugar na lista de ficção

Cassia Carrenho, no PublishNews

O cavaleiro dos sete reinos (LeYa), de George R. R. Martin, chegou mostrando poder. Vendeu 2.585 exemplares nesta semana e foi parar na quinta posição da lista de ficção e nona na lista geral. O novo livro promete causar furor entre os fãs de As Crônicas de Gelo e Fogo, contando o que aconteceu 90 anos antes da “Guerra dos tronos”. Parece que nessa época todas as personagens ainda estavam vivas… Parece.

A única mudança no topo das listas foi em autoajuda, o livro Ansiedade: como enfrentar o mal do século (Saraiva), subiu para a primeira posição e desbancou Kairós (Principium), agora em quarto lugar na lista.

Merece destaque O lobo de Wall Street (Planeta) que a uma semana do Oscar, no qual o filme concorre em 5 categorias, alcançou o 8º lugar na lista de não ficção

No ranking de editoras o trio carioca segue com a bateria nota 10: Intrínseca com 17, Sextante, 14 e Record, 10. E pra acompanhar o trio na passarela, mais uma carioca, a Rocco, ficou em quarto lugar, com 8 títulos. A primeira paulista que aparece, vem do interior, Novo Conceito, com cinco livros. Por enquanto os cariocas tem mostrado mais samba no pé…

Go to Top