Posts tagged mandamentos

Os 10 mandamentos para se dar bem no Enem

0
Preparação: Anna Júlia Fontes, uma das candidatas do Enem 2014 (Foto: Marcelo Theobald / Extra)

Preparação: Anna Júlia Fontes, uma das candidatas do Enem 2014 (Foto: Marcelo Theobald / Extra)

Publicado no Extra

O Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) se aproxima. Para não levar bomba na maratona de provas, além de ter se preparado ao longo do ano, conhecer as regras de correção pode valer ouro — quer dizer, bons pontos na nota final. Faltando poucos dias para o exame, o EXTRA elaborou, com base no edital do exame e em entrevistas com vários professores, dez “mandamentos” que podem aumentar suas chances de se sair bem nas provas. Confira:

enem1enem2enem3enem4enem5enem6enem7enem8enem9enem10

 

10 Regras de Nietzsche para Escritores

0

Mais de um século antes do sistema de escrita de Elmore Leonard e conjuntos semelhantes inspirados dos mandamentos de Neil Gaiman, Zadie Smith, Vogler, Campbell, Margaret Atwood, entre outros, uma das maiores mentes humanas que já existiu fez exatamente o mesmo.

1

Maik Barbara, no Homo Literatus

Interessante foi o fato dessa criação: ocorrido entre 8 a 24 de agosto de 1882 ninguém menos que ele, Friedrich Nietzche, estabelecia dez regras estilísticas para a então escritora, intelectual e psicanalista Lou Andreas-Salomé, tudo feito através de cartas enviadas a ela.

Andreas-Salomé, então com 21 anos de idade, e Nietzsche com impulsos de admiração, decidiu fazê-la não só a sua protegida intelectual, mas também sua esposa. Ele teria supostamente proposto casamento logo em seu segundo encontro no início daquele mesmo ano. Andreas-Salomé o rejeitou o pedido assim como os avanços românticos de Nietzsche, em seguida lidou com a ruptura na amizade. Apesar de tudo ela manteve com Nietzsche uma relação de respeito por toda a vida, respeito por sua mente e trabalho.

Mais de duas décadas depois, ela incluiu essas dez regras da escrita em seu livro Nietzsche– diga-se de passagem um livro que reflete um estudo soberbo da personalidade de Nietzsche, filosofia e psique.

Sob o conteúdo nomeado “Rumo ao Ensino de Estilo”, eis aqui um resumo das regras que Nietzsche prescreveu:

1. De primeira necessidade é a vida: um Estilo deve ser feito VIVO.

2. O Estilo deve ser adequado para o tipo específico de pessoa com quem você deseja se comunicar (Lei da Relação Recíproca).

3. Em primeiro lugar, deve-se determinar com precisão “o-que e o-que eu desejo fala e apresentar,” antes que você possa escrever. A escrita deve ser mimetismo.

4. Uma vez que o escritor carece de meios de oratória, ele deve, em geral, têm por seu modelo um tipo muito expressivo de apresentação de necessidade, a cópia de escrita (estilo) irá aparentar-se mais pálida.

5. A riqueza da vida se revela através da riqueza de gestos, dos símbolos. É preciso aprender a sentir tudo – o comprimento e o retardamento das sentenças, inter-pontuação, a escolha das palavras, a pausa, a sequência de argumentos – tal como sinais.

6. Tenha cuidado com os períodos! Apenas as pessoas com respiração de longa duração irão se beneficiar de trechos grandes, sem pausas. Com a maioria das pessoas, o período é uma questão de afeição.

7. O Estilo deve provar que alguém acredita em uma ideia; não apenas que acredita, mas também a sente.

8. Quanto mais abstrata for a verdade que se tenta ensinar, mais é preciso seduzir primeiro os sentidos.

9. A estratégia por parte do bom escritor de prosa consiste na escolha de seus meios para pisar no limiar da poesia, mas nunca para dentro dela.

10. Não é de boas maneiras, ou inteligente, privar um leitor das mais óbvias objeções. É de muito boas maneiras e muito inteligente colocar essas objeções de forma ao leitor perceber e pronunciá-las em jus da quintessência definitiva de sua sabedoria.

Estes mandamentos são, obviamente, no mínimo aforísticos. Na verdade, ao contrário de Susan Sontag, que veementemente denuncia, tanto Nietzsche e Andreas-Salomé no sentido que tiveram uma predileção por aforismo. Andreas-Salomé reflete em sua obra o estilo de Nietzsche à luz de sua predileção aforístico:

Para examinar o estilo de Nietzsche por Causas e Condições significa muito mais do que apenas examinar a mera forma em que suas ideias são expressas; pelo contrário, significa que podemos ouvir seus sons internos. O seu Estilo surgiu através da vontade, entusiasmo, auto sacrifício, e seu pródigo grande talento artístico… e uma tentativa de transmitir o conhecimento através de nuanças individuais, reflexo das excitações de uma alma em convulsão. Como um anel de ouro, cada aforismo firmemente envolve pensamento e emoção. Nietzsche criou, por assim dizer, um novo estilo de escrita filosófica, que até então foi redigida em tons acadêmicos ou na poesia efusiva: ele criou um estilo personalizado; Nietzsche não só domina a linguagem, mas também transcendeu suas insuficiências. O que antes tinha sido mudo, alcançou grande ressonância.

O livro Nietzsche é magnífico quando lido na íntegra.

Go to Top