Posts tagged Marca Registrada

4 metas que os professores devem estabelecer

0

Quer ser um professor melhor e estimular o aprendizado na sala de aula? Confira 4 metas que os professores devem estabelecer todos os anos

Publicado por Universia

Crédito: Shutterstock.com

Crédito: Shutterstock.com

Professores memoráveis são aqueles que conseguem transmitir o conteúdo da sua própria forma

Estimular o aprendizado é o maior objetivo dos professores, que sabem que seu dever é ensinar os estudantes até que eles consigam aprender por si só. Claro que essa tarefa nem sempre é fácil, mas existem algumas dicas que podem ajudar você a se tornar um professor cada vez melhor.

Confira 4 metas que os professores devem estabelecer:

1. Improvisar deveres de casa
Deveres de casa são como um fardo na vida dos estudantes. Por isso, você pode começar a improvisar as lições para que elas sejam mais divertidas de fazer. Encoraje o uso das redes sociais e ferramentas online para realizar os trabalhos e peça para eles fazerem apresentações divertidas que expliquem o conteúdo.

2. Organizar-se efetivamente
Uma boa aula é planejada e organizada previamente. Tente montar um plano de aulas para todo o mês, sabendo exatamente o que será tratado em cada uma delas. Dessa forma, os seus estudantes também poderão organizar o seu próprio material.

3. Engajar os estudantes
Essa é uma das tarefas mais difíceis que os professores enfrentam. Para engajar os seus estudantes, você terá que ser criativo. Aproxime o conteúdo do cotidiano dos alunos, assim eles saberão por que é importante prestar atenção nas aulas e se interessarão mais pela sua disciplina.

4. Personalize o aprendizado
Professores memoráveis são aqueles que conseguem transmitir o conteúdo da sua forma, com uma marca registrada. O que torna a sua matéria mais fácil de ser ensinada e como você pode ajudar os estudantes a memorizá-la? Pense nisso antes de entrar em cada aula.

UFC estuda possibilidade de mudar sigla por causa de torneio de MMA

0

Segundo reitor, sigla da universidade é confundida com a do campeonato
Sites de busca trazem páginas do torneio à frente da universidade.

Publicado por G1

Universidade Federal do Ceará (Foto: Divulgação)

Universidade Federal do Ceará (Foto: Divulgação)

A Universidade Federal do Ceará, conhecida como UFC, estuda a possibilidade de mudar a sigla da instituição para UFCE. Segundo o reitor Jejualdo Farias, há um “incômodo” gerado pelas pesquisas na internet que acabam por colocar à frente da universidade o Ultimate Fighting Championship (UFC), marca de entidade mundial que organiza lutas de MMA (artes marciais mistas, na sigla em inglês). “[Esse incômodo] surgiu mais fora do que dentro da instituição”, afirma Farias.

De acordo com o reitor, a universidade tem a marca UFC registrada no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) até 2018. Considerando a proximidade da data, a instituição pretende abrir espaço para debater o problema com os conselhos e unidades acadêmicas. “A tendência seria até manter o nome. Mas vai continuar incomodando porque [o Ultimate Fighting Championship] é uma atividade muito distante do referencial da universidade”, explica.

Até 2018, conforme o reitor, o setor jurídico da instituição de ensino deve trabalhar resguardando a sigla da Universidade Federal do Ceará. “Quando estiver mais próximo da data, vamos perguntar à comunidade o que ela deseja”, destaca. Caso a proposta seja aceita, a UFC passará a seguir o padrão adotado pelas demais universidades federais localizadas em outros estados do país. Ou seja, o ”UF” virá seguido da sigla do estado, CE.

Livraria em Buenos Aires está entre as mais belas do mundo

0
A Livraria El Ateneo já abrigou um teatro de ópera (o Gran Splendid) e um cinema Foto: Radioher / Creative Commons

A Livraria El Ateneo já abrigou um teatro de ópera (o Gran Splendid) e um cinema
Foto: Radioher / Creative Commons

Publicado por Vida e Estilo

As livrarias são uma marca registrada da capital argentina. Distribuídas pela cidade, sejam elas pequenas ou grandes, atraem diariamente nativos e turistas em busca de um bom lugar sentar, beber um café e ler. Abaixo, confira cinco interessantes opções para se visitar.

El Ateneo Gran Splendid
A mais famosa livraria de Buenos Aires – e uma das mais importantes do mundo, de acordo com pesquisa do jornal britânico “The Gardian” – já abrigou um teatro de ópera (o Gran Splendid) e um cinema. Atualmente conta com mais de 120 mil livros em suas prateleiras, um bar e um café, este último localizado no palco do antigo teatro. Definitivamente, um ponto turístico da capital portenha. Endereço: avenida Santa Fé, 1860, Centro. Tel.: 00xx 54 11 4813.6052

Clássica y Moderna
A impressão é de estar em um café, mas trata-se de uma livraria requintada de Buenos Aires, digna de premiações do governo local, como a Medalha do Bicentenário, dada pela difusão, promoção e defesa do livro e da leitura. Conta com um restaurante e eventuais shows de tango e jazz. Endereço: rua Callao, 892, Recoleta. Tel.: 00xx 54 11 4812.8707

Walrus Books
Pequena e agradável livraria dedicada a livros em inglês. O dono, Geoffry, professor de inglês no Estados Unidos, se mudou para a Argentina depois de se apaixonar por Josefina, sua esposa. Nas prateleiras estão mais de 6 mil livros de diferentes temas, como literatura, história argentina e da América Latina, e poemas. Endereço: rua Estados Unidos, 617, San Telmo. Tel.: 00xx 54 11 4300.7135

Eterna Cadencia
Fundada em agosto de 2008, reúne obras de literatura nacional e internacional. Além produzir os próprios livros e de ser bem decorada, possui um aconchegante pátio (transformado em café) e um terraço que serve de ponto de encontro em eventos literários. Endereço: rua Honduras, 5574, Palermo. Tel.: 00xx 54 11 4774.4100

Boutique Del Libro
Se divide entre livraria e café. A boa notícia é que conta com os melhores livros das editoras locais, além de ceder espaço para eventos e lançamentos. A má notícia é que, na maioria das vezes, está lotada. Endereço: rua Thames, 1762, Palermo. Tel.: 00xx 54 11 4833.6637

Menino de 13 anos reconhecido pelo Guinness é escritor, pintor e músico

1

Adriana Justi, no G1 Paraná

Paranaense ganhou o título de escritor mais jovem a publicar um livro.
Menino tem seis livros, faz aulas de violoncelo e toca piano.

Adauto tem 13 anos e publicou seis livros (Foto: Adriana Justi / G1)

Adauto tem 13 anos e publicou seis livros (Foto: Adriana Justi / G1)

Com 13 anos e reconhecido pelo Guinness Book como o escritor mais jovem a publicar um livro, Adauto Kovalski, se dedica diariamente com funções ligadas a arte e à música. Guiado pela ‘estrela da vida’, tida por ele como marca registrada, o garoto explica que já tem seis edições publicadas, e que, além de escritor, toca piano, faz aulas de violoncelo e faz pinturas quase que diariamente. Além disso, ele estuda pela manhã, faz natação e brinca. “Eu gosto das brincadeiras normais das crianças com a minha idade”, disse Adauto, que acrescenta ainda que pretende fazer aulas de espanhol e francês em 2014.

Os livros foram inspirados em histórias e fatos do cotidiano da família e da escola. A primeira edição ‘Aprender é Fácil’ deu a ele o reconhecimento no livro dos recordes nas edições de 2008 e 2009.

“A estrela da vida é minha marca, por isso faço questão que ela esteja impressa em todos os meus livros. Desde que eu era bem novinho, meus tios me mostravam ela no céu. Era o que continha a minha ansiedade e orientava os meus pensamentos, principalmente nas longas viagens. Muitas inspirações sairam destas viagens”, explica o garoto.

Estrela da vida é marca registrada em todas as edições dos livros de Adauto (Foto: Adriana Justi / G1)

Estrela da vida é marca registrada em todas as edições dos livros de Adauto (Foto: Adriana Justi / G1)

Na avaliação da tia, Maria José Kovalski, com quem o menino vive desde os 3 anos, ele tem facilidade em aprender e gosta de dividir o conhecimento com o próximo. “Um exemplo disso é o primeiro livro dele. Nas 25 páginas, ele descreve o que aprendeu na escola com desenhos e coloridos que fazem o conteúdo ficar mais compreensível”, conta.

Mas o talento artísto de Adauto não parou nas edições dos livros. Ele também foi reconhecido pelo Ranking Brasil como o brasileiro mais jovem a concluir curso de composição de melodias, mais jovem compositor de partituras de piano, mais jovem pintor em telas, e o mais jovem a lançar um livro.

“Quando eu toco piano, tenho a companhia das minhas três calopsitas. É só ouvir o som que elas correm no meu ombro”, conta Adauto. Além de novas composições, ele conta que as preferidas estão no livro ‘A Arte da Música’, que possui 14 partituras em português, espanhol e francês.

(Veja o vídeo)

Além desses títulos, o garoto também possui cerca de 30 medalhas de concursos que participou desde os primeiros anos de vida. “São muitas medalhas que eu guardo com muito carinho, já até perdi as contas de quantas conquistei nesses anos”, acrescenta Adauto.

Adauto explica que quer seguir várias carreiras quando crescer. Além da vontade de ser biocientista, ele ainda sonha em ser maestro e piloto de avião. Na coleção de miniaturas, guardadas em uma estante do quarto, ele acomoda cerca de 30 aeronaves de brinquedo.

Emocionado, ele diz também que de todos, o maior sonho é ser adotado pelos tios.

“A mãe é distante desde que ele nasceu e, por isso, nós o tratamos como um filho”, explica a tia.

Adauto toca violoncelo e compôs 14 partituras de piano (Foto: Adriana Justi / G1)

Adauto toca violoncelo e compôs 14 partituras de piano (Foto: Adriana Justi / G1)

Livros foram inspirados no cotidiano

Entre os livros estão os títulos – ‘Dentes’, ‘O Barco Pirata’, Histórias da Vovó’ e ‘A Arte da Música’, onde ele apresenta 14 partituras de piano. O primeiro lançamento também foi traduzido para o espanhol e publicado em 2007, quando o menino teve as primeiras aulas da língua estrangeira. “Eu lembro que como eu tinha começado a estudar espanhol, não sabia muita coisa. Então, para traduzir o livro eu peguei um dicionário e procurei palavra por palavra”, conta Adauto.

O livro ‘Histórias da Vovó’, com 87 páginas e 25 contos, foi inspirado em fatos reais. “A minha avó sempre me contava muitas histórias. E nesse livro, eu tentei adaptar alguns finais, mas ela exigiu que eu contasse as histórias reais. Foi então que eu decidi dividir o conteúdo com partes reais [que ela me contava] e com as minhas histórias adaptadas”, completa o menino.

Adauto exibe os títulos que conquistou desde os primeiros anos de idade  (Foto: Adriana Justi / G1)

Adauto exibe os títulos que conquistou desde os primeiros
anos de idade (Foto: Adriana Justi / G1)

O próximo livro de Adauto – ‘Molhando o Pé no Rio’, já está em endamento.

“Ele tem a ver com um dos meus sonhos, que é o de ser biocientista. Eu conto a história de um menino que estava molhando o pé em um rio e ele pensava que os animais que existiam eram só aqueles qua a gente podia ver, como cachorros e gatos, por exemplo. Só que ele nunca olhou bem de perto para ver as formigas, os besouros, as bactérias. Ou seja, que existem outras vidas por trás disso”, conta Adauto, que brinca e diz que o final da história ainda é segredo.

Entre as admirações e inspirações de Adauto estão o pianista Alvaro Slaviero, a compositora Luna Remer, maestro Alceo Bocchino e maestro Tibiriçá.

Livro 'Aprender é Fácil' deu o título ao menino no Guinness Book de escritor mais jovem a ter um livro publicado (Foto: Adriana Justi / G1)

Livro ‘Aprender é Fácil’ deu o título ao menino no Guinness Book de escritor mais jovem a ter um livro publicado (Foto: Adriana Justi / G1)

dica do Jarbas Aragão

Go to Top