Escola E3

Posts tagged memorização

 

Veja uma pequena lista com 8 super dicas para que você possa aprimorar a sua memória

0

amo-direito-post-melhorar a memoria

Publicado no Amo Direito

Uma memória boa é quase um super poder para quem convive com o fluxo de informações da atualidade. As pessoas são bombardeadas o dia inteiro com dados sobre os mais diversos assuntos e acabam com dificuldades em selecionar aquilo que é realmente importante para seus cotidianos. Conforme você verá nas dicas a seguir, adquirir essa capacidade não é impossível:

1. Permaneça mentalmente ativo
Manter sua mente ativa é uma tarefa trabalhosa, mas que trás bons resultados. Você pode fazer isso lendo diferentes seções dos jornais a cada dia, tomando caminhos alternados para chegar aos lugares que costuma ir, completando palavras-cruzadas e estudando.

2. Socialize regularmente
Estar na companhia de amigos ajuda você a ser mais feliz, relaxado. Esses dois aspectos são essenciais para a saúde do cérebro e consequentemente para sua capacidade de recordação.

3. Se organize
Se você tem dificuldades de memória e não organiza suas coisas, então prepare-se para perder vários objetos. Facilite o trabalho e guarde cada coisa em um local e recipiente específico, sem abrir espaço para bagunça e confusão, tanto no ambiente como em sua mente.

4. Crie uma imagem mental
Para lembrar-se de algo, é necessário que antes de tudo você esteja completamente focado na coisa que deseja recordar. Depois disso, tente associar tal pessoa, data ou objeto com alguma imagem mental que possa ter, criando associações. Quanto mais conexões fizer, mais fácil será de relembrar.

5. Tenha uma alimentação saudável
Da mesma forma como os alimentos que você consome influenciam na saúde de seu corpo, também afetam diretamente o funcionamento de seu cérebro. Beba muita água e seja prudente com o consumo de álcool.

6. Exercite-se diariamente
Os exercícios físicos aumentam o fluxo de sangue em seu cérebro. Se a sua rotina não permite 30 minutos de atividades aeróbicas, procure fazer uma caminhada mais curta ou outra atividade rápida, mas não deixe de se exercitar.

7. Cuide de sua saúde
Algumas condições crônicas como problemas de tireoide, pressão alta e depressão podem afetar diretamente sua memória. Por conta disso é necessário que você esteja sempre em dia com seus tratamentos e medicação, evitando quaisquer problemas a mais.

8. Para se lembrar de nomes
Lembrar-se do nome das pessoas é uma das habilidades mais importantes que você pode ter. Especialistas em comunicação dizem que é necessário acreditar que você consegue fazer isso. Além disso, você deve prestar atenção no que a pessoa fala, como gesticula e outros aspectos, principalmente quando esse é o primeiro contato que tem com ela. Repita o nome em voz alta, mas de maneira discreta, e, se achar necessário, escreva-os.

Fonte: noticias universia

 

O que você estuda é facilmente esquecido? Veja 3 táticas infalíveis de memorização

0

amo-direito-post-mente

Publicado no Amo Direito

O que é estudado pode ser facilmente esquecido, mas o que é vivenciado é, certamente, lembrado. Esta máxima é a chave que abre as portas da memória de todo estudante ou concurseiro: tornar o objeto de estudo tangível.

“Quando o aluno consegue vivenciar mentalmente o que ele estuda, ou seja, quando cria uma realidade virtual e entra no tema, o assunto se torna mais concreto para a memória”, diz Felipe Lima, especialista em memorização e coach da SouGenius.

Confira três táticas indicadas pelo especialista e que podem ser úteis a estudantes e concurseiros:

1. Três princípios
Se o segredo está em vivenciar o tema de estudo a partir da criação de uma história, uma tática pode trazer mais força à narrativa elaborada pelo estudante.

Crie situações absurdas. “Quanto mais absurdo, mais a lembrança tem força”. . Adicione uma situação cômica. “Humor gera emoção que estimula a memorização”, diz Lima. Não é mais fácil se lembrar de um exemplo engraçado durante uma aula divertida? Se lhe falta o professor bem humorado, ponha a criatividade em ação e a favor de suas risadas.

O mesmo vale para a escatologia e para a vulgaridade. “O que é nojento gera repulsa que gera memória”, diz Lima. Para os estudantes “mais hormonais” (e para os menos também), um toque de duplo sentido na história criada pode ajudar a fixar o conteúdo, segundo Lima.

2. Sentidos
“Toda matéria pode ser manipulada para estimular a memória do aluno”, diz Lima. Os canais auditivo e visual são excelentes aliados da memória.

Por exemplo, um estagiário de direito que já tenha trabalhado com Direito Penal terá muito mais facilidade na aprovação ao escolher esta área na 2ª fase da prova. “Porque ele vivenciou, ouviu o que foi dito, viu o que aconteceu”, diz o especialista.

3. Mapas mentais
O que é mapeado é facilmente evocado, de acordo com Lima. Mapas mentais são indicados para estudantes e concurseiros que lidam rotineiramente com o excesso de informações. “São fortíssimos estimuladores da memória”, diz o coach da SouGenius. Mas como fazer?

“O estudante começa organizando um desenho em forma de neurônio, partindo do centro para as extremidades. Na parte central, como se fosse um “sol” entra a informação principal. Os demais elementos vão sendo dispostos ao longo do desenho. Quanto menos essencial, mais longe do centro.

Não se trata de escrever muito. Lima recomenda o uso de abreviações, mas pontua que a letra deve ser grande. “Estimula o canal visual e deixa mais ágil a revisão”, diz.

Outro conselho importante é lançar mão de diferentes cores para as informações. “Assim há o estímulo do hemisfério cerebral ligado à criatividade”, diz.

Segundo Lima, mapas mentais melhoram a absorção do conteúdo, a sua compreensão e também desenvolvem a concentração.

Fonte: Exame

 

Veja cinco dicas para que você possa memorizar a matéria da prova com mais facilidade

0

Prova

Publicado no Amo Direito

A famosa “decoreba” é um processo muito usado pelos estudantes em tempos de prova, sobretudo dos vestibulares. Caso você não tenha dado conta de estudar e, por isso, recorra a este recurso, conheça algumas técnicas que podem te ajudar a fixar os conteúdos:

1 – Organize-se
Para simplificar o seu processo de estudo e de memorização é recomendável que você estruture seu conhecimento, estabelecendo relações entre informações. Uma maneira de fazê-lo é dividindo os dados que você tem em mãos em categorias, de maneira que você se obrigue a fazer as conexões. Dessa forma, quanto mais conhecimento você obtiver, mais links você será capaz de fazer.

2 – Faça jogos de palavras
É comum encontrar nos cursinhos e na internet músicas ou piadas que ajudem os alunos a lembrar de fórmulas e conteúdos mais específicos. Então, por que não usar esses recursos também? Por exemplo, crie rimas para te ajudar a lembrar de informações mais difíceis de serem memorizadas e siglas quando quiser recordar diferentes definições. Outra opção é brincar com os acrósticos, isto é, textos em que a primeira letra de cada frase forma uma nova palavra. Dessa forma, lembrando da palavra, você se lembra do restante da matéria.

3 – Lembre-se o conteúdo em intervalos diferentes
Para não correr riscos de não se lembrar da matéria da prova, ao invés de entrar em contato com o conteúdo uma única vez, faça isso várias vezes. Dê intervalos entre seus estudos e lembre-se os principais aspectos ao longo de todo o dia.

4 – Explique a matéria para um colega
Quando você está explicando um conteúdo a alguém, independentemente de qual seja ele, você precisa relembrar e organizar as informações para que o seu ouvinte consiga captar a ideia da melhor forma possível. Dessa forma, explicar a matéria é uma ótima forma de fixar dados.

5 – Exagere
Exagerar conceitos é uma forma simples de se lembrar de dados importantes, como fatos históricos. Embora este recurso criativo ajude-o a fixar o conteúdo, tome cuidado para não se confundir e pensar que os fatos se desenrolaram de uma maneira absurda.

Fonte: noticias universia

 

Você lê, mas esquece rápido? Esta dica fará sua memória funcionar melhor

0

tt

Publicado no UOL

Sempre foi importante ter uma comunicação cativante e envolvente. Hoje, com a presença da tecnologia atuando nos contatos pessoais, essa habilidade se tornou ainda mais necessária. Pessoas articuladas, simpáticas e espirituosas são recebidas com alegria em qualquer roda de conversa. Com esse comportamento, sobressaem de maneira positiva nas reuniões corporativas e no relacionamento social.

Para isso é preciso que tenham voz firme, com bom ritmo. Vocabulário amplo, pronto e adequado a todas as circunstâncias. Domínio da expressão corporal, para que os gestos sejam elegantes e harmoniosos. Expressão facial arejada. Pensamento bem ordenado, com raciocínio lógico e concatenado.

Para que todos esses aspectos possam efetivamente contribuir com o sucesso da comunicação é fundamental que a pessoa tenha conteúdo. Se não tiver o que dizer, o indivíduo será repetitivo, vazio, prolixo e apenas um falador chato. Quem possui informações, naturalmente associa e complementa as ideias com facilidade, e torna seu discurso mais atraente.

Alguns, entretanto, reclamam que não conseguem guardar as informações que leem. Em pouco tempo, o que parecia tão interessante para ser usado em uma conversa desaparece da mente. Já me disseram que, depois de ler um romance, não conseguem contar a história que no momento da leitura parecia ser tão fascinante.

Para solucionar essa questão e conseguir reter as informações relevantes apreendidas em uma leitura, vou sugerir um recurso que me caiu às mãos de maneira curiosa. Ganhei um livro de oratória que havia pertencido ao poeta Guilherme de Almeida. A obra, com o título de “El Arte de Hablar Bien” (A Arte de Falar Bem) é de autoria de Paul C. Jagot e J. C. Noguin. Foi publicada na Argentina em 1943 e traduzida do francês para o espanhol por J. C. Guiñon.

Embora seja uma obra relativamente comum, Guilherme de Almeida fez dela uma espécie de livro de cabeceira. Leu cada uma de suas páginas e assinalou a lápis todas as passagens que julgou interessante. Observe que não estamos falando de qualquer pessoa, mas sim de um dos mais brilhantes poetas brasileiros de todos os tempos.

Guilherme de Almeida nasceu em Campinas, no Estado de São Paulo, em 1890 e faleceu na capital paulista em 1969. Deixou uma vasta produção literária e, em 1930, teve o mérito de se tornar o primeiro poeta moderno a ingressar na Academia Brasileira de Letras. Foi figura de destaque na Semana de Arte Moderna de 1922.

Não se encontra uma página sequer do livro que não tenha pelo menos uma pequena anotação feita de próprio punho pelo poeta. Em alguns casos, Guilherme de Almeida chama a atenção que determinado trecho deveria ser lido várias vezes. Um deles assinala com destaque uma sugestão dos autores de como reter as informações lidas em um livro.

“Ao acabar de ler o capítulo de um livro resuma o conteúdo, o significado da mensagem da mesma maneira como se precisasse expô-lo diante de uma centena de pessoas.” Quem seguir essa sugestão assinalada por Guilherme de Almeida, terá dado um passo importante para assimilar com mais facilidade o conteúdo de suas leituras.

O resultado é impressionante. Ao resumir o capítulo de um livro, ou um artigo de jornal ou revista, imaginando que precisará apresentá-lo diante de uma plateia, aprenderá o conteúdo com mais tranquilidade. Esse recurso faz com que a pessoa tenha domínio da matéria que acabou de ler. O exercício será ainda mais eficiente se for feito em voz alta.

Dessa forma, além de fixar as informações que leu, terá oportunidade também para aprimorar a comunicação. Depois desse treinamento, quando falar em público fazendo uso do conteúdo aprendido, as exposições se revestem de uma qualidade diferenciada.

A leitura é uma das mais importantes fontes de conhecimento. Quem se dedica a essa tarefa de resumir o que acabou de ler e faz o exercício de apresentar as informações como se estivesse falando em público, incorpora definitivamente esse conhecimento, que passa a ser muito útil quando se apresentar diante da plateia.

 

Já está cansado das mesmas dicas? Veja 5 maneiras inusitadas de melhorar a sua memória

0

amo-direito-post-memoria2

Publicado no Amo Direito

Já está cansado das mesmas dicas de sempre para melhorar a sua memória? Conheça 5 maneiras inusitadas para ajudar na memorização.

Você acha que a sua memória é fraca e, por isso, está sempre buscando por maneiras de melhorá-la? Reunimos 5 maneiras inusitadas de ajudar na memorização. Confira quais são e comece a praticá-las no dia a dia:

1 – Beber café
A cafeína, além de diminuir o sono, também pode afetar a sua memorização. Ao tomar café um pouco depois de estudar, por exemplo, seu cérebro consegue de maneira mais fácil organizar esses pensamentos e consolidá-los. Por isso, a cafeína pode ajudar a ter um desempenho melhor em provas que envolvam a memorização.

2 – Fazer exercícios físicos
Realizar exercícios físicos leves e regulares pode ajudá-lo a se lembrar mais facilmente das coisas. Cientistas provaram que atividades físicas podem desenvolver as habilidades cognitivas, que estão estritamente ligadas à memória. Dessa forma, tente sempre realizar uma caminhada ou corrida antes de ir realizar uma prova importante.

3 – Coma frutas vermelhas
Quer melhorar a sua memória em longo prazo? Então, coma frutas vermelhas. Estudos da Universidade de Harvard mostraram que idosos que comiam até 3 frutas vermelhas por dia conseguiam armazenar informações e dados novos com muito mais facilidade. Da próxima vez que for ao mercado, passe na sessão de frutas e não deixe de comprar morangos, framboesas e amoras.

4 – Pratique meditação
O hábito de meditar pode não ajudar diretamente na sua memória, mas é por meio dela que a sua capacidade de interpretar fatos se torna melhor. Por exemplo: pessoas que costumam fazer meditação conseguem armazenar dados complexos mais facilmente. Isso porque a meditação faz com que o seu cérebro “aprenda” a trabalhar de maneira mais ordenada e informações difíceis precisam ser processadas lentamente.

5 – Masque chiclete
Mascar chiclete, além de ser gostoso, também pode ajudar a sua memória. Um estudo publicado na Scientific American mostrou que quando mascamos chiclete nosso hipocampo fica mais ativo, e essa área do cérebro é importante para a memorização de informações. Por isso, quando reclamarem de mascar chiclete em sala de aula, diga que você só está memorizando o que o professor diz.

Fonte: noticias.universia.com.br

Go to Top