Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged Millenium

Companhia das Letras publicará mais dois livros da série Millennium

0

386063.jpg-c_620_260_x-f_jpg-q_x-xxyxx

Fábio Mourão, no Dito pelo Maldito

Depois de “A Garota na Teia de Aranha”, quarto livro da série Millennium publicado em agosto do ano passado, o jornalista sueco David Lagercrantz escreverá mais dois romances policiais. A Companhia das Letras comprou os direitos das continuações, que devem ser lançadas em 2017 e 2019, respectivamente.

“A Garota na Teia de Aranha” ficou entre os 12 livros mais vendidos no Brasil em 2015, na categoria Ficção. A trama, que traz novamente à cena a hacker Lisbeth Salander e o jornalista Mikael Blomkvist, envolve uma conspiração internacional e a agência de segurança norte-americana.

A Garota na Teia de Aranha – Vol.4 – Série Millennium

milennium livro 4Lisbeth Salander e Mikael Blomkvist estão de volta na aguardada e eletrizante continuação da série Millennium. Neste thriller explosivo, a genial hacker Lisbeth Salander e o jornalista Mikael Blomkvist precisam juntar forças para enfrentar uma nova e terrível ameaça. É tarde da noite e Blomkvist recebe o telefonema de uma fonte confiável, dizendo que tem informações vitais aos Estados Unidos. A fonte está em contato com uma jovem e brilhante hacker – uma hacker parecida com alguém que Blomkvist conhece.

As implicações são assombrosas. Blomkvist, que precisa desesperadamente de um furo para a revista Millennium, pede ajuda a Lisbeth. Ela, como sempre, tem objetivos próprios. Em A Garota na Teia de Aranha, a dupla que já arrebatou mais de 80 milhões de leitores em Os homens que não amavam as mulheres, A menina que brincava com fogo e A rainha do castelo de ar se encontra de novo neste thriller extraordinário e imensamente atual. David Lagercrantz nasceu na Suécia, em 1962. Jornalista, romancista e biógrafo premiado, Lagercrantz foi escolhido para continuar as aventuras de Lisbeth Salander e Mikael Blomkvist (Editora Companhia das Letras)

7 Trilogias que merecem a sua atenção

0

Fabio Mourão, no Dito pelo Maldito

As vezes eu me pergunto como os autores decidem que o trabalho que estão escrevendo no momento, será uma trilogia quando estiver pronto. Tolkien por exemplo, inicialmente planejou O Senhor dos Anéis para ser o primeiro livro de dois volumes que sucederiam O Hobbit, sendo que o segundo volume seria o Silmarillion. Seu editor, de forma sensata, bateu o martelo e decidiu dividir LOTR em uma trilogia que virou um clássico. Já Peter Jackson levou o singelo O Hobbit para as telas do cinema e transformou um livro relativamente pequeno, em três filmes recheados de cenas de ação. Aproveitando o exemplo do cinema, Star Wars foi originalmente um filme independente que pretendia contar a jornada do herói perfeito, ele não havia sido concebido como uma trilogia, até o filme quebrar recordes de bilheteria. Tanto que não tínhamos spoilers sobre Luke ser filho de Darth Vader em Uma Nova Esperança.

O mais comum é que a construção de uma trilogia exija um arco central na história que conecte os três livros. O que acaba incumbindo o segundo livro de, muitas vezes, conter algumas importantes cenas de suspense frustrantes que precisam esperar durante um longo tempo para serem concluídas no final do terceiro livro.
Algumas pessoas podem encarar esse formato como uma manobra deliberada para prender os leitores e obrigá-los a comprar mais livros. Bem, é claro que a editora quer que você compre seu próximo lançamento, mas se o trabalho do autor for realmente bom, você não vai querer ler a sequência de uma série seja ela composta por dois livros, uma trilogia, ou uma saga incerta como Guerra dos Tronos, de qualquer forma? Então, que seja.
 
Todo esse questionamento me levou a selecionar aqui algumas trilogias que ainda não alcançaram o status de um O Senhor dos Anéis, mas possuem seus méritos e encantos, seja pelo universo ou personagens apresentados.
Vale ressaltar que essa é apenas uma lista limitada pelos meus conhecimentos, fique a vontade para sugerir e adicionar outras trilogias em nossos comentários.
 

✔ A Ferro E Fogo, de Henryk Sienkiewicz

Os volumes 1 e 2 de A ferro e fogo constituem a primeira parte da consagrada trilogia de Henryk Sienkiewicz, conhecido no Brasil como autor de Quo Vadis, obra que lhe rendeu o Prêmio Nobel de Literatura.

A obra narra as aventuras e peripécias de cavaleiros ao longo das guerras que a Polônia travava no século XVII – a guerra com os cossacos da Ucrânia, que sob o comando de Chmielnicki se revoltaram contra a Polônia; a guerra contra a invasão sueca e a guerra com a Turquia. Relatando as vitórias nas guerras e as façanhas de seus heróis, o autor reforça a identidade nacional no país subjugado pelas potências vizinhas. Os romances nem sempre são fiéis aos fatos históricos, mas a visão da época, costumes, mentalidade, linguagem e topografia, são realistas e correspondem às fontes.

 

✔ Fronteiras do Universo, de Philip Pullman

O primeiro volume da trilogia Fronteiras do Universo, de Philip Pullman, se passa em um mundo muito parecido com o nosso — mas com algumas curiosas diferenças. Ciência e religião se confundem. Todo ser humano possui um dimon, um animal inseparável que na infância toma várias formas. E existe um raríssimo objeto que aponta a verdade, mas ninguém sabe fazê-lo funcionar. Lyra é uma menina levada que vive na tranqüila cidade universitária de Oxford, na Inglaterra. Lá, crianças começam a desaparecer. E quando seu grande amigo Roger, some, Lyra parte em sua busca, disposta a desafiar seus próprios temores. Na paisagem árida do Norte, onde tenta encontrar Roger, Lyra enfrenta uma terrível conspiração que faz uso de crianças-cobaias em sinistras experiências. Entre ursos usando armadura e bruxas que sobrevoam as sombrias geleiras, Lyra terá que fazer alianças inesperadas se quiser salvar o amigo de seu trágico destino.

 

✔ Mago Negro, de Trudi Canavan

Todos os anos, os magos de Imardin reúnem-se para purificar as ruas da cidade dos pedintes, criminosos e vagabundos. Mestres das disciplinas de magia, sabem que ninguém pode opor-se a eles. No entanto, seu escudo protetor não é tão impenetrável quanto acreditam. Enquanto a multidão é expurgada da cidade, uma jovem garota de rua, furiosa com o tratamento dispensado pelas autoridades a sua família e amigos, atira uma pedra ao escudo protetor, colocando nisso toda a raiva que sente. Para o espanto de todos que testemunham a ação, a pedra atravessa sem dificuldades a barreira e deixa um dos mágicos inconsciente. Trata-se de um ato inconcebível, e o maior medo da Clã de repente se concretiza: uma maga não treinada está à solta pelas ruas. Ela deve ser encontrada, e rápido, antes que seus poderes fiquem fora de controle e destruam todos.
 

✔ Trilogia dos Templários, de Jack Whyte

Jack Whyte, um dos maiores autores britânicos de ficção histórica, célebre por seus romances arturianos, estréia com o primeiro volume da Trilogia dos Templários. Nesse livro, é narrada a iniciação do cavaleiro Hugh de Payens na Ordem do Renascimento no Sião, e sua ida a Jerusalém em busca de um valioso tesouro.
Na sequência, três membros da família St. Clair são convocados para a batalha sem saber se estão lutando contra seu verdadeiro inimigo ou ao lado dele. O jovem André St. Clair, seu pai, Sir Henry e o primo, Alexander Sinclair se encontram em uma terra estranha e cheia de ameaças. A trajetória desses três cavaleiros é conduzida pelas intrigas pessoais e políticas dos líderes cruzados, levando a família e a Ordem à beira do desastre.
 

✔ A Mão Esquerda de Deus, de Paul Hoffman

O cenário da trilogia iniciada com a A Mão Esquerda de Deus é desolador. Habitado por meninos que foram levados para lá muito novos e geralmente contra a sua vontade, o Santuário dos Redentores é uma mistura de prisão, monastério e campo de treinamento militar. Lá, ilhares de garotos são submetidos a uma sádica preparação para lutar contra hereges que vivem nas redondezas. A intenção dos Lordes Opressores, os monges que protegem o lugar, é fortalecer os internos tanto física quanto emocionalmente, preparando-os para uma monstruosa guerra entre o bem e o mal. Entre os jovens está Thomas Cale. Não se sabe ao certo se ele tem 14 ou 15 anos ou como foi parar ali. O que se sabe é que ele tem uma capacidade incomum de matar pessoas e organizar estratégias de combate. E que o seu treinamento militar brutal tinha um único propósito: destruir o maior erro de Deus, a humanidade. Desde que descobriu esta verdade, Cale é assombrado pelo homem que o transformou em Anjo da Morte: o Redentor Bosco.
 

✔ Millenium, de Stieg Larsson

Vem da Suécia um dos maiores êxitos no gênero de mistério dos últimos anos: a trilogia Millennium. Seu autor, Stieg Larsson, jornalista e ativista político muito respeitado na Suécia, morreu subitamente em 2004, aos cinqüenta anos, vítima de enfarte, e não pôde desfrutar do sucesso estrondoso de sua obra. Seus livros não só alcançaram o topo das vendas nos países em que foram lançados (além da própria Suécia -onde uma em cada quatro pessoas leu pelo menos um exemplar da série -, a Alemanha, a Noruega, a Itália, a Dinamarca, a França, a Espanha e a Inglaterra), como receberam críticas entusiasmadas. 
Um dos segredos de tanto sucesso é a forma original com que Larsson engendra a trama, conduzindo-a por variados aspectos da vida contemporânea: do universo muitas vezes corrupto do mercado financeiro à invasão de privacidade, da violência sexual contra as mulheres aos movimentos neofascistas e ao abuso de poder de uma maneira geral. 
Em 1966, Harriet Vanger, jovem herdeira de um império industrial, some sem deixar vestígios. No dia de seu desaparecimento, fechara-se o acesso à ilha onde ela e diversos membros de sua extensa família se encontravam. Desde então, a cada ano, Henrik Vanger, o velho patriarca do clã, recebe uma flor emoldurada – o mesmo presente que Harriet lhe dava, até desaparecer. Ou ser morta. Pois Henrik está convencido de que ela foi assassinada. 

 

✔ Coração de Tinta, de Cornelia Funke

Mortimer tem a capacidade de trazer à vida os personagens de livros quando os lê em voz alta. Ao ler o livro Inkherat para sua filha, ele acaba fazendo com que vários dos personagens maus literalmente ganhem vida e de alguma forma, sua esposa, Resa, e mãe de Meggie, sua filha, entre na história acidentalmente. Anos depois Meggie não conhece o talento singular de seu pai e não entende por que ele não lê mais histórias. Quando um dos personagens liberados vai atrás de Mortimer para usar deu dom para seu próprio benefício, uma série de eventos ocorre, e Meggie é sequestrada. Mortimer deve lutar contra seus medos para salvar sua filha e aprisionar os personagens que ele libertou dos livros.

Amazon fecha acordo com a Companhia das Letras

1

Publicado na Veja on-line

A Amazon está cada vez mais quente, como dizem as crianças na brincadeira de encontrar coisas escondidas. A propagada chegada da gigante do e-commerce, do e-book e do Kindle ao Brasil, prevista para este ano, vai aos poucos se concretizando. Depois de fechar acordo com a DLD, a distribuidora de livros digitais que reúne Rocco, Sextante, Objetiva e Record, a Amazon assinou contrato com a Companhia das Letras, uma das principais casas editoriais do país. A criadora do Kindle pode chegar ao Brasil até a primeira quinzena de dezembro.

“Em breve, os usuários do Kindle também poderão acessar os livros da Companhia das Letras em seus aparelhos. Ao lado da iBookstore, da Apple, com a qual começamos a trabalhar no mês passado, e de dez livrarias nacionais – Saraiva, Cultura, iba, Gato Sabido, Travessa, Positivo, Curitiba, Leitura.com, Submarino e Buqui – agora assinamos também com a Amazon, que vai representar mais um canal importante de contato com os nossos leitores”, diz a editora de Luiz Schwarcz em comunicado, nesta sexta-feira.

O texto prossegue: “Desde março de 2010, quando lançamos nossos primeiros e-books, temos trabalhado na expansão do nosso catálogo digital, que hoje já conta com três aplicativos para iOS e mais de 500 títulos em ePub. Muitos destes se tornaram best-sellers no formato digital, como é o caso da Trilogia Millenium, Steve Jobs, As Esganadas, Gabriela, Cravo e Canela e Toda Sua – este último, da Editora Paralela, desde agosto nas listas de mais vendidos. Com a colaboração da editora Penguin, que se tornou referência no mercado mundial de livros digitais, buscamos experimentar novos formatos e disponibilizar nosso catálogo no maior número possível de canais, dando maior liberdade de escolha ao leitor. O acordo com a Amazon e nossas conversas com outros players internacionais representam mais um passo nessa direção.”

Go to Top