A escritora Toni Morrison Imagem: Reprodução

Caio Coletti, no UOL

A escritora Toni Morrison morreu na noite de ontem, aos 88 anos. A informação foi confirmada pela Associated Press, citando um amigo da autora. Morrison era mais conhecida por assinar o livro Amada, de 1987, que se tornou o filme Bem Amada (1998), com Oprah Winfrey em um dos papéis principais.

O livro formou, junto com Jazz (1992) e Paraíso (1997), a trilogia que catapultou Morrison para a fama. Em 1993, ela venceu o Prêmio Nobel de Literatura, se tornando a primeira mulher negra a receber esta honra.

Em Amada, Morrison contou a história de Sethe (no filme, vivida por Winfrey), uma ex-escrava que vive com sua filha de 18 anos de idade em Denver (EUA). Traumatizada pela morte de sua mãe, Baby Suggs, e pela fuga de seus outros dois filhos, Howard e Buglar, Sethe acredita que uma presença fantasmagórica a assombra onde quer que vá.

É quando Paul D (interpretado por Danny Glover no cinema), que viveu a escravidão junto com Sethe, chega para tentar ajudar a família. Ele expulsa o espírito que vive na casa e parece ser bem-sucedido, até que uma jovem chamada Amada surge do nada para desequilibrar a nova dinâmica.

Além do Nobel, Morrison também venceu o Pulitzer na categoria de ficção em 1988, por Amada. Desde então, ela escreveu livros como Amor (2003), A Mercy (2008) e Voltar Para Casa (2012).

Sua última obra foi Deus Ajude Essa Criança, lançada em 2015, abordando a vida de uma garota negra que sofre preconceito dentro de sua própria família por ter a pele mais escura que seus pais.

Em junho, estreou nos cinemas dos EUA um documentário sobre a autora. Intitulado Toni Morrison: The Pieces I Am, o filme não tem previsão de chegada ao Brasil.