Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged motivação

Veja os principais motivos que faz você estudar de última hora e saiba como evitá-los

0

amo-direito-post-tempo

Publicado no Amo Direito

A prova é no dia seguinte, mas você ainda não estudou. Pense em quantas vezes esse cenário se repetiu no último ano. Você, provavelmente, se lembra do sufoco e das noites sem dormir, mas por acaso o motivo de ter deixado tudo para a última hora vem à mente? Não? Isso é mais comum do que parece! Muitas vezes os inimigos que levam os estudantes a procrastinar estão mais presentes no cotidiano do que se pode supor, no entanto, nem sempre é fácil identificá-los.

Se você quer romper esse círculo vicioso confira a seguir lista de fatores que te levam a estudar na véspera dos exames e veja como mudar seus hábitos na volta às aulas:

1 – Acreditar que tem mais tempo para estudar do que realmente tem
Muitas vezes, os alunos subestimam a quantidade de tempo que de fato passarão estudando. Isso acontece por dois motivos: não levar em conta interrupções e outros fatores, como o trânsito e ignorar o tempo de descanso que o corpo precisa para assimilar as informações corretamente antes de ficar esgotado. Para evitar isso, você pode usar métodos como o Técnica Pomodoro, que otimizam o tempo.

2 – Falta de motivação
Pode ser que você tenha adiado sua sessão de estudos simplesmente porque estava sem vontade de encarar os livros por horas. Esse comportamento está longe de ser o ideal, apesar de ser comum. O melhor a fazer nesses casos é pensar na real motivação para seus estudos, como realizar o sonho de entrar na faculdade e se tornar um bom profissional, o importante é manter o foco do resultado. Escrever esses propósitos e revisitá-los sempre que estiver desmotivado é uma boa maneira de aumentar a vontade de estudar.

3 – Não estudar progressivamente
Estudar é um hábito e, como tal, precisa de frequência. Sendo assim, você aprenderá muito mais estudando ao longo de vários dias do que se decidir assimilar toda a matéria de uma vez. Um dos motivos é que o cérebro grava as informações assimiladas durante o sono, portanto, quanto mais noites de sono você tiver intercalando os estudos, mais fácil você memorizará o conteúdo. Planeje-se para garantir que terá tempo o suficiente para estudar por vários dias e facilitar esse processo.

4 – Não dormir bem
Se você estiver cansado e com sono, as chances de querer adiar os estudos são muito maiores, por isso, dormir bem é fundamental. Apesar da sensação de que você tem muitas coisas a fazer e que o tempo que você passará acordado será necessário, dê preferência ao seu sono. Depois de descansar, sua energia vai aumentar e você conseguirá realizar as outras tarefas em muito menos tempo.

5 – Acreditar que já sabe a matéria
Em muitos casos, por frequentar as aulas e prestar atenção, você tem o falso sentimento de que não precisa estudar até o momento da prova, o que acaba se tornando um pesadelo. Isso acontece porque esse não foi o que se chama de aprendizado ativo, ou seja, não mediu o conhecimento na prática. Uma boa dica para fugir dessa armadilha é manter um sistema constante de autoavaliação, ou seja, fazer uma dinâmica de testes, especialmente com exercícios práticos para saber o quanto você já sabe e o que ainda falta aprender até a prova. Explicar a matéria para os colegas também pode ser um ótimo termômetro para avaliar se você está preparado ou não.

Fonte: Universia Brasil

5 dicas infalíveis para se manter motivado nos estudos

0

anime-tired

Ana Lourenço, no Guia do Estudante

Você estuda, estuda e estuda, por horas a fio, pensando no Enem ou no vestibular que vai prestar. E agora, faltando pouco tempo para as provas, e os problemas com aquela matéria chata só aumentam. Bate aquele desânimo… Mas ficar desmotivado é normal. A dificuldade do vestibular, o peso de tomar a decisão sobre a carreira que vai estudar, a preocupação com as notas de corte: tudo isso pode sobrecarregar muito o emocional do estudante.

Se você ainda está inseguro, preparamos cinco dicas infalíveis para você se manter motivado nos estudos ao longo do ano. Veja:

1. Pense menos nas dificuldades

Acredite, não adianta nada ficar nervoso pensando na quantidade de coisa que ainda falta estudar, e no pouco tempo que você tem para aprender tudo. Afaste de si os pensamentos negativos: se você acumulou matérias atrasadas de ontem, tente refazer seu cronograma para recuperar o tempo perdido no fim de semana. Se não entendeu muito bem aquele tópico de Física, pare de se torturar pensando que nunca vai conseguir aprendê-lo: vá logo ao professor ou ao plantão de dúvidas e resolva de uma vez o problema. Evite ficar irritado consigo mesmo se cometer algum erro ou não conseguir cumprir a rotina de estudos algum dia. Sem noia!

2. Faça uma lista do que você aprendeu no dia

Reconhecer o progresso que você vem fazendo pode ser uma boa estratégia para as horas em que se sentir desmotivado. Ao fim de cada dia, pegue um papel e faça uma lista do que você estudou e o que conseguiu aprender em cada disciplina. Assim, você pode manter um controle do trabalho que vem fazendo e de cada avanço que dá, por menor que seja. É hora de se parabenizar pelo seu esforço, não acha? 😉

3. Reconheça as pequenas vitórias

Esta etapa está muito relacionada com a anterior. Ficar feliz com cada pequena vitória que você alcança, ao longo de toda a extensa preparação para o vestibular, é uma das chaves para compreender que o seu objetivo pode ser alcançado, e para te dar uma dimensão mais completa do que você já fez (e o que ainda falta ser feito). Por isso, anote cada vitória que obtiver na batalha contra o exame. Aqui vai uma lista de exemplos:

– Conseguiu terminar um ou mais livros da lista de obras obrigatórias?
– Conseguiu refazer uma das provas do Enem, de anos anteriores, dentro do prazo dado de 4 horas e meia?
– Conseguiu resolver toda a lista de exercícios de uma determinada matéria?
– Conseguiu dominar por inteiro algum dos tópicos daquela disciplina?

rocky-gif

Faça como o Rocky! Você é um vencedor! 😛

4. Cuide do básico

Lição básica para o vestibulando: corpo cansado não consegue aprender nada. Virar a noite estudando (e dormir mal), deixar de se alimentar direito ou, ainda, não fazer nada além de estudar: tudo isso pode ser o que está “acabando” com você e com a sua disposição. Se você não se cuida, não é de surpreender que se sinta desmotivado. Antes de pensar no vestibular e no curso que quer passar, pense primeiro em si mesmo. Nada de ficar bitolado, ok?

5. Mantenha o foco no que o seu objetivo significa para você

Pense no curso que você quer fazer. Por que você quer fazê-lo? Quais são os motivos verdadeiros que fizeram você optar por essa carreira? Há muitas respostas possíveis para essa pergunta, como “vai me trazer muito reconhecimento”, “tenho afinidade com as matérias”, “é o que mais se encaixa no meu perfil” ou até “posso ganhar muito dinheiro”. Todas as razões são legítimas, mas, além disso, tire um tempo para pensar nos motivos pessoais que te levam a esse grande esforço de passar nesse curso. Esqueça as recompensas. Pense no que isso significa para você, o que te faz perseguir esse sonho e o que vai mudar na sua vida daqui para frente. Estabeleça o que é importante para você, pessoalmente, e priorize os seus sentimentos. Muito mais do que pensar nas recompensas a longo prazo, como sucesso ou dinheiro, abraçar o significado de tudo isso pode te fazer seguir em frente muito mais motivado.

3 livros que você deve ler para ter funcionários motivados

0
Liderança: Livros para aprender a gerir melhor sua equipe

Liderança: Livros para aprender a gerir melhor sua equipe

 

Livros para quem quer aprender a gerir pessoas
Escrito por Sílvio Celestino, especialista em gestão de pessoas

Mariana Desidário, na Exame

Não apenas o pequeno e o médio empreendedor, mas a cultura empresarial brasileira ainda coloca a intuição acima do método e da experiência. É evidente que ela desempenha um papel nas funções diárias do administrador de uma empresa. Entretanto, a intuição não pode ser ensinada. Portanto, deve ser usada somente nos momentos em que a experiência e o método não se aplicarem. Devido, principalmente, à velocidade com que uma decisão tem de ser tomada.

Contudo, a administração é uma ciência, e há livros que são de muita utilidade para o empreendedor utilizar na gestão de pessoas. Recomendo três deles:

“O Poder dos Quietos”, de Susan Cain. Um grande problema que enfrentamos é a liderança, até mesmo da arquitetura, nos ambientes empresariais, favorável aos extrovertidos. Porém, toda empresa, para crescer, precisa ter em seus quadros pessoas introvertidas. Se não forem geridas de maneira apropriada, não mostrarão suas análises profundas e reflexões fundamentadas, e que são de grande contribuição para a empresa. Esse livro mostra as diferenças entre os extrovertidos e os introvertidos. Quais tarefas são melhores para cada um e como respeitar suas preferências comportamentais de maneira a obter o máximo possível de ambos.

“Pipeline de Liderança”, de Ram Charan. A função principal de um líder é formar novos líderes, e não seguidores. Para tanto, é importante, ao gerir pessoas, saber quais competências devem ser desenvolvidas para que o profissional se aprimore de acordo com as necessidades da empresa, atuais e futuras. O livro mostra de maneira pragmática e direta quais são os níveis de liderança que existem e quais habilidades devem ser desenvolvidas. É uma excelente referência para gestores que desejam obter o máximo possível de sua equipe e prepará-la para o crescimento da empresa.

“Capitalismo Consciente”, de John Mackey. A gestão de pessoas faz parte de um contexto maior, que é o propósito de existir da empresa. É evidente que um líder que acredita que sua companhia existe somente para gerar lucros vai administrar seus funcionários de maneira não apropriada. Isso não cria o engajamento necessário para que as operações da empresa cresçam e gerem benefícios abrangentes para todos. Para isso, mesmo as empresas pequenas e médias devem pensar e fomentar, entre seus liderados, o propósito maior da organização. Ele deve ser marcante, relevante e inspirador, para motivar as pessoas e fazê-las se comportarem de maneira apropriada em todos os instantes. Um fator de sucesso na administração de pessoas.

Vamos em frente!

Sílvio Celestino é sócio-fundador da Alliance Coaching.

10 livros para aumentar a motivação na carreira

0

765x510x10-livros-para-aumentar-a-motivacao-na-carreira-portaltrainee.jpg.pagespeed.ic.1BGm1PKutJ

Falta motivação na sua carreira? Ler um bom livro pode fazer com que você tenha novas ideias, trace metas e se aproxime cada vez mais do caminho do sucesso.

Lorena Torres, no Portal Trainee

Confira 10 livros que trarão motivação para sua carreira:

1 – Getting Things Done (A Arte de Fazer Acontecer)

Os conselhos do autor ajudam os profissionais a aumentarem a produtividade e diminuírem o estresse. Além disso, o livro ensina práticas de gestão de tempo modernas que auxiliam a redução do estresse.

2 – Desafiando o Talento (Geoff Colvin)

O autor Geoff Colvin é jornalista e editor da revita Fortune. Ele traz á tona um importante confronto: talento inato x trabalho duro.

O livro mostra questões motivadores para quem acredita que, mesmo não sendo dono de um grande talento ou QI, pode seguir pelo caminho do sucesso.

3 – A Estratégia do Oceano Azul (W. Chan Kim e Renéé Mauborgne)

Profissionais que têm uma carreira diferenciada são aqueles que adotam visão estratégica. A obra trabalha com exemplos reais e mostra o que grandes empresas e líderes fazem para manter-se no caminho do crescimento.

Lembre-se: você sempre ‘nadará’ com concorrentes altamente qualificados. Por isso, precisa desenvolver estratégias que te proporcionarão um diferencial diante da competitividade.

4 – O Físico (Noah Gordon)

Segundo especialistas, “O Físico” é um dos melhores livros para profissionais desmotivados. Em 600 páginas, o autor relata os desafios de um médico da Idade Média. A história inspira e faz refletir sobre o quanto somos capazes de enfrentar os obstáculos, esperar e ter determinação para alcançarmos aquilo que de fato queremos!

5 – Construindo um Futuro de Sucesso (Márcia Luz)

O livro traz uma série de relatos de pessoas que batalharam e conseguiram mudar a própria história. Entre eles, alguns empresários de sucesso, Oscar Schmidt e Ana Maria Braga.

“Sucesso não é uma questão de sorte ou azar. Ele é construído passo a passo e definirá seu destino”, relata a autora.

6 – Peixe! Como Motivar e Gerar Resultados (Stephen Lundin)

Uma gestora assume o desafio de conseguir modificar o ambiente de trabalho em uma unidade, onde ela considera o depósito de lixo tóxico da organização. Isso porque, é nesse setor que estão os funcionários mais desmotivados. O livro é uma verdadeira lição de motivação e faz com que você aprenda também sobre a importância de motivar colegas de equipe.

7 – Agora é pra Valer (Márcia Luz)

A autora descreve personagens com características de pessoas do mundo corporativo. O grande objetivo da obra é apresentar o conceito de liderança transformadora.

8 – O que Podem Aprender com os Gansos (Alexandre Rangel)

O livro traz lições que vão da liderança à motivação e passam por ensinamentos sobre (mais…)

Sim, estresse: escola top de Brasília incentiva clima de pressão

0
Aluno do Colégio Olimpo, de Brasília. Campeão do Enem por Escola, o colégio incentiva o estresse como motivação. Na camiseta: "Yes, Stress"

Aluno do Colégio Olimpo, de Brasília. Campeão do Enem por Escola, o colégio incentiva o estresse como motivação. Na camiseta: “Yes, Stress”

Edgard Matsuki, no UOL

Basta uma rápida caminhada pelo pátio da escola que teve a melhor nota do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) no Distrito Federal e se percebe o clima de pressão no ambiente. No Colégio Olimpo de Brasília, o estresse é considerado combustível para o bom desempenho do estudante. Tanto que a instituição adota slogans como “exigente como a vida” e alunos desfilam no local com camisetas e pastas com a sugestiva mensagem “Yes, Stress” [Sim, estresse].

Alunos da instituição chegam a estudar 16 horas por dia para se preparar para o Enem e para as provas do vestibular. Desse total, cerca de oito horas são em sala de aula e o resto do tempo é dividido em atividades de apoio pedagógico, oficinas e a preparação individual dos estudantes. “Deixamos o ambiente da escola para o aluno estudar. Alguns ficam até a noite”, diz o diretor pedagógico Vinicius de Miranda.

Todos os alunos que desejam entrar na escola passam por uma avaliação de suas notas anteriores e já recebem um aviso na entrevista de admissão. “Avisamos a ele que ninguém tem tratamento especial. Se o aluno não tem um desempenho tão bom em outra escola, avisamos que ele pode ter dificuldades”, explica Miranda.

Estresse que motiva

O diretor pedagógico diz que o assunto estresse chega a ser recorrente com pais de alunos: “Explicamos que a escola é adepta ao ensino conteudista [que privilegia o conteúdo, a quantidade do conhecimento] e que o estresse pode funcionar como motivador”.

As exigências na escola acabam criando um padrão de aluno. De acordo com Miranda, o perfil do estudante do Olimpo é um aluno mais introspectivo, curioso e proativo. A maioria dos estudantes postulam vagas em universidades públicas de medicina ou engenharia. A escola aponta que cerca de um terço dos alunos chegam a ter dificuldades com notas e precisam de apoio pedagógico.

Além do incentivo ao estresse, outra forma de marketing da escola é mostrar o número de estudantes aprovados nos cursos preferidos — uma estratégia bastante utilizada no mercado. Em um folheto de divulgação, há o número de 16 aprovações no IME (Instituto Militar de Engenharia) e no ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica)  e mais de 100 aprovações em medicina em diversas universidades. O mesmo folder mostra o preço para o semi-intensivo deste ano: quase R$ 9 mil por seis meses de estudo.

Os alunos Luis Cury e Kessi Jhones são da turma que encara longas jornadas

Os alunos Luis Cury e Kessi Jhones são da turma que encara longas jornadas

Jornada de 16 horas de estudo

Candidatos a uma vaga no IME ou no ITA, os estudantes do terceiro ano Luis Cury e Kessi Jhones, ambos com 17 anos, são dois exemplos de alunos que ficam 16 horas ao dia em cima dos livros.

No dia da entrevista, Cury havia chegado mais cedo à escola para aulas de reforço: “Em um dia regular, eu estudo das 6h às 22h. Pela manhã, plantões de estudo e das 14h às 21h, aulas. Eu gosto daqui porque uma escola regular não te exige tanto e não motiva tanto”.

Kessi adota outro horário de estudo: “Eu fico das 8h até a meia-noite. Meu hobby é o estudo”. O rapaz se mudou há cerca de um mês do Rio e está morando com outros sete alunos do Olimpo em um alojamento próximo à escola. “Eu já estudava esse quantidade de tempo. Mas admito que tem que gostar de estudar”.

Cury, 17, é aluno no Olimpo há três anos e conta que a sua turma de escola tem diminuído. “Quem não entra no ritmo, cai fora da escola. [A turma] Tinha uns 45 alunos. Sempre saem umas cinco pessoas por sala. Nem sempre o método funciona para todo mundo”, aponta.

Go to Top