Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged Nova York

Livro de 2 cm² é descoberto nos Estados Unidos

0

Publicado no Folha do Sertão

Título original: Livro de 2 cm² é descoberto nos Estados Unidos; Curioso pra saber o que há nele? Veja

Livro de 2 cm² é descoberto nos Estados Unidos; Curioso pra saber o que há nele? VejaImagine qual seria a sua curiosidade ao se deparar com um livro de apenas 2 cm² e 1 mm de espessura.

Certamente, você ficaria com muita vontade de descobrir o que está sendo dito nele — e não precisa se sentir culpado, pois a sensação seria a mesma para a grande maioria das pessoas. Mas como fazer para ler algo assim? Apenas com os olhos humanos seria impossível.

Na Universidade de Iowa (Estados Unidos), um livro com as dimensões que foram mencionadas anteriormente foi encontrado em uma biblioteca que reúne mais de 4.000 obras em miniatura. A bibliotecária responsável pelo encontro afirma que ele estava na caixa de “microminiaturas”, sendo ainda menor do que os outros itens que estariam na mesma coleção.

Só era possível identificar a capa, que mostra uma cruz dourada em meio a uma superfície vermelha. Com isso, havia grandes chances de o pequeno livro ser uma versão reduzida de uma bíblia, mas a bibliotecária Colleen Theisen queria ir além. Como informa o The Atlantic, Theisen recebeu a ajuda de Giselle Simón para colocar a obra em um microscópio da Biblioteca de Iowa, conseguindo identificar qual era a editora do livro.

Com isso, conseguiram chegar ao nome da Toppan Printing. Rastreando e cruzando informações, conseguiram descobrir que o livro foi lançado na Feira Mundial de Nova York de 1965. Mas ele não era uma obra independente, pois fazia parte de um conjunto com uma versão maior do mesmo texto: o primeiro capítulo do Gênesis (livro da Bíblia) escrito pelo Rei James para a igreja Anglicana.

Jeff Bezos, o bilionário que empacotava livros

0

Fundador da Amazon vive em uma mansão perto de Bill Gates, mas chegou a empacotar livros quando criou a Amazon

Publicado na revista Veja

CEO da Amazon, Jeff Bezos, e sua mulher Mackenzie Bezos

Jeff é casado com MacKenzie Bezos, escritora (Kevork Djansezian/Getty Images)

O empresário Jeff Bezos, fundador da Amazon, atraiu todos os holofotes ao anunciar a compra do jornal ‘Washington Post’, um dos mais influentes do mundo, por 250 milhões de reais. Trata-se do negócio mais emblemático fechado pelo empreendedor desde a criação de seu site de comércio eletrônico, em 1995. Com a Amazon, ele não só revolucionou a forma como as pessoas compram produtos pela internet, como também sua maneira de ler livros – a empresa é a responsável pela popularização dos leitores digitais em muitos mercados.

 

Com a aquisição, o bilionário natural de Albuquerque, no Novo México, expande sua influência na mídia americana e mundial. Em abril, ele já havia anunciado um investimento de 5 milhões de dólares no site de notícias financeiras ‘Business Insider’.

Aos 49 anos, Bezos ostenta uma trajetória que poderia ser atribuída a célebres visionários americanos, como Howard Hughes e Henry Ford. Do menino que ajudava o avô a cuidar de um sítio no Texas durante as férias de verão, restou a teimosia – excessiva, por vezes. “Uma das coisas que se aprende com a vida rural é a autossuficiência. As pessoas fazem tudo sozinhas. Meu avô era um grande exemplo pra mim nesse aspecto: ‘se algo está quebrado, vamos consertar’. E para fazer algo novo, é preciso ser teimoso e ter foco até um limite que outras pessoas possam achar irracional”, disse Bezos ao escritor Richard Brandt, autor do livro ‘One Click: Jeff Bezos and the Rise of Amazon.com’.

Foi a teimosia que fez com que, em 1994, aos 30 anos, quando já era vice-presidente de firma D.E. Shaw, Bezos abandonasse a carreira em Nova York e partisse rumo à costa oeste para fazer parte do movimento de startups de internet que pipocavam de São Francisco a Seattle. O empresário, que hoje tem um patrimônio avaliado em 25,2 bilhões de dólares, segundo a Forbes, viveu por vários anos com a esposa, a escritora MacKenzie Bezos, numa casa de três quartos cujo aluguel custava 890 dólares, em um bairro operário de Seattle. A Amazon, que foi inaugurada em 1995 e funcionava num espaço sem mobília de 500 metros quadrados, faturou 61 bilhões de dólares em 2012. Segundo reportagem do Wall Street Journal, durante muitos anos Bezos ajudou a empacotar os livros vendidos pela empresa.

Da casa de aluguel, restam apenas memórias. Hoje, o bilionário vive com sua esposa e quatro filhos (três meninos e uma menina adotada na China) numa mansão em Medina, estado de Washington, não muito longe da casa de Bill Gates. A propriedade possui até mesmo um acesso ao Lago Washington, onde o bilionário costuma velejar. Ele também possui uma mansão em Beverly Hills, avaliada em 30 milhões de dólares, além de três apartamentos interligados em uma das torres do complexo Century Tower, em Manhattan.

Apesar de ter nascido no centro dos Estados Unidos, Bezos passou boa parte da infância em Miami, para onde sua mãe Jacklyn e seu padrasto Mike Bezos se mudaram durante a década de 1970. O pai de Jeff, Ted Jorgensen, abandonou a família quando o bebê tinha apenas um ano. Até os dez anos de idade, Jeff acreditou ser filho biológico de Mike.

Na escola, Bezos ganhou uma competição promovida pela Nasa ao escrever uma tese intitulada “O efeito da gravidade zero no ritmo de envelhecimento da mosca comum”. Como prêmio, ele foi chamado pela agência para conhecer o Centro de Voos Espaciais, setor especializado em foguetes e sistema de propulsão de espaçonaves. Depois de arqueólogo, a segunda opção de carreira para Jeff era ser astronauta. Alguns anos mais tarde, ele começou a desenvolver outra paixão: o interesse por computadores, talento que se revelou quando estudava física na Universidade de Princeton, uma das mais renomadas dos Estados Unidos.

Em 1999, apenas quatro anos após a criação da Amazon, Bezos foi eleito Personalidade do Ano pela revista ‘Time‘.

Negócios excêntricos – O bilionário é conhecido por suas ideias incomuns. Uma delas é a de uma espécie de “airbag para celulares”, objeto capaz de detectar quando o aparelho está caindo e abrir a proteção antes de ele chegar ao chão, reduzindo o impacto. A ideia está patenteada mas o seu criador ainda não terminou de desenvolvê-la. Outro ponto inusitado na vida do empresário é a fundação da Blue Origin, uma empresa que desenvolve projetos de viagens espaciais.

Além disso, ele tem um projeto em andamento para construir um relógio de 70 metros de altura e fazê-lo perdurar por tantos anos quanto a humanidade existir. Para isso, Bezos financia um grupo, a Fundação Long Now, que está construindo o que ele chama de “O relógio de 10 mil anos” no interior de uma montanha em sua propriedade no Texas, próximo ao local onde a Blue Origin lança foguetes. Ele afirma estar construindo o relógio como um símbolo de responsabilidade e respeito ao longo prazo. Até agora, Bezos investiu cerca de 42 milhões de dólares no relógio.

Outras grandes ambições do empresário estão no campo astronômico. No ano passado, ele contratou especialistas para explorar o fundo do mar e encontrar os motores que impulsionaram o foguete Apollo 11 para o espaço. O fundador da Amazon espera encontrar ao menos um dos cinco motores e devolvê-los para a Nasa.

 

EUA querem que Apple encerre acordos de e-books

0

Justiça americana concluiu no mês passado que empresa combinou com distribuidoras aumento do valor de livros eletrônicos em 2010

Fachada da loja Apple em Nova York, nos Estados Unidos (Lucas Jackson/Reuters)

Fachada da loja Apple em Nova York, nos Estados Unidos (Lucas Jackson/Reuters)

Publicado por Veja

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos e dezenas de advogados estaduais propuseram nesta sexta-feira uma ação por causa das acusações de que a Apple participou de um esquema ilegal para determinar os preços de livros eletrônicos. Se a proposta for aprovada pela Justiça, a Apple teria de encerrar os acordos existentes com cinco grandes editoras: Hachette Book Group, HarperColllins Publishers, Holtzbrinck Publishers, Penguin Group e Simon & Schuster Inc.

Além disso, a Apple ficaria impedida por cinco anos de assinar novos contratos de distribuição. Nenhum representante da empresa foi encontrado para comentar o caso. “Sob os termos da proposta do Departamento de Justiça, a conduta ilegal da Apple vai terminar e a empresa e seus altos executivos não vão mais poder conspirar para prejudicar a competição no futuro”, disse Bill Baer, advogado-assistente responsável pela divisão antitruste do Departamento de Justiça.

Segundo a acusação divulgada no início de julho, a Apple combinou com as editoras a mudança do modelo de venda de e-books no início de 2010. À época, com o mercado dominado pela Amazon, novidades e best-sellers custavam 9,99 dólares. Pelo novo sistema, os preços dos livros mais vendidos passaram a variar entre 12,99 a 14,99 dólares, com 30% de comissão para a Apple. Conforme fechavam acordo com a empresa fundada por Steve Jobs, as editoras passaram a pressionar a Amazon a adotar o mesmo modelo.

dica do Jarbas Aragão

Lançado em inglês, livro ensina “como ser brasileiro” a estrangeiros

0

O autor oferece gírias úteis para o dia a dia e discorre sobre comportamentos típicos

Publicado no Terra

Livro é espécie de guia para aprender a lidar com comportamentos e costumes adotados no Brasil Foto: Divulgação

Livro é espécie de guia para aprender a lidar com comportamentos e costumes adotados no Brasil Foto: Divulgação

Depois de sobreviver a diversos contratempos por diferenças culturais, o americano Steve Luttmann escreveu o livro How to be a Brazilian, no qual descreve experiências que acumulou durante 15 anos no Brasil.

 

Steve, que é CEO da destilaria Maison Leblon, se considera um americano que aspira ser brasileiro e seu objetivo com a publicação é ensinar aos demais estrangeiros o famoso “jeitinho brasileiro”.

 

Ao longo das páginas, ele relata dicas inspiradas em comportamentos considerados típicos como o gosto pela paquera, por reunir os amigos, fazer churrasco, assistir a uma partida de futebol, comer feijoada e beber caipirinha – com direito a receitas destes ícones da gastronomia brasileira.

 

Além disso, o autor oferece gírias úteis para o dia a dia.  “Me preocupei em escrever um guia extremamente prático e divertido para auxiliar os estrangeiros a vivenciar de fato o jeitinho brasileiro e a conhecer um pouco mais dessa cultura que vem conquistando os corações de todo o mundo. Aqui em Nova York, sinto muita falta do clima amistoso do país, a energia do brasileiro é única e contagia até os mais introvertidos”, explicou.  Anote algumas receitas.

The Tangerine Honey Caipirinha Leblon
Ingredientes

45 ml de Cachaça Leblon
½ tangerina em gomos
1 colher  de sopa de mel

 

Modo de preparo
Macere a tangerina e o mel em um copo de caipirinha. Adicione a cachaça, complete o copo com gelo e mexa bem.

 

The São Paulo Sour Leblon
Ingredientes

60 ml de Bourbon
45 ml de limão espremido
30 ml de simple syrup
15 ml de licor Cedilla
15 ml de clara de ovo

 

Modo de preparo
Combine todos os ingredientes, exceto o licor Cedilla, em uma coqueteleira. Complete-a com gelo e bata fortemente. Sirva em um copo curto e adicione o Cedilla delicadamente.​

 

The Rio Royale Leblon 
Ingredientes
25 ml de licor Cedilla
100 ml de champagne

 

Modo de preparo
Em uma taça de champagne, sirva o Cedilla e delicadamente e adicione o champagne. Finalize com um twist de limão.

 

Leitura de topless

0
Lemos de topless e não apenas isso

© criticalpages.com

Título original: Lemos de topless e não apenas isso

Anna Fedorova no Voz da Rússia

Segundo as estatísticas a maioria dos leitores perde o interesse pelo livro na página 18. Aqueles que continuam a assimilar a informação com entusiasmo e se consideram verdadeiros bibliófilos são capazes de ler praticamente em quaisquer condições. Hoje a leitura na banheira, na praia, na rua, tornou-se tão habitual que não surpreende ninguém. Entretanto o anseio de extravagância e o desejo de surpreender refletiram-se também sobre os modestos bibliófilos, para os quais o livro deve estar em primeiro lugar.

Por exemplo, moças intelectuais de Nova York decidiram mostrar sua igualdade de direitos com os homens com livros nas mãos, criando o primeiro topless-clube de livros no mundo. Desnudas até a cintura as apreciadoras da leitura descansam e bronzeiam-se em locais públicos, afirmando que elas não são nem um pouco piores do que os homens, que passeiam pela cidade sem camisetas. Segundo a legislação de Nova York as mulheres têm o direito de fazer topless em qualquer ponto da cidade, por isso esta diversão intelectual é absolutamente legal. Mas, não se sabe porque, atrai grande interesse para as próprias participantes e para o processo de leitura.

Para os que gostam de ler em voz alta, demonstrando sua capacidade de ator aos circundantes, realizam maratonas de leitura por equipes. A mais longa realizou-se em 2007 no Uruguai. De 13 a 22 de setembro seis pessoas leram durante 224 horas sem intervalo no centro da cidade Paissandu.

Existem pessoas surpreendentes, que sabem ler de modo incomum. Por exemplo, o protótipo do protagonista do filme “O Homem da Chuva”, cidadão dos EUA Kim Peek, não sofria de autismo, entretanto tinha particularidades físicas, tinha uma cabeça muito grande, não tinha calos no cérebro e seu cerebelo estava danificado. Peek tinha uma memória incomum – ele decorava 98% da informação lida. Sendo que ele lia da seguinte maneira – com o olho direito lia a página direita e com o esquerdo – a esquerda. Como resultado a leitura de duas páginas padrão do livro levava de 8 a 10 segundos.

Além de coisas estranhas, acontece que os bibliófilos têm muitas vantagens. Assim, no Brasil, os criminosos que lêem livros reduzem a pena de prisão: nas penitenciárias existem programas federais especiais que estimulam o processo intelectual. Cada livro lido reduz a permanência atrás das grades em quatro dias, mas não mais do que quarenta e oito dias por ano, que corresponde à leitura de doze livros. Mas isto não termina assim: como se fossem escolares, os presos devem escrever uma composição para provar seus esforços e melhor assimilar o material lido.

O processo de leitura atrai muitos cientistas, que realizam diferentes experiências e pesquisas científicas neste tema. E então pesquisadores americanos chegaram a uma conclusão inesperada: verificou-se que tanto ler quando se está comendo, como durante o ato sexual é muito útil! Assim que leiam onde quiserem e não renunciem a nada!

 

Go to Top