Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged novo idioma

5 motivos pelos quais você não consegue aprender uma língua

0

publicado no Babbel

As noites de Ano Novo nos remetem à alegria, aos espumantes e… claro, às resoluções para o ano que começa. Você se lembra dos planos que fez para este ano? Se a resposta é não, é porque provavelmente algo deu errado.

5-Reasons-Arent-Learning-Language_MAG-700

Entre os planos mais comumente não realizados está, ao lado de se matricular na academia e parar de fumar, aprender um novo idioma. E, por mais variadas que sejam as razões que nos levam a traçar esse objetivo, a dinâmica é quase sempre a mesma.

Após algumas semanas de empolgação total, a motivação começa lentamente a diminuir. Quando chega o Carnaval, você nem se lembra mais onde está aquele livro de gramática comprado com tanto entusiasmo pouco tempo atrás.

Por que isso acontece? Por que achamos que aprender uma nova língua é algo impossível e tentamos sempre encontrar uma desculpa para desistir? Talvez seja por causa de alguns maus hábitos dos quais é bem difícil se livrar.

Vejamos juntos alguns desses vícios mais frequentes e como é possível corrigí-los.

Devagar e sempre

Quando a aventura de aprender um novo idioma começa, o entusiasmo parece não ter limites. Isso é ótimo para o pontapé inicial, mas não é possível depender para sempre dessa empolgação, pois ela vai diminuindo com o tempo. Passadas as fases da novidade e da empolgação, você não sabe mais onde buscar a vontade de estudar. Portanto, é bastante recomendável que essa energia seja gasta aos poucos. Faça as coisas com calma: distribua o entusiasmo ao longo dos meses e faça do estudo do novo idioma uma atividade regular e cotidiana.

Caso contrário, o que pode acontecer? Na primeira semana, você estuda todos os dias. Já na segunda, pula um porque está cansado. E depois outro. E outro. Até que um dia você olha para a pilha de livros em cima da mesa e o que era puro entusiasmo vira frustração.

Nossa dica: canalize o entusiasmo e faça com que o aprendizado se torne parte do seu dia a dia. Estudar dez minutos por dia durante vários meses trará resultados bem melhores do que uma semana de empolgação desenfreada seguida pela desistência.

As vantagens da memória curta

Não, não ficamos loucos. Mas temos uma mensagem para quem acha que decorar é a chave de tudo, que se gabam da sua memória fotográfica e que recitam listas de vocábulos. Não nos entenda mal, uma boa memória é certamente uma aliada… mas é necessário lembrar de usá-la e treiná-la corretamente.

Decorar frases inteiras pode ajudar em situações específicas e que não fujam do roteiro (por exemplo para retirar as malas no aeroporto), mas não ajudará em nada quando o assunto da conversa sair do capítulo do livro que você havia estudado.

Use a memória do jeito certo e faça com que ela se torne sua cúmplice: aprenda frases e palavras por meio de associações e jogos de palavras que ajudem você a lembrar depois. Quando estiver precisando expressar determinada ideia, se a palavra que você busca não vier à mente, uma semelhante virá.

Desse jeito, você não apenas estará estimulando sinapses no seu cérebro, mas lembrará de tudo por muito mais tempo. Tente e você se surpreenderá!

Nossa dica: a memória é sua melhor aliada se utilizada de modo inteligente.

Ninguém é perfeito

Ninguém é perfeito e nem deveria tentar ser.

Um dos primeiros obstáculos que encontramos na busca da “fluência perfeita” em um idioma é a ambição prematura e inatingível de querer dominar a pronúncia e a gramática sem cometer erros. É claro que isso pode acontecer com tempo e prática, mas não deve ser de maneira alguma uma prioridade para a língua que você quer aprender.

Se gastamos muito tempo com uma regra gramatical particularmente complicada ou se queremos começar a falar apenas quando (e apenas se) estamos totalmente seguros de que não cometeremos erros, é muito provável que o interesse diminua depois de poucos dias ou semanas.

“Se não está perfeito, não começo a falar. E se não começo a falar, não melhoro e não posso mais aspirar a ser perfeito!” O círculo vicioso é bem evidente.

Nosso conselho: faça um esforço para perder o medo de errar. Logo você verá que o mundo não acaba quando você erra. Pelo contrário, você aprende muito com os seus erros.

“Muito trabalho e pouca diversão fazem de Jack um cara bobão”

A frase de Jack Torrance, personagem interpretado por Jack Nicholson em “O Iluminado”, se refere às pessoas que, ao trabalhar (ou estudar) demais, se esquecem das outras coisas da vida.

Você estudou com dedicação e disciplina, usou sua memória da melhor maneira possível e aprendeu que cometer alguns erros é muito melhor do que não tentar… e agora? Agora você merece uma recompensa!

Quando traçamos um objetivo complexo, como aprender uma nova língua, é importante, de tempo em tempo, reconhecer nossos progressos e comemorar.

Você conseguiu finalmente entender quase tudo durante uma conversa no novo idioma? Descobriu como pronunciar aqueles sons tão difíceis? Os pronomes não têm mais segredo?

Então chegou a hora de comemorar fazendo aquilo que você gosta! Assista a um filme, cante uma música em voz alta, escute rádio… claro que tudo no idioma que você está aprendendo! Integrar atividades prazerosas ao estudo fará com que a vontade de aprender não desapareça e que o conteúdo aprendido fique na memória por mais tempo.

Nosso conselho: chega de estudar como um louco. É hora de unir o útil ao agradável e de aprender se divertindo. (Afinal, você lembra o que aconteceu com o Jack no filme?)

Saiba o porquê

Aprenda a arte de ter uma meta em vista. Claro, alguém pode dizer que aprender pelo simples fato de aprender é o máximo do enriquecimento cultural.

Mas se você quiser ir até o final do caminho, é interessante saber porque você começou a percorrê-lo.

Por que você está aprendendo uma nova língua?

Por amor? Por um aumento de salário? Por que quer tentar a sorte no exterior? Por que odeia assistir a filmes dublados?

Tenha seu objetivo em vista e, a cada dia, olhe para a parte do trajeto que você já percorreu e repare como o topo da montanha está cada vez mais perto.

Nossa dica: ter um objetivo aumenta a motivação. Antes de começar, defina o seu!

Como os livros podem ajudar com suas resoluções de Ano Novo

0

Como os livros podem ajudar com suas resoluções de Ano Novo

Fábio Mourão, no Dito pelo Maldito
Em se tratando de resoluções de Ano Novo, os livros são ideais para essa conjuntura. Lembra no ano passado, quando você prometeu malhar todos os dias, mas sua namorada te seduziu para assistir todas as temporadas de Game of Thrones novamente? E quando você planejou uma dieta de alimentos saudáveis, mas não resistia em raspar o tacho dos doces que sua mãe fazia? Teve também quando você prometeu ser menos estressado, mas a sua namorada insistia em ligar de duas a três vezes por dia só pra perguntar por onde você andava?

Já os livros, por um outro lado, nunca irão te trair. Após citarmos aqui os “5 Livros que podem te ajudar a ‘virar a página’ nesse ano novo”, descobrimos que, quando utilizados de forma criativa, os livros podem ajudá-lo em praticamente todos os seus propósitos de Ano Novo. É quase como um ‘canivete suíço’ com mil e uma utilidades para te auxiliar a alcançar os seus objetivos. Duvida?! Então confira abaixo algumas formas engenhosas de como os livros podem te ajudar em suas resoluções de ano novo.

✔ Entrar em forma
Esqueça as dietas extremas e os dias de academia. Em vez disso, escolha um livro com mais de 700 páginas para ler no ônibus e levá-lo para todos os lugares. Arrastar alguns quilos de literatura envolto em uma capa dura vai te dar o bíceps e tríceps que todo consumidor de esteroides sempre almejou.

✔ Melhorar o seu vocabulário
Se você está tentando ser menos boca suja nesse ano que acaba de começar, os livros podem te ajudar com isso também. Em vez de repetir os mesmos clichês suburbanos de sempre (como ‘recalcada’ por exemplo), escolha alguns ultrajes certeiros dos seus livros favoritos. Em caso de dúvida, consulte a nossa lista com insultos literários adequados as mais diversas ocasiões.

✔ Controlar o seu temperamento
Contar até 10 não está mais funcionando como um calmante para o seu temperamento forte? Está tentando reduzir os seus acessos de fúria neste novo ano? Para aliviar a sua cabeça quente, nada melhor do que ter um livro em mãos. Diga a si mesmo que lerá 10 páginas antes de reagir a qualquer provocação. Tenho certeza que você ficará tão absorto no livro, que vai acabar esquecendo o motivo da briga.

✔ Gastar menos dinheiro
Se você está preocupado com os seus gastos no próximo ano, os livros também podem fazer maravilhas nesta questão. Pegue algumas notas de 20 ou 50 do dinheiro que ganhou dos seus tios neste Natal, e as esconda entre as páginas de algum livro. É provável que em algumas semanas você esqueça de onde as colocou, e pronto! Você acabou de se poupar de gastar um bom dinheirinho em alguma coisa que não precisava. Mas procure sempre conferir o interior dos livros antes de emprestá-lo depois disso

✔ Desacelerar o seu ritmo de vida
Com o ritmo frenético da vida como ela é, muitas pessoas sentem a necessidade de desacelerar e viver a vida de forma mais deliberada. Sabe o que realmente te ajuda a não correr demais? Equilibrar um livro sobre a sua cabeça. É claro que isso vai te atrasar um pouco em algumas tarefas diárias, mas em contrapartida, vai te deixar com uma excelente postura para o ano seguinte.

✔ Conhecer pessoas novas
Se você faz o tipo introvertido, não há forma melhor de conhecer pessoas interessantes do que através dos livros. Não gosta muito de baladas? Frequente então um clube literário e com certeza fará amigos que podem te oferecer um pouco mais do que um convite para encher a cara. Está se sentindo sem assunto em alguma reunião social? Basta pigarrear um pouco e dizer: “O Livro é melhor que o filme”, e ver todo mundo concordar com a sua observação e admirar o seu bom gosto. Em último caso, confira as nossas dicas com ‘5 livros que podem te levar a uma conversa com estranhos na rua’.

✔ Aprender um novo idioma
Releia algum livro clássico em uma língua que você não fala. Torne-se fluente no idioma através de osmose. Embora sejam raras, as edições bilíngues podem te ajudar nessa questão. Depois você ainda pode acrescentar com orgulho em sua biografia que você leu Cem Anos de Solidão, de Gabriel Garcia Marquez, na língua nativa do autor, por exemplo.

✔ Despluguesse
Essa é fácil. Quer passar menos tempo online? LEIA UM LIVRO.

E quanto a você amigo leitor? Quais as suas resoluções de Ano Novo? E como você acha que os livros podem te ajudar a alcançar esses objetivos? Conte-nos em nossos comentários.

Estas 10 práticas vão deixar você mais inteligente

0

Seu cérebro é capaz de realizar muitas peripécias, mas você pode dar uma ajudinha

Fonte da imagem: Shutterstock

Fonte da imagem: Shutterstock

Daiana Geremias, no Megacurioso

Quer ficar mais esperto, ter um rendimento melhor nos estudos e no trabalho? Sabia que é possível dar um empurrãozinho no funcionamento do seu cérebro? A revista Time fez uma lista com pequenas atitudes que podem ajudar você a ser uma pessoa mais inteligente. Confira quais são essas atitudes a seguir e depois nos conte se já pratica alguma delas:

1 – Administração do seu tempo online

1

Você provavelmente já reparou que, de vez em quando, faz seu login no Facebook “só para dar uma olhadinha” e, de repente, lá se foram algumas horas diante da tela azul e branca. Não que você não possa se divertir com as redes sociais, mas aprender a administrar seu tempo na internet é uma grande coisa.

Você pode usar “o lado bom” da internet e se dedicar a aprender coisas novas, ver palestras do TED, tentar aprender uma nova língua, conhecer um novo país, aprender mais a respeito do corpo humano e por aí vai.

2 – Tome nota!

1

Você tem acesso a um número muito grande de informações todos os dias, por isso não adianta pensar que vai conseguir lembrar sempre o conteúdo daquela matéria do Mega Curioso que você acabou de ler e que achou incrível. Quando alguma coisa for realmente importante para você – por exemplo: se for algo que possa cair em uma prova –, o ideal é que você faça anotações para poder lembrar depois.

3 – Faça uma lista das coisas que você já fez

1

Ser confiante e feliz é sinal de inteligência, e uma boa forma de você se tornar confiante e satisfeito é se lembrar das coisas que já conquistou. Se sua meta era fazer academia e se você já está fazendo aulas de musculação há duas semanas, lembre-se disso. Idem para aquela conquista no trabalho, na faculdade, na escola. Isso vai fazer de você uma pessoa mais motivada.

4 – Jogue mais!

1

Os jogos mais recomendados para treinar seu cérebro são o xadrez, alguns jogos de baralho e, claro, as famosas palavras cruzadas. Tudo que envolve planejamento estratégico e memória é uma boa ideia. Melhor ainda se você jogar sozinho, sem ajuda de livros e dicas.

5 – Selecione melhor seus amigos

1

Não é novidade que as pessoas com as quais você se relaciona podem influenciar seus hábitos e suas decisões. Por isso, é sempre bom manter por perto aquele amigo que gosta de ler, que vai bem nos estudos, que tem um bom relacionamento social, que sabe tomar boas decisões e que tem boas conversas. Esse conselho serve para a vida inteira: é sempre bom ter por perto uma pessoa inteligente tanto na questão racional da coisa quanto na emocional também.

De acordo com Saurabh Shah, o seu QI é uma média do QI das cinco pessoas mais próximas de você. Isso só comprova o que falamos no parágrafo anterior: ficar perto de gente esperta faz de você uma pessoa esperta.

6 – Leia muito

1

Esse é um conselho muito batido e, para alguns, um pouco chato. Ainda assim, é preciso reforçar o poder da leitura, principalmente em tempos de redes sociais, quando passamos mais tempo em contato com conteúdos rasos do que com uma boa narrativa literária, por exemplo.

Cientificamente falando, a leitura tem o poder de dar aquele impulso que seu cérebro precisa de vez em quando, sem falar que é um ótimo exercício para a criatividade também. Você não precisa começar lendo a obra completa de Dostoiévski, mas pode criar o hábito de ler jornal e, quem sabe, aquele livro que faz mais o seu estilo. O importante é ler bastante e sempre. (mais…)

Go to Top