Canal Pavablog no Youtube

Posts tagged obras literárias

Explore o vasto (e quase escondido) acervo de audiolivros do Spotify

0

De Sylvia Plath aos famosos contos de Hans Christian Andersen, são várias pérolas literárias disponíveis no serviço de streaming

Jéssica Soares, na Superinteressante

Nem só de música vive o Spotify. Caso você já tenha tirado alguns minutos para explorar as várias categorias do serviço de streaming de áudio, é possível que já tenha esbarrado, por exemplo, no gênero Comedy/Comédia, que reúne quadros de stand-up de grandes comediantes e até playlists com piadas curtas. Mas é bem provável que você ainda não saiba que, em meio ao vasto acervo do serviço, estão disponíveis obras literárias integrais na língua inglesa – um achado para quem quer treinar a proficiência na língua estrangeira ou para quem já tem o hábito de consumir audiolivros.

explore_o_vasto_e_quase_escondido_acervo_de_audiolivros_do_spotify

Parte do conteúdo em áudio está reunido no gênero Word – “Palavra”, em português, que também aparece no serviço com o nome “Do Mundo” – e pode ser acessado através do navegador clicando aqui ou através do aplicativo para celular e desktop digitando na busca spotify:genre:word. São, ao todo, 30 playlists com diferentes conteúdos, que incluem contos de fadas e fábulas, histórias de terror (que vão desde contos de Edgar Allan Poe até narrações do mestre do suspense Alfred Hitchcock), histórias de ação e aventura (com clássicos como Os três mosqueteiros, de Alexandre Dumas, e Moby Dick, de Herman Melville), literatura escrita por mulheres (que inclui Mrs. Dalloway, romance de Virginia Woolf), uma coletânea de escritos das irmãs Brontë (com os clássicos Jane Eyre e Morro dos Ventos Uivantes) e até mesmo um guia hipster de poesias.

O que torna o conteúdo ainda mais interessante é que ele permite ouvir as palavras na voz dos próprios autores. É o poeta Allen Ginsberg, por exemplo, quem lê o seu poema Howl/Uivo, considerado um dos grandes escritos da Geração Beat – também representada na voz do autor de On the Road, Jack Kerouac. Há também por lá diversas leituras do escritor James Joyce de suas obras de peso, como Ulisses. É possível também conhecer os grandes poemas de Sylvia Plath e Gertrude Stein nas vozes das autoras.

explore_o_vasto_e_quase_escondido_acervo_de_audiolivros_do_spotify_2

Quem estiver interessado em garimpar, pode encontrar no Spotify muito mais opções de conteúdo literário, desde audiolivros até palestras e falas de grandes autores e autoras – Open Culture listou 75 boas opções . É possível encontrar por lá até mesmo a famosa transmissão radiofônica de Guerra dos Mundos, de H. G. Wells, feita por Orson Welles (diretor de Cidadão Kane), que teria causado pânico entre os ouvintes desavisados que pensaram se tratar de um boletim de notícias real sobre uma invasão alienígena.

A disponibilização do conteúdo literário em áudio está alinhada a uma tendência mundial, apesar do formato ainda não ter pegado no Brasil. Enquanto editoras lidam com a queda nas vendas de livros em mídia impressa e digital, o mercado de audiolivros apresenta crescimento – nos Estados Unidos, o número de downloads cresceu 38,1% em 2015, segundo a Association of American Publishers. O Audible, plataforma de audiolivros da Amazon que oferece conteúdo através de uma assinatura mensal, tem apresentado crescimento anual de 40% por ano. Em 2015, os assinantes ouviram 1,6 bilhões de horas de conteúdo (em 2014, foram 1,2 bilhões). O serviço conta com livros em 37 idiomas, mas o acervo em português ainda é tímido – são cerca de 100 títulos até o momento.

De porta em porta pelo Brasil

0

Projeto Poesia Viva – A Poesia Bate a Sua Porta completa cinco anos e comemora 31 mil livros distribuídos pelo país

Abrangência. A criadora do projeto, Andreia Donadon Leal, durante entrega de exemplares em Serra do Carmo, um distrito de Mariana

Abrangência. A criadora do projeto, Andreia Donadon Leal, durante entrega de exemplares em Serra do Carmo, um distrito de Mariana

Vinícius Lacerda em O Tempo

A inquietude causada pelo excesso de livros guardados em casa e a vontade de estimular a leitura na cidade de Mariana encorajaram a escritora e artista plástica Andreia Leal a começar, ainda em 2009, o projeto Poesia Viva – A Poesia Bate à Sua Porta, que leva obras literárias a variadas residências familiares da cidade.

“Depois que me casei com J.B. Donadon-Leal (escritor e professor da Universidade Federal de Ouro Preto), vi que ele tinha muitos livros parados em casa. Eu achava aquilo um absurdo: todas aquelas obras envelhecendo, sendo que outras pessoas poderiam estar lendo. Daí resolvi distribuir”, conta Andreia.

Não por acaso, a primeira beneficiada foi a vizinha de Andreia. Em seguida, ela passou a caminhar até outros bairros da cidade histórica para levar os livros, e mais tarde a outras cidades, como Santa Bárbara, Ouro Preto e Viçosa.

Não tardou para que o projeto tomasse forma e ficasse nacionalmente conhecido. No mesmo ano de sua criação, recebeu o Prêmio VivaLeitura, concedido pelo Ministério da Cultura. “Na época, quando o ministro Juca Ferreira estava fazendo o discurso para anunciar o vencedor, ele disse que o ministério atuava em duas linhas para estimular a leitura: bibliotecas e escolas. Em seguida ele completou, afirmando que faltava uma terceira: a família. Quando ele disse isso, tive certeza que tínhamos vencido”, recorda-se.

O motivo da convicção ao ouvir o anúncio vem de um dos alicerces do projeto. Ao distribuir os livros, que reúnem doações variadas e obras de sua autoria, Andreia não apenas os entrega, mas faz questão de conversar com todos os moradores da casa. “Com o tempo, percebemos que, ao abordar uma família, conseguimos atingir outras duas ou três, pois elas passam os livros adiante”, relata.

Com relação ao estímulo, Andreia garante que o projeto atinge pessoas de todas as idades e atribui esse alcance às conversas estabelecidas com cada participante do projeto. “Eu sempre falo que não precisa ler um livro todo de imediato. Leia um conto todo dia ou de três em três dias, do jeito que achar melhor. O importante é inserir isso na rotina, assim como tratamos o trabalho e a resolução de problemas. Mas é preciso que o livro esteja lá, e, por isso o projeto é importante”, sublinha. “E não importa se a pessoa é alfabetizada ou não, o contato com o livro vai além disso”.

Ainda sobre o fomento à leitura, Andreia enxerga que o ineditismo do projeto está no fato de reverter uma ordem há muito estabelecida. “Temos como objetivo desmitificar a figura do escritor e fazemos isso, acredito, ao percorrer um caminho contrário: em vez de o leitor ir em busca do livro, o escritor leva o livro até o leitor. Quanto o próprio autor bate na porta e conversa com você, o incentivo é bem maior”, afirma.

Obstinação. Desde o seu surgimento, o Poesia Viva cresceu. Atualmente, a artista computa 31 mil livros distribuídos por 17 cidades do interior de Minas Gerais, incluindo comunidades quilombolas, e por outros 13 Estados, como Rio de Janeiro, São Paulo, Espírito Santo, Santa Catarina e Distrito Federal. Também começaram a entregar em empresas. “Tudo começou com uma mineradora cujos funcionários estavam muito estressados. Nós levamos os livros até lá e, agora, na hora do almoço, eles leem”, relata.

Desde a origem da iniciativa, Andreia faz esse trabalho apenas com o suporte da Prefeitura Municipal de Mariana. Para a distribuição local, ela sempre conta com a ajuda de voluntários.

“Nunca tivemos nenhum patrocínio. O dinheiro que ganhamos em 2009 (R$ 30 mil) serviu para imprimir livros de escritores locais, que foram distribuídos gratuitamente. Acho que não temos sorte, mesmo com muita visibilidade. Nem espero mais por um patrocínio, já estou acostumada”, afirma, lamentando o fato de ter enviado projetos para diversos editais e leis de incentivo, mas sempre sem sucesso.

Para continuar essa empreitada, ela pondera, o combustível mais eficaz é o retorno que tem dos beneficiados. “Teve esse garoto que perdeu o pai, e a mãe começou a entrar em depressão. Depois que passamos na casa dele, eles começaram a ler juntos, a mãe melhorou, e hoje o menino até escreve poesias. Esse resultado é fantástico, e isso me faz seguir em frente”.

Go to Top